Domingo, 23 Julho 2017 | Login

 

A situação do ex-presidente Lula que, como o Temer, foi um dos alvos principais na megadelaação premiada dos donos da JBE, que detalhou esquema de desvio de bilhões de reais como pagamento de propinas, se complica também no caso do sítio de Atibaia, que ele tenta a todo custo dizer que não é seu, apesar dos fatos mostrarem o contrário. Conforme matéria publicada no site do Estado de Minas, entre mais de 400 documentos anexados pela Procuradoria da República à nova denúncia contra o ex-presidente peista, um e-mail apontou a preocupação do petista com os bichos que viviam no sítio de Atibaia, no interior de São Paulo. Lula é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro de R$ 1,02 milhão nas reformas da propriedade.

Na mensagem de 2 de outubro de 2014, às 17h23, um funcionário do Instituto Lula escreve a uma colega da entidade e a Valmir Moraes da Silva, segurança do petista. O título do e-mail: "Jaguatiricas em Atibaia?"

"Respondendo à pergunta do presidente: que bicho comeu os marrecos? Provavelmente, uma jaguatirica", explica o funcionário do Instituto Lula. Ele envia uma reportagem e um vídeo sobre a "ocorrência de jaguatiricas na Serra do Itapetininga" e informações sobre "recomendações para casos de predação de animais".

 


"Liguei nesse número do CENAP/ICMBio e fui muito bem atendido por uma funcionária chamada Lilian. Ela reforçou a hipótese da jaguatirica e ficou de enviar mais informações sobre como prevenir os ataques", conta o funcionário do Instituto Lula.

Ele faz 3 sugestões: "1) Recolher os animais no período da noite, se for viável; 2) Cachorro de guarda, que pode espantar a jaguatirica ou, no mínimo, alertar dos ataques latindo; 3) Ficar de tocaia, com ou sem o cachorro, e, ao notar ocorrência de ataque, soltar rojões para assustar o predador".

O funcionário afirma que o "Instituto, que fica em Atibaia, parece bem sério e atencioso". "Talvez seja uma boa pedir uma visita deles ao local para orientar melhor o caseiro."

Denúncia

A Procuradoria da República, no Paraná, acusa Lula de "estruturar, orientar e comandar esquema ilícito de pagamento de propina em benefício de partidos políticos, políticos e funcionários públicos com a nomeação, enquanto presidente da República, de diretores da Petrobras orientados para a prática de crimes em benefício das empreiteiras Odebrecht e OAS".

A denúncia do Ministério Público Federal atribui ao petista "propina para o seu benefício próprio consistente em obras e benfeitorias relativas ao sítio de Atibaia custeadas ocultamente pelas empresas Schahin, Odebrecht e OAS".

Como nas outras duas denúncias da força-tarefa, no Paraná, a Procuradoria aponta Lula "como o responsável por comandar uma sofisticada estrutura ilícita para captação de apoio parlamentar, assentada na distribuição de cargos públicos na Administração Pública Federal".

A denúncia afirma que o esquema ocorreu nas mais importantes diretorias da Petrobras, mediante a nomeação de Paulo Roberto Costa, Renato Duque e Nestor Cerveró, respectivamente, para as diretorias de Abastecimento, de Serviços e Internacional da estatal.

Por meio do esquema, estes diretores geravam recursos que eram repassados para enriquecimento ilícito do ex-presidente, de agentes políticos e das próprias agremiações que participavam do loteamento dos cargos públicos, bem como para campanhas eleitorais movidas por dinheiro criminoso.

Também foram denunciados José Adelmário Pinheiro Filho, pela prática dos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro; Marcelo Bahia Odebrecht e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, pelo crime de corrupção ativa; bem como José Carlos da Costa Marques Bumlai, Rogério Aurélio Pimentel, Emílio Alves Odebrecht, Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, Carlos Armando Guedes Paschoal, Emyr Diniz Costa Júnior, Roberto Teixeira, Fernando Bittar e Paulo Roberto Valente Gordilho, acusados da prática do crime de lavagem de dinheiro.

