Segunda, 21 Maio 2018 | Login
Lava Jato: PF cumpre mandados de apreensão e prisão no Congresso Nacional

Lava Jato: PF cumpre mandados de apreensão e prisão no Congresso Nacional Featured

 


A Câmara dos Deputados e o Senado Federal foram surpreendidos na manhã desta terça-feira, 24/04, com a presença de policiais federais que deflagraram mais uma etapa da Operação Lava Jato contra parlamentares. Os mandados são de apreensão e de prisão contra representantes do PP (Partido Progressista).


 A operação está sendo realizada juntamente com a Procuradoria-Geral da República (PGR) e cumpre dois mandados de busca a e apreensão nas casas e nos gabinetes do deputado Eduardo da Fonte (PP/PE) - à esquerda na foto - e do senador Ciro Nogueira (PP/PI).


Há também um mandado de prisão contra o ex-deputado federal Márcio Junqueira (RR).

 

Os mandados foram autorizados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato.


Entenda o caso

O deputado federal Eduardo da Fonte é o principal alvo da operação de hoje. O parlamentar é investigado por suposta prática de associação criminosa (artigo 2.º da Lei 12.850/2013), juntamente com outros parlamentares do PP: Aguinaldo Ribeiro, Arthur Lira, Benedito de Lira, Ciro Nogueira, José Otávio Germano, Luiz Fernando Faria e Nelson Meurer.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, feita em setembro de 2017, os parlamentares seriam integrantes do núcleo político de uma organização criminosa voltada à prática de delitos contra a Câmara dos Deputados, entre outros, visando "a arrecadação de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos da administração pública direta e indireta". (Fonte: Estado de Minas)

000

About Author

Related items

  • TRF4 nega último recurso e autoriza prisão de José Dirceu

     

    Com essa decisão, os três principais nomes do PT - Lula, Dirceu e Palocci - durante os governos petistas, acabam na prisão a cinco meses das eleições de outubro

    Nesta quarta-feira, 17/05, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) rejeitou o último recurso do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT), contra a condenação a 30 anos e nove meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, no âmbito da Operação Lava Jato.

    O recurso sobre embargo de declaração, foi rejeitado pela Quarta Seção do TRF4, que reúne os membros das Sétima e Oitava turmas do tribunal, especializadas em direito penal. Eles determinaram a comunicação imediata ao juiz federal Sérgio Moro, para que seja determinada a execução da pena de Dirceu.

    Moro, que é da 13ª Vara Federal de Curitiba, é o responsável pela condenação em primeira instância. Cabe a ele decidir se decreta a prisão de Dirceu, com base no entendimento atual do Supremo Tribunal Federal (STF), que autoriza a execução provisória de pena após esgotados os recursos em segunda instância.

    Atualmente, Dirceu está solto, beneficiado por um habeas corpus concedido em maio do ano passado pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), após ele ter ficado quase dois anos preso em Curitiba preventivamente por ordem do juiz Sérgio Moro.

    Condenação

    José Dirceu foi condenado por Sérgio Moro a 20 anos e 10 meses de prisão em maio de 2016. Em setembro do ano passado, o TRF4 aumentou a pena para 30 anos e nove meses. A pena foi agravada devido a seus antecedentes. O ex-ministro já tem outra condenação por corrupção no caso do mensalão.

    Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Dirceu teve participação num esquema montado pela Engevix, uma das empreiteiras que formaram um cartel para fraudar licitações da Petrobras a partir de 2005.

    De acordo com a acusação, a empresa pagou propinas a agentes públicos para garantir contratos com a Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), a Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e a Refinaria Landupho lves (RLAM).

    Atualizado às 19h40

    Juiza determina a prisão de Dirceu

    No início da noite de hoje, a juíza federal substituta Gabriela Hardt, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, determinou a prisão do ex-ministro José Dirceu. As informações são da revista Veja.
    A magistrada, que atua no lugar do juiz federal Sergio Moro, expediu o pedido depois de ser notificada oficialmente pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) sobre o julgamento que negou o último recurso possível do petista ao tribunal de segunda instância. Moro está nos Estados Unidos.
    Lula, Dirceu e Palocci na prisão - Auge e queda do trio mais famoso do PT

    No último dia 27 de abril, Notícias & Opinião publicou uma matéria abordando a chegada do PT ao poder, o auge dos governo petistas e a queda de seus principais quadros sob acusação de diversos criimes.

