Sábado, 14 Dezembro 2019 | Login
DESENVOLVIMENTO PESSOAL: Max Santana está de volta na região com o treinamento comportamental ICON21

DESENVOLVIMENTO PESSOAL: Max Santana está de volta na região com o treinamento comportamental ICON21 Featured

Programação de 21 horas de evento tem surpreendido centenas de pessoas que participam em busca de desenvolvimento pessoal e transformação de vida.

 

Pela quarta vez em Alphaville, o treinamento ICON21 traz novidades e promete impactar os participantes com a metodologia que tem mudado atitudes, comportamentos e resultados de pessoas em todo o Brasil. O evento acontece nos próximos dias 23 e 24 de novembro no Hotel Comfort de Alphaville.
Conduzido por Max Santana, fundador do método ICON e autor do livro Marketing para o Sucesso, o treinamento aborda técnicas de desenvolvimento pessoal, alta performance de profissionais e equipes, relacionamentos, carreira, saúde, família e prosperidade. Na programação haverá também a participação especial do palestrante Alfredo Tanimoto, especialista em network e ex-surfista que ficou paraplégico e voltou a andar. Sua história foi destaque na grande mídia, como a rede Record de televisão.

Icon 21

Em 15 anos, Max Santana já palestrou para mais de 40 mil pessoas em todo o país. Suas apresentações são carregadas de energia e emoção. Segundo ele, o objetivo do treinamento de 21 horas é “quebrar a casca e despertar no público participante novas possibilidades para uma vida mais feliz, transformadora e próspera”. O evento é indicado para empresas, empresários, profissionais liberais, estudantes e casais. A idade mínima é de 16 anos e estudantes tem 50% de desconto no valor do ingresso.
Para o empresário Mauricio Abraham, que participou da última edição realizada em Alphaville, o treinamento ICON21 foi um divisor de águas em sua vida, declarou ele em postagem nas redes sociais. Outras dezenas de pessoas manifestaram pela internet o impacto que o método causou em várias áreas de suas vidas.

Icon 21 2

O hotel Comfort fica na Av. Rio Negro, próximo ao Centro Comercial do Alphaville, em Barueri. A programação do evento começa no sábado, dia 23 de novembro, as 8h da manhã até às 19h, e vai terminar no domingo, dia 24, das 9h às 19h. Os ingressos podem ser obtidos no site www.icon21.com.br ou pelo telefone 2424-6521 – ramal 201, até às 21h do dia 21 de novembro. São apenas 300 lugares e o ingresso é válido para os dois dias de treinamento, incluindo café receptivo, palestras, certificado de participação e apostilas.

000

About Author

Related items

  • DESENVOLVIMENTO: Bolsonaro entrega ao Senado novo pacote de reformas econômicas
    Presidente foi ao Legislativo acompanhado do ministro Paulo Guedes. São medidas que vão beneficiar Estados, Municípios e a Economia de um modo geral no país com um novo pacto federativo.
     