Segundo a denúncia, os valores ligados à Odebrecht e à OAS foram repassados a partidos e políticos que davam sustentação ao governo de Lula, especialmente o PT, o PP e o PMDB, bem como aos agentes públicos da Petrobras envolvidos no esquema e aos responsáveis pela distribuição das vantagens ilícitas, em operações de lavagem de dinheiro que tinham como objetivo dissimular a origem criminosa do dinheiro.

A força-tarefa aponta que "parte do valor das propinas pagas pela Odebrecht e pela OAS, no valor aproximado de R$ 870 mil, foi lavada mediante a realização de reformas, construção de anexos e outras benfeitorias no Sítio de Atibaia, para adequá-lo às necessidades da família do denunciado Luiz Inácio Lula da Silva, assim como mediante a realização de melhorias na cozinha do referido Sítio e aquisição de mobiliário para tanto".

Também foi objeto de lavagem de dinheiro uma parte dos valores de propina oriunda dos crimes de gestão fraudulenta, fraude à licitação e corrupção no contexto da contratação para operação da sonda Vitória 10000 da Schahin pela Petrobras, a qual foi utilizada, por intermédio de José Carlos Bumlai, para a realização de reformas estruturais e de acabamento no Sítio de Atibaia, no valor total de R$ 150.500,00.

A denúncia foi elaborada com base em depoimentos, documentos apreendidos, dados bancários e fiscais bem como outras informações colhidas ao longo da investigação, todas disponíveis nos anexos juntados aos autos.

Defesa

"A denúncia apresentada hoje (segunda, 22) pela Força Tarefa da Lava Jato contra Lula mostra uma desesperada tentativa de procuradores da República justificar à sociedade a perseguição imposta ao ex-Presidente nos últimos dois anos, com acusações frívolas e com objetivo de perseguição política. A nota que acompanhou o documento deixa essa situação muito clara ao fazer considerações que são estranhas à área jurídica e às regras que deveriam orientar a atuação de membros do Ministério Público, como a legalidade e a impessoalidade", diz o advogado Cristiano Zanin Martins, por meio de nota.

"A peça buscou dar vida à tese política exposta no PowerPoint de Deltan Dallagnol, para, sem qualquer prova, atribuir a Lula a participação em atos ilícitos, envolvendo a Petrobras, que ele jamais cometeu. Os procuradores reconhecem não ter qualquer prova de que Lula seja o proprietário do sítio, embora tenham repetido esse absurdo por muito tempo em manifestações formais e em entrevistas impropriamente concedidas à imprensa: 'A forma de aquisição da propriedade e seu registro, mediante possíveis atos de ocultação e dissimulação, não são objeto da denúncia'", diz o texto do advogado de Lula.

"Mas recorreram a pedalinhos e outros absurdos para sustentar a tese de que Lula seria o beneficiário de obras realizadas no local e que os valores utilizados seriam provenientes de supostos desvios ocorridos em contratos firmados pela Petrobras. A afirmação colide com todos os depoimentos já colhidos em juízo, até a presente data, com a obrigação de dizer a verdade, que afastam o ex-Presidente da prática de qualquer ato ilícito".

A Lava Jato age de forma desleal em relação a Lula, com acusações manifestamente improcedentes e com a prática de atos que são ocultados de sua defesa. Hoje (segunda-feira) mesmo, o ex-Senador Delcídio do Amaral reconheceu em depoimento prestado na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba que participou no Mato Grosso de Sul de interrogatório solicitado por autoridades americanas com a participação do Ministério Público Federal e com representantes da Petrobras. O ato, embora relacionado às acusações feitas contra Lula, não havia sido revelado e os documentos correspondentes ainda são desconhecidos".

