Sábado, 23 Junho 2018 | Login
Com apresentações de diversos artistas de renome da atualidade, a Festa do Trabalhador em Carapicuíba, promovida pela Prefeitura, reuniu um público de mais de 50 mil pessoas, na última terça-feira, 1º, no Parque do Planalto. O evento foi realizado com apoio do Plaza Shopping Carapicuíba, promoção da Rádio Tropical e apoio institucional do Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura. Mesmo reunindo uma multidão de pessoas, a maior festa dos trabalhadores da região transcorreu com total segurança. Diversas autoridades locais, dentre elas, o prefeito Marcos Neves, secretários e vereadores estiveram presentes.
Carapicuiba trabahador 3
 
A primeira atração a se apresentar foi o grupo Introdução, representando a cidade com samba de qualidade. O público vibrou com Day e Lara, Simone (da dupla com a Simaria), Zé Neto e Cristiano, Ciro Aguiar, Michel Teló, Edson e Hudson, Paula Fernandes, Felipe Araújo, Léo Magalhães, Bruno e Barreto, Júlia e Rafaela, Belo, Maiara e Maraisa e George Henrique e Rodrigo.
Carapicuiba trabahador
 
Durante a festa, houve sorteio beneficente de 25 prêmios, entre eles uma moto 0Km, geladeiras, micro-ondas e bicicletas. Os alimentos arrecadados são revertidos para o Fundo Social de Solidariedade.
Já na quarta-feira, 2, logo pela manhã, as equipes da Prefeitura começaram a limpeza do parque. O lixo foi recolhido, deixando o parque em condições para ser utilizado pela população local. (SECOM/PMC)
 
No Dia do Trabalho em Osasco, a Prefeitura realizou uma série de atividades para todas as idades, incluindo caminhadas e passeio ciclístico. A festa terminou em grande estilo e com grande púbico no CEU das Artes, no Jardim 1º de Maio
 
 
 
Com o objetivo de aproximar os munícipes da administração municipal, a Prefeitura de Osasco realizou a primeira edição do programa “Prefeitura no Seu Bairro”, que aconteceu na terça-feira, 1/5, Dia do Trabalhador, no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU das Artes), no Jardim 1º de Maio. O evento, que ofereceu prestação de serviço à população, contou com apoio de todas as Secretarias Municipais.
Primeiro de Maio
A primeira-dama Aline Lins e o prefeito Rogério Lins ao criançada no CEU das Artes
 
Além de receber o “Prefeitura no Seu Bairro”, o CEU das Artes comemorou dois anos de existência. A Associação Camila Rossafa, que administra a unidade, realizou uma grande festa para a comunidade. Música ao vivo, Torneio de Skate, aulas de diversos tipos de danças, apresentações de Kung Fu, Capoeira, Ballet e outras atividades agitaram o feriado de centenas de pessoas. Na ocasião, um bolo de 10 metros foi preparado para a celebração.
Primeiro de Maio 3
As atividades no Dia do Trabalho atenderam pessoas de todas as idades
 
O prefeito de Osasco, Rogério Lins, esteve no local acompanhado da primeira-dama e presidente Fundo Social de Solidariedade, Aline Lins, e da deputada federal, Renata Abreu. No evento, o chefe do Executivo conversou com a população e falou da importância de equipamentos públicos como CEU: “Estamos muito felizes em trazer a Prefeitura pra este local e vê-lo tão cheio de atividades. Nós estamos trabalhando para levar todas essas atividades para outros bairros do nosso município”.
Primeiro de Maio 4
Diversas Secretarias Municipais, como a de Assistência Social, sob o comando da Secretária Elsa Oliveira, prestaram serviços à população
 