    Nesta terça-feira, 05/11, o presidente Jair Bolsonaro entregou ao Senado um novo pacote de reformas econômicas que inclui um novo pacto federativo com estados e municípios e regras para contenção de gastos. No total, são seis projetos que englobam ainda as reformas tributária e administrativa e que começam a tramitar no Congresso nesta semana.
    As medidas são consideradas um novo passo no ajuste das contas públicas iniciado com a Reforma da Previdência. A expectativa, segundo especialistas, é que as propostas possam avançar no enxugamento da máquina pública e ajudar a reativar a economia. As propostas também despertam atenção sobre possíveis alterações na carga de impostos com a reforma tributária.
    As propostas foram entregues ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Bolsonaro foi a pé do Palácio do Planalto até a Casa legislativa. No ato de entrega, ele afirmou que as prefeituras estão entre as principais beneficiadas. "Eles, lá embaixo, decidirão o que fazer melhor que muitos de nós, porque eles vivem os problemas do dia a dia lá na base", afirmou.
    Segundo Paulo Guedes, entre R$ 400 e R$ 500 bilhões poderão ser transferidos para estados e municípios nos próximos 15 anos em razão das mudanças propostas. Ele afirma que as propostas significam a "transformação do estado brasileiro". "É a consolidação de uma cultura de austeridade fiscal. Na verdade, nos vamos garantir finanças sólidas para a república brasileira, e ao mesmo tempo estamos descentralizando recursos para estados e municípios", afirmou.
    O pacote contém três Propostas de Emenda à Constituição (PEC) que tramitarão no Senado:
    - PEC Mais Brasil, também chamada de pacto federativo, deverá mudar algumas despesas carimbadas no orçamento, unindo o gasto com saúde e educação, por exemplo
    - PEC da “emergência fiscal”, que vai instituir gatilhos para conter gastos públicos em caso de crise financeira.
    - PEC dos fundos, que vai rever 281 fundos públicos.
    À Câmara será enviada:
    - PEC da reforma administrativa, que deverá afetar principalmente futuros concursados
    - Um projeto de lei que traz um novo modelo de privatizações
    Por fim, o projeto de reforma tributária, que pretende unir tributos federais, e que vai tramitar em uma comissão mista.
    Economistas
    Para Ulisses Ruiz de Gamboa, professor de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o impacto da despesa com funcionalismo nas contas públicas, entre outros motivos, faz com que o ajuste em relação ao serviço público seja necessário. Apenas em 2018, funcionários da ativa custaram R$ 927,8 bilhões, considerando todos os entes federativos, cerca de 13,6% do PIB, segundo dados do Tesouro Nacional. O Banco Mundial recomenda ao Brasil uma redução. A Inglaterra, por exemplo, destina cerca de 6% da sua riqueza anual para o pagamento de servidores.
    “Só a Previdência não é suficiente e você precisa fazer essa reforma administrativa para seguir o ajuste fiscal”, diz.
    Gamboa opina que a reforma tributária também será um dos pontos importantes do pacote e que, nesse quesito, simplificar é um consenso. Há, porém, dúvida se as mudanças levarão também a um aumento de carga tributária.
    “Se a proposta for na linha de simplificar sem efetivo aumento de carga e sem prejuízo de forte aumento de algum setor, aí a proposta vai na linha de aumentar a eficiência de economia, diminuir as desfuncionalidades. Pode ser positiva. Mas se houver impacto em determinado setor, pode acabar prejudicando o cidadão”, diz.
    O economista Eduardo Bassin, da Bassin Consultoria, opina que a reforma tributária é “fundamental”, mas não pode aumentar a carga de impostos e precisa haver uma melhor divisão. “O Brasil é destaque no que tange a um sistema tributário regressivo. Os verdadeiramente ricos precisam pagar mais impostos”, diz.
    Em relação à reforma administrativa, o economista defende que o servidor público precisa ser valorizado, mas a produtividade precisa aumentar. “É preciso rever carreiras e monitorar os resultados efetivos."
    Segundo Bassin, dependendo das medidas efetivas a serem anunciadas no pacote e do andamento no Congresso, o impacto na economia pode começar ou não já no curto prazo. O crescimento do PIB em 2019 está dado, devendo fechar entre 0,92% e 0,95%, repetindo o desempenho verificado desde 2017 e ainda abaixo da queda de mais de 6% somando-se 2015 e 2016. “Se as medidas tiverem um impacto positivo, podemos crescer além do previsto no próximo ano”, diz.
    'Eficiência'
    Para Marcel Caparoz, da RC Consultores, o pacote traz medidas que podem ser importantes na questão macro e na microeconômica e que buscam aumentar a eficiência da máquina pública. Ele cita o pacto da emergência fiscal, que deverá institui gatilhos para conter gastos públicos em caso de crise financeira na União, estados e municípios.
    “Os estados acabam encontrando brechas para não cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e geram déficit mesmo com as amarras determinadas pela lei. A ideia é drenar isso e diminuir a ineficiência que ainda existe no setor público”, afirma.
    Caparoz destaca o pacto federativo, que dará mais responsabilidade e autonomia para os entes estaduais e municipais tomarem as decisões de acordo com a realidade local. “É mais factível um município saber onde falta verba do que o governo federal, que muitas vezes distribui de forma ineficiente”, diz.  Já a reforma tributária poderá incentivar a formalização e aumentar a arrecadação, opina.
    Segundo Caparoz, os efeitos mais diretos para a população de reformas não se dão de forma imediata. O crescimento da economia, que impacta emprego e renda, está diretamente ligado a itens como confiança e segurança jurídica, que o Brasil precisa aumentar com suas reformas.
    “A confiança maior na economia brasileira permite uma situação de juros mais baixos e inflação controlada, um ambiente mais estável. Isso facilita a compra da casa, do veículo, já tem um primeiro efeito no bolso. Num segundo momento, o juro baixo permite aumentar a demanda de novos investimentos e consumo, o que acaba também levando a um aumento no emprego”, diz. (Fonte: R7)
  • OSASCO: Fórum de Desenvolvimento Econômico se reúne em prol da cidade