"A falta de justa causa para o recebimento da ação penal proposta nesta data é flagrante e um juiz imparcial jamais poderia recebê-la", finaliza a nota. (Matéria exraída do site UAI/Jornal O Estado de Minas)

 

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, visitou no sábado, 20/5, as Unidades de Pronto Atendimento  (UPAs) Vila Menck e Conceição. Na ocasião, Lins conversou com os pacientes que estavam aguardando atendimento, além de funcionários e corpo clínico. O objetivo foi fiscalizar o andamento dos serviços prestados a fim de melhorar a qualidade do atendimento nas unidades.

Durante a conversa com os moradores que utilizam o serviço de saúde, o prefeito informou que a partir do segundo semestre deste ano as duas unidades passarão a ser administradas por empresas de organização social com especialidade em saúde pública. Desta forma, as UPAS Conceição e Vila Menck contarão com mais médicos no atendimento, além das especialidades de Pediatria e Ortopedia, inclusive aos finais de semana, desafogando o atendimento no Hospital Antonio Giglio. “Queremos ampliar o número médicos, especialidades e serviços nas unidades para que possamos ofertar uma saúde mais digna e de qualidade para todos os osasquenses”, afirmou.

“Fiquei surpresa ao ver o prefeito sábado, acompanhando o atendimento. Nunca tínhamos visto em Osasco. É muito bom ele saber o que realmente acontece, principalmente aos finais de semana”, afirmou Vanessa Goulart, que acompanhava a mãe, Maria Goulart em consulta na UPA Conceição. (SECOM/PMO)

 

O encontro aconteceu em São Paulo e foi organizado pelo advogado de Aécio; para entrar, cada convidado pagou R$ 150

 

Em campos opostos nos tribunais, advogados de Michel Temer, Dilma Rousseff, Aécio Neves e Luiz Inácio Lula da Silva se juntaram neste domingo, 21, em uma só causa: criticar a condução da Operação Lava Jato.Convidado para um jantar em São Paulo em desagravo aos defensores de Lula, o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, defensor e amigo de longa data de Temer, puxou a fila das críticas ao juiz Sérgio Moro.

“Esse homem, que deve ter suas qualidades, tem defeitos como magistrado incompatíveis com a magistratura. Falta-lhe algo que se chama imparcialidade.” Sem citar Moro diretamente, Mariz disse que já ouviu do juiz que “advogado atrapalha”.

Foi a deixa para José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça e advogado de Dilma no impeachment. “Se alguém acha que nós (advogados) atrapalhamos, atrapalhamos o arbítrio e a desonra do Estado de Direito.”

O evento, em um restaurante na zona sul da capital, foi organizado por Alberto Toron, advogado de Aécio na Lava Jato. O anfitrião deu o tom do encontro. “Mexeu com um, mexeu com todos.”

Para entrar, cada convidado pagou R$ 150, e teve como opção de prato carne, peixe ou massa com frutos do mar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

*Matéria excluída da Revista Exame - http://migre.me/wFlpL

 

 Oficina de Saberes Lins e Ana falando menor

Na manhã desta segunda-feira 22/5, o prefeito de Osasco, Rogério Lins, e a secretária de Educação, Ana Paula Rossi, inauguraram a Oficina de Saberes na Escola Municipal de Educação Especial (EMEE) “Edmundo Campanhã Burjato”, no Jardim Cipava, zona Sul. “Trata-se de uma antiga reivindicação dos pais e alunos que participavam de atividades no antigo Ponto de Cultura, que estava desativado desde o ano passado”, explicou o prefeito. Antes de conhecerem as novas salas da Oficina de Saberes, os alunos participaram de um café da manhã e apresentações de dança numa das quadras da escola com a presença do grupo Planeta Educação.

Oficina de Saberes 2 Sala horta

O projeto “Oficina de Saberes: Incluir é a nossa arte” tem como objetivo promover o atendimento de pessoas com deficiência, visando o desenvolvimento de potencialidades, talentos, habilidades, aptidões físicas, cognitivas, artísticas e atitudinais que contribuam para a conquista da autonomia e inclusão social. As atividades serão desenvolvidas em dois períodos – manhã e tarde - de segunda a sexta-feira e têm como base cinco eixos: Expressão Corporal, Recursos Audiovisuais, Sons e Movimentos, Artes Manuais e Meio Ambiente.

