Domingo, 25 Agosto 2019 | Login
NATUREZA: Conheça o Maior Cajueiro do Mundo!

NATUREZA: Conheça o Maior Cajueiro do Mundo! Featured

 

Há muitos anos ele já faz parte do Guinness Book, como a maior árvore frutífera do mundo.

O Cajueiro de Pirangi, praia a 22 km ao sul de Natal (RN), já ocupa uma área de 9 mil metros quadrados, continua crescendo cerca de 2 metros por ano e já invade as ruas do seu entorno.

Maior cajueiro do mundo 2 nós

Conheça, aqui, um pouquinho desse que é um dos pontos turísticos mais visitados na região metropolitana da Capital Potiguar.

Videorreportagem de Renato Ferreira. Veja aqui: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/2071308469626049?

000

About Author

Related items

  • TURISMO: Expresso Turístico Paranapiacaba da CPTM terá mais viagens a partir de setembro
    Segundo o Governo, haverá passeios aos sábados em todos os meses; de janeiro a julho deste ano, 6.109 passageiros já embarcaram nesse trem.
     
    A CPTM ampliará o número de viagens feitas pelo Expresso Turístico Paranapiacaba a partir de setembro. Além dos passeios feitos todos os domingos, o serviço também funcionará em alguns sábados. Serão 3 viagens a mais por mês. Os interessados podem consultar as datas disponíveis no site da CPTM.
    Em junho e julho, a Companhia fez passeios extras aos sábados para atender os visitantes do Festival de Inverno de Paranapiacaba e também avaliar a demanda. O resultado foi um sucesso: todos os bilhetes foram vendidos com antecedência de dois meses. De janeiro a julho deste ano, 6.109 passageiros já embarcaram rumo à Vila de Paranapiacaba. Durante todo o ano de 2018, quando as partidas eram só aos domingos, foram 8.673 passageiros.
    Locomotiva a diesel
    Trem de Paranapiacaba
    O passeio do Expresso Turístico é feito em uma locomotiva a diesel, modelo Alco RS-3 de 1952, que conduz dois carros de passageiros, de aço inoxidável, fabricados no Brasil pela Budd – Mafersa nos anos 60 e que foram cedidos pela ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária). O trajeto de cerca de 1h30 inicia a experiência histórica até Paranapiacaba, com ruas e construções inspiradas em vilas inglesas, contando um pouco da implantação da ferrovia no Estado de São Paulo no século XIX.
    O preço unitário da passagem é R$ 50 (ida e volta), exceto para o embarque na Estação Prefeito Celso Daniel-Santo André, que sai por R$ 44. No entanto, os descontos podem chegar até 25% na compra de quatro passagens.
    O bilhete é vendido das 9h às 18h, todos os dias, nas bilheterias das estações da Luz e Prefeito Celso Daniel-Santo André. Devido à procura, é preciso de programar para comprar o bilhete com dois meses de antecedência. Cabe ressaltar que o bilhete da CPTM contempla somente a viagem de trem até um dos destinos escolhidos. Roteiros complementares, podem ser consultados nos sites dos municípios visitados.
    O embarque é realizado às 8h30 da plataforma 4 da Estação da Luz e o retorno das cidades visitadas, às 16h30. São 174 poltronas para acomodar confortavelmente os turistas, além de espaço reservado para cadeira de rodas (com cinto de segurança e ancoragem da cadeira).
    As viagens do Expresso Turístico também são realizadas para Jundiaí (um sábado por mês) e para Mogi das Cruzes (um sábado a cada três meses). (Portal do Governo de São Paulo)
  • MUNDO: Grupo de Lima pede que militares venezuelanos apoiem Guaidó

     

    O Grupo de Lima divulgou nesta terça-feira, 30/04, uma nota pedindo que as Forças Armadas venezuelanas apoiem Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela e autoproclamado presidente interino do país. A Venezuela viveu um dia de conflitos nas ruas após Guaidó convocar protestos contra o atual presidente Nicolás Maduro.

