Sexta, 24 Maio 2019 | Login
ATENTADO! PF faz buscas na casa e escritório de advogado do agressor de Bolsonaro

ATENTADO! PF faz buscas na casa e escritório de advogado do agressor de Bolsonaro Featured

Segundo a Polícia Federal, o objetivo da operação é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor confesso do atentado em Juiz de Fora
 
 
Quem espera impunidade para quem paga os advogados de Adélio Bispo, réu confesso da facada em Jair Bolsonaro, pode começar a mudar de ideia. A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta sexta-feira, 21/12, dois mandados de busca e apreensão no escritório e em uma empresa de Zanone Manuel de Oliveira Júnior, um dosadvogados de Adélio Bispo. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Subseção Judiciária da Justiça Federal de Juiz de Fora.
 
Segundo informou a Polícia Federal, o objetivo da operação é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor confesso do atentado.
Um dos imóveis funciona em um hotel e uma locadora de veículos, além de servir como escritório e residência do advogado. O outro é a sede de uma empresa. Os dois imóveis são localizados em Contagem, na Região metropolitana de Belo Horizonte.
Nesses locais, os policiais federais apreenderam o celular do advogado, que não disse quem foi a pessoa que o contratou para atuar no caso.
Polêmica
Um dia após o atentado contra o candidato do PSL, no dia 6 de setembro, dois dos quatro advogados que defendem Adelio viajaram em avião particular de Belo Horizonte para Juiz de Fora. A informação divulgada pelo EM, com exclusividade, causou polêmica.
 
Também repercutiu muito a questão do pagamento dos honorários advocatícios. Os advogados chegaram a dizer que estavam sendo pagos por igrejas evangélicas de Montes Claros. Mas igrejas negaram o pagamento.
 
No dia 18 de dezembro, Notícias & Opinião publicou uma perguntado: Quem matou Bolsonaro? https://bit.ly/2rLnKfq
O ataque contra Bolsonaro aconteceu em Juiz de Fora quando o então presidenciável fazia campanha no Centro da cidade. Adélio Bispo de Oliveira foi preso em flagrante e confessou o crime. Ele está detido na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS). (Renato Ferreira com informações de O Estado de Minas)
000

About Author

Related items

  • MASSACRE EM SUZANO: Aos hipócritas e mentirosos que escondem a incompetência do Estado

     

    O massacre em Suzano é culpa da facilitação do acesso à posse de armas sim. Afinal, os dois atiradores:

    - fizeram curso de tiro;
    - teste psicológico;
    - teste de aptidão;
    - pediram o porte (afinal, estavam armados na rua) a Polícia Federal;
    - comprovaram residência física;
    - idade superior a 25 anos;
    - emprego fixo;
    - tiraram atestado de antecedentes criminais;
    - compraram armas legais;
    - e registraram as armas em seus CPF's. Tudo isso para depois entrar em uma escola estadual e matar adolescentes aleatoriamente.

    A culpa realmente é da facilitação do acesso às armas, e não do Estado que não consegue oferecer segurança e nem tirar as armas ilegais das mãos dos bandidos.

    É isso ai, gênio...
    Autor Ale Ferreira (Facebook)

  • VIOLÊNCIA: Atentado a tiros deixa 10 mortos em escola de Suzano, em São Paulo

     

    Entre os mortos, polícia confirmou cinco alunos e duas funcionárias da escola

    Um atentado praticado por dois atiradores deixou dez mortos nesta quarta-feira, 13/02, pela manhã na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, no interior de São Paulo. Cinco alunos, duas funcionárias, o proprietário de uma locadora de veículos foram mortos por dois ex-alunos da Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25. 

    Os dois adolescentes que invadiram a escola para cometer o crime teriam se matado ao se deparar com militares. O coronel Salles, da Polícia Militar, disse que, antes de entrar na escola, os dois atiradores dispararam contra o proprietário da locadora de veículos. Ele chegou a passar por cirurgia na Santa Casa de Suzano, mas faleceu.
    Oito vítimas foram confirmadas:
    ·         Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica
    ·         Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionária da escola
    ·         Pablo Henrique Rodrigues, aluno
    ·         Cleiton Antonio Ribeiro, aluno
    ·         Caio Oliveira, aluno
    ·         Samuel Melquíades Silva de Oliveira, aluno
    ·         Douglas Murilo Celestino, aluno
    ·         Jorge Antonio de Moraes, comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola
    Os assassios cometeram suicidio:
    Suzano atiradores
    ·
    Luiz Henrique de Castro (25 anos, ex-aluno da escola)
    Guilherme Tauci Monteiro (17 anos, ex-aluno da escola)
    O coronel Salles informou ainda que os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Um deles usava máscara de caveira e luvas. Primeiro, eles atiraram em uma coordenadora pedagógica e em uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram alunos de ensino médio. Depois seguiram para um centro de línguas. 
     Suzano atentado


     Imagens gravadas dentro da escola logo depois do atentado mostram os estudantes correndo, se deparando com os corpos no chão e gritando em desespero. Eles pularam o muro da escola e procuraram abrigo no comércio da região.  
     
