Terça, 11 Dezembro 2018 | Login
ELEIÇÕES 2018 Sem Bolsonaro, TV Aparecida faz debate morno

ELEIÇÕES 2018 Sem Bolsonaro, TV Aparecida faz debate morno Featured

 

A facada em Jair Bolsonaro, que o tirou da campanha nas ruas e o jogou na UTI de um hospital, foi um tiro no próprio pé do mandante (ou mandantes) do mais grave atentado político do país.

E esse crime tem impacto também nos debates após a facada. Na noite desta quinta-feira, 20/09, sem Bolsonaro, a TV Aparecida realizou um debate morno, justamente, porque ali não estava presente o líder das pesquisas e que tem grandes chances de vencer já no primeiro turno.

Chegou a dar sono assistir por mais de duas horas a um debate entre candidatos, cujo objetivo, agora, é evitar a vitória de Bolsonaro já no dia 7 de outubro.

Nos estúdios da TV Aparecida, o que se viu foi um debate sem emoção e sem confronto envolvendo um Alckmin atacando a todos (do jeito Alckmin de atacar), já que está perdendo apoio do Centrão; um Ciro Gomes pisando em ovos porque visa ganhar apoios num possível segundo turno; uma Marina Silva perdida com status de candidata nanica; um Álvaro Dias ciente de que não vai longe; Boulos como sempre um apêndice do PT;  e um Haddad na difícil missão de ter que falar mais do presidiário Lula do que de si próprio. 

E foi justamente entre Haddad e Álvaro Dias um dos momentos que esquentou um pouco o debate. Ao ser perguntado sobre seu programa para a família, Álvaro Dias fez, antes, uma introdução: "Haddad, você está aqui como representante do seu chefe, que se encontra preso por corrupção, que é o pior exemplo para as famílias". (Renato Ferreira)

000

About Author

Related items

  • BRASILEIRÃO: Bolsonaro vai ao Allianz Parque e entrega taça de campeão
    Time paulista conquistou o seu décimo título da competição nacional com uma rodada de antecedência
     
    O Presidente eleito Jair Bolsonaro acompanhou na tarde de hoje (2), no estádio Allianz Parque, a partida entre Palmeiras e Vitória, da Bahia, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O time alviverde venceu por 3 a 2 e recebeu taça do seu décimo título brasileiro, conquistado com uma rodada antecedência. Vestindo camisa do time paulista, Bolsonaro, que é palmeirense, assistiu à partida no camarote da diretoria do Verdão e, ao final do jogo, desceu ao gramado onde entregou as medalhas aos jogadores e ao técnico Felipão, além da taça de campeão ao capitão Bruno Henrique. Bolsonaro voltou hoje mesmo para o Rio de Janeiro.
    Bolsonaro no Allianz Parque
    No gramado do Allianz Parque, Bolsonaro ergue a taça de Campeão Brasileiro conquistada pelo seu time de coração
     
    Bolsonaro desembarcou às 13h40 no Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, vindo em um voo comercial do Rio de Janeiro. Ele posou para fotos com a camisa do time e deixou o aeroporto às 14h25, sem passar pelo saguão de passageiros ou falar com a imprensa que o aguardava do lado de fora em direção ao estádio. No vôo, ele tirou foto também com os passageiros. O carro com Bolsonaro foi escoltado por 14 motos da Polícia Militar e viaturas da Tropa de Choque até o estádio.
    Nos primeiros minutos do jogo, iniciado às 17h, o presidente eleito publicou uma mensagem e vídeo no Twitter, em que parabenizou o Palmeiras pela conquista do título antecipadamente. "Parabéns ao @Palmeiras pelo título brasileiro. O futebol é muito mais que torcer para um time, é um estado de espírito totalmente identificado com o brasileiro. É sempre bacana fazer parte desta festa! Um abraço a todos e obrigado pelo carinho!", postou.
     No Twitter
    @jairbolsonaro
    Parabéns ao @Palmeiras pelo título brasileiro. O futebol é muito mais que torcer para um time, é um estado de espírito totalmente identificado com o brasileiro. É sempre bacana fazer parte desta festa! Um abraço a todos e obrigado pelo carinho!
    Bolsonaro no Allianz Parque com a conselheira
    A conselheira do Palmeiras e presidente da Crefisa (patrocionadora do time), Leila Pereira, também postou no Twitter uma foto com Bolsonaro. “Vejam só quem está por aqui. Bolsonaro é o primeiro Presidente a acompanhar o jogo do Verdão no Allianz Parque. Foi uma honra colocar nossa faixa de Decacampeão em nosso Presidente Jair Bolsonaro”, escreveu.
    Perguntado ontem (2) sobre seu palpite, o presidente eleito havia apostado em 2 x 0 para o Palmeiras.
    Semana do presidente eleito
    Bolsonaro retorna a Brasília nesta terça-feira (4) para dar continuidade às reuniões do governo de transição e a montagem da equipe ministerial. Nesta semana, estão previstas reuniões do presidente eleito com as bancadas do MDB, PRB, PR e PSDB, junto com o ministro extraordinário da transição e futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.
    O presidente eleito espera decidir o nome que ocupará o Ministério do Meio Ambiente nesta semana. "[Nossa agenda] Continua. A gente espera que se resolva a questão do Ministério do Meio Ambiente. E, daí, fechou a questão", respondeu Bolsonaro a uma repórter na entrada do avião em que embarcou para São Paulo. Até agora, 20 ministros já foram escolhidos.
    Na semana passada, ele havia adiantado que há "meia dúzia" de nomes sendo avaliados para a pasta.
    Bolsonaro ficará na capital federal até quinta-feira (6), quando voltará no fim do dia para o Rio de Janeiro. (Agência Brasil)
  • Bolsonaro diz que Programa Mais Médicos "destruiu famílias"
    Segundo o Ministério da Saúde, até sexta-feira, 92% das vagas disponibilizadas no programa já foram preenchidas. 7.871 profissionais já estão disponíveis para atuação imediata
     
