Sexta, 22 Novembro 2019 | Login
FARPAS: "O senhor era menos promíscuo fazendo pornô", diz Eduardo Bolsonaro a Frota

FARPAS: "O senhor era menos promíscuo fazendo pornô", diz Eduardo Bolsonaro a Frota Featured

Ex-aliados, os dois parlamentares trocaram farpas durante sessão da CPMI que investiga divulgação de fake news.
Nesta quarta-feira, 30/10, o clima esquentou na sessão da CPMI das Fake News no Congresso entre os deputados Alexandre Frota (PSDB-SP) e Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ). O filho do presidente acusou Frota, que depõe como convidado, de “trair” Jair Bolsonaro ao romper com ele e passar a atuar como parlamentar de oposição. Já o tucano disse que é "escárnio" a tentativa de Eduardo de setornar embaixador, estratégia que não deu certo.
Ao pedir a palavra como líder de governo, Eduardo disse que a CPMI ouvir Alexandre Frota em investigações contra divulgação de notícias falsas era um “escárnio”, e partiu para o ataque: “Você é só mais um traíra que apunhalou o presidente pelas costas”, afirmou.
Na sequência, relembrou a carreira de ator pornô de Frota para criticá-lo: “O senhor era menos promíscuo quando fazia filme pornô”, disparou.
Ainda em sua fala, o filho do presidente disse que voltará a se encontrar com Frota nas próximas eleições, de onde ele deve ser derrotado. “Aproveite seus momentos. Quatro anos passam rápido”.
Após falar, Eduardo Bolsonaro se levantou e deixou a comissão.
Na réplica, Alexandre Frota chamou Eduardo Bolsonaro de mimado e o criticou pela tentativa de viabilizar a vaga de embaixador via indicação do próprio pai. “Escárnio fio é a tentativa dele de passar por cima de tudo e de todos e tentar se tornar embaixador dos Estados Unidos". afirmou. (Fonte: Estado de Minas)
000

About Author

Related items

  • BRICS: Bolsonaro recebe líderes do bloco para reunião de cúpula em Brasília
    Chefes de Estado Grupo, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, estão reunidos em Brasília. Agenda prevê discussão sobre temas como Venezuela, Bolívia, protestos em Hong Kong e mudanças climáticas.
    O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta quarta-feira, 13/11, em Brasília, os chefes de Estado dos quatro países que fazem parte do Brics, ao lado do Brasil, para mais uma reunião anual do grupo. Além do Brasil, formam o Brics, a Rússia, Índia, China e África do Sul. r
    A programação da 11ª Cúpula do Brics vai até esta quinta, 14, no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores.
    Na pauta da cúpula então temas como futuro do bloco, crise na Venezuela, crise na Bolívia, série de protestos em Hong Kong e na Caxemira, além das mudanças climáticas.
    Bolsonaro também terá reuniões separadas com cada chefe de Estado ou de governo do bloco.
    Além do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, participam do encontro do Brics: Vladimir Putin, presidente da Rússia; Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia; Xi Jinping, presidente da China; e Cyril Ramaphosa, presidente da África do Sul.
    Presidência brasileira
    O Brasil está na presidência rotativa dos Brics em 2019 e, segundo o Itamaraty, busca deixar a marca de "pragmatismo" no mandato. Passados mais de dez meses, no entanto, os "resultados concretos e perceptíveis como úteis à sociedade" são considerados tímidos por integrantes do governo.
    Os maiores avanços foram em temas de saúde. Desde janeiro, os cinco países lançaram as bases para uma rede de bancos de leite humano – tema no qual o Brasil é referência mundial. Também há esforços para a pesquisa integrada de diagnósticos e medicamentos de combate à tuberculose.
    "O Brics responde por metade dos casos de tuberculose do mundo, até pelo tamanho das populações", afirmou o secretário de Política Externa Comercial e Econômica do Itamaraty, Norberto Moretti.
    Em outras áreas definidas como prioritárias pelo Brasil, como o combate ao terrorismo e o fomento à inovação, o mandato deve terminar sem avanços palpáveis. Em 2020, a presidência do Brics será exercida pela Rússia. (Fonte: G1)
  • POLÍTICA: Bolsonaro deixa o PSL e anuncia novo partido: Aliança pelo Brasil
     
    Nesta terça-feira, o presidente da Repúlcia reuniu parte da bancada no Palácio do Planalto e anunciou sua saída da da legenda.
    O presidente da República, Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira, 12/11, que não fará mais parte do PSL. A decisão do chefe do Executivo foi confirmada em reunião com a bancada do partido, no Palácio do Planalto. Seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) já pediu oficialmente a desfiliação da legenda.
    A troca por uma sigla já existente seria outra opção para Bolsonaro – uma vez que presidentes, além de senadores, não são enquadrados nas regras de fidelidade partidária. Contudo, parlamentares confirmaram que ele pretende levar em frente a criação da legenda “Aliança pelo Brasil”. Inclusive, a primeira convenção do novo partido já está programada para a manhã do dia 21 de novembro, no Royal Tulip Brasília.
    A opção escolhida por Jair Bolsonaro dá a ele a oportunidade de atrair não apenas a ala do PSL que já está alinhada a ele, mas também trazer políticos de outros partidos, como Novo, DEM e PL, que até agora votaram com o governo nas pautas econômicas.
    “Abrindo o novo partido, abre-se uma justa causa para que, não só os deputados do PSL saiam, mas qualquer outro deputado de qualquer outro partido. E a gente já sabe de outros deputados, de outros partidos, que querem vir também para o Aliança pelo Brasil”, explicou a deputada Carla Zambelli (PSL-SP).
     
    Após a reunião, Bolsonaro postou nas redes sociais.
    Aliança pelo Brasil logo
    Logo do novo partido do Presidente foi apresentada hoje, à tarde, pelo deputado Federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)
    "Hoje, anunciei minha saída do PSL e o início da criação de um novo partido: "Aliança pelo Brasil".
    "Agradeço a todos que colaboraram comigo no PSL e que foram parceiros nas eleições de 2018", disse o Presidente. (Fonte: Metrópoles)
  • DEU RUIM: Senador petista tenta jogar nordestinos contra Bolsonaro, faz enquete e vira piada
    O senador Humberto Costa (PT-PE), através de sua conta pessoal no Twitter, realizou uma enquete perguntando se o povo nordestino concordava com uma declaração de Bolsonaro, em que o presidente afirmou que “o atual governo é o mais democrático dos últimos anos”,
    A desastrada enquete do petista era uma clara tentativa de jogar os nordestinos contra Bolsonaro.
    Esperando, claro, grande vantagem do voto “não”, o parlamentar teve uma surpresa desagradável ao ver o resultado da pergunta em seu Twitter. A maioria esmagadora (82%) votou em apoio ao governo, e apenas 18% votaram contra.
    E não demorou muito para a postagem do petista viralizar e virar motivo de piada nas redes sociais.
    O vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, chegou a comentar o episódio. “deu ruim para o Humberto Costa”. (Texto: Portal BR7)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.