Domingo, 05 Abril 2020 | Login
Câmara Municipal votará pagamento do abono em Sessão Extraordinária na próxima semana.
 
Por Anderson Cavalheiro -
O prefeito de Osasco, Rogério Lins (PODE), enviou à Câmara Municipal de Osasco, nesta sexta-feira, 03/04, um Projeto de Lei que autoriza o pagamento de abono salarial, no valor de um salário mínimo, aos servidores e funcionários públicos da Secretária de Saúde e de outros quadros, que prestam serviços essenciais na linha de frente no combate à pandemia do novo coronavírus, o COVID-19.
Rogério e Ribamar
Rogério Lins, Prefeito de Osasco; e Ribamar Silva, Presidente da Câmara Municipal
O projeto deve ser votado na próxima semana em Sessão Extraordinária. O anúncio foi feito durante uma live na noite de ontem e, em seguida, o projeto foi entregue ao presidente da Casa Legislativa de Osasco, vereador Ribamar Silva (PSD). Lins tem feito todas as noites lives nas redes sociais, para atualizar a população sobre as medidas que a prefeitura vem tomando no combate ao vírus.
Abono
Terão direito ao abono os servidores e funcionários públicos do município de Osasco, que estejam efetivamente prestando serviços potencialmente expostos a COVID-19, em especial aqueles lotados nas Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Pronto Atendimento, Hospital Municipal, Policlínicas, e outros equipamentos relacionados, ou que desempenhem atividades externas. O abono salarial será pago por meio de folha de pagamento complementar.
Também terão direito ao benefício os servidores que tenham que se afastar de suas funções por contágio do COVID-19 no exercício de suas atribuições.
Valorização
O presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva, afirmou que o projeto tem como objetivo a valorização destes servidores na guerra contra o novo coronavírus na cidade. “Os servidores que estão atuando no combate a esta pandemia, em especial aqueles da área da Saúde, são verdadeiros heróis e merecem nosso reconhecimento e valorização. O momento atual pede união de todos para vencer essa difícil batalha e esses profissionais são essenciais nessa luta”, destacou o vereador.
As despesas para o pagamento do benefício virão de dotações orçamentárias constantes no orçamento vigente e suplementadas, se necessário. (Por Anderson Cavalheiro - CMO)
Published in Cidade

Ministério da Saúde afirma que equipamento pode ajudar na prevenção, desde que seja bem higienizado e de uso individual.


A Sociedade Brasileira de Infectologia afirma, por meio de nota, que a máscara de pano pode ser recomendada para quem precisa sair de casa, pois é capaz de diminuir a disseminação do novo vírus por pessoas assintomáticas ou pré-sintomáticas. "Para a população que necessita sair de suas residências, a máscara de pano pode ser recomendada como uma forma de barreira mecânica", informa o comunicado.
No entanto, a entidade ressalta que esse tipo de máscara não impede que aqueles que a utilizam possam ser infectados pelo coronavírus, pois "não possui capacidade de filtragem".
Em entrevista ao R7, o infectologista Carlos Fortaleza, da Sociedade Brasileira de Infectologia, alertou sobre as limitações dessa medida de prevenção: "Ela tem menos da metade da eficácia da máscara cirúrgica", destacou. "O que me preocupa é que as pessoas pensam que se usarem máscara de pano podem reabrir o comércio, mas não podem", acrescentou.
O uso da máscara cirúrgica segue restrito para pacientes com sintomas respiratórios - tosse, espirro, dificuldade para respirar - e profissonais de saúde. A instituição também reforça a importância de manter outras medidas preventivas como a lavar as mãos e fazer isolamento social.
Como deve ser a máscara
O Ministério da Saúde vai lançar uma campanha digital pela mobilização da população para fabricar as próprias máscaras de pano. De acordo com o órgão, a máscara caseira pode ajudar na prevenção contra o novo coronavírus, mas para ser eficiente precisa de duas camadas de pano e deve ser de uso individual.
Ela pode ser feita de diversos tecidos, como algodão, tricoline ou TNT. O importante é que seja higienizada, tenha as medidas corretas para cobrir totalmente a boca e nariz e esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.