    O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) disse que o programa Mais Médicos "destruiu famílias", em coletiva para a imprensa após participar de uma cerimônia de aniversário de 73 anos da brigada da Infantaria de Paraquedista, na Vila Militar, em Deodoro, zona oeste do Rio, neste sábado.
    "Há muitos cubanos que têm famílias lá em Cuba e já constituíram famílias aqui. Esse projeto destruiu famílias. Também tem muita mulher cubana que está aqui há um ano sem ver o seu filho. Isso é mais do que tortura, é um ato criminoso praticado pelo governo de Cuba e pelo desgoverno do PT", afirmou.
    Bolsonaro afirmou que o Brasil não pode deixar pessoas vivendo em regime "de semi escravidão", referindo-se ao programa. "Qualquer um de fora que trabalhe aqui tem que ser submetido às mesmas leis que vocês.
    Não podem confiscar salários, afastar famílias", declarou.
    Bolsonaro ressaltou também que o governo do presidente Michel Temer (PMDB) está fazendo uma seleção para preencher as vagas deixadas por médicos cubanos. "Praticamente, já temos o número suficiente", afirmou.
    De acordo com balanço do Ministério da Saúde divulgado na última sexta-feira, 92% das vagas disponibilizadas no programa já foram preenchidas. São 25.901 inscritos com registro (CRM) no Brasil. Desse total, 17.519 foram efetivados e 7.871 profissionais já estão disponíveis para atuação imediata.
    Os médicos cubanos começaram, nesta quinta-feira, 22, a deixar o Brasil em voos de volta para Havana a partir do Aeroporto de Brasília. (Estado de Minas)
    Rompimento unilateral
    O governo de Cuba rompeu com o programa Mais Médicos de forma unilateral. Por não concordar com as medidas anunciadas pelo Presidente eleito Jair Bolsonaro, Cuba resolveu romper e retirar cerca de 8.300 médicos que faziam parte do Programa, composto no total por 18 mil profissionais do Brasil e de outros países. O Mais Médicos foi criado no governo de Dilma Rousseff em 2013.
    Jair Bolsonaro disse que não iria acabar com o Programa, porém, ele disse que no caso de Cuba, iria exigir que todo o salário pago pelo Ministério da Saúde ficasse com o médico. Hoje, os profissionais ficam apenas com 30% dos R$ 13 mils pagos; os outros 70% ficam com o governo de Cuba. Bolsonaro exigiu também que os profissionais tragam seus familiares e que os diplomas dos cubanos fossem revalidados pelo Ministério da Saúde do Brasil. Cuba não concordou com essas exigências sem dar nenhuma explicação. (Renato Ferreira)
  • Michelle Bolsonaro vai a Brasília pela primeira visita após eleição

    Na Capital Federal, a futura primeira-dama do Brasil tem agenda com Marcela Temer

     

    A futura primeira-dama Michelle Bolsonaro chega hoje (21) a Brasília para a primeira viagem à cidade onde nasceu, depois da eleição do marido – Jair Bolsonaro. A agenda dela inclui visitas ao Palácio do Alvorada e à Granja do Torto e encontro com a primeira-dama Marcela Temer.
    Logo que chegou, Michelle seguiu direto para o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde funciona o governo de transição do presisdente eleito Jair Bolsonaro.
    Michelle e Marcela devem visitar juntas as duas residências oficiais, além do Palácio do Alvorada. A futura primeira-dama pretende verificar como são os locais e o funcionamento. A Granja do Torto, desde que o presidente Michel Temer assumiu, é pouco utilizada e fica afastada do centro.
    Amanhã (22) a futura primeira-dama deve se reunir com os organizadores da solenidade de posse, em 1º de janeiro de 2019, para saber dos detalhes e fazer suas observações.
    De acordo com assessores, Michelle Bolsonaro deverá ficar em Brasília até sexta-feira (23) pela manhã. Ela e o marido foram convidados para o casamento do ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, na quinta-feira (22) à noite, em Brasília. (Agência Brasil - Fernando Frazão/Agência Brasil)

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2018-11/michelle-bolsonaro-chega-brasilia-para-primeira-visita-apos-eleicao

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.