     

    Trabalhar e buscar sempre uma cidade mais desenvolvida e mais justa para todos. Este é o objetivo do Fórum de Desenvolvimento Econômico de Osasco, que promoveu mais uma reunião ordinária nesta segunda-feira, 16, na sede da ACEO (Associação Comercial e Empresarial de Osasco), presidida por Amir Gomes.

    Criado por lei pela Prefeitura de Osasco, há 15 anos, o Fórum reúne comerciantes, empresários, industriais e representantes das mais diversas entidades e segmentos sociais, como OAB, ACEO, e Sindicatos, Câmara Municipal, além de outros órgãos ligados à Administração Municipal.

    O evento teve o comando do titular da SICA (Secretaria da Indústrica, Comércio e Abastecimento), Paulo Contim. O prefeito Rogério Lins foi representado por José Carlos Vido, enquanto o Poder Legislativo teve como representante o vereador e vice-presidente Alex Sá.

    O objetivo principal do Fórum é propor e discutir ações e políticas públicas que contribuam para o crescimento da atividade empresarial, do emprego e renda no Município. E essas discussões são realizadas em vários eixos temáticos, como "Ambiente favorável aos negócios", "Desenvolvimento humano", "Mobilidade urbana" e LTS "Legislação, Tributação e Simplificação).

    Na reunião de sengunda-feira, os participantes do Eixo LTS debateram uma proposta que busca reduzir e simplificar alíquotas de taxas e impostos, visando atrair mais investidores para a cidade, além de incentivar e não perder empresas já instaladas no município.

    Notícias & Opinião esteve presente. Após o encontro, o jornalista Renato Ferreira conversou com o secretário Paulo Contim, que fala sobre a importância do Fórum.

    Veja a entrevista de vídeo aqui: https://bit.ly/2klcu9B

  • MARKETING: Depois de Méqui, consumidores escolherão “novo nome” do McDonald’s
    Com muita criatividade, rede de fast food chama os consumidores para dar nomes que estamparão fachadas, embalagens e anúncios em todo Brasil. Vamos pro Méqui?
     
    Nos últimos dez dias, uma mudança de nome desperta a atenção de curiosos que param em frente a uma loja do McDonald's na Avenida Paulista, em São Paulo, e outra na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Motivo? O nome que estampa a fachada dessas duas lojas: Méqui, a forma carinhosa como os brasileiros se referem ao McDonald's.
    Trata-se de uma ação inédita de marketing da rede, que visa homenagear a pronúncia popular dos brasileiros sobre a maior rede de fast food do país. Muitos chamam de “Méqui”, “Mecão e “Méquizinho”, que são apenas algumas das maneiras que os clientes se referem ao McDonald’s.
    “O consumidor tem muita proximidade com a marca, que faz parte da memória afetiva do brasileiro. E para homenagear quem sempre está com a gente, trocamos o nome das fachadas de alguns restaurantes por aquele apelido que só o amigo mais próximo ganha. O McDonald’s é pra todo mundo e queremos que as pessoas possam chamar do jeito que quiserem”, afirma João Branco, Chief Marketing Officer do McDonald’s Brasil.
    Assim, o “Méqui” invadiu as redes sociais. Os perfis da marca foram trocados no Twitter, Facebook e Instagram. E os clientes também poderão usar essas plataformas para dizer qual é a sua forma de "falar" McDonald’s. A rede vai selecionar os melhores e espalhar em novas ações pelo Brasil.
    Os nomes mais criativos serão escolhidos pela equipe de marketing do McDonald’s para estampar fachadas, embalagens e anúncios.
    “A ação, sem viés promocional, é uma forma de celebrar a relação das pessoas com a marca”, enfatiza João Branco. (Fonte: Exame e Agências)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.