Oficina de Saberes Lins e Ana na sala menor

Segundo a secretária Ana Paula Rossi, o começo das atividades da Oficina de Saberes é apenas o pontapé inicial de outras mudanças que serão implementadas na Escola Edmundo Burjato. “Tanto os alunos como os pais estavam sentindo muita falta das atividades desde o ano passado. Hoje, estamos felizes por iniciar a Oficina de Saberes nesse espaço totalmente revitalizado. Agora, teremos uma coordenadora pedagógica e atividades que, além de incentivar a criatividade, ajudam também na socialização dos nossos alunos”, disse. A Oficina de Saberes é aberta para todos os alunos e ex-alunos da escola e também pessoas de fora da Edmundo Burjato, segundo Ana Paula.

 

“Hoje, começamos o dia com muita felicidade ao ver a alegria irradiante desses alunos e esse espaço revitalizado, com reforma das salas e novos conteúdos para atendê-los. Essas oficinas são muito importantes para o desenvolvimento dos nossos jovens, que vão desenvolver atividades de teatro, pintura, fotografia, informática e meio ambiente. Tudo feito com muito carinho para estimular a criatividade deles e também desenvolver as atividades motoras. Não temos dúvidas da importância da Oficina de Saberes para os alunos e os pais”, afirmou Rogério Lins. (SECOM/PMO - Foto: Sérgio Gobati)

 Temer e Aecio

Como a gente se engana! Ainda bem que os mentirosos não conseguem enganar por todo o tempo. Um dia a máscara cai.

Temer Dilma e Lula

Antes, eu temia muito as ações do crime organizado, dos narcotraficantes. Aqueles que acabam com as nossas crianças e jovens vendendo drogas e sendo a principal causa da criminalidade e dos mais de 60 mil assassinatos por ano no Brasil.

Temer e Dilma

Mas, hoje, a gente vê que muito mais perigoso é o crime organizado dos políticos e empresários corruptos, legalizado e aprovado nas urnas eleitorais. Do crime organizado e comandado por políticos mentirosos, enganadores e corruptos, que planejam seus crimes em reuniões secretas nos palácios, para depois manter o povão pobre e ignorante eternamente na dependência do assistencialismo governamental.

Trata-se do maior concurso público em número de cargos desde 1993

 

 

O prefeito de Osasco, Rogério Lins, anunciou nesta quinta-feira, 18/5, em coletiva à imprensa, a abertura do Concurso Público para o preenchimento de 1.271 vagas para diferentes funções. “Este é o maior concurso em Osasco em número de cargos desde 1993”, explicou o prefeito.

 

As inscrições para o concurso começam no dia 29 de maio e seguem até 23 de junho pelo site do Instituto de Cultura, Desenvolvimento Educacional, Promoção Humana e Ação Comunitária (Indepac): www.indepac.org.br/concursos. O edital completo será publicado na edição do IOMO de sexta-feira, dia 19/5.

 

As vagas com exigência de ensino médio ou superior têm salários entre R$ 1.082,10 a R$ 4.350,36. Lins ressaltou que o destaque do concurso são as vagas abertas para a área da Saúde, entre elas Médico Pediatra – diarista e plantonista – com 50 vagas, Médico Neonatologista (35), Médico Socorrista (50), entre outros.

 

As áreas de Segurança e de Educação também serão priorizadas. “São 80 vagas para Agente de Trânsito, 100 vagas para Guarda Civil Municipal feminino e 100 para masculino”, enumerou Rogério Lins. Além destas, o prefeito anunciou as vagas para Professor de Educação Básica I (270), Professor de Educação Básica II (Educação Artística) 63, Professor de Educação Básica II (Educação Física) 43, e Professor de Educação Básica II (Inglês), 106.

 

Também há vagas para Analista de Negócios, Analista de Sistemas, Analista Financeiro, Arquiteto, Auditor, Contador, Economista, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Civil, Engenheiro de Segurança do Trabalho e Procurador.

