Quinta, 17 Janeiro 2019 | Login
Jair Bolsonaro é eleito Presidente do Brasil

Jair Bolsonaro é eleito Presidente do Brasil Featured

Mesmo sem fazer nenhuma aliança partidária, Bolsonaro obteve cerca 56% dos votos válidos e foi eleito o 38º presidente da República neste domingo
 
Jair Messias Bolsonaro, do PSL, derrotou o petista Fernando Haddad. A vitória foi confirmada às 19h18, quando, com 94,44% das seções apuradas, Bolsonaro alcançou 55.205.640 votos (55,54% dos válidos) e não podia mais ser ultrapassado por Haddad, que naquele momento somava 44.193.523 (44,46%).
Aos 63 anos, capitão reformado do Exército e deputado federal desde 1991, Jair Bolsonaro materializou em votos o apoio que cultivou e ampliou a partir das redes sociais e em viagens pelo Brasil para obter o mandato de presidente de 2019 a 2022. Sua vitória representa também a vitória do antipetismo sobre o petismo.
 
Oração
Um dos primeiros atos de Bolsonaro após o resultado oficial, foi fazer uma oração de agradecimento a Deus ao lado do senador Magno Malta. O presidente eleito disse que iniciou campanha com oração e, agora, não poderia deixar de agradecer a Deus pela campanha e pela vitória. Defensor de bandeiras da comunidade cristã, por sr contra o aborto indistintamente e também contra a liberação das drogas, Bolsonaro obteve também uma votação histórica entre os evangélicos.
Na campanha, por meio das redes sociais e do aplicativo de mensagens WhatsApp, Bolsonaro apostou em um discurso conservador nos costumes, de aceno liberal na economia, de linha dura no combate à corrupção e à violência urbana e opositor do PT e da esquerda.
Com isso, se tornou um fenômeno eleitoral ao vencer a corrida presidencial filiado a uma legenda sem alianças formais com grandes partidos. Com pouco tempo na propaganda eleitoral de rádio e TV e distante das ruas na maior parte da campanha, em razão do atentado no qual sofreu uma facada que o perfurou no abdômen.
Após quatro vitórias consecutivas do PT em eleições presidenciais (2002, 2006, 2010 e 2014), o novo presidente eleito se apresenta como um político de direita.
Vitorioso na primeira vez em que se candidatou a presidente, Bolsonaro sucederá Michel Temer (MDB), vice de Dilma Rousseff (PT) que assumiu o governo em 2016 devido ao impeachment da petista.
 
Ligação de Trump
Agora, à noite, Jair Bolsonaro recebeu ligações de diversos líderes e presidentes que o parabenizaram pela vitória, dentre eles, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Ligaram també os presidente do México, a Argentina, de Portugal, da França e de outros países da Europa. Um dos primeiros a ligar para parabenizar Jair Bolsonaro foi o presidente Miche Temer, que colocou o governo à diposição do presidente eleito para processo de transição.
 
Haddad
Por outro lado, o petista Fernando Haddad não ligou para Jair Bosonaro. Ao discursar após o resultado oficial, Haddad afirmou que "que seus aliados não ficarão abandonados", dando a entender que fará oposição severa ao novo Presidente da República, "E vamos continuar lutado pela libertação do ex-presidente Lula", afirmou Haddad.
(Renato Ferreira com G1)

000

About Author

Related items

  • POLÍTICA: Bolsonaro recebe Macri no Planalto e discutem Mercosul e Venezuela
     
    Presidente argentino, Mauricio Macri, é o primeiro chefe de estado a visitar o Brasil, desde a posse de Bolsonaro. Os presidentes condenaram o governo de Nicolás Maduro
     
