Quarta, 22 Novembro 2017 | Login

 

“Eduardo Cunha redistribuía propina a Temer, com ‘110%’ de certeza”. A afirmação que liga o presidente Michel Temer ao ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, é do delator Lúcio Funaro e está em um dos seus depoimentos prestados em 23 de agosto. Funaro é apontado como operador de políticos do PMDB em esquemas de desvio de dinheiro público. Nos depoimentos, há várias citações a casos em que Temer, Cunha e outros integrantes do partido teriam levado propina. Mas também há menções a episódios em que houve divergências internas, como na definição de quem indicaria um cargo na Caixa Econômica Federal (CEF) que renderia vantagens indevidas. Funaro afirmou também que José Yunes, amigo e ex-assessor de Temer, lavava dinheiro para o presidente e que a maneira mais fácil para isso era por meio da compra de imóveis.

Segundo Funaro, durante os governos do PT, os então deputados Michel Temer (PMDB-SP), Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Alves (PMDB-RN) disputavam cargos, mas de formas diferentes. Cunha atuava no “varejo”, ou seja, focava em alguns cargos. Os outros dois agiam no “atacado”. Na semana passada, Janot denunciou Temer e outros seis peemedebistas, acusando-os de integrarem uma organização criminosa que desviou dinheiro de diversos órgãos públicos e empresas estatais, como Petrobras, Furnas, Caixa, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados.

Conforme os depoimento do delator, Cunha lhe contou que o ex-sindicalista André Luiz de Souza explicou a Temer como funcionava o FI-FGTS, o fundo de investimento alimentado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Souza fazia parte do conselho do fundo e é acusado de desviar dinheiro de lá. Segundo o termo de depoimento de Funaro, “Cunha disse que André de Souza explicou para Temer como funcionava o FI-FGTS, que aquilo seria como um ‘mini BNDES’”. É uma referência ao banco de desenvolvimento que, assim como o FI-FGTS, libera recursos para as empresas investirem em projetos de infraestrutura. (Fonte: O GLOBO)

 

Nesta quarta-feira (20/09), o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, condenou o ex-governador do Estado Sérgio Cabral (PMDB),  amigo do ex-presidente Lula, a 45 anos e dois meses de prisão no âmbito da Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato. A sua mulher, Adriana Ancelmo, foi condenada há 18 anos e três meses. Ela vai começar a cumprir a pena em regime fechado.

Conforme o processo, a pena de Cabral foi calculada com base em três crimes: corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Sérgio Cabral está preso, desde novembro de 2016, no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.

Neste processo, o peemedebista era acusado pela "existência de gigantesco esquema criminoso no âmbito da Petrobras", descoberto por meio de colaboração premiada entre a PGR (Procuradoria-Geral da República) e executivos das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia.

Por meio do esquema, as empreiteiras combinavam os preços das licitações (cartel) para fraudar as obras de "construção ou reforma dos estádios que sediariam as partidas da Copa do Mundo de 2014, inclusive o estádio do Maracanã". 

Também foram alvo de fraude a expansão do Metro em Copacabana e as obras Mergulhão de Caxias, PAC Favelas e Arco Metropolitano.

No caso da pena por corrupção, Bretas determinou a pena de 24 anos de prisão. Sobre Cabral, escreveu: "Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema". Por lavagem de dinheiro, Cabral pegou 13 anos. Por fim, no caso da associação criminosa, Bretas calculou a pena de 8 anos e 2 meses de cadeia.

Esta é a segunda vez que Cabral é condenado pela Justiça Federal. Em junho, o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a pena de 14 anos e 2 meses de prisão em regime fechado na operação Lava Jato, por causa dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos de cadeia
Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos de cadeiaArmando Paiva/29.03.2017/AGIF/Folhapress

Mulher de Cabral

A mulher do ex-governador também foi condenada nesta ação. Adriana Ancelmo pegou 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. (Fonte: R7)

 

O ex-ministro Ciro Gomes já começou a mirar Lula com as suas críticas destemperadas. Ministro durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e atual pré-candidato à Presidência da República em 2018 pelo PDT, nesta quinta-feira (14/09), Ciro Gomes fez duras críticas ao seu antigo aliado. “Não é possível insultar a inteligência do povo brasileiro e manter essa mesma narrativa (de perseguição política)”. Segundo Ciro Gomes, a narrativa de Lula fez com que a população perdesse a confiança nos partidos de esquerda. “Eu não falo isso sem dor no coração”, lamentou.