    Reveja, aqui, a matéria completa sob o título: Delação de Palocci estremece as estruturas petistas: https://bit.ly/2FnbqGU

  • Triplexzinho do Lula é arrematado por R$ 2,2 milhões
     
    Em abril o triplex foi invadido por membros do MTST e do Povo Sem Medo em protesto contra a prisão do Lula. Ontem, o imóvel foi arrematado por R$ 2,2 milhões
     
     
    No dia 16 de abril deste ano, com o objetivo de defender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e criticar o juiz Sérgio Moro, dezenas de pessoas dos Movimentos Povo sem Medo e do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), criado por Guiherme Boulos, pré-candidato à Presidência da Repúbica pelo PSOL, invadiram o triplex do condominio Solaris no Guarujá. E pasmem! Os sem teto, pessoas simples usadas como massa de manobra pelos seus líderes, tentaram, inclusive, contestar as provas jurídicas que levaram Lula à prisão, afirmando que o triplex não tinha passado por nenhuma reforma e nem possuía elevador privativo. Mas, de nada adiantou o espetáculo dantesco promovido pelos defensores do ex-presidente. Nesta terça-feira, 15/05, o triplexzinho do Lula, totamente reformado pela empreiteira OAS, foi arrematado pela bagatela de R$ 2 mihões e 200 mil no primeiro dia do leilão autorizado pelo juiz Sérgio Moro.
     
    Triplex do Lula 2
     
    O novo dono do imóvel mais comentado do país nos últimos meses é o empresário Fernando Costa Gontijo, de 64 anos, de Brasília. Contijo tem três dias para depositar os R$ 2,2 milhões, valor mínimo do imóve estipulado no edital do leilão. Conforme determinou o juiz Moro, esse valor será encaminhado para a Petrobras para ressarcimento dos recursos retirados da empresa no escândalo apurado pela Lava Jato. Segundo Contijo, o seu desejo pelo triplex se justifica pela localização e pela história do imóve. O apartamento tem mais de 200 m² e uma vista privilegiada da orla do Guarujá. Para o empresáro, ele fez um bom negócio.
    Fernando Gontijo atua no mercado imobiliário há mais de 30 anos e se diz apolítico. O empresário criou a empresa Guarujá Participações especificamente para comprar o triplex, que foi o pivô envolvendo Lula e a empreteira OAS. Segundo informações, Contijo teve passagem pela Via Engenharia, empresa investigada no chamado mensalão do Distrito Federal, escândalo de 2009 que envolveu o ex-governador do DF, José Roberto Arruda (então, no DEM).
  • TRAGÉDIA ANUNCIADA: Prédio desaba durante incêndio no centro de São Paulo
    Segundo o Corpo de Bombeiros, o prédio já havia passado por vistoria, quando eles relataram as péssimas condições do imóvel e o perigo de desabamento
     
     
    Neste 1º de Maio de 2018 - Dia do Trabalho - quando deveria ser um dia apenas de festa no Brasil, apesar do alto de desemprego, na cidade de São Paulo, a data ficará marcada por mais uma tragédia. E, sem dúvida, uma tragédia anunciada. Na madrugada de hoja, um prédio de 26 andares desabou durante um incêndio de grandes proporções no Largo do Paissandu, no centro da cidade. Um edifício vizinho também pegou fogo, mas, segundo informações, não corre risco de cair. Um templo centenário, de uma Igreja Evangélica, teve também grande parte destruída. Mais de 100 homens de várias unidades do Corpo de Bombeiros foram para o local, onde continuam no trabalho de busca do de vítimas nos escombros do prédio.
     