Já deputada federal, Renata Abreu, parabenizou a administração pela aproximação com a comunidade: “Levar um pouco de cada secretaria para a população é muito importante. A Prefeitura está de parabéns por ir até a população sem medo e resolver os problemas”, finalizou.
Como ato de agradecimento a Associação Camila Rossafa pelos dois anos de gerenciamento do CEU, Lins entregou uma placa à representante da instituição, Gilma Ramos.
No local também houve: aferição de pressão, distribuição de mudas de plantas, Feira de Artesanato, pintura no rosto das crianças, vacinação antirrábica e doação de pets.
O CEU das Artes está localizado na Rua Nelson Mandela, s/n, no Jardim 1º de Maio, ao lado do terminal de ônibus.
Participaram da ação os secretários Angelo Melli (Habitação e Desenvolvimento Urbano), Carmônio Gonçalves (Esporte, Recreação e Lazer), Claudio Monteiro (Obras), Elsa Oliveira (Assistência Social), Jair Anastácio (CMTO), João Perez (Gabinete), José Carlos Vido (Saúde), José Toste (Educação), Lau Alencar (Desenvolvimento,Trabalho e Inclusão), Marcelo da Silva (Meio Ambiente), Osvaldo Virgínio (Transportes e da Mobilidade Urbana); os vereadores Ana Paula Rossi, Alex da Academia, Daniel Matias, De Paula, Ni da Pizzaria, Ricardo Silva; Almir do Nascimento, coordenador da Defesa Civil e Carlos Roberto, Ouvidor Geral. (SECOM - Texto: Lucas Pedrosa - Fotos: Ivan Cruz/Italo Cardoso)
 
 
Desde janeiro deste ano, a Prefeitura de Santana de Parnaíba, por meio da Secretaria de Serviços Municipais, realiza uma importante obra de mobilidade urbana na Estrada dos Romeiros, que liga as cidades da região Oeste da Grande São Paulo à Pirapora do Bom Jesus, com grande trecho passando pelo município de Parnaíba. São obras de revitalização e implantação de calçadas, pintura, muros e paisagismo.
 
A implantação dessas obras de mobilidade urbana atinge a marca de 30 quilômetrosde extensão. O objetivo da Prefeitura é proporcionar mais segurança e conforto aos pedestres, além de criar novos espaços para lazer e caminhadas a toda a população. Iniciadas em janeiro, as obras têm previsão para serem concluídas em dezembro deste ano.
Segundo a Prefeitura, as obras de instalação de calçadas e plantio de árvores próximo à divisa com Barueri, já estão com 90% dos serviços concluídos, num trecho de 300 metros. Concluindo essa parte, os funcionários iniciarão a construção do muro de contenção que compreende a divisa da cidade com Barueri e vai até a via de acesso ao condomínio Tarumã.
 
Além de todos os benfícios já citados, como segurança, conforto e lazer, essas obras de revitalização da via deixarão também a entrada da cidade mais bonita e convidativa aos visitantes.
 
Sob as diretrizes do prefeito Elvis Cézar, a prefeitura de Santana de Parnaíba tem conquistado grandes avanços com a implantação de calçadas em todas as regiões da cidade. Esse trabalho faz parte do plano de metas, que a população pode acompanhar todas as reaizações e obras por meio do SisProp no site Prefeitura - www.santanadeparnaiba.sp.gov.br - (Fonte: SECOM - Foto: Sandro Ameida)
Segundo o Corpo de Bombeiros, o prédio já havia passado por vistoria, quando eles relataram as péssimas condições do imóvel e o perigo de desabamento
 
 
Neste 1º de Maio de 2018 - Dia do Trabalho - quando deveria ser um dia apenas de festa no Brasil, apesar do alto de desemprego, na cidade de São Paulo, a data ficará marcada por mais uma tragédia. E, sem dúvida, uma tragédia anunciada. Na madrugada de hoja, um prédio de 26 andares desabou durante um incêndio de grandes proporções no Largo do Paissandu, no centro da cidade. Um edifício vizinho também pegou fogo, mas, segundo informações, não corre risco de cair. Um templo centenário, de uma Igreja Evangélica, teve também grande parte destruída. Mais de 100 homens de várias unidades do Corpo de Bombeiros foram para o local, onde continuam no trabalho de busca do de vítimas nos escombros do prédio.
 