 

A previsão é de que as provas ocorram na segunda quinzena de julho. O chamamento para a maioria dos cargos deverá ocorrer nesse ano. A administração pública poderá ultrapassar o número de vagas definido no edital, chamando outros candidatos classificados no concurso. Isso porque, os cargos são classificados como “atividades de estado”, aqueles que não se pode delegar a terceiros e que se enquadram na “atividade fim”.

 

Novos concursos

O prefeito informou que, atualmente, a administração conta com 11 mil servidores efetivos, 5 mil contratados e mil comissionados. “Os seis mil contratados e comissionados serão substituídos por concursados ao longo da administração”, explicou.

 

Rogério também disse que não haverá reajuste salarial porque esse ano trabalhará para colocar a casa em ordem. “Não queremos discutir, nem criticar a gestão anterior, mas herdamos uma dívida imensa. Só em rescisões temos R$ 18 milhões a pagar”, informou.

 

Além disso, ele explicou que com o “gargalo de dívidas não há como melhorar os salários dos funcionários em 2017",  concluiu. (SECOM/PMO - Foto: Sérgio Gobati)

Vagas ofertadas:

Agente de trânsito                                                  80

Assistente de finanças                                           01

Guarda Civil Municipal 3ª Classe Feminino       100

Guarda Civil Municipal 3ª Classe Masculino     100

Professor de Desenvolvimento Infantil I             200

Professor de Educação Básica I                          270

Analista de Negócios                                              01

Analista de Sistemas                                              01

Analista Financeiro                                                 02

Arquiteto                                                                  01

Auditor                                                                     01

Contador                                                                  01

Dentista (Diarista)                                                   10

Economista                                                             02

Engenheiro Agrônomo                                          02

Engenheiro Civil                                                     01

Engenheiro de Segurança do Trabalho               02

Médico Alergista (diarista)                                    01

Médico Anestesista (plantonista)                        10

Médico Cardiologista (diarista)                            05

Médico Cirurgião Pediátrico (plantonista)          02

Médico Clínico Geral (diarista)                            20

Médico do Trabalho (diarista)                              02

Médico Endocrinologista (diarista)                     02

Médico Geriatra (diarista)                                    01

Médico Ginecologista (diarista)                          20

Médico Ginecologista (plantonista)                   42

Médico Infectologista (diarista)                          01

Médico Mastologista (diarista)                           01

Médico Neonatologista (plantonista)                 35

Médico Neuroclínico (diarista)                            02

Médico Neuropediatra (diarista)                         01

Médico Otorrinolaringologista (diarista)           02

Médico Pediatra (diarista)                                  30

Médico Pediatra (plantonista)                            20

Médico Pneumologista (diarista)                       03

Médico Proctologista (diarista)                          02

Médico Psiquiatra (diarista)                               08

Médico Psiquiatra (plantonista)                         07

Médico Radiologista (diarista)                           02

Médico Reumatologista (diarista)                      03

Médico Sanitarista (diarista)                              01

Médico Socorrista (plantonista)                        50

Médico Ultrassonografista (diarista)                02

Médico Urologista (diarista)                              01

Médico Vascular (diarista)                                 02

Médico Verificador de Óbito (plantonista)       01

Professor de Educ.Básica II (E. Artística)        63

Professor de Educ. Básica II (Educ, Física)     43

Professor de Educação Básica II (Inglês)       106

Procurador Classe I                                            05

 

Depois do mensalão, do petrolão e do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, mais uma bomba política abala as estruturas governamentais do Brasil. Desde o fim da tarde desta quarta-feira (17/05), o Brasil está parado e estarrecido com as delações dos donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, que atingiram de morte o governo do presidente Michel Temer (PMDB) e a carreira pública do senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB.

Os irmãos milionários, proprietários da maior processadora de carne do mundo e também de outras empresas, disseram em delação à Procuradoria-Geral da República (PGR) que gravaram o presidente Michel Temer,  dando aval na compra do silêncio do deputado cassado e ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As primeiras informações sobre a denúncia-bomba e que depois tomaram conta do noticiário nacional e internacional, foram publicadas pelo colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim.