O ex-governador do Ceará, que tenta voltar à cena da política nacional, afirmou que Lula passa por um período de dificuldades e que não pretende agravar ainda mais a situação. Porém, deixou claro que o posicionamento do Partido dos Trabalhadores de apoiar a candidatura de Eunício Oliveira (PMDB-CE) para a presidência do Senado enfraquece os argumentos de que houve um golpe de Estado no País, que culminou no impeachment da ex-presidente da República Dilma Rousseff. Eunício de Oliveira votou pelo impeachment e é adversário de Ciro no Ceará. 

“Nós estamos ferindo de morte a narrativa central de que ainda dava a nós alguma respeitabilidade na opinião pública progressista brasileira, que é a ideia de que o Brasil está sob um golpe de Estado. Como é que eu posso então assistir na semana passada o Lula abraçado com (ex-presidente do Senado) Renan Calheiros (PMDB-AL), que era senador e votou pelo impeachment?”, afirmou o pedetista, durante evento do PDT, no Rio de Janeiro.

Ciro Gomes também criticou a postura do PT na eleição para governador do Amazonas, quando apoiou a candidatura do senador Eduardo Braga, do PMDB. (Fonte: Isto É, com informações do Estadão)

 

Na quinta-feira (14/09), a poucos dias de deixar o cargo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, desta vez pelos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa.

Porém, o STF somente poderá analisar a denúncia contra Temer se a Câmara autorizar. No mês de agosto, a Câmara rejeitou a primeira denúncia de Janot contra Temer, por corrupção passiva. No próximo dia 18, assume o cargo a nova PGR Raquel Dogde.

Junto com Temer, Janot denunciou outras oito pessoas -   dois ministros, dois ex-ministros, dois ex-deputados, um empresário e um executivo. De acordo com o procurador, os políticos denunciados (todos do PMDB) arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina.

Na mesma denúncia, estão o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo Ricardo Saud, ambos delatores da Operação Lava Jato. Eles foram denunciados pelo crime de obstrução de Justiça.

Os políticos denunciados são os seguintes: 

  • ELISEU PADILHA (PMDB-RS), ministro da Casa Civil
  • MOREIRA FRANCO (PMDB-RJ), ministro da Secretaria-Geral
  • EDUARDO CUNHA (PMDB-RJ), ex-deputado
  • HENRIQUE ALVES (PMDB-RN), ex-deputado e ex-ministro
  • GEDDEL VIEIRA LIMA (PMDB-BA), ex-ministro
  • RODRIGO ROCHA LOURES (PMDB-PR), ex-deputado e ex-assessor de Temer (Fonte: O Estado de Minas)

No entanto, ministro do STF negou o pedido de prisão do ex-procurador da República Marcello Miller, conforme solicitação de Rodrigo Janot, que foi flagrado em um bar de Brasília com o advogado de Joesley -

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Edson Fachin determinou neste domingo (10/09), a prisão temporária dos delatores da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud, acatando pedido de prisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. No entanto, a prisão do ex-procurador da República Marcello Miller, que também foi pedida por Janot, não foi autorizada pelo ministro do STF. A Polícia Federal pode acatar a decisão e prender os empresários ao longo deste domingo ou até mesmo nesta segunda-feira.

Segundo os advogados do  empresário Joesley Batista e do executivo  Ricardo Saud, de acordo coma Folha de S.Paulo, seus clientes devem se entregar à Polícia Federal ainda neste  domingo. A decisão foi tomada em conjunto com os advogados de defesa mas depende de notificação à Justiça, uma vez que ambos estão em São Paulo. Os dois já tinham colocado seus passaportes à disposição da Justiça neste sábado. 