Trata-se de um edifício do governo Federal, onde funcionava até 2010 a sede da Polícia Federal em São Paulo, que foi para a nova sede no Bairro da Lapa, na zona Oeste da Capital. Depois da saída da PF, o imóvel foi praticamente abandonado e passou a ser ocupado por movimentos populares, como os Sem Teto. As informações ainda são desencontradas, mas, segundo consta, no mínimo, 50 famílias residiam no local. Outras pessoas informam que já eram mais de 100 famílias ocupando o prédio. Não há ainda informações sobre vítimas - feridos ou mortes.
prédio desaba em são paulo
 
Conforme o Corpo de Bombeiros informou, o incêndio teria começado por volta de 1h30. O desabamento ocorreu em torno das 3h, em consequência das chamas. As causas do incêndio ainda são desconhecidas, mas as informações iniciais são de que o fogo começou no 5º andar do prédio. Havia muito material de fácil combustão no local, como papelão e madeira. Alguns edifícios próximos foram evacuados e toda área está isolada. As informações da Defesa Civil são de que o prédio que desabou era ocupado por dezenas famílias de pessoas em situação de rua, porém, sem números exatos.
Segundo comerciantes do da região, antes de a construção ruir, algumas pessoas pediam socorro no último andar. Um vídio mostra, quando os Bombeiros tentavam resgatar com cordas um homem nos dos últimos andares. As chamas começaram no quinto andar e foram se alastrando rapidamente para os níveis superiores. Ao todo, 160 militares atuam no combate ao incêndio e no resgate das vítimas.
Alerta
 
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o prédio já havia passado por vistoria, na qual foram relatadas as péssimas condições do local às autoridades do município. De acordo com a corporação,os compartimentos entre os andares eram divididos por madeira, o que ajudou a propagar as chamas.
Representantes da Prefeitura e da Defesa Civil Estadual estão no local e realizam cadastramento de todas as famílias que poderiam estar no prédio no momento do incêndio. Um edifício vizinho também foi atingido e as chamas se espalharam por dois andares. Ele foi esvaziado e interditado. (Fonte: Veja)
 
Temer xingado
 
Diversas autoridades já estiveram no local para demonstrar solidariedade. O primeiro foi o Presidente Michel Temer, que acabou sendo xingado e hostilizado por populares. O prefeito Bruno Covas deu entrevista e disse que a Prefeitura ja vinha fazendo um trabalho de regularização das famílias para que as mesmas pudessem ser transferidas desse e de outros imóveis ocupados de forma irregular na Capital paulista. O governador de São Paulo, Márcio França, também passou pelo local e prometeu apoio do governo no atendimento aos desabrigados e regularização das ocupações irregulares.
 
Irresponsabilidade
 
Depois da tragédia anunciada, com certeza, todas as autoridades que deveriam tomar providências antes que elas acontecessem, vão dizer que tomaram providências e vão tentar jogar a responsabilidade para outros órgãos.
 
Mas, a realidade é que existem responsáveis e culpados por mais essa tragédia em São Paulo. Ou será que estaria certo o governo Federal em abandonar um prédio público da União? E a Prefeitura de São Paulo, na pessoa do prefeito de plantão, não seria responsável para evitar as ocupações irregulares. O Corpo de Bombeiros já avisou que alerto e apresentou relatórios sobre as condicões caóticas do prédio. O governo do Estado também tem a sua responsabilidade.
 
E quem ocupa também deveria saber do risco que as famílias de pessoas correm em tais ocupações. E a culpa menor é dessas pessoas simples, que acabam sendo usadas como massa de manobra de seus líderes, como os comandantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), que tem no comando Guilherme Boulos, pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL. Se eles têm capacidade de reunir essas famílias pobres para ocupar de forma irregular esses prédios, no mímino, eles deveriam se preocupar com as condições da habitação delas, cobrando das autoridades ou eles mesmo mesmo oferecendo as condições minimas de sobrevivência para essas pessoas. (Renato Ferreira)
 