"Tem que ser lavada pelo próprio indivíduo para que se possa manter o autocuidado. Se ficar úmida, tem que ser trocada. Pode lavar com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 20 minutos", orienta o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.
Leia a nota da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) na íntegra:
"A Sociedade Brasileira de Infectologia recomenda, sempre que possível, o uso da máscara cirúrgica durante a permanência do profissional no serviço de saúde ou hospital.
Ademais, é desejável que as máscaras sejam trocadas por ocorrência de sujidade ou excesso de umidade. Principalmente em instituições de referência para atendimento de pacientes com Covid-19, preocupa-nos a possibilidade de transmissão da infecção entre profissionais de saúde (transmissão intra-hospitalar), como já descrito em outros países.
Com a escassez dos equipamentos de proteção individual (EPI) em face da pandemia, avalia-se o uso das máscaras de pano. Porém, em serviços de saúde, elas não devem ser usadas sob qualquer circunstância, de acordo com o mesmo documento citado anteriormente.
Para a população que necessita sair de suas residências, a máscara de pano pode ser recomendada como uma forma de barreira mecânica. Conquanto, há de ser destacada a importância da manutenção das outras medidas preventivas já recomendadas, como distanciamento social, evitar tocar os olhos, nariz e boca, além de higienizar as mãos com água e sabonete ou álcool gel 70%.
A máscara de pano pode diminuir a disseminação do vírus por pessoas assintomáticas ou pré-sintomáticas que podem estar transmitindo o vírus sem saberem, porém não protege o indivíduo que a está utilizando, já que não possui capacidade de filtragem. O uso da máscara de tecido deve ser individual, não devendo ser compartilhado." (Fonte: R7)
Published in Política

 

Nesse momento de tensão e dúvidas, as autoridades do Governo Federal, dos Estados e Municípios têm procurado passar todas as informações necessárias para que os munícipes fiquem o maior tempo possível em casa e só procurem as unidades de saúde em caso de urgência.

Assim, é importante que todas as pessoas sigam, por exemplo, essas informações sobre os sintomas do novo coronavírus, divulgadas pela Prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo.

Published in Geral
Em meio à pandemia do coronavírus, têm também notícias boas e de esperança no mundo.
Gente, sem dúvida, o mundo está passando por momentos conturbados, mas, apesar de tanta apreensão, não podemos entrar em pânico. A China, onde tudo começou e onde, infelizmente, milhares de pessoas morreram, já superou o pior momento. A Itália também vai superar tantas mortes e voltará a ser o país alegre e de gente feliz que conhecemos E, claro, também o Brasil, onde o vírus acabou de chegar, vai também superar essa pandemia. Aqui, o governo Federal e os governos estaduais estão tomando medidas de emergência para combater o avanço da doença. O Exército está de prontidão, inclusive, para a produção de medicamentos, estádios de futebol vão funcionar até como hospitais de campanha e hotéis que vão abrigar médicos e enfermeiros mais próximos aos hospitais.
E ao lado das medidas de precaução que devemos tomar para evitar o contágio, não vamos esquecer que a fé e a esperança são combustíveis essenciais para o ser humano não entrar em pânico diante das piores situações. Para nós, que somos cristãos e acreditamos em Deus, Jesus nos deixou esta palavra: "No mundo tereis aflições, mas, tendes bom ânimo. Eu venci o mundo".
Veja, a seguir, quantas boas notícias, acontecem paralelamente, à pandemia do coronavírus. O site americano Good News Network fez um levantamento e postou 10 notícias boas a respeito do coronavírus no mundo e a gente reproduz abaixo pra você:
  1. Anticorpos de pacientes recuperados do coronavírus podem ajudar a proteger outras pessoas. Um imunologista da Universidade Johns Hopkins está usando anticorpos do plasma sanguíneo, ou soro de pessoas que se recuperaram da infecção por COVID-19, para aumentar a imunidade de pacientes recém-infectados e nas pessoas com risco de contrair a doença.
