Terça, 19 Fevereiro 2019 | Login

Professores protestam contra projeto da Previdência. Suplicy abraça-se a uma mulher que estava sendo retirada por Guardas Municipais

 

Além do calor insuportável desta sexta-feira, 21/12, em São Paulo, o clima está também elevadíssimo no Plenário e nas galerias da Câmara Municipal da Capital. Os vereadores estão votando o SampaPrev, projeto enviado pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), que trata de mudança na Previdência dos servidores municipais.

Há poucos minutos, professores revoltados com a proposta do Executivo tentaram falar, mas, como houve um grande tumulto, eles foram impedidos pela direção da Casa. O Projeto provoca também discussões entres situação e oposição.

Como o clima esquentou de vez, os guardas municipais foram chamados para retirar os mais exaltados do Plenário, como mostramos neste vídeo em primeira mão.

Em determinado momento, o vereador Eduardo Suplicy (PT) abraçou uma mulher e a retirou das mãos dos policiais. A suspensão da sessão chegou, inclusive, a ser proposta, mas, prosseguiu após os ânimos ficarem mais calmos.

Hoje, os vereadores paulistanos estão tentando aprovar o SampaPrev em primeira votação, para posteriormente, fazer a segunda e também aprovar o Orçamento de 2019, provavelmente no dia 26.

Entenda o SampaPrev

Alegando que há um rombo no orçamento de São Paulo, principalmente, para garantir as futuras aposentadorias, o então prefeito João Doria (PSDB), elaborou o Projeto SampaPrev para garantir recursos para a aposentadoria.

Assim, o Executivo paulistano propõem que todos os servidores passem a contribuir com no mínimo 14%, sendo que atualmente a alíquota é de 11%. Essa é a principal mudança no sistema de aposentaria e também que vem causando os protestos dos servidores municipais de São Paulo. Hoje a prefeitura tem a obrigação de contribuir com 22%, o dobro da contribuição dos servidores. (Renato Ferreira)

Segundo a Polícia Federal, o objetivo da operação é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor confesso do atentado em Juiz de Fora
 
 
Quem espera impunidade para quem paga os advogados de Adélio Bispo, réu confesso da facada em Jair Bolsonaro, pode começar a mudar de ideia. A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta sexta-feira, 21/12, dois mandados de busca e apreensão no escritório e em uma empresa de Zanone Manuel de Oliveira Júnior, um dosadvogados de Adélio Bispo. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Subseção Judiciária da Justiça Federal de Juiz de Fora.
 
Segundo informou a Polícia Federal, o objetivo da operação é tentar identificar quem estaria financiando a defesa do autor confesso do atentado.
Um dos imóveis funciona em um hotel e uma locadora de veículos, além de servir como escritório e residência do advogado. O outro é a sede de uma empresa. Os dois imóveis são localizados em Contagem, na Região metropolitana de Belo Horizonte.
Nesses locais, os policiais federais apreenderam o celular do advogado, que não disse quem foi a pessoa que o contratou para atuar no caso.
Polêmica
Um dia após o atentado contra o candidato do PSL, no dia 6 de setembro, dois dos quatro advogados que defendem Adelio viajaram em avião particular de Belo Horizonte para Juiz de Fora. A informação divulgada pelo EM, com exclusividade, causou polêmica.
 
Também repercutiu muito a questão do pagamento dos honorários advocatícios. Os advogados chegaram a dizer que estavam sendo pagos por igrejas evangélicas de Montes Claros. Mas igrejas negaram o pagamento.
 
No dia 18 de dezembro, Notícias & Opinião publicou uma perguntado: Quem matou Bolsonaro? https://bit.ly/2rLnKfq
O ataque contra Bolsonaro aconteceu em Juiz de Fora quando o então presidenciável fazia campanha no Centro da cidade. Adélio Bispo de Oliveira foi preso em flagrante e confessou o crime. Ele está detido na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS). (Renato Ferreira com informações de O Estado de Minas)

 

Em sessão extraordinária realizada na manhã desta quarta-feira, 20/12, o vereador Ribamar Silva (PRP) foi eleito como novo Presidente da Câmara Municipal de Osasco, região Oeste da Grande São Paulo.

Novo Presidente da Câmara de Osasco

Composição da Nova Mesa Diretora da Câmara de Osasco: Lúcia da Saúde, Daniel Matias, Alex da Academia, Ribamar Silva, Toniolo, Jair Assaf e Pelé da Cândida

Ribamar terá como primeiro vice, o vereador Alex da Academia. Os demais componentes da Mesa Diretora serão os seguintes vereadores: Toniolo. Daniel Matias, Lúcia da Saúde, Pelé da Cândida eJair Assaf.

Na mesma sessão, os vereadores aprovaram também o Orçamento (LOA) do Excecutivo para 2019.

Notícias & Opinião esteve presente e conversou com o novo Presidente do Legislativo osasquense.

Confira o vídeo aqui: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/2088395244584038?

 

O crime aconteceu na madrugada desta quinta-feira, 20/12, quando o secretário saia de uma festa de confraternização de sua Secretaria, no bairro Novo Osasco, zona Sul da cidade.

Osvaldo Verginio havia acabado da festa, acompanhado do seu motorista, quando acabou sendo vítima de uma emboscada. Um indivíduo encapuzado, que saiu de uma camionete branca, abordou o veículo do secretário e disparou cerca de 11 tiros. Seis atingiram o peito de Osvaldo Vergínio. Um dos tiros teria atingido também a esposa do motorista que estava no banco traseiro.