    “Os governos membros do Grupo de Lima […] renovam seu chamado à Força Armada Nacional da Venezuela para que manifeste sua lealdade ao Presidente Encarregado, Juan Guaidó, em sua função constitucional de Comandante Chefe da mesma; e que, fiéis ao seu mandato constitucional de estarem a serviço exclusivo da Nação e não de uma pessoa, parem de servir como instrumentos do regime ilegítimo para a opressão do povo venezuelano e da violação sistemática de seus direitos humanos”, diz um trecho da nota.

    Hoje, Guaidó anunciou ter apoio de vários militares. “Hoje, valentes soldados, valentes patriotas, valentes homens apegados à Constituição acudiram ao nosso chamado”. Ele gravou um vídeo divulgado no Twitter. No vídeo, filmado nas primeiras horas da manhã de hoje, um grupo de militares fardados se posiciona atrás do autoproclamado presidente interino.

    Na nota, o grupo também pede para que Maduro “cesse a usurpação” para que a “transição democrática” tenha início. Além disso, pede para que a comunidade internacional acompanhe a evolução dos acontecimentos e ofereça apoio político e diplomático aos opositores de Maduro, liderados por Guaidó.

    O Grupo de Lima é formado por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru e Venezuela. No caso da Venezuela, o grupo reconhece Guaidó como seu representante, e não Maduro. O grupo se reuniu hoje para discutir a situação pela qual a Venezuela passa. Ao final da nota informa que está em sessão permanente e que o próximo encontro será na próxima sexta-feira (3), em Lima, no Peru.

    Confrontos

    Venezuela dia de guerra 2


    Após a convocação de Guaidó, manifestantes contrários ao governo Maduro entraram em confronto com militares leais ao presidente. Os confrontos ocorreram nas imediações da base aérea onde Guaidó anunciou sua operação contra o regime. Forças de segurança da Venezuela lançaram bombas de gás lacrimogêneo, e militares que respaldam Guaidó devolveram as bombas de gás lacrimogêneo. (Agência Brasil)