  2. Surto da Coréia do Sul diminui e recuperações superam as novas infecções. A Reuters informou que a Coréia do Sul registrou pela primeira vez mais casos de recuperação de COVID-19, em 6 de março do que novas infecções, desde que o país teve o maior surto asiático fora da China. O país atingiu um pico de 909 novas infecções em 29 de fevereiro. Agora a taxa de infecção caiu para menos de 100 novos casos relatados durante dias seguidos.
  3. China comemora recuperação, fecha hospitais temporários e reabre parques. Funcionários, médicos e pacientes dispensados foram filmados comemorando o fechamento dos 14 hospitais temporários, que foram abertos em Wuhan para tratar pacientes com COVID-19 durante o pior momento do surto.O South China Morning Post informou nesta semana que o continente teve 11 novos casos em 13 de março, a maioria de viajantes internacional. Os parques e as atrações turísticas estão começando a reabrir sob cuidadosa moderação.
  4. Pesquisadores australianos testam duas drogas contra o vírus. No Centro de Pesquisa Clínica da Universidade de Queensland, cientistas descobriram que dois medicamentos diferentes – ambos registrados e disponíveis na Austrália – eliminaram completamente os vestígios da doença em tubos de ensaio. As drogas foram dadas a alguns dos primeiros pacientes do país, o que resultou no “desaparecimento do vírus e recuperação completa da infecção”, disseram os pesquisadores à News.com.au .
  5. Pesquisadores holandeses e canadenses isolam o vírus. Em Toronto, pesquisadores conseguiram isolar o agente responsável pela pandemia do do coronavírus. Isso ajudará pesquisadores de todo o mundo a desenvolver melhores testes de diagnóstico, tratamentos e vacinas. Já pesquisadores holandeses identificaram um anti-corpo para o vírus. Eles enviaram a descoberta para publicação em um artigo científico.
  6. Pesquisadores dos EUA testam primeira vacina em voluntários. Cientistas do Instituto de Pesquisa Kaiser Permanente Washington, em Seattle, aplicaram as primeiras vacinas experimentais contra o coronavírus em dezenas de voluntários no início desta semana. Uma beneficiária da vacina é Jennifer Haller, mãe de dois adolescentes. Ela disse aos repórteres da AP que estava “se sentindo ótima” ao sair da clínica.
  7. Poluição despenca em cidades com altas taxas de quarentena. Leituras por satélite dos níveis de poluição do ar na China e na Itália mostram que as regiões mais atingidas pelo COVID-19 também tiveram níveis de poluição do ar reduzidos drasticamente. Alguns relatórios apontam que a quarentena da China reduziu em mais de 100 milhões de toneladas as emissões de dióxido de carbono na atmosfera – o que equivale ao que o Chile produz em um ano. Na Itália , os canais e vias navegáveis de Veneza estão mais limpos do que nunca, sem barcos e gondoleiros movidos a diesel.
  8. Pessoas e empresas se ajudam durante o surto nos EUA. A Dollar General anunciou que vai dedicar seu horário de funcionamento a clientes idosos. Atletas e equipes esportivas estão se comprometendo a pagar os salários dos funcionários da arena durante o desligamento. Empresas de serviços públicos , proprietários de imóveis , montadoras e provedores de internet estão renunciando a uma série de taxas e pagamentos em atraso para aliviar os encargos financeiros da paralisação. Os distritos escolares de todo o país estão abrindo as portas para servir refeições para crianças e famílias.
  9. Uber Eats não cobra taxas de entrega para 100.000 restaurantes. Como os restaurantes no Canadá e nos Estados Unidos foram forçados a fechar as portas durante a quarentena, o Uber Eats anunciou que vai renunciar às taxas de entrega para restaurantes independentes da América do Norte. Em comunicado a empresa informou que que vai ajudar a compensar a queda nas vendas de refeições nos restaurantes.
  10. Destilarias dos EUA estão produzindo álcool em gel para doar. Destilarias de álcool em Atlanta , Portland , zona rural da Geórgia e Carolina do Norte começaram a usar suas instalações para fabricar álcool em gel. As destilarias informam que vão manter a produção até que o vírus seja contido.
