Quarta, 23 Outubro 2019 | Login
PRESIDÊNCIA: Termina com êxito a cirurgia de Jair Bolsonaro

PRESIDÊNCIA: Termina com êxito a cirurgia de Jair Bolsonaro Featured

 

Terminou com êxito por volta das 15h30 desta segunda-feira, 28/01, a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal do presidente Jair Bolsonaro, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. A informação foi dada pela assessoria de imprensa da Presidência da República.

Um boletim médico sobre o procedimento cirúrgico será divulgado tão logo seja autorizado pela equipe médica. Dentro de poucos minutos, haverá entrevista coletiva à imprensa com o porta-voz da Presidência da República, general Rêgo Barros, no Hospital Albert Einstein.

Bolsonaro deu entrada no hospital ontem (27) e a cirurgia começou logo de manhã.

Atentado
No dia 6 de setembro do ano passado, ao participar de um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, o então candidato à Presidência da República foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira. Com lesões nos intestinos delgado e grosso, Bolsonaro foi operado na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora e passou a usar uma bolsa de colostomia temporária. Transferido para São Paulo, ele foi novamente operado no dia 12 de setembro no Hospital Albert Einstein e ficou internado at éo dia 29, quando recebeu alta.

Passadas 48 horas da cirurgia, Bolsonaro voltará ao trabalho, ainda no hospital, onde deve ficar 10 dias em recuperação. O hospital organizou um espaço para o presidente despachar. (Agência Brasil).

000

About Author

Related items

  • POLÍTICA: Congresso aprova a maior reforma da Previdência do país
    Depois de 20 anos e cinco presidentes, Parlamento aprova proposta do Governo Bolsonaro, que resgata a capacidade de investimentos interno e externo. Dólar cai e Bolsa de Valores tem novo recorde.
     
    Na tarde desta terça-feira, 22/10, após pouco mais de três horas de discussão, o Plenário do Senado aprovou o texto-base da reforma da Previdência em segundo turno. A Nova Previdência, proposta de emenda à Constituição (PEC), enviada pelo Governo, que já havia sido aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados, foi aprovada no Senado por 60 votos contra 19.
    “O Senado enfrentou neste ano uma das matérias mais difíceis para a nação brasileira”, disse o presidente da Casa, Davi Alcolumbre ao encerrar a votação. “Todos os senadores e senadoras se envolveram pessoalmente nas discussões e aperfeiçoaram esta matéria, corrigindo alguns equívocos e fazendo justiça social com quem mais precisa.”
    O texto necessitava de 49 votos para ser aprovado, o equivalente a três quintos do Senado mais um parlamentar. Dentre outros pontos, a PEC define idade mínima de aposentadoria para homens, 65 anos, e mulheres, 62 anos.
    Agora, a reforma da Previdência sera promulgada em sessão conjunta do Congresso Nacional, entre deputados e senadores. Alcolumbre deve convocar essa sessão conjunta após o retorno ao país do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que está em viagem ao Reino Unido, e também presidente da República, Jair Bolsonaro, que se encontra em viagem à Ásia e Oriente Médio. o entanto, para promulgar a PEC, Alcolumbre deve esperar o retorno do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que está em viagem ao Reino Unido e à Irlanda, e também do presidente Jair Bolsonaro, que está na Ásia.
    Economia
    A proposta do Governo prevê uma economia em torno de R$ 1,16 trilhão em 10 anos. De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o impacto da PEC nos primeiros quatro anos será de R$ 168 bilhões.
    Mercado reage com euforia
    Durante mais de 20 anos, cinco presidentes tentaram ou, pelo menos, acenaram com a possibilidade da fazer essa reforma, mas, não conseguiram. E sem dúvida, o déficit previdenciário era um dos gargalos que mais atravancava a economia brasileira. E a prova de que a confiança de investidores no país após a aprovação dessa PEC, foi a reação positiva do mercado.
    O dólar teve a maior queda em quase dois meses, e a bolsa de valores voltou a bater recorde. O dólar comercial fechou esta terça-feira (22) vendido a R$ 4,076. Esse foi o maior recuo para um dia desde 4 de setembro, quando a divisa tinha caído 1,79%.
    No mercado de ações, o dia foi de euforia. Depois de bater recorde ontem (21), o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou o dia aos 107.381 pontos, com alta de 1,28%.
    E além da aprovação da PEC da Previdência, o país recebe também bons ares vindos do cenário externo. A sessão do Senado foi marcada pelo alívio nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China. O vice-ministro das Relações Exteriores do país asiático disse hoje que as negociações com o governo do presidente Donald Trump estão avançando. (Com informações da Agência Brasil).
  • BRASIL E O MUNDO: Bolsonaro viaja para o Leste da Ásia e Oriente Médio
    Enquanto aqui no Brasil, uma oposição inconsequente faz de tudo para derrubar o governo, pensando apenas no poder, Presidente visitará cinco países com foco em pauta comercial.
     