Atualizado às 19h de hoje
 
Prédio não era ocupado pelo MTST
 
Conforme publicamos erroneamente com base nas primeiras informações, a ocupação ilegal do prédio não era organizada pelo MTST e, sim, pelo Movimento de Luta Social por Moradia (MLSM). De Curitiba, onde está desde a parte da manhã para participar das comemorações do Dia do Trabalho e da lula pela liberdade de Lula, Guilherme Boulos, líder do MTST, disse que mesmo não sendo a ocupação organizada pelo MSTS, o MLSM tem a sua solidariedade. "Ninguém invade uma propriedade porque quer e, sim, por necessidade. De toda forma, o MSLM tem a nossa completa solidariedade em um momento tão grave como esse. Nós exigimos celeridade nas buscas e também respostas de alternativa habitacional para os desabrigados", disse Boulos.
Foi um jogaço no Ibirapuera, hoje à tarde, e a equipe mineira venceu no tie-break. O campeão sairá na segunda partida, domingo, dia 6, às 9h, no Mineirinho
 
 
Jogando na tarde deste sábado, 28/04, em São Paulo, o Sada/Cruzeiro mostrou porque é pentacampeão da Superliga Masculina. O time celeste de Belo Holizonte venceu o Sesi-SP por 3 sets a 2, com parciais de 25/23, 25/27, 26/24, 22/25 e 15/12. Mais de 10 mil pessoas estiveram no Ibirapuera, onde assistiram a uma excelente partida de vôlei, decidido praticamente ponto a ponto em todos sets.
Cruzeiro e Sesi 2
 
O segundo e decisivo jogo será realizado no domingo, dia 6, no Mineirinho, outro templo do vôlei brasileiro e onde o Cruzeiro está acostumado a faturar os seus títulos. Se vencer no Mineirinho, onde terá o apoio da massa azul, o time de Belo Horizonte conquistará o hexacampeonato da Superliga 2017/18. Caso o Sesi vença o jogo, o campeão será conhecido no Golden Set, a exemplo do que ocorreu na Superliga Feminina, quando o Praia Clube superou o Sesc/RJ, em Uberlândia, domingo passado. O time paulista busca o bicampeonato na competição.
O argentino Uriarte, levantador do Cruzeiro, foi eleito o melhor jogador da partida e ficou com o Troféu Viva Vôlei. Além de Uriarte, outro destaque mineiro foi o líbero Serginho, que já conqusitou oito títulos da Superliga. Já o ponteiro Leal e o oposto Evandro terminaram como os principais pontuadores, com 21 pontos cada um. Apesar de errar muitos saques, com média de 17 erros por jogo, esse fundamento é uma das principais ferramentas do Cruzeiro, além das jogadas de bloqueio.

 

Em seu primeiro depoimento ao juiz Sérgio Moro, Palocci já havia dito que "Lula fez um pacto de sangue com a Odebrecht". Agora, com o acordo de delação premiada, o ex-ministro de Lula e Dilma pode detonar os dois ex-presidentes e o próprio PT. Em nota, Dilma diz que Palocci "é um mentiroso"

 

 

Por Renato Ferreira - 

 

Quando o Partido dos Trabalhadores chegou pela primeira vez ao Palácio do Planalto, em 2003, surfando na onda vermelha e fechando um ciclo de governos da chamada direita desde Collor até FHC, três nomes despontavam como responsáveis por essa virada política e pelos novos rumos de um Brasil petista: Luiz Inácio Lula da Silva, ex-torneiro mecânico, na Presidência da República; José Dirceu, ex-advogado e ex-deputado Federal, na chefia da Casa Civil; e Antônio Palocci, formado em Medicina e especialista na área econômica, no comando do Ministério da Fazenda.

 

Dirceu e Palocci eram, então, os dois nomes mais fortes do governo Lula. Destacaram-se tanto em suas respectivas áreas de atuação que eram sempre mencionados como os possíveis sucessores de Lula na Presidência. E foi, justamente, essa força que fez dos dois super ministros, adversários internos no PT, pois, cada um queria se fortalecer cada vez mais perante o Lula, aliados e eleitores.

 

Só que alguns anos depois chegava ao time de Lula a ex-combatente da Ditadura Militar e economista, Dilma Rousseff, que acabou ganhando a preferência de Lula. Eleita presidente em 2010 e reeleita em 2014, Dilma acabou sofrendo o impeachment em 2015.