Com informações do GNN
Published in Política
Alguns dos principais estádios já estão à disposição das autoridades estaduais e municipais, como o Morumbi, em São Paulo, que vão funcionar como Hospital de Campanha. Com certeza, agora, as Arenas, ou elefantes brancos construídos para a Copa no Brasil, em 2014, vão ter alguma utilidade.
O mundo segue em alerta total devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Os principais eventos culturais e esportivos foram paralisados, alguns cancelados, e a recomendação geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) é para permanecer em casa. No Brasil, alguns estádios de futebol foram colocados à disposição das autoridades estaduais e municipais para ajudar no combate à doença.
Com essa ação, a ideia é que os locais possam ser utilizados para abrigar pacientes em tratamento, para não sobrecarregar hospitais e clínicas em caso de avanço do Covid-19 no país. Os estádios Nilton Santos, no Rio de Janeiro; Pacaembu, Morumbi e Arena Corinthians, em São Paulo; Mané Garrincha, em Brasília; Frasqueirão, em Natal; e Arena da Baixada, em Curitiba, já foram disponibilizados para os órgãos públicos.
Na capital mineira, Mineirão e Independência ainda não divulgaram medidas a serem tomadas em relação ao caso. Em contato com o Superesportes, o gerente de operações e segurança do Horto, Helber Gurgel, falou sobre o caso. Segundo ele, a arena não tem estrutura para comportar esse tipo de ação.
“Nós já pensamos em abrir o Independência, mas nós esbarramos na questão estrutural. A maior estrutura do estádio é a parte de vestiários, porque o Independência é diferente dos outros estádios redondos, falta uma parte da estrutura nele. Mas, é claro, se formos consultados, a gente se dispõe, mas por enquanto não houve nenhuma solicitação”, afirmou Gurgel.
A reportagem também apurou que o Mineirão está estudando qual será a melhor ação a ser viabilizada neste momento.
Estádio Mané Garrincha, em Brasília
A concessionária Arena BSB, que administra o estádio Municipal Mané Garrincha, colocou a arena à disposição do Governo do Distrito Federal para o combate à pandemia do novo coronavírus. O local poderá ser utilizado como centro de triagem ou hospital de campanha pela Secretaria de Saúde.
Estádio Frasqueirão, em Natal
O ABC de Natal colocou toda a estrutura do Frasqueirão à disposição da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap). Em nota divulgada à imprensa, o clube diz que a "diretoria abecedista, ciente da responsabilidade social em que o clube tem diante da sociedade, ainda mais nesse momento importante e crítico vivido por todos, disponibiliza as dependências do seu estádio caso haja a necessidade de ampliação, por parte do Governo, da estrutura de apoio e combate ao novo coronavírus, o Covid-19".
Arena da Baixada, em Curitiba
O Athletico Paranaense disponibilizou a Arena da Baixada e o CT do Caju aos órgãos de saúde do Paraná para dar apoio ao tratamento de pessoas no combate ao Covid-19. O clube disse que as autoridades podem utilizar o espaço da “forma que entenderem necessário”.
Estádio Nilton Santos, em Brasília
O Botafogo colocou a estrutura do Estádio Nilton Santos à disposição das autoridades de saúde do Rio de Janeiro em meio à luta para superar a pandemia do novo coronavírus. Em nota, o clube afirma que está ciente da sua responsabilidade social e se solidariza com o momento conturbado.
Arena Corinthians, em São Paulo
O Corinthians anunciou que vai abrir a sua Arena a partir de semana que vem para receber doações de sangue e auxiliar no combate à pandemia do coronavírus. As doações deverão ser agendadas para evitar aglomerações e seguir os protocolos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde.
Estádio do Morumbi, em São Paulo
O São Paulo anunciou que irá disponibilizar toda a infraestrutura do Morumbi para o combate à pandemia do novo coronavírus. Em nota, o clube também colocou o CT da Barra Funda e de Cotia, da base, à disposição das autoridades.