     
    O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta quarta-feira, 16/01, no Palácio do Planalto o presidente da Argentina, Mauricio Macri. Os dois discutiram sobre a situação do Mercosul e condenaram o governo de Nicolás Maduro, na Venezuela.
    Antes de Mauricio Macri entrar em cena, os ministros já estavam cumprindo agenda. Os da Fazenda e da Produção e Trabalho se reuniram com a equipe econômica. Os da Justiça e da Segurança Pública estiveram com Sérgio Moro e o ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Trataram de ações conjuntas no combate ao crime organizado, narcotráfico, corrupção e a segurança de fronteira.
    Pouco depois, o presidente argentino subiu a rampa do Planalto, onde Bolsonaro o aguardava. Macri é o primeiro chefe de estado a visitar o Brasil desde a posse de Bolsonaro. Ele foi uma das ausências no dia 1º de janeiro.
    Às voltas com uma crise econômica, inflação que beira 48% ao ano e interessado em se reeleger, Macri busca intensificar acordos de cooperação, deixando claro que precisa do Brasil, seu principal parceiro econômico. Assim como nós precisamos deles, que são o segundo destino dos produtos industriais brasileiros.
    Depois do encontro, os dois presidentes deram uma declaração conjunta. Brasil e Argentina assinaram um novo acordo de extradição, que prevê uma simplificação no processo. O ministro da Justiça, numa entrevista gravada num celular, deu um exemplo:
    “É que às vezes tem uma situação urgente: ‘Precisa prender o cara’. Então, às vezes você seguir o canal diplomático acontece que nem o Battisti”, disse Moro.
    Tanto Macri quanto Bolsonaro estão fechados no não reconhecimento do mandato de Nicolás Maduro, que tomou posse pela segunda vez na Venezuela, semana passada. Brasil e Argentina consideram que a legitimidade está no presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó.
    “Estamos comprovando nas reuniões de hoje nossa convergência de posições e nossa identidade de valores. Essa identidade: que atuemos conjuntamente na defesa da liberdade e da democracia na nossa região. Nossa cooperação na questão da Venezuela é um exemplo mais claro no momento”, disse Bolsonaro.
    Macri disse que Nicolás Maduro é o ditador que procura se perpetuar no poder com eleições fictícias, detendo opositores e levando os venezuelanos a uma situação desesperadora e agonizante.
    Outra convergência é o Mercosul, hoje presidido por Macri. Os dois presidentes defenderam acelerar as negociações promissoras. A principal é com a União Europeia, citada apenas por Macri.
    Macri e Bolsonaro também conversaram sobre flexibilização de regras do Mercosul. Hoje, não é permitido acordo de livre comércio em separado com outros países - os acordos bilaterais, defendidos por Bolsonaro.
    “Precisa valorizar sua tradição original: abertura comercial, redução de barreiras, eliminação de burocracias. O propósito é construir um Mercosul enxuto que continue a fazer sentido e ter relevância”, afirmou Bolsonaro.
    O almoço oferecido a Macri no Itamaraty foi reservado, sem convidados da imprensa. Os dois presidentes fizeram um brinde ao novo tempo nas relações entre os dois países. (G1)
  • LEGISLATIVO: Presidente e Vice visitam departamentos da Câmara Municipal de Osasco
    Parlamentares conversaram com servidores para ouvir demandas e sugestões para o Legislativo de Osasco
     
    Nesta terça-feira, 15/01, o Presidente da Câmara Municipal de Osasco, Vereador Ribamar (PRP), e o Vice-Presidente Alex Sá (PDT) fizeram uma visita aos diversos departamentos da instituição para conversar com os servidores da Casa e ouvir suas demandas e sugestões.
     
    Ribamar e Alex 
    “Vamos fazer tudo o que for possível para aperfeiçoar o trabalho da Casa. Isso é bom para os servidores, que vão contar com um ambiente melhor para exercer suas funções, e também para a população, que vai receber um serviço melhor”, declarou o Presidente durante a visita.
    Para Alex, é importante estabelecer uma relação próxima com os servidores, pois uma equipe alinhada produz mais e melhor. “Queremos ouvir cada um dos funcionários”, afirmou o parlamentar.
    Embora não sejam realizadas sessões de votação, todas as outras atividades administrativas continuam sendo realizadas durante o recesso parlamentar que vai até o fim do mês. No dia 5 de fevereiro será realizada a primeira Sessão Ordinária do ano, conforme determina o Regimento Interno.
    As sessões acontecem sempre às 15 horas e são transmitidas ao vivo pela TV Câmara, pelos canais 7 da operadora NET, 3 da MegaBit Telecom, pelas redes sociais e pelo site www.osasco.sp.leg.br. (Comunicação/CMO)
  • POLÍTICA: Bolsonaro assina decreto que flexibiliza a posse de armas
    Para o Presidente da República, medida visa dar ao cidadão o legítimo direito à defesa
     
     
    Nesta terça-feira, 15/01, o presidente Jair Bolsonaro assinou durante cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que regulamenta o registro, a posse e a comercialização de armas de fogo no país, uma das principais promessas de campanha do presidente da República.
    “Como o povo soberanamente decidiu, para lhes resguardar o legítimo direito à defesa, vou agora, como presidente, usar esta arma”, afirmou Bolsonaro, mostrando a caneta.
    “Estou restaurando o que o povo quis em 2005”, acrescentou Bolsonaro mencionando o referendo realizado há 14 anos.
    O decreto refere-se exclusivamente à posse de armas. O porte de arma de fogo, ou seja, o direito de andar com a arma na rua ou no carro não foi incluído no texto.
    A assinatura do decreto ocorreu logo depois da reunião ministerial coordenada por Bolsonaro todas as terças-feiras, às 9h, no Planalto, desde que assumiu o poder em 1º de janeiro. (Agência Brasil)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.