 

O que ninguém poderia imaginar é que em 2018, 15 anos depois da posse de Lula em seu primeiro mandato, o Partido dos Trabalhadores estaria vendo José Dirceu, Palocci e Lula condenados e presos pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Contra Dilma Rousseff, além das acusações de Palocci envolvendo as empreiteiras, ela pode ainda ser responsabiliza por outros desvios na Petrobras, como a desastrosa compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

 

Primeiros tombos

 

Mesmo tendo sido eleito e permanecido nos primeiros anos com grande aprovação popular e tendo ainda criado o Bolsa Família, a principal bandeira de seu governo, Lula e o Partido dos Trabalhadores começaram a desmoronar em 2005, quando estourou o mensalão. Em entrevista à imprensa, o ex-deputado Federal, Roberto Jefferson, presidente do PTB, por não ser atendido por José Dirceu, detonou o esquema de compra de partidos e parlamentares para votarem com o governo. O escândalo culminou em várias prisões e na cassação do mandato de Dirceu e do próprio Jefferson.

 

Contudo, mesmo cambaleante e fragilizado, Lula acabou se reerguendo e foi reeleito, mas, a mancha do mensalão nunca mais saiu da testa do PT. Com a eleição da Dilma, parecia que voltava a calmaria ao mundo petista, até que surgiu a Operação Lava Jato, que escancarou os escândalos da Petrobrás, um esquema de corrupção semelhante ao mensalão, porém, muito mais sofisticado e ganancioso, já que envolvia benefícios do governo e políticos para empreiteiras, aqui e no exterior, em troca de milhões em propinas. A estatal de petróleo quase faliu e foi obrigada a fazer acordo bilionário com a Justiça americana para conseguir honrar os compromissos com acionistas.

 

Além do PT, outros partidos foram também envolvidos no caso Petrobras, mas, como o auge do esquema aconteceu nos governos de Lula e Dilma, o PT foi a primeira legenda a sofrer as consequências. A cada depoimento de diretores da Petrobras ou de empreiteiros, as investigações chegavam a ex-parlamentares, assessores e tesoureiros do partido, que foram condenados e presos.José Dirceu, além da condenação no mensalão, foi também indiciado e condenado pela Lava Jato.

 

Sob o comando do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, as investigações prosseguiram chegando a outros parlamentares e ministros petistas, como Guido Mantega e Antonio Palocci, e ao próprio Lula, que foi condenado e preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no inquérito sobre o triplex do Guarujá. O ex-presidente é réu também em outros inquéritos na Lava Jato e em outras operações da Polícia Federal.

 

Mais que irmão

 

Na posse de Mantega no Ministério da Fazenda em substituição a Palocci, em 2006, Lula não mediu palavras para elogiar seu ex-ministro, que posteriormente viria a ser também o chefe da Casa Civil no governo Dilma. Com voz embargada, Lula disse, na ocasião, que Palocci era um dos maiores ministros da Fazenda que o Brasil já teve. "O Palocci conseguiu com seu jeito de ser, falar, persuadir, angariar certamente alguns adversários. A nossa relação, Palocci, é de companheiro, possivelmente mais do que a relação de um irmão".

 

Bombas de Palocci

 

No entanto, essa relação de irmão acabou assim que Palocci foi preso em 2016. Condenado a 12 anos de prisão, o ex-ministro resolveu abrir o jogo e contar tudo o que sabe. Logo em seu primeiro depoimento a Sergio Moro, Palocci revelou detalhes do esquema de corrupção tanto no governo de Lula, como no da Dilma. Colocando-se à disposição para depor a qualquer momento, Palocci foi enfático: "O Lula fez um pacto de sangue com a Odebrecht".

 

Isso foi o bastante para toda a cúpula do PT, inclusive, o Lula, começar a desqualificar o ex-ministro. De honesto e de melhor ministro, Palocci passou a ser chamado de mentiroso e traidor por seus correligionários. Esse discurso passou também a ser repetido por paramentares e a militância petista. Na iminência de ser expulso do PT, Palocci se antecipou e pediu desfiliação do partido que ajudou a fundar. Mas, o fantasma Palocci nunca abandou os petistas e aliados de Lula.