Estádio Pacaembu, em São Paulo
A Prefeitura de São Paulo vai instalar 200 leitos no Pacaembu para atender pacientes com coronavírus de baixa complexidade. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira pelo prefeito Bruno Covas. O estádio será adaptado para receber os pacientes. (Fonte: Estado de Minas)
Published in Esporte
Luiz Henrique Mandetta prevê que a pandemia deve ganhar força no Brasil até junho e registrar "queda profunda" em setembro. Prefeitos de grandes cidades, como Osasco, São Caetano e Santo André, estão fechando o comércio. Portanto, o momento é de atenção, precaução e também de oração pelo Brasil e o mundo.
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta sexta-feira, 20/03, que o sistema de saúde brasileiro "entrará em colapso" no final de abril devido ao avanço do coronavírus. "As pessoas confundem colapso com sistemas caóticos. O colapso é quando você pode ter o dinheiro, ter o plano de saúde e a ordem judicial, mas simplesmente não há o sistema para se tratar. É o que está acontecendo na Itália", explicou Mandetta em videoconferência a empresários brasileiros.
Na análise de Mandetta com base na evolução do coronavírus no mundo ocidental, as infecções ainda vão ganhar força e aumentar rapidamente nos meses de abril, maio e junho. "Devemos entrar em abril com o início da subida rápida, que vai durar até o mês de junho, quando ela vai começar a ter uma desaceleração de subida. No mês de julho, deve começar o platô. Em agosto, esse platô vai começar a mostrar tendência de queda e, em setembro, essa queda é mais profunda, como foi a de março na China", previu Mandetta.
O ministro da Saúde, avalia ainda que pode ser necessário "segurar a movimentação" de idosos para diminuir a transmissão do coronavírus e evitar o colapso do sistema. "Mais difícil do que fechar uma cidade, um supermercado e um shopping é saber o momento de reabrir. É preciso de uma série de informações para reabrir os locais com segurança”, observou.
Mandetta anunciou ainda que o Ministério da Saúde planeja promover "o maior programa de telemedicina" com a intenção de antecipar os sintomas e bloquear a proliferação do coronavírus. (Fonte: R7)
Published in Política
Em atenção ao alerta do governo do Estado de São Paulo, a Câmara Municipal de Osasco está realizando, junto a seus servidores, uma campanha de incentivo à doação de sangue. Por decisão da Mesa Diretora, desde terça-feira, 17, as sessões do Legislativo passaram a ser realizadas sem a presença de público para conter a disseminação do coronavírus.
 
O Presidente da Câmara, Ribamar Silva, solicitou que aqueles que possuem os requisitos para doação aproveitem o período de “home-office" para doar sangue. “É um ato emergencial e, acima de tudo, um ato de amor ao próximo. Mais do que nunca, precisamos nos unir para minimizar a crise nos estoques de banco de sangue”, disse o presidente.
O governador João Dória fez, nesta terça-feira, 17/03, um apelo para que doadores de sangue compareçam às unidades urgentemente e ajudem a repor os estoques. De acordo com o coordenador do Comitê de Contingência do Corona Vírus, o infectologista David Uip, “diante da crise provocada pela disseminação do corona vírus, os hemocentros de São Paulo estão enfrentando uma drástica redução nos estoques”.
Uip fez um alerta, informando que o melhor dos bancos de sangue do estado tem estoque somente para uma semana. “Isso é extremamente grave, pois os doadores estão com receio de serem infectados durante o ato da doação. Se tem um lugar que está protegido é o banco de sangue, que tem todo o requinte técnico de proteção ao doador”, ressaltou o infectologista.
Sessões sem público
Câmara de Osasco
Também como medida para evitar a disseminação do coronavírus, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Osasco, por iniciativa de seu presidente, Ribamar, decidiu realizar as sessões sem a presença de público. Assim, a população passa acompanhar as sessões exclusivamente pela TV e Internet durante a pandemia.
Essa decisão da Câmara Municipal de Osasco, como outras medidas, foi tomada, seguindo orientações do Ministério da Saúde e da OMS (Organização Mundial da Saúde), para conter a disseminação do Covid-19. Na Sessão Ordinária desta terça-feira, 17, os vereadores explicaram que a entrada nas dependências da Casa está restrita aos parlamentares e servidores e o atendimento à população será realizado à distância.
