Terça, 21 Maio 2019 | Login
PAÍS DO FUTURO? Nenhum país terá futuro sem investimento na educação de base

PAÍS DO FUTURO? Nenhum país terá futuro sem investimento na educação de base Featured

 

Desde criança a gente ouve falar que o Brasil é país do futuro. 

Mas, com crianças crescendo sem saber ler ou escrever e com esses jovens protestando pelados nas Universidades de Filosofia, Sociologia e História, qual será o futuro do Brasil?

Seria o país das cracolândias, com traficantes de um lado e um exército de "zumbis" do outro?

Crianças de rua

Precisamos de investimentos pesados no ensino fundamental e não em cursos superiores que recebem estudantes sem nenhuma base educacional.

Hoje, temos mais de 15 milhões de analfabetos, além de outros 30 milhões de analfabetos funcionais, pessoas que apenas sabem escrever o nome com dificuldade. Nenhum país terá futuro promissos sem investimentos na educação de base. (Renato Ferreira)

000

About Author

Related items

  • ADMINISTRAÇÃO: Araçariguama adquire novo Ônibus Escolar
     
    A Prefeitura de Araçariguama, por meio da Secretaria de Educação, acaba de adquirir novo Ônibus Escolar zero quilômetro. Essa nova conquista da Prefeitura, sob o comando da Prefeita Lili Aymar (foto), foi feita através de convênio com o FNDE/MEC (Governo Federal) PAR (Plano de Ações Articuladas - Programa Caminho da Escola).
    Trata-se de um termo de compromisso firmado em 2018 proveniente de emenda parlamentar da deputada Federal Bruna Furlan (PSDB), no valor de R$274.050,00, sendo R$250.000,00 da emenda e R$24.050,00 coomo contrapartida da Prefeitura de Araçariguama.
    Araçariguama ônibus 2
     