 

E, assim, não durou nem dois dias a alegria do PT com a medida dos ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gimar Mendes, da Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal), em benefício do Lula. Por 3 votos a 2, na terça-feira, 24/04, eles votaram pela retirada das mãos de Moro as delações da Odebrecht envolvendo o sitio de Atibaia, possivelmente, o próximo inquérito onde Lula será julgado. Para esses três ministros, o caso do sítio não tem ligação com a Petrobras, apesar das investigações e dos depoimentos mostrarem o contrário. É possível que essa decisão tenha que passar pelo plenário do STF, conforme deseja a Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

Dois dias depois da reviravolta na Segunda Turma, na quinta-feira, 26, surge a bomba Palocci que pode derrubar as estruturas petistas. Depois de ver negado o seu pedido pelo Ministério Público, Palocci assinou o acordo de delação premiada com a Polícia Federal. Nesse acordo que terá ainda que ser homologado por Sergio Moro, Palocci indica que term detalhes do esquema de corrupção nos dois governos petistas - Lula e Dilma - dos quais participou como personagem influente.

 

Segundo informações, nos depoimentos que já deu à PF, Palocci menciona reuniões de Dilma com representantes da Odebrecht para acertos financeiros e até de entregas de dinheiro vivo ao ex-presidente Lula. E de acordo com uma matéria do Estadão, os novos documentos apresentados por Palocci podem levar à abertura de outros inquéritos no âmbito da Lava Jato.

 

Palocci mente, segundo Dilma

 

Diante do perigo que se avizinha também ao seu governo, a ex-presidente Dilma Roussef se antecipou. Em nota emitida ontem, Dilma afirma que Palocci é um mentiroso.

A ex-presidente acusa também parte da imprensa, como a Globo que, segundo ela, está por trás e tem interesse nas delações de Palocci: "Por fim, é preciso reiterar que o jornalismo de guerra praticado pelas Organizações Globo vem tentando eliminar Lula e Dilma da vida política nacional, adotando como regra o justiçamento midiático. Em vão. Não terão êxito".

 

Leia a íntegra da nota de Dilma Rousseff:

 

1. O senhor Antonio Palocci volta a mentir ao dizer que teria participado de uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o então presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, ocorrida em “meados de 2010”, no Palácio da Alvorada, para falar de financiamento de campanha. Essa reunião nunca existiu.

2. Como a própria Dilma Rousseff já havia apontado, em setembro passado, o senhor Antonio Palocci falta com a verdade. A tal reunião e outros encontros mencionados pelo jornal para tratar de acertos de propinas ou de “contratos do pré-sal” jamais existiram. São peças de ficção.

3. A delação implorada do senhor Antonio Palocci tem um problema central. Não está sustentada em provas. E ele não as têm porque tais fatos jamais ocorreram.

4. No esforço desesperado de obter a liberdade, o senhor Antonio Palocci cria um relato que busca agradar aos investigadores, na esperança de que possam deixá-lo sair da prisão.

5. A submissão da verdade ao capricho de investigadores obedece à mesma lógica dos inquisidores que cometiam abusos, sobretudo físicos, nos presos, em outros tristes tempos, para arrancar confissões.

6. Lamentável é que a “confissão” sem provas tenha se tornado o retrato desses nossos tempos, em que, a cada dia, o Estado de Exceção vai corroendo a frágil democracia e suas instituições. Nada estranho, agora, que até a presunção de inocência passe a ser negada ou esquecida, e sempre combatida.

7. “O Globo”, mais uma vez, deixa de lado os princípios jornalísticos. Não procura ouvir os “acusados”, nem publica qualquer linha sobre o que pensam os advogados dos dois ex-presidentes. Não há sequer uma menção de que ambos teriam sido procurados, o que mostraria ao menos um aparente compromisso do jornal com a verdade, base da ética de uma imprensa livre de países democráticos.

