Quarta, 23 Outubro 2019 | Login
Gleen Greenwald comemora 'fracasso" das manifestações pró Moro

Gleen Greenwald comemora 'fracasso" das manifestações pró Moro Featured

 

Qual a contribuição que o IntercPT traz ao Brasil?

 

Alguns sites defensores da esquerda, noticiaram hoje que o 'jornalista' norte-americano, Gleen Greenwald, editor executivo do site Intercpt Brasil e marido do amigo do Jean Wyllys (PSOL), festejou o "fracasso" das manifestações a favor do Moro e da reforma da Previdência, realizadas neste domingo, 30/06, em todo Brasil. (Foto: Gabriela Biló/ESTADÃO). Só por isso, já nota-se que o cara, além de criminoso por vazar informações não autenticadas e conseguidas de forma criminosa, é também um mal informado, né.

Gleen Greenwald e Lula

Gleen Greenwald cumprimenta Lula após entrevistar o petista na Polícia Federal em Curitiba 

Mas, será que o Gleen Greenwald (na foto com Lula), é homem o bastante pra fazer esse tipo de "jornalismo" sujo, em Cuba, China, Coreia do Norte ou mesmo na Venezuela, na "Democracia" do Maduro, tão elogiado por Lula e seus asseclas no Brasil?

Está na hora das autoridades brasileiras tomarem providências contra esse sujeito estrangeiro, cujo site IntercPT não traz nenhuma contribuição para o desenvolvimento político, econômico e social do Brasil.

Durante um evento sobre Comunicação na semana passada em São Paulo, outro editor do IntercPT, Leandro Demori, teria afirmado que o único objetivo do site é lutar pela liberdade de Lula, "preso injustamente", na opinião deles. (Renato Ferreira)

000

About Author

Related items

  • GOVERNO: Bolsonaro sobre deportações: quem não presta tem que mandar embora
    Ele negou que a Portaria de Moro tenha ligação com o jornalista americano Glenn Greenwald, um dos fundadores do site The Intercept Brasil, que publicou supostos diálogos entre Sergio Moro e procuradores da Lava-Jato.
     
