Sexta, 19 Abril 2019 | Login
TRAGICÔMICO: Acompanhe a agenda de campanha do Lula pela TV

TRAGICÔMICO: Acompanhe a agenda de campanha do Lula pela TV Featured

 "NÃO TEVE COMPROMISSO DE CAMPANHA. SEGUE PRESO EM CURITIBA"

 

No final da semana passada, dia 31/08, o plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), aplicou mais uma derrota ao Lula, aprovando a sua inelegibilidade e, consequentemente, rejeitando o seu registro como candidato à Presidência da República pelo PT.

A decisão do TSE foi tomada com base na Lei da Ficha Limpa, aprovada pelo próprio Lula, que torna inelegível a pessoa condenada em segunda instância da Justiça. E, como todos os brasileiros sabem, Lula foi condenado a 9 anos de prisão pela Lava Jato pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, pena esta que foi confirmada e aumentada para 12 anos e um mês pelo TRF4, de Porto Alegre.

Mas, como o PT insiste em manter o Lula candidato, ignorando a decisão da Justiça Eleitoral, as TVs que, diariamente divulgam as agendas dos presidenciáveis, em respeito à Lei, mostram assim a agenda do líder petista:

- "NÃO TEVE COMPROMISSO DE CAMPANHA. SEGUE PRESO EM CURITIBA".

TRAGICÔMICO é uma publicação de Notícias & Opinião em todas as quartas-feiras.

000

About Author

Related items

  • Ninguém nasce para ser Presidente!

     

    As diferenças em Bolsonaro e Lula!

    O problema maior não é quando o cara diz: "não nasci para ser Presidente", mas, tem o apoio da maioria do povo para presidir o país. Ninguém nasce para ser Presidente.

    Problema mesmo é o cara dizer: "nasci para ser Presidente" e depois de dois mandatos, é condenado e preso pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro".(Renato Ferreira)

  • JUSTIÇA E POLÍTICA: Por diminuição de pena, Lula já admite corrupção

    Assim, Lula admite que é um "criminoso" e não um preso político perseguido pela Justiça brasileira.

     Renato Ferreira - 

    Até hoje, o ex-presidente Lula (PT), batia o pé e se dizia inocente, acreditando ainda que poderia sair da prisão nos braços do povo. Mas, agora, depois de um ano atrás das grades, condenado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, o petista já admite o crime de corrupção para diminuir sua pena e até mudar de regime prisional.

    Na verdade trata-se de uma brecha na Lei que seus advogados tentam como último recurso para tirar o ex-presidente da prisão. E tudo isso com o mais absoluto silêncio da grande imprensa, justamente, para não alardear o que os advogados de defesa do condenado tentarão fazer sem alarde, primeiro no STJ (Superior Tribunal de Justiça) e depois no STF (Supremo Tribunal Federal, onde têm ministros simpáticos à liberdade de Lula.

    Com esse objetivo, defesa do ex-presidente petista impetrou recurso junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), alegando que Lula admite o crime de corrupção passiva.

    Trata-se de uma tese defendida pelo advogado Cristiano Zanin, na tentativa de conseguir reduzir a pena do ex-presidente.

    Nos moldes do mensalão

    No recurso proposto por Zanin, a alegação é de que não houve lavagem de dinheiro, apenas o primeiro crime, nos moldes da tese desenvolvida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no episódio do mensalão.

    Na época, réus do mensalão foram absolvidos do crime de lavagem de dinheiro, pois fixou-se o entendimento que esse crime era apenas a conclusão do crime de corrupção.

    Agora, mesmo depois de passar todo tempo negando os crimes e alegando inocência, Lula tenta a mesma estratégia. Se vingar, com a pena diminuída ele terá o benefício da prisão domiciliar.

    Mas, seja como for, finalmente Lula admite que é um "criminoso" e não preso político perseguido pela Justiça brasileira.

    Um ano de prisão

    Lula ha um ano preso

    Neste domingo, 7 de abril, faz um ano que Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente do Brasil por dois mandatos (2003 a 2010), encontra-se preso na Polícia Federal de Curitiba. Investigado pela Lava Jato, Lula foi condenado a mais de 10 anos pelos crimes de corrupção e lavagem e dinheiro no caso do triplex do Guarujá. Na primeira instancia, ele foi condenado pelo, então, juiz Sergio Moro (hoje, ministro da Justiça), a 9 anos de prisão, cuja pena foi confirmada e aumentada pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), de Porto Alegre.

    Já no mês de março, o ex-presidente petista foi novamente condenado a mais de 12 anos de prisão, também pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no processo que envolve o sítio de Atibaia. Essa condenação será ainda apreciada pelo TRF-4, que poderá anular ou confirmar a sentença diminuindo ou aumentando a pena. Pelo histórico das decisões do TRF-4, essa pena deverá também ser confirmada e até aumentada.

    De SBC para o mundo

    Lula no sindicato em SBC

    No início de abril de 2018, estávamos em Buenos Aires e foi de lá que eu, minha esposa e meus filhos assistimos a todo aquele espetáculo promovido pelos petistas antes e durante a prisão do Lula, em São Bernardo do Campo.