Segundo a publicação de O Globo, o empresário Joesley entregou uma gravação feita em 7 de março deste ano em que Michel Temer indica o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver assuntos da J&F, uma holding que controla o frigorífico JBS no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Rocha Loures já ocupou o cargo de Relações Institucionais da Presidência, quando Temer era vice-presidente, e assessor especial da presidência após o impeachment de Dilma Rousseff.

Conforme a reportagem,o dono da JBS teria marcado  um encontro com Rocha Loures em Brasília e contou o que precisava no Cade. Pelo serviço, segundo 'O Globo', Joesley ofereceu propina de 5% e Rocha Lores aceitou.

As negociações sobre o pagamento dessas propinas teriam continuado em outra reunião, com a presenca  Rocha Loures e Ricardo Saud, diretor da JBS. Nessa reunião, ficou combinado o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, R$ 480 milhões ao longo de duas décadas. Posteriormente, Rocha Lourdes foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Em outra gravação, também realizada no mês de março, o empresário diz a Temer que estava pagando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada para que eles permanecessem calados na prisão. Diante dessa informação, Temer diz: "tem que manter isso, viu?"

Também em gravação feita por Joesley Batista, o senador Aécio Neves (MG) é gravado pedindo ao empresário R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o senador tucano justifica o pedido afirmando que precisava do dinheiro para pagar sua defesa na Lava Jato.

A entrega do dinheiro foi feita a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, ex-diretor da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014.

Esse pagamento foi feito em quatro parcelas de R$ 500,00 e quem e quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor da JBS, Ricardo Saud.  Policiais federais rastreou o caminho do dinheiro e descobriu que foi depositado numa empresa do senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

Aécio é afastado

Nesta quinta-feira, o STF, por meio do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, afastou Aécio Neves de suas funções no Senado. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot solicitou a prisão do senador mineiro, mas, ela não foi aceita ainda por Edson Fachin. Foram realizadas buscas e apreensões no gabinete do senador e em todos os imóveis de sua propriedade em Brasília, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais.

Também hoje, a Polícia Federal prendeu o primo de Aécio e a sua irmã Andrea Neves. Aécio Neves foi tmbém afastado pela cúpula tucana da presidência do PSDB. Ele foi substituído pelo deputado Federal Carlos Sampaio (SP).

Bomba no Palácio

Com relação às denúncias contra o presidente Michel Temer, que está há um no Palácio do Planalto, depois de uma noite agitada e com reuniões intermináveis, o presidente correi, agora, o risco de perder totalmente o apoio do Congresso nas votações de reformas do Executivo, como a Trabalhista e da Previdência. O PPS já se manifestou no sentido de entregar todos os cargos que tem no governo. Aliados como o senador Caiado (DEM-GO) já se manifestaram afirmando que a melhor saída para o país seria a renúncia imediata de Michel Temer. 

Petistas envolvidos

Na mesma delação, o dono da Friboy envolve também dois ex-ministros dos governos petistas: Atonio Palocci e Guido Mantega. Sobre Palocci, o empresário diz que ele já foi contratado como consultor da JBS e que a empresa fez doações de caixa-dois ao PT a pedido de Palocci, conhecido como "Italiano" nas investigações da Lava Jato.

Com relação a Mantega, Joesley Batista diz que o ex-ministro era o seu canal para pagamentos às lideranças petistas.

Todos negam

Como sempre todos os envolvidos na Lava Jato negam as ausações. Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência afirma que o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Não participou nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar". 

Também em nota, Aécio Neves se declarou "absolutamente tranquilo quanto à correção de todos os seus atos. No que se refere à relação com o senhor Joesley Batista, ela era estritamente pessoal, sem qualquer envolvimento com o setor público. O senador aguarda ter acesso ao conjunto das informações para prestar todos os esclarecimentos necessários".

A JBS e a defesa de Eduardo Cunha informaram que não vão se pronunciar. 