  • EM DAVOS: "Vamos trabalhar para o Brasil ser exemplo para o mundo", diz Bolsonaro
    O Presidente brasileiro destacou sua determinação de abrir a economia, atrair investidores, fazer reformas, diminuir o peso do Estado e combater a corrupção.
    Em discurso “curto” e “objetivo” como havia anunciado, com duração de 6 minutos e 36 segundos, o presidente Jair Bolsonaro reafirmou nesta terça-feira, 22/01, no Fórum Econômico Mundial, em Davos na Suíça, os compromissos de campanha. Ele destacou a determinação de abrir a economia, atrair investidores, fazer reformas, diminuir o peso do Estado e combater a corrupção. “Representamos um ponto de inflexão", enfaticou o Presidente.
    Bolsonaro citou três de seus ministros Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), Paulo Guedes (Economia) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores). Após o discurso, ele respondeu a perguntas dos organizadores do fórum sobre preservação do meio ambiente e desenvolvimento econômico, combate à corrupção e crescimento da América Latina.
    O presidente se comprometeu a colocar o Brasil “no ranking dos 50 melhores países para se fazer negócios”, atrair capital estrangeiro, explorar recursos naturais, fazer as reformas tributária e da Previdência Social, investir em educação, incentivar turismo e manter a sustentabilidade do agronegócio. “Avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico.”
    Meio ambiente
    Bolsonaro enfatizou que o Brasil é “o país que mais preserva o meio ambiente. Nenhum outro país do mundo tem tantas florestas como nós. A agricultura se faz presente em apenas 9% do nosso território e cresce graças a sua tecnologia e à competência do produtor rural. Menos de 20% do nosso solo é dedicado à pecuária”, destacou.
    “Essas commodities [produtos primários com cotação internacional], em grande parte, garantem superávit em nossa balança comercial e alimentam boa parte do mundo”, acrescentou o presidente. Ele também assegurou a vontade de “aprofundar” as relações comerciais.
    Segundo o presidente, seu esforço será para que o Brasil se torne um exemplo para o mundo. “Nossa missão agora é avançar na compatibilização entre a preservação do meio ambiente e da biodiversidade com o necessário desenvolvimento econômico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis.”
    Bolsonaro disse que está empenhado em “integrar o Brasil ao mundo”. Para ele, um dos caminhos é a “defesa ativa da reforma” da Organização Mundial do Comércio (OMC) para buscar a eliminação do que chamou de “práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais”.
    Reformas
    O presidente destacou que pretende implementar uma série de medidas no país, e citou as reformas, a redução de tributos e a desburocratização. Segundo ele, são ações que vão levar ao desenvolvimento econômico e à estabilidade.
    “Vamos diminuir a carga tributária, simplificar as normas, facilitando a vida de quem deseja produzir, empreender, investir e gerar empregos. Trabalharemos pela estabilidade macroeconômica, respeitando os contratos, privatizando e equilibrando as contas públicas.”
    Valores
    O presidente ressaltou que gastou menos de US$ 1 milhão na sua campanha e que o país precisa de resgatar valores. “Assumi o Brasil em uma profunda crise ética, moral e econômica. Temos o compromisso de mudar nossa história.”
    Bolsonaro enfatizou que vai resgatar valores. “Vamos defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada e promover uma educação que prepare nossa juventude para os desafios da quarta revolução industrial, buscando, pelo conhecimento, reduzir a pobreza e a miséria.”
    Combate à corrupção
    No discurso, Bolsonaro destacou ainda a presença do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro: “O homem certo para o combate à corrupção e o combate à lavagem de dinheiro”, disse. Ao ser questionado sobre seus planos para a área, ele disse que Moro tem “todos os meios para seguir o dinheiro no combate à corrupção e no combate ao crime organizado”.
    “É mudando a legislação e aperfeiçoando outra parte da mesma. Dessa forma, tenho certeza de que atingiremos nosso objetivo”, respondeu.
    Bolsonaro também acrescentou que os ministros foram indicados de forma técnica, sem participação político-partidária. “Precisamos, sim, muito do Parlamento brasileiro e confiamos que grande parte do mesmo nos dará respaldo na busca do combate à corrupção e na lavagem de dinheiro. Dessa forma, o Brasil será visto de forma diferente aqui fora.”
    Segurança e turismo
    De acordo com o presidente, o governo federal investirá de forma intensa na segurança pública e convidou os presentes a conhecer o Brasil, lembrando que, apesar das belezas naturais, o país não está entre os 40 principais destinos turísticos do mundo. Ele destacou que pretende dinamizar o turismo no Brasil
    “Vamos investir pesado na segurança para que vocês nos visitem com suas famílias, pois somos um dos primeiros países em belezas naturais, mas não estamos entre os 40 destinos turísticos mais visitados do mundo. Conheçam a nossa Amazônia, nossas praias, nossas cidades e nosso Pantanal. O Brasil é um paraíso, mas ainda é pouco conhecido.”
    Estreia
    Bolsonaro sublinhou que a sua presença no encontro é primeira viagem internacional que faz após a eleição, comprovando a importância que atribui às pautas que têm sido promovidas pelo Fórum de Davos.
    “Esta é a primeira viagem internacional que realizo após minha eleição, prova da importância que atribuo às pautas que este fórum tem promovido e priorizado”, disse. “É, para mim, uma grande oportunidade de mostrar para o mundo o momento único em que vivemos em meu país e para apresentar a todos o novo Brasil que estamos construindo.”
    O presidente disse que pretende viajar em breve para Israel, Itália, Argentina e Chile.
    "Excelente", segundo Mourão
     
    Mourão
     
    O presidente da República em exercício, general Hamilton Mourão, classificou o discurso de Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial como “excelente”.
    “Maravilhosas as palavras do presidente. De acordo com tudo o que estamos pensando e buscando para inovar no nosso país e que a gente tenha um rumo melhor e chegue aos nossos objetivos. A gente tem que lembrar que os nossos objetivos é que todo brasileiro tenha escola, acesso à saúde, ande na rua com segurança e tenha emprego e renda”, afirmou.
    Sobre a preservação do meio ambiente citada no discurso, Mourão lembrou que o Brasil está no Acordo de Paris. “Às vezes alguns ruídos acontecem, mas a gente não pode fugir dessa questão ambiental, a questão do clima. O presidente tem plena consciência disso aí e deixou claro no discurso dele”, disse Mourão. O presidente em exercício participou hoje da transmissão de comando do 2º Regimento de Cavalaria de Guarda, para o tenente-coronel Antonio Cesar Esteves Mariotti, na Vila Militar, no Rio de Janeiro. (Agência Brasil)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.