O pedido de prisãdo foi encaminhado ao Supremo na sexta-feira. Janot deve enviar também ao STF a rescisão do acordo de colaboração premiada firmado por Joesley e Ricardo com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Como o acerto previa imunidade total aos delatores, ele terá de ser revisto para que os dois vão para trás das grades.

Também na sexta-feira, Marcello Miller prestou 10 horas de depoimento na sede da Procuradoria-Regional da República da 2ª Região, no Centro do Rio. Dois procuradores tomaram seu depoimento: um procurador-regional da República, que atua na segunda instância da Justiça Federal, e um procurador da primeira instância. No dia anterior, os executivos da J&F, proprietária da JBS, também prestaram depoimentos à PGR sobre o papel de Miller na negociação da delação.

Na gravação de quatro horas, feita por descuido dos delatores e entregue à PGR há uma semana, Joesley e o diretor da JBS Ricardo Saud falam sobre como planejavam envolver ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na delação, sobre crimes não delatados e sobre a atuação de Miller para a dupla antes mesmo de uma formalização do acordo. O áudio levou à abertura do procedimento de revisão da delação da JBS.


Janot é flagrado com advogado de Joesley

Janot com advogado de Joesley

O site O Antagonista publicou na madrugada deste domingo uma foto que mostra o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, em um bar de Brasília na companhia de Pierpaolo Bottini, advogado de Joesley Batista. Na foto, o procurador aparece sentado, de óculos escuros. À frente dele, uma garrafa de cerveja com apenas uma taça, e o advogado.

Segundo O Antagonista, o registro fotográfico foi feito por um frequentador do local, que afirmou que a dupla conversou por mais de 20 minutos em uma mesa no canto do bar, ao lado de uma pilha de caixas de cerveja.

 


O advogado de Joesley, confirmou o encontro: "Na minha última ida a Brasília, este fim de semana, cruzei casualmente com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, num local público e frequentado da capital. Por uma questão de gentileza, nos cumprimentamos e trocamos algumas palavras, de forma cordial. Não tratamos de qualquer questão outra ou afeita a temas jurídicos. Foi uma demonstragção de que as diferenças no campo judicial não devem extrapolar para a ausência de cordialidade no plano das relações pessoais", afirmou. O mistério, agora, é saber os motivos desse encontro e qual teria o assunto tratado por Janot e o advogado de um criminoso. (Renato Ferreira -Fonte: O Globo e o Estado de Minas)

A Prefeitura de Osasco, por meio da Secretaria de Saúde, inicia a Campanha Nacional de Multivacinação no dia 11 de setembro. O objetivo é a atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes que tenham menos de 15 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias). 

 

A Multivacinação é uma ação do Ministério da Saúde para manter sob controle o quadro de incidência das chamadas doenças imunopreveníveis. São elas: diarreia por rotavírus, sarampo, coqueluche, difteria, tétano neonatal e acidental, meningites, hepatites A e B, poliomielite, febre amarela e HPV (Papilomavírus Humano).

 

Em Osasco, a Multivacinação será realizada nas 35 Unidades Básicas de Saúde (UBS) das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. De acordo com o secretário de Saúde, José Carlos Vido, um extenso protocolo de treinamento foi colocado em prática pela secretaria tendo em vista uma série de observações rigorosas que os funcionários das unidades precisarão cumprir. (Lucas Echimenco - Secretaria da Saúde)

 

DIA D

 

Já no dia 16/9 acontece o Dia “D” da Multivacinação. As vacinas serão aplicadas em todas as 35 Unidades Básicas de Saúde (UBS), das 8h às 17h.