8. Por fim, é preciso reiterar que o jornalismo de guerra praticado pelas Organizações Globo vem tentando eliminar Lula e Dilma da vida política nacional, adotando como regra o justiçamento midiático. Em vão. Não terão êxito.

 

Ex-governador de Minas Gerais, Azeredo foi condenado a 20 anos e um mês em reclusão por caixa dois. O mensalão tucano, conhecido também como mensalão mineiro, foi o mesmo levado posteriormente ao Palácio do Planalto no primeiro governo Lula e que culminou no processo do mensalão petista 

 

Em sessão realizada nesta terça-feira, 24/04, os desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJMG) rejeitaram, por 3 votos a 2, os embargos infringentes apresentados pela defesa do ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB)e mantiveram sua condenação a 20 anos e um mês de prisão. Restam, agora, ao réu, apenas os embargos declaratórios, recursos que não alteram o mérito do julgamento. Condenado pela Justiça mineira, o ex-governador. Eduardo Azeredo, sofre, assim, mais derrota na Justiça e fica  mais perto de se tornar o primeiro político preso do caso conhecido como “mensalão tucano”.

 

Governador entre 1995 e 1998, Azeredo foi acusado e condenado pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Ele foi acusado de participar do esquema que desviou cerca de R$ 3,5 milhões de três estatais mineiras (Comig, Copasa e Bemge) para o caixa dois de sua campanha à reeleição em 1998. Segundo a acusação, o esquema serviu como “laboratório” para o mensalão petista por envolver contratos de publicidade e incluir a participação do operador Marcos Valério, que foi condenado e encontra-se preso pelo mensalão petista.

 

A denúncia contra Eduardo Azeredo foi apresentada em 2007 pela Procuradoria-Geral da República (PGR), durante o seu mandato de senador. Como tinha foro privilegiado, o processo do tucano tramitou no Supremo Tribunal Federal (STF) até 2014, quando Azeredo, naquele momento deputado federal, renunciou ao mandato para evitar a condenação. O caso foi enviado, então, à primeira instância da Justiça mineira. A condenação foi proferida no dia 16 de dezembro de 2015.

 

Em agosto de 2017, três desembargadores analisaram a apelação apresentada pela defesa de Azeredo contra a condenação. Na ocasião, dois magistrados votaram para manter a condenação, e um pediu a absolvição do ex-governador. Na sessão desta terça-feira, mais dois desembargadores votaram no processo — o presidente da sessão, Julio César Lorenz (a favor da condenação), e Eduardo Machado (pela absolvição).

 

Defesa que levar caso novamente à Primeira Instância

 

A defesa de Azeredo afirmou que vai questionar, por meio de recursos à Justiça mineira e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), vícios no julgamento desta terça-feira. A intenção da defesa é fazer o processo retornar à primeira instância. Já tramita no STJ um pedido de habeas corpus para evitar uma eventual prisão de Azeredo após o fim da tramitação do processo na segunda instância. Segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal, os condenados podem ser detidos após esgotados os recursos na segunda instância.

 

De acordo com advogado Castellar Guimarães, a denúncia inicial do Ministério Público Federal (MPF) considerava sete crimes de peculato:

— Posteriormente, o procurador do Ministério Público Estadual reconheceu que seria um peculato contra o Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) e não cinco. A condenação na primeira instância em Belo Horizonte atendeu àquela situação anterior antes de o MP delimitar a acusação — argumentou Castellar.  (Fonte: O Estado de Minas)

 

Outro tucano de renome que também se encontra enrolado com a Justiça é o senador Aécio Neves (PSDB-MG), também ex-governador mineiro. Acusado na Lava Jato, Aécio já se tornou réu no Supremo Tribuna Federal (STF).

 


A Câmara dos Deputados e o Senado Federal foram surpreendidos na manhã desta terça-feira, 24/04, com a presença de policiais federais que deflagraram mais uma etapa da Operação Lava Jato contra parlamentares. Os mandados são de apreensão e de prisão contra representantes do PP (Partido Progressista).