    Dois canais argentinos ficaram 24 horas desde sexta-feira até domingo, transmitindo todas as idas e vindas que antecederam a prisão do ex-presidente. Eles tentavam entender aquele triste espetáculo nas dependências do Sindicato dos Metalúrgicos, onde até missa em homenagem à falecida Marisa Letícia, esposa do Lula, foi realizada para postegar a saída dele para prisão.

    Durante todo aquele final de semana, ouvimos comentários de analistas políticos argentinos, tanto a favor, como contra a prisão de Lula. Durante a programação, houve também muitos comentários jocosos sobre a demora de uma definição. Os apresentadores faziam piadas e até apostas sobre o momento em que a Polícia Federal entraria no prédio ou que Lula se entregaria.(Renato Ferreira - Fonte: Época e Jornal da Cidade)

  • TRAGICÔMICO! Acreditem! Câmara dos Deputados proíbe Novo de devolver milhões do Fundo Partidário aos cofres públicos
     
    Pois é, têm certas medidas da velha política corrupta brasileira que por si só explicam a situação caótica do país. Já faz décadas que os brasileiros não têm saúde pública descente, com os pobres morrendo em corredores de hospitais fétidos; não têm educação com escolas transformadas em esconderijos de bandidos; não tê educação, com famílias morando em barracos sob esgoto a céu aberto; e muito menos segurança pública, com mais de 63 mil assassinatos por ano.
    Mas, pasmem! É nesse quadro caótico que a Câmara dos Deputados proíbe que o Partido Novo devolva aos cofres públicos milhões de Reais que a Legenda recebe do Fundo Partidário, mas, que abriu mão desses recursos. O Novo estima que poderia devolver R$ 100 milhões em quatro anos.
    Foi nesta terça-feira, 02/04, que o Plenário da Câmara rejeitou por 294 votos a favor, contra 144, a emenda do deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS), ao Projeto de Lei 1321/19, que pretendia permitir - sem obrigar - que os partidos devolvessem sobras do Fundo Partidário ao Tesouro Nacional. Essa medida foi uma das bandeiras defendidas pelo Novo, a única legenda a abrir mão do benefício ao longo da campanha eleitoral.
    “Não estamos carimbando valor. Não estamos destinando a nenhuma área. Nós só queremos que os mais de R$ 3,5 milhões que o Novo tem em conta hoje possam ser revertidos para a União porque hoje estão parados”, argumentou van Hattem, que é líder do partido na casa.
    “Em quatro anos o Novo terá mais de R$ 100 milhões porque a nossa participação no fundo agora é de R$ 27 milhões por ano. Não dá para deixar esse dinheiro parado. Nós queremos apenas devolver para a União”, apelou.
    A matéria contou com o apoio de partidos de ideologia oposta à do Novo, como Psol e PCdoB, mas esbarrou na orientação contrária de legendas maiores, como PT, PSDB e até do PSL, que vem contando com o apoio da sigla de João Amoêdo nas principais pautas do governo de Jair Bolsonaro, como a reforma da Previdência. Também declararam apoio à emenda, ou seja, apoiaram a posição do Novo, o PSB, a Rede e o Cidadania.
    Proselitismo
    Entre os contrários ao destaque, o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) criticou o que chamou de “proselitismo” feito pelo Novo às custas do Fundo Partidário. “Para que devolver se você não vai usar? Então, nem receba. Ou será que vão devolver para fazer o proselitismo político e criar o constrangimento para aqueles que não são partidos poderosos, endinheirados, ricos, financiados por empresas, por interesses menores ou interesses maiores, eu não sei”, disparou.
    A crítica foi contestada por Vinícius Poit (Novo-SP). “Eu escutei um colega falando que para votar 'sim', para devolver, para depois constranger quem não devolver. Isso não é o que a gente quer fazer. A gente só quer ter o direito de devolvê-lo. A gente defende a liberdade”, rebateu o paulista. Para ele, os recursos parados no caixa do partido poderiam ser melhor utilizados em áreas como saúde e educação, caso fossem devolvidos para o Tesouro.
    Para justificar o voto contrário à matéria, o deputado Pedro Uczai (PT-SC) considerou que o financiamento privado dos partidos é fonte de corrupção. “Os partidos têm que funcionar com financiamento público para não precisar de relações promíscuas com o privado, que fez com que os grandes escândalos de corrupção fossem denunciados no país nessa relação promíscua de conluio entre o público e o privado”, atacou.
    Anistia a partidos
    A emenda foi apresentada entre os destaques à proposta que anistia multas aplicadas a partidos políticos e beneficia dirigentes partidários. (Fonte: Congresso em Foco)
    UM VERDADEIRO ABSURDO!
    TRAGICÔMICO é uma publicação de Notícias & Opinião. Para ver outros casos já publicados, acesse o site - www.noticiaseopiniao.com.br - e busque por tragicômico.
     

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.