MULTIVACINAÇÃO

 

O que é

 

Campanha Nacional de Multivacinação, realizada pelo Ministério da Saúde em todo o país, no qual são aplicadas as seguintes vacinas:

•          BCG

•          Dupla Adulto

•          Febre Amarela

•          Hepatite A

•          Hepatite B

•          HPV

•          Meningocócica C

•          Pentavalente

•          Pneumocócica 10 Valente

•          Poliomielite Oral e Inativada

•          Rotavírus

•          Tetra Viral

•          Tríplice Bacteriana

•          Tríplice Viral

 

Público-alvo

Menores de 15 anos (até 14 anos, 11 meses e 29 dias).

 

Quando

De: 11/09/2017

Até: 22/09/2017

 

Onde 

Em qualquer uma das 35 Unidades Básicas de Saúde, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira

 

Além de Lula e Dilma, foram denunciados também a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, seu marido Paulo Bernardo, Palocci, Mantega Edinho Silva e João Vaccari Neto. 

 

Nesta terça-feira (05/09), um dia após anunciar que poderá cancelar a delação da JBS, em virtude de fatos graves omitidos pelos irmãos Batista, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff pelo crime de organização criminosa. A denúcia faz parte de um dos inquéritos abertos no Supremo Tribunal Federal (STF) em decorrência da Operação Lava-Jato, sob o comando do juiz Sergio Moro. No mesmo inquérito, foram denunciados também a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT; os ex-ministros Antonio Palocci, Guido Mantega e Paulo Bernardo, além de Edinho Silva, atual prefeito de Araraquara (SP); e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Todos membros do Partido do Trabalhadores. 

A denúncia assinada por Janot tem 230 páginas e foi anexada ao inquérito 4.325, que apura se o PT formou uma organização criminosa para desviar dinheiro da Petrobras. Lula e Dilma não têm mais foro privilegiado, mas, mesmo assi eles foram denunciados ao STF porque esse inquérito envolve outros políticos que só podem ser investigados pela Suprema Corte de Justiça. Na denúncia, Janot afirma que Lula é o idealizador da organização criminosa e deve receber uma pena maior. Todos os envolvidos negam as acusações.

"Pelo menos desde meados de 2002 até 12 de maio de 2016, os denunciados, integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma Rousseff sucessivamente titularizaram a Presidência da República, para cometimento de uma miríade de delitos, em especial contra a administração pública em geral", escreveu Janot.

O inquérito que resultou na denúncia contra os petistas é um dos quatro abertos no Supremo para investigar quadrilhas que supostamente se beneficiaram do esquema de corrupção montado na Petrobras. Além dos políticos do PT, há também uma investigação contra integrantes do PP, uma voltada ao PMDB da Câmara e a última que foca o PMDB do Senado. (Fonte: O GLOBO)

Com isso, os executivos da JBS, que teriam omitido fatos gravíssimos, envolvendo membros da PGR e do STF, perdem os benefícios concedidos no acordo de delação - 

 

A delação premiadíssima dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS, está por um fio. Nesta segunda-feira (04/09), acuado diante de novos fatos e da repercussão negativa do acordo da Justiça com os empresários, o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, convocou a imprensa por volta das 19h,  para afirmar que autorizou novas investigações e que a delação poderá ser cancelada pela PGR.

Investigadores do grupo de trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República descobriram, em gravações entregues pela prória JBS, que os executivos do Grupo teriam omitido "fatos gravíssimos" contra membros da PGR e do STF (Supremo Tribunal Federal). E a omissão é um dos motivos de cancelamento de uma delação premiada. Segundo Rodrigo Janot, se o acordo for cancelado, os executivos perdem os benefícios concedidos, mas, as provas conseguidas até o momento continuarão valendo contra os acusados.

No acordo de delação premiada, firmado pelo PGR Rodrigo Janot e homologado pelo ministro do STF, Edson Fachin, Joesley e Wesley Batista prometeram "contar" tudo desde que não fossem presos e receberam todos os benefícios solicitados. Além de não serem presos, como aconteceu com todos os demais delatores da Lava Jato, os donos da JBS, receberam também, como prêmio, o direito de viajar e até de residir nos Estados Unidos, para onde já transferiram muitos bens e até empresas do Grupo.