    "Pelo que o Moro falou comigo, ele tem carta branca, né, eu teria feito um decreto. Tem que botar pra fora mesmo, quem não presta tem mandar embora. Não tem nada a ver com o caso desse GreenWald. Nada a ver com o caso dele. Tanto é que não se encaixa nessa portaria o crime que ele está cometendo. Até porque ele é casado com outro homem e tem meninos adotados no Brasil", comentou Bolsonaro.
    O presidente ainda ironizou o fato de o americano não correr risco de ser deportado, mas poderia ir parar na prisão aqui no Brasil. "Ele não vai embora. O Green pode ficar tranquilo. Talvez pegue uma cana aqui no Brasil, não vai pegar lá fora não", afirmou.
    Mais cedo, o presidente defendeu que "publicar informações mentirosas, mesmo sabendo que foram mentirosas, e não se retratar é um crime também", em referência à investigação sobre a suposta invasão de hackers a dados de aparelhos celulares de autoridades do País.
    A portaria de Moro prevê que estão sujeitos ao "rito sumário de expulsão" estrangeiros suspeitos de terrorismo, de integrar grupo criminoso organizado ou organização armada e pessoas acusadas de traficar drogas, pessoas ou armas de fogo.
    Bolsonaro corroborou que estrangeiros suspeitos de cometer crimes sejam deportados, mesmo que os supostos crimes não tenham sido comprovados judicialmente. "Eu não sou xenófobo, mas na minha casa entra quem eu quero. E o Brasil é a minha casa", disse. "É suspeito apenas, sai daqui. Já tem bandido demais no Brasil. O sentimento dele é o meu, parabéns ao Moro pela portaria", declarou o presidente. (Conteúdo Estadão)
  • JUSTIÇA: Suspeitos de hackear celular de Moro e Dellagnol podem ter feito mil vítimas
    Walter Delgatti Neto, o "Vermelho", considerado o líder do grupo preso ontem, confirmou à Polícia Federal ter sido responsável pela invasão dos celulares de Sergio Moro, Deltan Dallagnol e outras centenas de autoridades dos três poderes. Ele teria dito também que o seu material serviu de base para os vazamentos do Intercpt.
    A Polícia Federal informou nesta quarta-feira, 24/07, em coletiva de imprensa, que mil números telefônicos diferentes podem ter sido alvo da quadrilha suspeita de hackear o aplicativo de mensagens Telegram do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e de outras autoridades. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também pode estar entre as vítimas.
    "Aparentemente, mil números telefônicos diferentes foram alvo desse mesmo modus operandi dessa quadrilha. Há possibilidade, ainda não temos uma identificação e nem começamos a fazer isso, mas há possibilidade de um número muito grande de possíveis vítimas desse mesmo tipo ataque que está sendo investigado agora", disse o coordenador geral de Inteligência da PF, João Vianey Xavier Filho.
    A PF investiga se o ministro da Economia foi vítima do mesmo grupo. "No momento da busca e apreensão, no celular de um dos indivíduos estava uma conta no aplicativo de mensagens vinculada com o nome Paulo Guedes. A gente tem que confirmar isso de forma pericial, mas é forte indicativo de que a conta seja realmente a do ministro", explicou o diretor do Instituto Nacional de Criminalística, Luiz Spricigo Júnior.
    De acordo com Xavier Filho, os números telefônicos supostamente atacados serão identificados para que se possa aferir a extensão exata dos ataques. A PF vai encaminhar ainda nesta quarta-feira um ofício para o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) solicitando uma reunião para buscar formas de sanar as fragilidades encontradas na investigação.
    ATUAÇÃO
    De acordo com a PF, a investigação é conduzida desde pelo menos abril, quando procuradores da Força Tarefa da Lava Jato passaram a relatar algumas ligações recebidas em seus aparelhos originadas do próprio número. Em junho, Moro e outras autoridades informaram ocorrência semelhante.
    A polícia conseguiu então chegar aos números de IP, que são relacionados à conexão à internet, dos dispositivos que supostamente executaram os ataques. Também foi identificado o tipo de equipamento que os indivíduos usavam. "Um dos equipamentos era um celular exatamente da marca e modelo que foi identificado na posse dos indivíduos", diz Júnior.
    De acordo com Filho, na residência de um dos alvos, foi localizado pela PF um computador contendo "atalhos de conexão a várias contas de aplicativo de mensagem". Segundo ele, tudo indica que havia captura sistemática de contas desses aplicativos. "Não há como confirmar, o levantamento é preliminar, mas tudo indica, e aparentemente isso vai ser melhor esclarecido mais adiante, que o conteúdo das mensagens dessas contas capturadas era baixado nos dispositivos, nos computadores dos investigados", diz Filho.
    A PF deverá detalhar as formas de atuação dos investigados em laudo pericial, a ser encaminhado ainda esta semana.
     
    FRAUDES BANCÁRIAS
    De acordo com a PF, o grupo era especializado em fraudes bancárias por meio da internet. "O perfil dessas pessoas é de estelionato bancário eletrônico. Eles estão, em vários graus diferentes de envolvimento, de alguma forma ou de outra, vinculados a fraudes bancárias eletrônicas, praticadas mediante internet banking, mediante engenharia social com contato de possíveis vítimas e fraudes em cartões de crédito e débito", diz Filho. Segundo ele, foi localizada na casa de um dos alvos quase R$ 100 mil em espécie.
    Segundo informou Walter Delgatti, houve casos apenas de invasões a celulares, outros de roubo de dados e ainda de sequestro da linha para simular conversas com terceiros.
    INTERCPT
    Segundo informou o Portal Antagonista, o hacker Delgatti Neto disse que o material conseguido por ele de forma criminosa serviu como fonte para as reportagens do site Intercpt, do jornalista norte-americano Gleen Greenwald.
    Moro parabeniza
    Por meio de seu perfil na rede social Twitter, Moro parabenizou a PF, o Ministério Público Federal (MPF) e a Justiça Federal pelas investigações. (Com informações da Agência Brasil e O Antagonista)
  • CANTOR LIVRE: Milton Nascimento não adere a boicote e faz show em Israel
    Roger Waters e esquerdistas pediram que cantor não se apresentasse no país. Fafá de Belém critica boicote e elogia Milton.
     