    Esse novo benefício para o povo de Araçariguama só foi possível graças ao esforço de todo o grupo da Secretaria de Educação pela agilidade e organização, da equipe de Projetos Especiais e, principalmente, pela iniciativa da Prefeita Lili Aymar na busca de recursos para o município.
    “A aprovação do convênio aconteceu no dia 31 de dezembro de 2018, onde a equipe de supervisão, liderada pelo professor Fernando Cunha, se dedicou e com muita expertise, conseguiu a aprovação deste novo ônibus para nossa educação”, disse o Secretário Michel Vicentine.
    “É com muita alegria que entregamos mais um ônibus 0k para nossos alunos. Nossa meta é tornar Araçariguama uma cidade referência na educação, e isso já está se tornando realidade. Transporte é essencial para a qualidade de acesso de nossos alunos, além da economicidade gerada pelo convênio”, destacou a Prefeita Lili Aymar. (Departamento de Comunicação)
  • PERSONALIDADE DO ANO: Bolsonaro recebe prêmio no Texas e diz que Brasil é amigo dos Estados Unidos
    O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta quinta-feira, 16/05, em Dallas, no Texas, o prêmio de Personalidade do Ano da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. O evento foi realizado durante almoço oferecido pelo World Affairs Council (Conselho de Assuntos Mundiais, em tradução livre) de Dallas/Fort Worth, e contou com a participação de dezenas de empresários, além de ministros do governo brasileiro.  
    No discurso improvisado de cerca de 13 minutos, o presidente brasileiro ressaltou a aproximação de seu governo com os Estados Unidos, criticou setores de esquerda e governos anteriores e reafirmou que sua eleição foi resultado de um "milagre".
    "Realmente aconteceu o que eu chamo de milagre, no Brasil. Ou melhor, dois milagres. Um, eu agradeço a Deus pela minha sobrevivência. E o outro, pelas mãos de grande parte dos brasileiros, alguns morando aqui nos Estados Unidos, me deram a missão de estar à frente desse grande país, que tem tudo para ocupar um local de destaque no mundo, mas que, infelizmente, por políticas nefastas de gente que tinha ambição pessoal acima de tudo, não nos deixaram ascender", afirmou.
    Bolsonaro disse que, no começo, até dentro de casa havia dúvidas sobre sua ambição que, segundo ele, nunca foi pessoal. "Com verdade, comecei andando sozinho por todo o Brasil. Às vezes, gente da própria casa achava que tinha algo errado comigo, tendo em vista o que eu almejava. Mas não almejava por mim, sabia dos problemas".
    O presidente comparou a situação do Brasil com a de Israel e se colocou com um "ponto de inflexão" para que o país alcance um melhor patamar de desenvolvimento: "Eu sempre dizia nas minhas andanças: olhe o que Israel não tem e veja o que eles são. Agora olhe o que o Brasil tem e o que nós não somos. Onde está o erro? Onde está o ponto de inflexão? E eu me apresentei para ser esse ponto de inflexão", disse.
    Relação com EUA
    Bolsonaro recebe prêmio em Dallas 1
    Dirigindo-se a uma plateia formada basicamente por empresários, Bolsonaro criticou a política de governos anteriores em relação aos Estados Unidos e prometeu maior aproximação: "No Brasil, a política, até há pouco, era de antagonismo a países como os Estados Unidos. Os senhores eram tratados como inimigos nossos. (...) O Brasil de hoje é amigo dos EUA, respeita os EUA, quer o povo americano e os empresários americanos ao nosso lado". O presidente disse estar convicto de que a união e a confiança entre os dois países podem levar à ampliação do comércio e à assinatura de acordos entre os dois governos.
    Venezuela e Argentina
    Jair Bolsonaro voltou a citar a crise na Venezuela, opinou sobre as eleições na Argentina e criticou líderes e partidos de esquerda latino-americanos. "Falou-se há pouco aqui da nossa querida Venezuela. Pobre povo venezuelano está fungindo da violência, da fome e da miséria. Mas não se esqueçam da nossa Argentina, [que] está indo para um caminho bastante complicado, com problemas estruturais em seu país. O meu amigo Macri enfrenta dificuldades e vê crescer a possibilidade de uma presidente última voltar ao poder – essa que era amiga do PT no Brasil, de Chávez, de Maduro, dentre outros, além de Fidel Castro", afirmou Bolsonaro.
    Ele ainda acrescentou que pretende visitar em breve a Argentina, mas negou intromissão em questões internas do país vizinho. "Vamos colaborar no que for possível com aquele país, sem nos imiscuirmos nas questões internas, mas sabedores de que se tivermos uma outra Venezuela no Cone Sul da América do Sul, os problemas são enormes para nós e, com toda certeza, para os senhores".
    Contingenciamento
    Ao citar as manifestações de ontem no Brasil contra o bloqueio orçamentário em universidades públicas, Bolsonaro disse que o Brasil tem um "enorme potencial humano", mas que a imprensa, as escolas e as faculdades sofrem interferência da esquerda.
    "Temos um potencial humano fantástico, mas a esquerda brasileira entrou, infiltrou e tomou não apenas a imprensa, mas em grande parte as universidades e escolas do ensino médio e fundamental", disse. Em outro ponto do discurso, o presidente voltou a citar a mídia, que, segundo ele, não é isenta no Brasil. "Se vocês fossem isentos, já seria um grande sinalizador de que o Brasil poderia sim romper obstáculos e ocupar um local de destaque no mundo".
    Nova York
    Bolsonaro recebe prêmio em Dallas 2
    Anteriormente, a homenagem ao presidente seria entregue em evento em Nova York, mas o governo brasileiro cancelou a agenda na cidade após críticas do prefeito nova iorquino, Bill de Blasio. Ao mencionar o assunto em seu discurso em Dallas, Bolsonaro disse lametar o episódio e que respeita todo o povo norte-americano.
    "Eu lamento muito o ocorrido nos últimos dias, de não poder comparecer em outra cidade. Não posso ir na casa de uma pessoa onde alguém de sua família não me quer bem. Mas o meu amor, meu respeito e minha consideração por todos os Estados Unidos, inclusive os nova-iorquinos, continuarão da mesma forma".  
    O presidente embarcou na noite de terça-feira (14) para uma viagem de dois dias ao Texas. Ontem (15), Bolsonaro se reuniu com o ex-presidente norte-americano George W. Bush e com o senador texano Ted Cruz e visitou o museu The Sixth Floor que apresenta a narrativa do assassinato do presidente americano John F. Kennedy, em Dallas, no ano de 1963. Na manhã de hoje, teve encontros com empresários.
    A comitiva presidencial estará de volta ao Brasil na manhã desta sexta-feira (17). (Agência Brasil - Fotos: Marcos Corrêa e Isac Nóbrega/PR)
  • DOIS BRASIS: A cruel e injusta pirâmide educacional no Brasil tem apoio de pobres

     Renato Ferreira -

    Até as décadas de 1950, 60 e 70, os brasileiros ainda podiam se orgulhar de suas escolas públicas. Eram instituições comprometidas com a boa educação, onde pobres e ricos contavam com professores respeitados, bem remunerados e competentes.