Os parlamentares e servidores maiores de 60 anos, com doenças crônicas ou respiratórias e em tratamento imunossupressor deverão trabalhar remotamente de suas residências durante o período de pandemia e haverá, facultativamente, uma sessão por semana para deliberar assuntos de relevância para a cidade. Outra medida anunciada é a implantação de um esquema de rodízio de colaboradores para evitar aglomerações dentro dos setores.
Atendimento
O vereador Alex Sá (PDT), que presidiu a Sessão, lembrou que os cidadãos osasquenses podem entrar em contato com os vereadores mesmo durante esse período de restrição. “Basta acessar o site osasco.sp.leg.br, lá a população vai encontrar os telefones dos gabinetes de todos os vereadores e podem levar suas demandas para o legislativo mesmo à distância”.
TV e Internet
Apesar da Câmara de Osasco estar fechada ao público para evitar aglomerações e expor a população ao risco, todos podem acompanhar as sessões legislativas, onde ocorrem as votações e discussões de assuntos importantes do município. As sessões ordinárias serão realizadas neste período às terças-feiras a partir das 15h30 e podem ser assistidas através da TV Câmara Osasco, pelos canais 7 da Net e 3 da Megabit Telecom, site (www.osasco.sp.leg.br) e Facebook (www.facebook.com/tvcamaraosascosp/).
Published in Política
Decisão inclui suspensão de aulas, do rodízio de veículos, disponibilização de leitos de UTI e home office para funcionários com mais de 60 anos.
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) decretou uma série de medidas de emergência na Capital Paulista, nesta segunda-feira, 16/03, para combater a pandemia de coronavírus. A decisão abrange ações em diversas áreas da gestão municipal, como: transporte, educação, saúde e gestão, entre outras. Todas as determinações terão efeito a partir desta terça-feira, 17.
Covas anunciou que vai se mudar por tempo indeterminado para a sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá, na região central, durante o aumento dos casos do novo coronavírus na cidade. "A partir de hoje, vou passar a dormir aqui", disse Covas, que faz tratamento de um câncer.
Uma das medidas anunciadas pela Prefeitura de São Paulo foi a autorização para que servidores municipais com 60 anos ou mais possam trabalhar em regime de home office. Eventos do poder público foram cancelados por tempo indeterminado, equipamentos de cultura foram fechados.
A Secretaria Municipal de Saúde deverá disponibilizar 490 novos leitos de UTI na rede pública – 190 com a reorganização do sistema municipal e pelo menos 300 com recursos do Ministério da Saúde. As férias dos profissionais de saúde foram adiadas por 60 dias.
De acordo com as recomendações da Secretaria de Justiça, como há determinações e ações de natureza administrativa que extrapolam o aspecto meramente sanitário, a Portaria Ministerial nº 356/2020 deve ser complementada por atos normativos municipais.
saopaulotexto1foto
Como a administração municipal, eventualmente, terá que fazer contratações e aquisições emergenciais, essas e outras providências que venham a ser necessárias dependem de reconhecimento pela autoridade local da situação de emergência — a determinação permite que o gestor público suspenda ou altere funções do Executivo e serviços municipais devido a uma situação excepcional.
“É recomendável juridicamente que as medidas administrativas não tratadas explicitamente pela Portaria do Ministério da Saúde e que foram solicitadas pelas autoridades sanitárias municipais sejam objeto de um decreto municipal”, argumentou o secretário municipal de Justiça, Rubens Rizek.
