Sexta, 14 Dezembro 2018 | Login
Prefeito tucano é preso acusado de estupro

Prefeito tucano é preso acusado de estupro Featured

 
Mais uma notícia de estupro está indignando os brasileiros. E mais: o acusado é um prefeito. No último sábado, 21/04, a Polícia Militar prendeu em flagrante o prefeito em exercício de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), de 34 anos. Ele é acusado de raptar e abusar sexualmente de uma menina de 8 anos. Em depoimento, o prefeito confessou o estupro.
Segundo a Polícia Militar, o tucano teria se passado por policial para sequestrar a criança e a levar para um matagal dentro de um carro. Ele teria dito que havia bandidos na rua e que a levaria de volta para a casa. No matagal, o carro ficou preso em um buraco e a menina conseguiu fugir à pé, pedindo socorro. A polícia foi acionada e os agentes encontraram o prefeito tentando se esconder entre as árvores.
O acusado e Araújo e a vítima foram encaminhados para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bela Vista. Em seguida, foram levados para a delegacia.
O registro policial informou também que o prefeito tucano parecia estar sob efeito de drogas. A investigação está sendo conduzida pela Central de Polícia Judiciária, em Bauru. Paulo Henrique Barros de Araújo era presidente da Câmara Municipal e está no cargo como interino em Bariri desde o início de 2017, uma vez que o ex-prefeito e o vice foram cassados pela Lei da Ficha Limpa.
 
Nesta segunda-feira, 22, o PSDB publicou uma nota afirmando que o prefeito foi expulso de seus quadros.
000

About Author

Related items

  • CASO RAYANE: Frio, segurança é preso e confessa assassinato da jovem
    Monstro. Não há outra palavra definir esse homem, que tinha a missão de defender, mas, acabou estuprando e a jovem que desejava ir para a sua casa
    Nesta terça-feira, 20/10, o Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) de Mogi das Cruzes prendeu o responsável pelo estupro e morte da jovem Rayane Paulino, de 16 anos. O segurança Michel Flor da Silva, de 28 anos, em Guararema. Para o delegado Rubens José Ângelo, responsável pelo caso, o homem matou a jovem asfixiada com um cadarço, com medo de ser denunciado pelo ato sexual. A Justiça expediu mandado de prisão temporária (30 dias) contra o suspeito.
    A prisão de Michel foi anunciada, durante coletiva de imprensa, na sede da Delegacia Seccional de Mogi das Cruzes. Segundo a investigação, o estupro seguido de morte foi um crime de oportunidade. Conforme explicou o delegado Rubens Ângelo, o segurança responderá pelos crimes de estupro e homicídio quadruplamente qualificado (por motivo torpe, recurso que dificultou a defesa, asfixia e assegurar impunidade).
    rayane jovem desaparecida em mogi
    Na coletiva, o delegado também falou sobre os últimos passos de Rayane. E os detalhes do momento em que ela foi enganada pelo segurança, com a falsa promessa de que seria levada de volta para Mogi das Cruzes. "Depois de sair da festa, ela acabou errando o caminho e seguiu pela rodovia sentido Guararema, ao invés do município mogiano. No trájeto, um motorista de aplicativo a viu e lhe deu carona até a rodoviária. Pediu que ela tomasse cuidado e esperasse o primeiro ônibus para, enfim, voltar para casa".
    A vítima foi morta depois que saiu de uma festa em um sítio na zona rural de Mogi das Cruzes. Segundo a investigação, Rayane ficou andando pela rodoviária de Guararema, para onde foi levada por um motorista de aplicativo, até que, o segurança a viu e se aproximou. "Num primeiro momento, ele ofereceu a blusa e, depois, um copo com água. A Rayane não aceitou. Segundo o depoimento do Michel (acusado), eles conversaram um pouco e firmaram que ele daria carona para ela chegar em Mogi", explicou.
    O segurança, porém, fez outro trajeto, depois que Rayane disse que gostaria de 'curtir a noite'. O homem seguiu para Jacareí, alegando que iria para uma casa noturna. Mas, para a polícia, a afirmação foi montada pelo suspeito. "Isso é o depoimento dele. O que sabemos é que ele foi para Jacareí e parou, justamente, aonde o celular dela foi achado. Ali, às margens da rodovia, ele a estuprou", disse Ângelo.
    No depoimento do acusado, ele diz que, após um ato sexual consensual com a garota, ela 'surtou' e afirmou que o denunciaria por estupro. Segundo a polícia, foi este o ponto em que a jovem tentou ligou ao 190 - número da Polícia Militar. "Na alegação dele (segurança acusado do crime), a Rayane o chutou e falou que iria denunciar o fato. Ele a agrediu e ela desmaiou. Como tem conhecimentos de socorrista, ele chegou a verificar a pulsação. Depois, viu a bota dela e pegou o cadarço para matá-la", revelou Rubens. Em clima de comoção, Rayane foi sepultada na segunda-feira.
    Provas
    Durante a coletiva de imprensa, o delegado Jair Barbosa Ortiz (delegado seccional) não quis revelar quais provas foram cruciais para identificar e prender o segurança. No entanto, eles apresentaram o que pode ter sido uma das principais para levar ao autor do crime. "Depois do corpo dela ser encontrado, a gente continuou no local. Fizemos uma varredura e achamos uma caneta. Coincidentemente, eu falei que seria do assassino. Para vocês terem ideia, o mesmo tipo foi encontrado na casa dele. Isso, claro, é uma das provas", adiantou Rubens, que não quis mais detalhar outras provas.
    Agora, Michel será encaminhado à Cadeia Pública de Mogi. Lá, ele permanecerá até que seja transferido a um Centro de Detenção Provisória. A hipótese é que a prisão dele seja revertida para preventiva ainda nos próximos dias. (Fonte: Diário de Suzano)
  • DEBATE: Gelso Lima reúne especialistas para falar sobre Segurança Pública

    Falhas na Educação e no Planejamento foram apontadas como as principais causas dos problemas na área de segurança para a sociedade

     

    Com o objetivo de discutir as causas dos problemas na área de segurança pública e elaborar projetos futuros, o ex-secretário de Governo de Osasco e pré-candidato a deputado estadual pelo Podemos, Gelso Lima, promoveu na noite de quarta-feira, 18, um importante debate sobre o tema, na cidade Osasco.