    Neste sábado, 19/10, o presidente Jair Bolsonaro iniciou mais uma viagem internacional. Desta vez, a viagem será de dez dias e busca de reforçar laços comerciais com parceiros do Leste da Ásia e do Oriente Médio. O presidente brasileiro terá compromissos no Japão, na China, nos Emirados Árabes Unidos, no Catar e na Arábia Saudita. Segundo integrantes do governo, o presidente quer sinalizar para o mundo que o Brasil está comprometido com a abertura econômica, com o ambiente de negócios e com o programa de reformas.
    AGENDA E NOTÁVEIS
    Bolsonaro deixou a Base Aérea de Brasília às 22h de ontem. Depois de escalas em Lisboa (Portugal) e Nursultan (Cazaquistão), ele chegou a Tóquio, por volta das 13h de domingo, 20, horário local. No Japão, a programação do presidente brasileiro inclui o evento de entronização do imperador Naruhito, na terça-feira, dia 22..
    Na quarta-feira, 23, Bolsonaro participará de um banquete oferecido a todos os presidentes pelo primeiro-ministro japonês Shinzo Abe. No mesmo dia, haverá uma reunião de Bolsonaro com os membros do grupo de notáveis, formado pelos dirigentes das principais empresas do Japão (Mitsui, Toyota, Honda, Mitsubishi, dentre outras).
    CHINA
    Na quinta-feira, 24, a delegação brasileira segue para Pequim. Na China, Bolsonaro cumprirá programa de encontro com autoridades do país asiático, em 24 e 25 de outubro. Na visita à China, o presidente dará prosseguimento a uma extensa agenda de visitas mútuas de autoridades dos dois países.
    Juntos, Japão e China têm um estoque de US$ 100 bilhões em investimentos no Brasil. A Ásia lidera as exportações e importações brasileiras. Só nos primeiros nove meses de 2019, 40% das exportações brasileiras foram destinadas à região, ao mesmo tempo em que 33% das importações brasileiras vieram da Ásia.
    COM ÁRABES
    Em seguida, no sábado, 26, Bolsonaro segue para Abu Dhabi, dando início à metade árabe da viagem. Depois da visita aos Emirados Árabes Unidos, o presidente segue para Doha. Ele passa a manhã e a tarde do dia 28 na capital do Catar e, em seguida, embarca para Riad, na Arábia Saudita, onde fica até o dia 30.
    Na passagem pelo mundo árabe, a pauta brasileira também tem um viés comercial, de acordo com o Itamaraty. Nesse sentido, o destaque fica para o aumento das exportações da agropecuária brasileira, a atração de investimentos para os projetos de concessão e privatização de ativos do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), além do interesse árabe na indústria de defesa do Brasil. (Com informações da Agência Brasil)
  • POLÍTICA: Popular nas redes, Bolsonaro destaca ações positivas do governo
    Com mais de 33 milhões de seguidores nas redes sociais, o Presidente citou, dentre outros temas, a deflação de 0,04% em setembro.
    Neste domingo 13/10, o presidente da República Jair Bolsonaro, usou o Twitter, para destacar uma série de ações do governo anunciadas neste mês de outubro. Ao todo, Bolsonaro enumerou 23 pontos que considera positivos que aconteceram até a segunda semana do mês atual.
    Dentre essas ações, Bolsonaro citou a redução de crimes, a deflação de 0,04% em setembro, a sanção do novo marco das telecomunicações e o anúncio do aumento do limite para compras em free shops.