 A operação está sendo realizada juntamente com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e cumpre dois mandados de busca a e apreensão nas casas e nos gabinetes do deputado Eduardo da Fonte (PP/PE) - à esquerda na foto - e do senador Ciro Nogueira (PP/PI).


Há também um mandado de prisão contra o ex-deputado federal Márcio Junqueira (RR).

 

Os mandados foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato.


Entenda o caso

O deputado federal Eduardo da Fonte é o principal alvo da operação de hoje. O parlamentar é investigado por suposta prática de associação criminosa (artigo 2.º da Lei 12.850/2013), juntamente com outros parlamentares do PP: Aguinaldo Ribeiro, Arthur Lira, Benedito de Lira, Ciro Nogueira, José Otávio Germano, Luiz Fernando Faria e Nelson Meurer.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, feita em setembro de 2017, os parlamentares seriam integrantes do núcleo político de uma organização criminosa voltada à prática de delitos contra a Câmara dos Deputados, entre outros, visando "a arrecadação de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos da administração pública direta e indireta". (Fonte: Estado de Minas)

 

Ainda não passa de especulação, mas, já circula nos bastidores políticos do país uma possível chapa formada por Joaquim Barbosa (PSB) e Álvaro Dias (Podemos). Inclusive, a Coluna do Estadão registrou no sábado, 21/04), que a presidente nacional do Podemos, deputada Federal e candidata à reeleição, Renata Abreu, procurou o deputado federal Júlio Delgado (PSB) para tentar juntar os presidenciáveis do seu partido, Alvaro Dias, e do PSB, Joaquim Barbosa, numa chapa única.

Sem dúvida, que se essa união se tornar realidade, será uma chapa muito forte e com grande possibilidade de chegar ao Palácio do Planalto. O difícil, com certeza, é convencer um dos dois presidenciáveis a entrar na corrida como vice. O pontapé foi dado pela Renata Abreu, resta saber, agora, se essa partida terá continuidade.

Uma coisa é certa: ninguém pode afirmar que são nomes fracos. O senador Álvaro Dias, apesar de estar forte em seu Estado, o Paraná, onde já foi governador, ainda não aparece com destaque em nível nacional nas pesquisas eleitorais. Porém, é um dos poucos políticos, cujo nome não aparece nos noticiários acusado de corrupção.

Enquanto isso, o ex-ministro e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, mesmo antes de lançar-se como candidato, já parece nas pesquisas eleitorais com 10% das intenções de voto. Barbosa, como todos sabem, tornou-se conhecido nacionalmente, quando foi relator do processo do Mensalão e levou políticos e empresários de renome, como José Dirceu, para a prisão.

Você apostaria nessa união entre Joaquim Barbosa e Álvaro Dias? (Renato Ferreira)

 
Mais uma notícia de estupro está indignando os brasileiros. E mais: o acusado é um prefeito. No último sábado, 21/04, a Polícia Militar prendeu em flagrante o prefeito em exercício de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), de 34 anos. Ele é acusado de raptar e abusar sexualmente de uma menina de 8 anos. Em depoimento, o prefeito confessou o estupro.
Segundo a Polícia Militar, o tucano teria se passado por policial para sequestrar a criança e a levar para um matagal dentro de um carro. Ele teria dito que havia bandidos na rua e que a levaria de volta para a casa. No matagal, o carro ficou preso em um buraco e a menina conseguiu fugir à pé, pedindo socorro. A polícia foi acionada e os agentes encontraram o prefeito tentando se esconder entre as árvores.
O acusado e Araújo e a vítima foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bela Vista. Em seguida, foram levados para a delegacia.
O registro policial informou também que o prefeito tucano parecia estar sob efeito de drogas. A investigação está sendo conduzida pela Central de Polícia Judiciária, em Bauru. Paulo Henrique Barros de Araújo era presidente da Câmara Municipal e está no cargo como interino em Bariri desde o início de 2017, uma vez que o ex-prefeito e o vice foram cassados pela Lei da Ficha Limpa.
 
Nesta segunda-feira, 22, o PSDB publicou uma nota afirmando que o prefeito foi expulso de seus quadros.

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.