Conforme o processo que corre na Justiça, com base em informações dos próprios empresários e também de dados do Governo Federal, a JBS se transformou na maior processadora de proteínas animais do mundo, graças a empréstimos a juros baixos do BNDES (Banco Nacionl de Desenvolvimento Econômico e Social), no período de 2006 a 2015. Durante esse perídio, o Grupo da JBS diversificou também suas atividades para outros ramos, como calçados e a empresa Eldorado Celulose, que acabou de ser comprada por empresários holandeses por US$ 15 bilhões. (Renato Ferreira)

 

Segunda, 04 Setembro 2017 21:26

Lula perde mais uma ação contra a Globo

"A ninguém, nem mesmo ao ex-Presidente da República, é dado pautar a imprensa”, afirma a sentença judicial - 

 

Além de já estar condenado em primeira instância a 9 anos e seis meses de prisão pela Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tem perdido também ações movidas contra a imprensa no Brasil. Na última sexta-feira (01/09),o juiz Gustavo Dall'Olio, da 8ª Vara Cível de São Bernardo, negou um pedido de direito de resposta feito por Lula. A ação do ex-presidente petista  foi motivada por reportagem exibida no dia 16 de julho pelo programa Fantástico, da Rede Globo.

Em sua sentença, Dall’Olio explicou: “É vedado ao Poder Judiciário influir no conteúdo de matéria jornalística do programa Fantástico, porque a ninguém, nem mesmo ao ex-Presidente da República, é dado pautar a imprensa”.

A decisão do juiz cntraria a defesa do ex-presidente, que acusou o programa de explorar o termo "prova", sem distinguir ao telespectador os conceitos jurídicos de "provas", "meios de provas" e "instrução processual". Segundo a defesa de Lula, a emissora teria então induzido os telespectadores ao erro, fazendo-os acreditar que eram provas irrefutáveis.

“A informação deve ser acessível a todos, quer a Constituição Federal dizer que a informação deve ser compreendida (e consumida) pelo homem comum, considerada a média da sociedade, não pelo advogado, promotor ou juiz. Afinal, não é de aula em Faculdade de Direito ou de curso sobre as "provas em geral" que se ocupa Globo Comunicação e Participação S/A. A matéria não traduz, nem de longe, abuso do direito de informação, tampouco ofensa à honra, imagem, intimidade ou reputação do ex-Presidente da República”, afirma o juiz Gustavo Dall'Olio em sua sentença.

Em sua decisão, o juiz afirma também que Lula deverá pagar as despesas judiciais do processo. Os advogados do ex-presidente já afirmação que vão recerrer da sentença.

 

Nova derrota 

Esta não foi a primeira vez que Lula perde ação judicial contra a imprensa. Em junho de 2017, a Justiça de São Bernardo do Campo já havia rejeitado ação do ex-presidente Lula contra O GLOBO e o colunista Merval Pereira. O ex-presidente petista pedia indenização por danos morais por ter sido citado em duas colunas publicadas em maio e junho de 2016. O juiz Mauricio Tini Garcia, da 2ª Vara Cível de São Bernardo do Campo, considerou improcedente o pedido.

Na ação apresentada à Justiça, Lula pedia R$ 100 mil como indenização a título de reparação de danos morais, alegando que as informações publicadas pelo colunista eram inverídicas. Os textos de Merval citavam informações do depoimento prestado pelo ex-deputado Pedro Corrêa, que firmou acordo de delação premiada. Na ocasião, Lula também buscou a Justiça para pedir direito de resposta. O pedido foi negado.

Novos tempos

Opinião do jornalista Renato Ferreira

Essas ações que o Lula tem impetrado contra a imprensa e perdido na Justiça são didáticas e servem para mostrar para os "coroneis" da política brasileira que estamos no Século 21, que o Brasil mudou e que não é mais o país de três ou quatro décadas passadas. Quem sabe, assim, Lula e outros políticos da velha política aprendam que a imprensa não pode e não ser pautada de acordo com os interesses mesquinhos de políticos populistas, mentiros e corrupgos.