Conheça as medidas da gestão paulistana para combater o coronavírus:
Saúde
- Viabilização de 490 novos leitos de UTI na rede pública, divididos da seguinte forma: reorganização da rede municipal vai gerar 190 novos leitos em até 20 dias e pelo menos outros 300 serão financiados pelo Ministério da Saúde em até 50 dias;
- No próximo dia 23 terá inicio a vacinação da gripe para idosos;
-  Profissionais de saúde não poderão tirar férias nos próximos 60 dias;
Educação
-  Prefeitura decidiu suspender as aulas nas escolas a partir do dia 23;
- Prefeitura estuda possibilidades de como manter a alimentação das crianças;
Subprefeituras
- Não haverá emissão de novos alvarás para eventos;
- Alvarás já emitidos serão cancelados;
- Praças de Atendimento só funcionarão para serviços que não podem ser solicitados via 156 e terão de ter agendamento prévio;
- Nos velórios serão permitidos até 10 pessoas por sala;
Gestão
- Funcionários com mais de 60 anos, gestantes e pessoas com suspeita do vírus deverão trabalhar em sistema de home office;
-  Todos os estagiários serão liberados, exceto os que atuam nas áreas de saúde e segurança;
- Todas as secretarias deverão organizar seu quadro de RH dividindo seus funcionários em dois turnos;
- Os trabalhadores, exceto os de saúde e segurança, poderão antecipar o período de férias  mediante autorização das chefias;
Inovação e Tecnologia -
SMIT irá liberar 30 mil acessos remotos para que os funcionários possam trabalhar em home office.Transportes
- Rodízio municipal será suspenso;
- Idosos não devem usar os ônibus nos horários de pico;
- Os ônibus serão lavados a cada término de viagem com água sanitária;
- Museu do Transporte será fechado; - Linha circular de turismo será suspensa;
- Bilhete Único do Idoso será solicitado por e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. (Fonte: R7)
Published in Política
Sobe para 50 número de pacientes confirmados com a doença no estado de SP. Até quinta, eram 46 pessoas. Com os recursos, o estado terá mil leitos de UTI para os casos mais graves.
Nesta sexta-feira, 13/03, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou que o governo federal vai liberar R$ 92 milhões para que o estado tenha mil leitos de UTI destinados a pacientes que possam a vir a contrair o coronavírus e precisar de internação hospitalar grave.
O dinheiro também será destinado para a compra de equipamentos. A informação foi divulgada por Doria durante uma coletiva para a imprensa nesta sexta. O secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, afirmou ainda que subiu para 50 nesta sexta o número de casos de pacientes confirmados com a doença no estado. Até quinta-feira (12), eram 46 pessoas.
Na quinta, o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingenciamento do Novo Coronavírus em São Paulo, afirmou que Doria se encontraria com o ministro em São Paulo nesta tarde para pedir R$ 225 milhões para a mobilização de mil leitos para pacientes com a doença.
Doria confirmou que a reunião ocorrerá e que pedirá para Mandetta que o dinheiro seja liberado o quanto antes pelo governo federal. Os recursos liberados não são o total que o estado precisa."Iremos transformar leitos comuns em leitos de UTI, mas queremos ter 1.400 leitos novos para o tratamento do coronavírus e para os equipamentos para isso. Decidimos que precisamos de um valor para isso, R$ 225 milhões, e o desembolso começa hoje com a liberação de R$ 92 milhões", disse Germann.
Questionado se as medidas são suficientes, Doria respondeu nesta sexta: "Estamos absolutamente convictos. Eu não sou governador pra tomar atitudes inspiracionais em temas de saúde. Eu escuto especialistas, ouço e atendo", assinalou
."Não sou especialista em chutes, um governador não deve chutar. A informação até esse presente momento é que a nossa atitude é absolutamente correta pra situação atual. Conforme falamos ontem nós fundamentamos em fatos e informações reais, não em suposições", disse.
Transmissão comunitária No estado de São Paulo, segundo Uip, já há transmissão comunitária do coronavírus. Este é o terceiro estado epidemiológico da doença.Dos 46 casos confirmados, 44 estão na capital, 1 em Ferraz de Vasconcelos e 1 em Santana de Parnaíba. No estado há 555 casos suspeitos da doença.
Primeiro estágio: são registrados apenas importados.
Transmissão local - segundo estágio: uma pessoa pega a doença de outra que trouxe o vírus de uma viagem ao exterior.
Transmissão comunitária - terceiro estágio: quando não dá pra identificar quem passou a doença pra quem. "Na minha leitura, você precisava de três dados que nós já temos.Você precisava de entrada do vírus no Brasil, já temos. Precisávamos da transmissão local, já temos.