O deputado Rodrigo Rocha Loures estava em Nova York e, segundo sua assessoria, ele só irá se pronunciar quando voltar ao Brasil. A sua volta está programada para esta quinta-feira. (Renato Ferreira com Agências)

https://s01.video.glbimg.com/x720/5876972.jpg");">

 

A partir de agora, quem for flagrado urinando nas vias públicas da capital paulista vai ter que arcar com uma multa de R$ 500. É o que diz o Projeto de Lei 24/2017 sancionado na manhã desta terça-feira (16/05) pelo prefeito em exercício em São Paulo, vereador Milton Leite. A prefeitura terá agora 90 dias para regulamentar a lei e definir a aplicação.

De autoria do vereador Caio Miranda (PSB), a ideia é que a lei “promova um convívio sustentável durante grandes eventos, como o carnaval de rua, a Virada Cultural, a parada LGBT e a entrada e saída de jogos de futebol”.

“Quando vier a regulamentação, a pessoa pode tirar uma foto ou chamar um oficial. Se pessoa se negar a dar o CPF, registra-se o boletim e na delegacia a pessoa é obrigada a dar o documento e vai ser multado”, afirma o vereador. De acordo com o projeto de lei, o montante arrecadado com as multas será direcionado ao Fundo Municipal de Limpeza Urbana.

Para o vereador, a lei vai ao encontro do programa municipal de ampliação de banheiros públicos, que será lançado pela prefeitura. “Propus a lei com foco nos grandes eventos e calhou de estar alinhada a um programa de banheiros públicos novos que o prefeito vai lançar em agosto. Embora não seja uma desculpa a falta de banheiros públicos porque as mulheres, em geral, não urinam na rua”, disse. 

O vereador disse que espera que moradores de rua não sejam afetados pela lei e disse que espera "bom senso" por parte dos fiscais. “Os moradores de rua são um problema social grave que não se vai atacar com multa, são pessoas vulneráveis que precisam de um trabalho social urgente, de acolhimento", disse. Segundo o vereador, o objetivo da proposta não é "misturar as situações" entre a questão social das pessoas em situação de rua e "pessoas que bebem e têm preguiça de ir ao banheiro"

 “Se o fiscal quiser chegar no morador em situação de rua, advertí-lo e aplicar uma multa, a lei permite. Só que não é inteligente, a nossa inteligência tem que ser em construir uma consciência coletiva tolerável”, afirmou. (Agência Brasil)

 

Opinião: Renato Ferreira

Todos as cidades brasileiras deveriam implantar essa lei contra os mijões em vias públicas.

 

Na manhã desta segunda-feira (15/05), a Prefeitura de Osasco, por meio das Secretarias de Meio Ambiente e Educação, abriu a 15ª Semana Nacional de Museus, uma temporada cultural que acontece todos os anos em comemoração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio). Essa ação é promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e desenvolvida pelos museus brasileiros. Neste ano, mais de mil museus de todo o país oferecerão ao público 3000 atividades especiais, como visitas mediadas, palestras, oficinas, exibição de filmes e apresentações artísticas.

O Ecomuseu de Osasco, mantido pela Secretaria de Meio Ambiente, participa desta edição com o tema “Museus e Histórias - Controversas: dizer o indizível em Museus”, definido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom).

As atividades, desenvolvidas durante a semana no NEA (Núcleo de Educação Ambiental) “Padre Angelo Mazzarotto”, têm o objetivo de proporcionar interação dos participantes com o meio, sensibilizando quanto à importância de respeitar e estreitar relações com todos os seres vivos. Através de ações educativas, o Ecomuseu promoverá monitoria guiada,  exposição de fotos de Sebastião Salgado e performance artística com Rosi Cheque e Isa Ferreira que apresentarão música e dança.