E que o Brasil não é uma Venezuela de Chávez e Maduro.

Além de ampliar as vendas de carne, os acordos com os chineses têm o potencial de trazer US$ 9,9 bilhões em investimentos para o Brasil

A visita de Estado que o presidente Michel Temer realiza à China já produziu acordos que têm o potencial de trazer US$ 9,9 bilhões em investimentos e linhas de créditos para o Brasil nos próximos anos. São investimentos que terão impacto a curto prazo e outros memorandos de intenções que levarão mais tempo para ser totalmente implementados.

Em Pequim, onde chegou na manhã de quinta-feira (31/08), Temer mantém reuniões com o presidente Xi Jinpin e investidores chineses, antes de participar da 9ª Cúpula do Brics (grupo formado por Brasil, Rússi, Índia, China e Ágrica do Sul, entre os dias 3 e 5 de setembro na cicade chinesa de Xiamen. 

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, a visita ocorre a convite do presidente Xi Jinping. O encontro reflete o compromisso dos países e a estratégia da parceria entre os dois países. A China é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009. Em 2016, o intercâmbio bilaterial chegou à casa dos US$ 58,5 bilhões, enquanto as exportações do Brasil para a China totatalizaram US$ 35,13 bilhões com superávit brasileiro de de US$ 11,76 bilhões. No ano passado, a China foi o terceiro maior investidor no Brasil, atrás de Estados Unidos e Suíça com investimentos em setores estratégidos como infraestrutura e energia.

Pelos acordos assinados na atual visita, o maior desembolso virá em razão da concessão da licença ambiental que permitirá o início das obras da linha de transmissão entre a usina de Belo Monte, no Pará, e o Sudeste. Segundo o embaixador do Brasil em Pequim, Marcos Caramuru, a chinesa State Grid investirá US$ 3,5 bilhões para concluir a linha de 2.518 km, a maior do País. A licença foi aprovada pelo Ibama no dia 18.

O segundo maior valor a ser investido pelos chinesesé referente à concessão de linha de crédito de US$ 3 bilhões do China Development Bank (CDB) para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Antes que o dinheiro seja liberado, os dois lados terão de definir parâmetros para concessão dos financiamentos.

Em seguida, figura o projeto do Porto do Sul, em Ilhéus, e da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que ligará a cidade a Caetité, em um trecho de 500 km. As obras estão avaliadas em US$ 2,4 bilhões, disse o embaixador. O acordo fechado nesta sexta-feira,prevê a formação de um consórcio de empresas chinesas, do Casaquistão e do governo da Bahia para disputar a licitação, em 2018. Na conta de US$ 9,9 bilhões ainda constam o financiamento de US$ 700 milhões para a construção de um Terminal de Uso Privado no Porto de São Luiz (MA) e o US$ 300 milhões de uma linha de crédito do chinês Eximbank para o Banco do Brasil, dentre outros investimentos.

China quer ampliar compra de carne

China carne

Segundo informou a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto nesta sexta-feira (1º), durante audiência com o presidente Michel Temer, o presidente da China, Xi Jinping, anunciou que mais frigoríficos brasileiros serão autorizados a exportar carne para o seu país.

Conforme informou o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que acompanha a comitiva de Temer em Pequim, o Brasil poderá dobrar o volume de carne vendida à China por ano. De acordo com informações da assessoria do governo, o Brasil exporta US$ 1,75 bilhão em carnes por ano para o país asiático.

Portugal confirma compra de aviões da Embraer

Aviões da Embraer

Antes de chegar à China, Michel Temer esteve em Portugal, onde se reuniu com o presidente português Marcelo Rebele de Souza. No final do encontro, Temer disse que Portugal confirmou a compbra de seis aviões cargueiros a Embraer, negócio que os países já vinham conversando há alguns meses. Segundo o presidente brasileiro, as aeronaves compradas pelo governo português são do modelo KC-390 da Embraer. (Renato Ferreira com informações de Agências)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.