Segundo o médico ainda não é recomendado cancelar eventos e aglomerações. "Estas medidas não são aplicáveis hoje, mas não significa que não serão aplicáveis amanhã. Mas não tem sentido você fechar o estado porque você tem 46 casos. Pode ser que amanhã as medidas sejam totalmente diferentes das que estamos tomando hoje. (Fonte: G1)
Published in Política
Apesar dos chantagistas do Congresso continuarem pressionando o Governo, derrubando vetos e jogando contra o Brasil, Bolsonaro pede que as manifestações do dia 15 sejam suspensas. Nesse momento, o que interessa ao país é a prevenção contra a transmissão do coronavírus.
 
Nesta quinta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez um pronunciamento em rede nacional, para falar sobre a situação do novo coronavírus e as medidas tomadas pelo Governo e o Ministério da Saúde. Demonstrando responsabilidade e bom senso, o presidente pediu que as manifestações marcadas para o dia 15 de março fossem adiadas.
Logo após o pronunciamento do presidente, os organizadores divulgaram nota adiando as manifestações de domingo. É uma questão de bom senso. Em diversos países de todos os Continentes, as autoridades políticas e entidades particulares estão suspendendo eventos políticos, esportivos e culturais para evitar aglomerações de pessoas.
Ao contrário do que ocorreu no carnaval, quando os organizadores poderiam ter repensado os festejos carnavalescos, onde houve grandes concentrações de brasileiros e estrangeiros por vários dias, quando a doença já se alastrava pelo mundo, desta vez, os organizados dos atos políticos tiveram o bom senso e, de acordo com a solicitação de Bolsonaro, suspenderam o evento.
Com um discurso, de apenas dois minutos, o chefe da Nação elogiou elogiou a decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS) ao declarar uma pandemia em virtude da propagação da COVID-19, e pontuou que, embora o sistema de saúde nacional, assim como o de outros países, tenha limitações para atender, o governo está preparado para manter a evolução da epidemia sob controle.
​"É provável, inclusive, que o número de infectados aumente nos próximos dias, sem, no entanto, ser motivo de qualquer pânico", disse o presidente.
Bolsonaro salientou que, por motivos óbvios, há uma preocupação maior com os idosos, e que, no momento, a recomendação das autoridades é para a população evitar "grandes concentrações populares". Nesse caso, ele atentou para a necessidade de serem repensadas as manifestações marcadas para o próximo domingo, dia 15, em defesa de seu governo.
"Não podemos esquecer, no entanto, que o Brasil mudou. O povo está atento e exige de nós respeito à Constituição e zelo pelo dinheiro público. Por isso, as motivações da vontade popular continuam vivas e inabaláveis."
Atualmente, o Brasil registra 76 pacientes diagnosticados com a COVID-19, incluindo o secretário de Comunicação da Presidência (Secom), Fabio Wajngarten, que acompanhou o presidente em visita recente aos Estados Unidos. Devido ao contato com o funcionário, Jair Bolsonaro precisou realizar um teste e, agora, aguarda o resultado, que deve ser divulgado nesta sexta-feira. No entanto, Bolsonaro não apresenta sintomas do novo coronavírus.
Medidas emergenciais
Vários ministérios estão agindo em conjunto no combate ao novo coronavírus e no atendimento de pacientes. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta informou ontem que pediu ao Congresso a liberação de R$ 5 bilhões das emendas parlamentares. O relator disse que o Congresso vai colaborar. Por sua vez, Mandetta disse que se os recursos não forem liberados pelo Congresso, o Governo vai agir para buscar recursos e atender o povo.
Já o ministro da Saúde, Paulo Guedes, criou um grupo para também atender o povo na área econômica. O INSS suspendeu a necessidade dos segurados irem aos bancos para fazer a prova de vida. O governo determinou também a antecipação para o mês de abril dos 50% de adiantamento das aposentadorias e pensões. (Renato Ferreira com informações de agências)
Published in Política
Página 1 de 5

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.