    Mas, infelizmente, isso foi mudando ao longo do tempo, principalmente, após a redemocratização, quando milhões de brasileiros foram às ruas pedir mais liberdade, principalmente, reivindicar o direito de poder votar e ter eleições diretas para Presidente da República.

    Ganhamos o direito de eleger os nossos Presidentes e Governadores, porém, ganhamos também uma cruel e injusta pirâmide educacional.

    Há décadas, nossas crianças e adolescentes pobres, filhos de trabalhadores e operários, estudam em escola pública de péssima qualidade com professores mal remunerados e que até apanham de alunos. Depois, adolescentes ainda ou já adultos, vão trabalhar para sobreviver e, se puderem, pagam uma faculdade particular de fundo de quintal. E com pouco conhecimento, uma vez que não tiveram boa base educacional, vão continuar sendo empregados e dominados para o resto da vida.

    Por outro lado, as crianças e adolescentes ricos, filhos de milionários e de políticos corruptos, estudam em escolas particulares com professores bem remunerados e respeitados. Depois, como não precisam de trabalhar, claro, vão para as melhores Universidades Públicas mantidas com recursos dos trabalhadores. Os próprios colégios particulares exploram esse dado como propaganda, informando a cada ano a quantidade de seus alunos aprovados nas melhores Universidades Públicas do país.

    O resultado dessa cruel e injusta pirâmide educacional não poderia ser outra, senão esta: só ricos se formam nos melhores cursos das Universidades Públicas. Se formam doutores em todas as áreas do conhecimento e serão os atores principais da sociedade, enquanto os pobres continuam apenas como coadjuvantes do circo e trabalhadores mal remunerados.

    Devido a essa triste e dura realidade, surge o inevitável discurso de sempre: o Brasil é um país de grandes desigualdades sociais. Aqui, com raríssimas e honrosas exceções, não vemos pobres e, principalmente, negros pobres em postos-chave e importantes da sociedade, como juízes, médicos, ministros, economistas, sociólogos e cientistas. E lógico, o poder aquisitivo individual será sempre equivalente ao nível intelectual e de conhecimento técnico das pessoas. Isso é fato.

    E esse quadro parece ser impossível de ser mudado. Pois, quando aparece alguém no poder que coloca o dedo na ferida, mostrando o buraco e o caos brasileiro com o objetivo de investir mais no ensino básico e inverter essa pirâmide, aparecem os chefes da fajuta esquerda brasileira e os canhotinhos revoltados acusando o governo de fascista e autoritário.

    A prova disso são as manifestações desta quarta-feira, 15, formadas por estudantes e parlamentares da 'esquerda', sob o pretexto de protestarem contra os 'cortes de verbas na educação'. Só que esses manifestantes aparecem nesses atos empunhando bandeiras vermelhas e apenas com palavras de ordem contra o governo.

    São verdadeiras massas de manobras, formadas por inocentes úteis, a serviço de quem torce contra o Brasil e de quem não quer mudar o quadro atual. Assim, os pobres continuarão a estudar de graça no ensino básico como um favor dos governos, enquanto os ricos continuarão a ter acesso livre e gratuito nos melhores cursos superiores.

    Erros grotescos

    Faixa de protesto 2

    Faixa de protesto

    Outra prova de que as manifestações de hoje são puramente atos de protestos  políticos contra o atual governo e não manifestações sérias em busca de uma melhor edudação para o Brasil é que esses mesmos vermelhinhos, que hoje estão nas ruas fazendo badernas e até queimando ônibus, como aconteceu no Rio de Janeiro, não se manifestaram quando os petistas Lula e Dima cortaram um volume muito maior de recursos na Educação do que a proposta deste governo. São, infelizmente, em sua maioria, alunos e professores oriundos da nefasta "Patria Educadora" do PT, que cometem os mais grotescos erros de Português numa simples faixa de protesto com uma frase, como estas: "Mecheu com a Educação, mecheu com todos", ou "Só a Educação nos trazerá crescimento". Pobre Brasil! (Renato Ferreira)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.