    Neste domingo, 30/06, o cantor Milton Nascimento se apresenta em Tel Aviv. Ele ignorou os apelos de militantes de esquerda e do próprio cantor Roger Waters para que não se apresentasse em Israel. Em suas redes sociais, o brasileiro justificou sua ida à Tel Aviv e defendeu que não faz sentido boicotar o país.
    "Pouquíssimas vezes declinei de um convite. Afinal de contas, todo artista deve ir onde o povo está, não é mesmo?, escreveu o cantor e compositor Milton Nascimento.
    O cantor brasileiro desembarcou em Israel na sexta-feira, 28, para realizar um show único neste domingo, 30. No post que ele publicou em redes sociais no sábado, 29, depois de visitar Jerusalém, Milton respondeu a críticas de quem promove um boicote total a Israel.
    "Fui convidado a cantar aqui por uma empresa gerenciada inteiramente por um brasileiro. Somente com essa informação cai por terra qualquer tipo de argumento de que eu esteja contribuindo com o ‘apartheid israelense’. Este show NÃO tem qualquer incentivo do governo de Israel, muito menos do exército israelense", continuou o cantor carioca, criado em Minas Gerais.
    Governo Militar
    Ele também fez comparação com o período da ditadura no Brasil.
    "Durante a ditadura militar brasileira eu jamais deixei de tocar no meu país. Então, por que eu deixaria de tocar agora? Por que deixaria de compartilhar experiências de amor e mudança enquanto acontece no Brasil um governo de extrema-direita? Mesmo divergindo das ideias de um governo, jamais abandonarei meu público", defendeu Milton.
    O post foi uma resposta direta à uma carta que Milton recebeu do cantor e compositor Roger Waters, ex-Pink Floyd e um dos maiores apoiadores do movimento Boicote, Desinvestimento e Sanções contra Israel (BDS). Há 15 anos, o grupo pressiona artistas internacionais a não se apresentarem em Israel alegando que o país comete crimes contra os palestinos.
    "Quando li que ele estava planejando cruzar a linha de piquete do movimento de BDS para se apresentar em Tel Aviv, fiquei chocado. Eu escrevi para Milton pedindo uma oportunidade de falar com ele. Nem ele nem ninguém de sua equipe me respondeu", relatou Waters.
    Apoio de Fafá
    A cantora Fafá de Belém saiu em defesa do amigo Milton e fez duras críticas ao roqueiro inglês.
    "Ontem li um cara que eu admirava como músico, mas nunca vi em nenhuma trincheira real. Que COM CERTEZA nunca teve seus shows cancelados e dificuldades na carreira por ter tomado posições corajosas, este BABACA veio falando do que não sabe e julgando o que não tem direito!", disse Fafá.
    Milton Nascimento faz uma única apresentação em Tel Aviv, em Israel, neste domingo (30). Depois de Tel Aviv, Milton volta à Europa para dois show, um em Berlim, no dia 5, e outro em Paris, no dia 6. Em seguida, ele volta ao Brasil para continuar o giro. (Pleno.News)
    Notícias & Opinião parebeniza o cantor e compositor Milton Nascimento por esta atitude de independência. Um verdadeiro artista do povo que respeita seu público, independentemente de posições ideológicas. (Renato Ferreira)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.