    Trata-se de um edifício do governo Federal, onde funcionava até 2010 a sede da Polícia Federal em São Paulo, que foi para a nova sede no Bairro da Lapa, na zona Oeste da Capital. Depois da saída da PF, o imóvel foi praticamente abandonado e passou a ser ocupado por movimentos populares, como os Sem Teto. As informações ainda são desencontradas, mas, segundo consta, no mínimo, 50 famílias residiam no local. Outras pessoas informam que já eram mais de 100 famílias ocupando o prédio. Não há ainda informações sobre vítimas - feridos ou mortes.
    prédio desaba em são paulo
     
    Conforme o Corpo de Bombeiros informou, o incêndio teria começado por volta de 1h30. O desabamento ocorreu em torno das 3h, em consequência das chamas. As causas do incêndio ainda são desconhecidas, mas as informações iniciais são de que o fogo começou no 5º andar do prédio. Havia muito material de fácil combustão no local, como papelão e madeira. Alguns edifícios próximos foram evacuados e toda área está isolada. As informações da Defesa Civil são de que o prédio que desabou era ocupado por dezenas famílias de pessoas em situação de rua, porém, sem números exatos.
    Segundo comerciantes do da região, antes de a construção ruir, algumas pessoas pediam socorro no último andar. Um vídio mostra, quando os Bombeiros tentavam resgatar com cordas um homem nos dos últimos andares. As chamas começaram no quinto andar e foram se alastrando rapidamente para os níveis superiores. Ao todo, 160 militares atuam no combate ao incêndio e no resgate das vítimas.
    Alerta
     
    De acordo com o Corpo de Bombeiros, o prédio já havia passado por vistoria, na qual foram relatadas as péssimas condições do local às autoridades do município. De acordo com a corporação,os compartimentos entre os andares eram divididos por madeira, o que ajudou a propagar as chamas.
    Representantes da Prefeitura e da Defesa Civil Estadual estão no local e realizam cadastramento de todas as famílias que poderiam estar no prédio no momento do incêndio. Um edifício vizinho também foi atingido e as chamas se espalharam por dois andares. Ele foi esvaziado e interditado. (Fonte: Veja)
     
    Temer xingado
     
    Diversas autoridades já estiveram no local para demonstrar solidariedade. O primeiro foi o Presidente Michel Temer, que acabou sendo xingado e hostilizado por populares. O prefeito Bruno Covas deu entrevista e disse que a Prefeitura ja vinha fazendo um trabalho de regularização das famílias para que as mesmas pudessem ser transferidas desse e de outros imóveis ocupados de forma irregular na Capital paulista. O governador de São Paulo, Márcio França, também passou pelo local e prometeu apoio do governo no atendimento aos desabrigados e regularização das ocupações irregulares.
     
    Irresponsabilidade
     
    Depois da tragédia anunciada, com certeza, todas as autoridades que deveriam tomar providências antes que elas acontecessem, vão dizer que tomaram providências e vão tentar jogar a responsabilidade para outros órgãos.
     
    Mas, a realidade é que existem responsáveis e culpados por mais essa tragédia em São Paulo. Ou será que estaria certo o governo Federal em abandonar um prédio público da União? E a Prefeitura de São Paulo, na pessoa do prefeito de plantão, não seria responsável para evitar as ocupações irregulares. O Corpo de Bombeiros já avisou que alerto e apresentou relatórios sobre as condicões caóticas do prédio. O governo do Estado também tem a sua responsabilidade.
     
    E quem ocupa também deveria saber do risco que as famílias de pessoas correm em tais ocupações. E a culpa menor é dessas pessoas simples, que acabam sendo usadas como massa de manobra de seus líderes, como os comandantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra), que tem no comando Guilherme Boulos, pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL. Se eles têm capacidade de reunir essas famílias pobres para ocupar de forma irregular esses prédios, no mímino, eles deveriam se preocupar com as condições da habitação delas, cobrando das autoridades ou eles mesmo mesmo oferecendo as condições minimas de sobrevivência para essas pessoas. (Renato Ferreira)
     
    Atualizado às 19h de hoje
     
    Prédio não era ocupado pelo MTST
     
    Conforme publicamos erroneamente com base nas primeiras informações, a ocupação ilegal do prédio não era organizada pelo MTST e, sim, pelo Movimento de Luta Social por Moradia (MLSM). De Curitiba, onde está desde a parte da manhã para participar das comemorações do Dia do Trabalho e da lula pela liberdade de Lula, Guilherme Boulos, líder do MTST, disse que mesmo não sendo a ocupação organizada pelo MSTS, o MLSM tem a sua solidariedade. "Ninguém invade uma propriedade porque quer e, sim, por necessidade. De toda forma, o MSLM tem a nossa completa solidariedade em um momento tão grave como esse. Nós exigimos celeridade nas buscas e também respostas de alternativa habitacional para os desabrigados", disse Boulos.

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.