     
     
    A professora Sandra Perez falou sobre o ataque. "Foi às 9h30. Ouvimos disparos. Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas. Quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os policiais chegaram, 20 minutos depois", contou. 
    Na mochila dos atiradores havia três coquetéis molotov, duas bestas (lança-seta) e um revólver 38. Uma terceira mochila foi encontrada com uma espécie de bomba, de acordo com informações do Major Caruso, subcomandante do 32º Batalhão com sede em Suzano.
    A polícia fez varredura na escola porque foram encontrados artefatos com aparência similar a de explosivos. 
    Em nota, a Prefeitura de Suzano informou que o Pronto Socorro Municipal já recebeu pessoas com ferimentos leves. Os feridos com maior gravidade estão sendo encaminhados ao Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, e ao Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba. Ao todo, são nove pessoas nessa situação.
    O governador João Doria (PSDB), assim que foi informado do ocorrido, cancelou a agenda oficial e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos. "Ao chegar (...) fiquei consternado, chocado. Nunca tinha visto uma cena igual na minha vida”, disse João Doria. Segundo ele, as estruturas dos hospitais foram mobilizadas para receber as vítimas e o governo também vai encaminhar estrutura psicológica para os estudantes e familiares das vítimas. (Estado de Minas)
  • BRUMADINHO: Israel envia a Brumadinho missão com 130 especialistas em buscas

    Além de pessoal, Israel envia também equipamentos capazes de rastrear sobreviventes e corpos em locais atingidos pela lama da barragem. A ajuda foi acertada entre o Presidente Jair Bolsonaro e o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

     

    Decolou neste domingo, 27/01, uma missão com 130 integrantes das Forças de Defesa de Israel que vão ajudar no resgate das vítimas da tragédia em Brumadinho (MG).

    O avião fretado da companhia israelense El Al deixou Tel Aviv por volta das 6h30 (horário brasileiro de verão) e o pouso em Confins está previsto para acontecer por volta das 21h30.

    As equipes vão levar equipamentos de ponta para tentar localizar sobreviventes e corpos soterrados pela lama da barragem da mineradora Vale que se rompeu na última sexta-feira (25).

    Antes do embarque, as Forças de Defesa de Israel postaram no Twitter uma foto do grupo que viaja ao Brasil, com a frase: "salvar vidas não é sobre o quão longa é a distância, é sobre o quão longe você está disposto a ir".

    A delegação é composta por soldados, oficiais, engenheiros, médicos e especialistas da unidade submarina da Marinha israelense. Também viaja o embaixador de Israel para o Brasil, Yossi Sheli.

    "Vai ser um desafio como nenhum outro e estamos prontos para atender", declarou o comandante do grupo, coronel Golan Vach.

    O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, negociaram o envio do apoio da equipe especializada.

    No Twitter, Netanyahu, que esteve na posse de Bolsonaro, disse ter falado com o presidente para sugerir "que Israel envie assistência imediata para o local do desastre e ajude na busca dos desaparecidos".

    Estreia
    A missão israelense ao Brasil é a primeira desde que o grupo foi certificado, em novembro, pelo INSARG (Grupo Consultor Internacional de Busca e Resgate), composto também por grupamentos da Bielorrússia, Alemanha, Islândia, Rússia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

    No entanto, a imprensa local lembra que Israel já enviou ajuda em grandes catástrofes, como os terremotos no Nepal, em 2015, e no México, em 2017. (R7)


    Decolou neste domingo, 27/01, uma missão com 130 integrantes das Forças de Defesa de Israel que vão ajudar no resgate das vítimas da tragédia em Brumadinho (MG).

    O avião fretado da companhia israelense El Al deixou Tel Aviv por volta das 6h30 (horário brasileiro de verão) e o pouso em Confins está previsto para acontecer por volta das 21h30.

    As equipes vão levar equipamentos de ponta para tentar localizar sobreviventes e corpos soterrados pela lama da barragem da mineradora Vale que se rompeu na última sexta-feira (25).

    Antes do embarque, as Forças de Defesa de Israel postaram no Twitter uma foto do grupo que viaja ao Brasil, com a frase: "salvar vidas não é sobre o quão longa é a distância, é sobre o quão longe você está disposto a ir".

    A delegação é composta por soldados, oficiais, engenheiros, médicos e especialistas da unidade submarina da Marinha israelense. Também viaja o embaixador de Israel para o Brasil, Yossi Sheli.

    "Vai ser um desafio como nenhum outro e estamos prontos para atender", declarou o comandante do grupo, coronel Golan Vach.

    O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, negociaram o envio do apoio da equipe especializada.

    No Twitter, Netanyahu, que esteve na posse de Bolsonaro, disse ter falado com o presidente para sugerir "que Israel envie assistência imediata para o local do desastre e ajude na busca dos desaparecidos".

    Estreia
    A missão israelense ao Brasil é a primeira desde que o grupo foi certificado, em novembro, pelo INSARG (Grupo Consultor Internacional de Busca e Resgate), composto também por grupamentos da Bielorrússia, Alemanha, Islândia, Rússia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

    No entanto, a imprensa local lembra que Israel já enviou ajuda em grandes catástrofes, como os terremotos no Nepal, em 2015, e no México, em 2017. (R7)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.