 Semana Museus 2 reduzida

O primeiro dia da Semana de Museus contou com a visita dos alunos da 3ª série da EMEF “Benedicto Weschenfelder”, do Jardim Piratininga, que trataram do tema Água e suas controversas regionais no Brasil. No auditório do Ecomuseu, os alunos cantaram a música Asa Branca, de Luiz Gonzaga. Os alunos e professores foram recepcionados pela Coordenadora do NEA, Siozeni De Ângelo Lopes, que falou sobre a Semana de Museus e sua importância no papel nessa conscientização da humanidade através da História.

O Ecomuseu de Osasco fica no interior do Núcleo de Educação Ambiental, no Parque Ecológico Dionísio Álvares Mateos, conhecido também como Parque Jardim das Flores. O endereço é Rua Georgina, 64, no Jardim das Flores.

As atividades ocorrerão pela manhã e à tarde, com início às 9h e 14h. A entrada é gratuita. (SECOM/PMO - Fotos: Ivan Cruz)

Decisão do ex-ministro de Lula e Dilma aumenta o clima de preocupação dentro do Partido dos Trabalhadores.

O ex-ministro Antonio Palocci decidiu negociar um acordo de delação premiada com os procuradores da Operação Lava Jato. No fim da tarde desta sexta-feira (12), o seu advogado de defesa, o criminalista José Roberto Batochio, protocolou uma petição na qual informa o seu afastamento do caso.  

O ex-ministro recontratou os advogados de Curitiba Adriano Bretas e Tracy Reinaldeti, que ficaram responsáveis por fazer as negociações da delação. Réu em dois processos na cidade, Antonio Palocci  já havia sinalizado sua intenção de fazer um acordo de delação  durante seu depoimento ao juiz federal Sérgio Moro .

Segundo as investigações feitas pela Polícia Federal, a Odebrecht tinha uma “verdadeira conta-corrente de propina” com o PT. Para os investigadores, a conta era gerida pelo ex-ministro e os pagamentos a ele eram feitos por meio do Setor de Operações Estruturadas da empreiteira – responsável pelo pagamento de propina a políticos – em troca de benefícios indevidos no governo federal.

Delações citam o ex-ministro

empreiteiro Marcelo Odebrecht afirmou , em seu depoimento de delação premiada ao juiz Sérgio Moro, que políticos ligados ao PT tinham à disposição da empresa uma espécie de conta de crédito na qual solicitavam recursos para bancar campanhas eleitorais. Ele cita o repasse de R$ 35 milhões e, depois, de R$ 40 milhões – acrescentando que era comum o pagamento a políticos em caixa dois na empreiteira. Odebrecht afirmou que tratava dos repasses com o ex-ministro Palocci e que determinadas quantias chegaram ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Já Renato Duque, ex-diretor da Petrobras, contou em depoimento ao juiz Moro que Lula teria encarregado o ex-ministro em 2012 para tratar da propina em contratos com estaleiros que iriam construir sondas para a exploração do pré-sal pela estatal. O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto teria consultado Palocci e depois comunicado o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco de que, nesse caso específico, a propina seria repartida na proporção de "um terço para a casa [agentes da estatal] e dois terços para o partido".

Duque afirma que parte dessa propina foi direcionada a Lula. "Os 'dois terços', o Vaccari me informou, iriam para o Partido dos Trabalhadores, para José Dirceu e para Lula, sendo que a parte do Lula seria gerenciada pelo Palocci".

O ex-ministro foi citado também pelo publicitário João Santana, responsável pela campanha à reeleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2006. O marqueteiro disse ter ficado claro, em reuniões com Palocci, que o petista tinha conhecimento sobre o uso de recursos de caixa dois na campanha.

De acordo com o texto do anexo 2 da delação de Santana, em que é resumido o teor do depoimento, Palocci foi o responsável por negociar os termos do contrato da Pólis , empresa de marketing do empresário com a esposa, Mônica Moura. “Nestes encontros ficou claro que Lula sabia de todos os detalhes, de todos os pagamentos por fora recebidos pela Pólis, porque Antonio Palocci, então ministro da fazenda, sempre alegava que as decisões definitivas dependiam da ‘palavra final do chefe’”, diz o texto. (Matéria extraída do Último Segundo-IG)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.