    O presidente citou ainda o lançamento do programa Novos Caminhos pelo Ministério da ´Educação que visa criar 1,5 milhão de matrículas na educação profissional. “Faculdade é fundamental, contudo o ensino técnico é o motor para o retorno do dinheiro do contribuinte de forma rápida e eficaz”, comentou Bolsonaro.
    Aplausos e críticas
    Bolsonaro e Doria
    Ao lado governador João Doria (PSDB), que foi vaiado, Bolsonaro foi ovacionado na formatura de sargentos da Polícia Militar de São Paulo
    Apesar das críticas que recebem dos adversários e por parte da imprensa, neste final de semana, Jair Bolsonaro foi aplaudido em dois eventos no estado de São Paulo, fatos que contrariam as pesquisas que indicam baixa popularidade.
    Na sexta-feira, 11, ele participou da formatura de sargentos da Polícia Militar do de Estado de Paulo, quando foi ovacionado, ao ser anunciado e quando discursava. Ao seu lado estava o governador paulista, João Doria (PSDB) que, ao contrário do presidente, foi vaiado pelo público presente.
    Já no sábado, 12, Bolsonaro esteve na cidade de Aparecida por ocasião da missa alusiva ao Dia de Nossa Senhora Aparecida, celebrada pelo arcebisto metropolitando de Aparecida, dom Orlando Brandes. Também em Aparecida, Bolsonaro foi ovacionado por uma multidão de católicos, fato que encobriu poucas vaias no local. Ainda no sábado, ele esteve no Allianz Parque, onde acompanhou a vitória de "seu" Palmeiras por 1 a 0 sobre o Botafogo, jogo válido pelo Brasileirão 2019.
    33 milhões de seguidores
    Esses aplausos em eventos tão distintos, que derrubam por terra as pesquisas sobre baixa popularidade de Bolsonaro, são confirmadas ainda pelos números históricos que o presidente tem nas redes sociais. Os números que já eram altos, subiram ainda mais após o discurso firme de Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral das Nacões Unidas (ONU), no final de setembro.
    Bolsonaro já ultrapassou a marca de 33 milhões de seguidores em redes sociais. O número emblemático confirma que o Presidente brasileiro é, atualmente, um dos Chefes de Estado mais populares do mundo.
    O levantamento do número de seguidores foi feito pela agência de ciência de dados MrPredictions, que realizou monitoramento em tempo real do crescimento na quantidade de seguidores do presidente brasileiro nas principais plataformas de rede.
    Por exemplo, ao final do dia 28/09, sábado, poucos dias após o discurso na ONU, o presidente estava com 32.994.595 de seguidores nas redes sociais. Já na manhã de domingo, 29, esse número havia alcançado exatamente 33.000.000 de seguidores, com um crescimento de 5.405 seguidores em doze horas.
    O número total de seguidores do presidente brasileiro nas redes sociais cresceu em mais de oito milhões desde a data da posse, o que o torna um dos Chefes de Estado com maior popularidade no mundo. Somente seu canal no youtube ultrapassou a marca de 114 milhões de visualizações, número próximo ao total de eleitores brasileiros. As informações são da Critica Nacional. (Renato Ferreira com informações do Estado de Minas e Brasilonline)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.