    Realizado no auditório da ACEO (Associação Comercial e Empresarial de Osasco), o evento reuniu mais de 200 pessoas e os seguintes palestrantes: Benedito Mariano (Ouvidor das polícias Civil e Militar do Estado de São Paulo); Paulo Sérgio Maluf Barroso (Delegado Assistente da Ouvidoria); Alexandre Volpiani Carnelós (Presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB Osasco); Tenente Coronel Ricardo Tahara (Comandante do CPA/M-8); inspetor Rildo (GCM-Osasco); e o Tenente Coronel Marcos Abondanza Vitiello (Comandante do 36º BPM/M).

    Debate sobre Segurança Público

    Cada debatedor falou sobre as principais ações de suas instituições, destacando que todas as forças ligadas à segurança pública tem se empenhado no trabalho preventivo e de inteligência para combater a criminalidade. E todos apontaram, de um modo geral, que investimentos nas áreas da Educação e de Planejamento são essenciais para a solução dos problemas enfrentados na Segurnça Pública, como também o aumento do efetivo e a valorização dos policiais. (Fotos: Reinaldo Vaz)

    Principais trechos do debate:

    Cel. Tahara

    Em sua fala, o Ten. Cel. Tahara elencou os principais motivos pelos quais crimes continuam acontecendo, apesar dos esforços da polícia. Ele salientou que em 20 anos a população que compreende a região do CPAM-8 cresceu mais de 26%, enquanto que o efetivo da polícia cresceu apenas 4%. Além disso, as leis que regem o sistema prisional contribuem de certa forma para que criminosos estejam nas ruas, já que 5% dos presos liberados nos indultos em datas especiais não retornam à prisão. Tahara também citou a crise econômica, o desemprego, falhas na prevenção primária, falhas na ressocialização do preso e sistema educacional deficitário como fatores que ajudam o crescimento dos índices criminais.
    Cel. Vitiello
    Para o também Ten.Cel. Vitiello, a Educação é fator primordial para diminuição do crime na sociedade. “Segurança pública se faz com educação. Educação é fundamental e é nisso que os governos precisam investir porque é através da Educação que vamos rodear todos os outros fatores que culminam na prática do crime. Se investirmos em Educação teremos uma segurança pública sustentável”. Ele aproveitou a ocasião para agradecer Gelso Lima pela promoção do evento, explicando que “muita gente fala mal das polícias, e que uma oportunidade como essa é dada por gente que tem coragem”.
    Benedito Mariano
    Benedito Mariano, que já foi ouvidor da polícia de São Paulo de 1995 a 2000 e que agora retorna ao cargo, considera que o grande problema da instituição paulista hoje é a desvalorização profissional, cujos salários estão em 23º lugar no ranking das piores remunerações do Brasil, que tem 26 Estados, além da diminuição do efetivo tanto da PM como da Polícia Civil. “Para fortalecer a segurança pública, a polícia de São Paulo precisa de valorização profissional e a sociedade precisa cobrar essa questão de todos os candidatos ao Governo de São Paulo. Essa seria a primeira grande contribuição do governo para melhorar a segurança pública no Estado de São Paulo”.
    Entre outros fatores, Mariano também falou sobre a estrutura deficiente da polícia, lembrando que o Estados tem mais de 600 municípios e que cerca de 300 deles não tem delegados. “Um único delegado às vezes cobre 12, 15 cidades. Tem cidades em que a presença da polícia judiciária se faz com um único investigador. A polícia civil diminuiu de tamanho. Há 20 anos tínhamos 37 mil policiais e hoje temos 25 [mil]. O Estado cresceu, os problemas cresceram, e a polícia diminuiu de tamanho. É isso que temos que discutir na segurança pública”, salientou.
    Delegado Sérgio Maluf
    Paulo Sérgio Maluf Barroso defende a união das polícias para combater a criminalidade. “Quando o Estado, através dos seus aparatos trabalha em conjunto, o crime tende a perder”. Ele ratificou o que Mariano disse, e salientou a importância da valorização salarial do policial de São Paulo. “A polícia não vai ser forte se o policial não tiver tranquilidade para trabalhar”.
    Inspetor Rildo
    Por sua vez, o inspetor Rildo lembrou que a lei 13022, de 2014, regulamentou o papel da Guardas Municipais, e que isso foi de extrema importância no contexto da segurança pública dos municípios. “A lei quebra paradigmas, porque havia muito questionamento sobre a atuação das GCM’s. O artigo 3º diz que a GCM tem que preservar a vida. As pessoas pensam que nós estamos ligados ao cuidado do patrimônio, mas nós temos que preservar a vida. Está na lei”, explicou.
    Advogado Alexandre Carnelós
    Encerrando a primeira parte do evento, antes das perguntas dos jornalistas, o Dr. Alexandre Carnelós falou sobre a questão dos Direitos Humanos dentro do tema segurança pública e assim como os outros, defendeu a Educação e o Planejamento como pilares para todos os segmentos da sociedade.

    Notícias & Opinião esteve presente e registrou o evento. Veja aqui: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/1805355392888026

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.