Segundo testemunhas, o motorista do secretário e ele próprio tentaram revidar a agressão, mas o suspeito conseguiu fugir. Verginio chegou a ser socorrido e encaminhado para a UPA Novo Osasco, mas não resistiu aos ferimentos.

A GCM (Guarda Civil Municipal) e a Polícia Militar estiveram no local. O caso está sendo investigado pela Delegacia Seccional de Osasco.

Em nota, o prefeito de Osasco, Rogério Lins lamentou profundamente esse lamentável fato que deixa a cidade de luto. “Osvaldo era um homem íntegro, que contribuiu para o bom andamento da administração municipal, trazendo excelentes iniciativas para a melhoria da mobilidade urbana”, disse. Lins também contou que “estava chocado”, além de “colocar à disposição para ajudar nas investigações”. “Nesse momento, nos solidarizamos com a família e os amigos”, finalizou.

Osvaldo Vergínio foi integrante da Polícia Militar. Foi vereador e presidente da Câmara Municipal de Osasco por dois mandatos. Filho de família tradicional de Osasco, Vergínio foi eleito deputado estadual em 2012 e chegou a concorrer à Prefeitura de Osasco no ano de 2016. No início de 2018, ele foi nomeado Secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, onde desempenhava um excelente trabalho.

Osvaldo Vergínio tinha 55 anos, era casado com a também ex-vereadora, Andrea Capriotti. Deixa filhos e netos.

O velório de Vergínio será realizado a partir das 11h30, na Sala Osasco e o sepultamento, às 17h, no Cemitério Bela Vista.

Notícias & Opinião externa profundos sentimentos de pesar e pede a Deus que console a familia nesse momento de dor.

 

Suspensão tem validade até o dia 10 de abril de 2019

Após analisar recurso da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspendeu na tarde desta quarta-feira, 19, a decisão do ministro Marco Aurélio que determinava a soltura de todos os presos que tiveram a condenação confirmada pela segunda instância da Justiça.

Com a decisão, a liminar (decisão provisória) de Toffoli terá validade até o dia 10 de abril de 2019, quando o plenário do STF deve julgar novamente a questão da validade da prisão após o fim dos recursos na segunda instância.

O julgamento foi marcado antes da decisão de hoje do ministro Marco Aurélio. (Agência Brasil)

 

 

O clima de Natal que já impera em todo o Brasil, parece que ainda não chegou ao Plenário da Câmara Municipal de Osasco, que anda com a temperatura altíssima.

Na sessão desta terça-feira, 18, o clima subiu ainda mais e por pouco não houve agressão física, entre os vereadores Tinha Di Ferreira, da oposição, e Cláudio da Cândida, situação.

Antes, houve também um entrevero entre dois tucanos: Didi e o presidente da Casa, Dr. Lindoso, mostrando que o ninho tucano de Osasco anda também muito agitado e dividido.

Revoltado com acusações do 'correligionário", o Dr. Lindoso foi à tribuna para refutar as acusações, afirmando que tem procurado fazer uma administração com responsabilidade e respeito aos recursos públicos. Depois, Lindoso disse que não tem funcionário fantasma. Em resposta, Didi se defendeu dizendo que "nunca teve funcionários fantasmas na Prefeitura". Sobre essa questão de funcionário fantasma em Osasco, o melhor é perguntar ao Promotor Público, Dr. Gustavo Albano, que com uma só operação já mandou 14 vereadores osasquenses para a prisão, em 2016, na famosa Operação Caça Fantasmas.

Em seguida, o Tinha Di Ferreira, a voz solitária da oposição, voltou a fazer acusações contra alguns vereadores e, principalmente, contra o prefeito Rogério Lins, a quem acusou de receber "uma mesada de R$ 300 mil", depois de elogiar as administrações de Emidio de Souza (PT) e Jorge Lapas (PDT).

Revoltado, o governista Claudio da Locadora foi ao microfone de apartes para solicitar o encerramento das discussões e o início da Ordem do Dia.

Como Tinha voltou com mesmo entusiasmo de acusador, Claudio da Locadora tentou tirar o microfone de suas mãos, iniciando, assim, uma grande confusão, início de um empurra-empurra e acusações de ambos os lados.

Nesse momento, os vereadores Toniolo e o líder do Prefeito, Ribamar Silva (que deve ser eleito Presidente da Casa nesta quinta-feira), evitaram o pior, fazendo o papel do deixa-disso. Tinha Di Ferreira e Cláudio da Locadora fizeram a gente lembrar daquelas brigas de ruas, onde os briguentos ameaçam partir pra cima do oponente, mas, por dentro parece pedir: "Me segura, se não eu vou".

Ah...e tudo isso sob o tratamento de Vossas Excelências entre os pares.

Posteriormente, talvez, já tomados pelo clima de Natal, houve até pedido de desculpas por parte do Tinha. O problema agora é saber como ficarão as acusações que ele fez usando os microfones do Legislativo. Será que tudo vai terminar em pizza, ou a Câmara de Osasco se transformará em mais um palco de MMA? (Renato Ferreira) (Foto: Linha do tempo da ConecTV)

TRAGICÔMICO é uma publicação de Notícias & Opinião todas às quartas-feiras. Acesse e veja outros casos já publicados!

Decisão de Marco Aurélio Mello pode beneficiar Lula e mais de 160 mil condenados, inclusive, presos perigosos como traficantes de drogas

 

Nesta quarta-feira, 19/12, de forma monocrática, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), assinou uma liminar (decisão provisória) determinando a soltura de todos os presos que tiveram a condenação confirmada pela segunda instância da Justiça. Marco Aurélio atendeu a uma solicitação feita pelo PC do B.

Na decisão, o ministro determinou "a suspensão de execução de pena cuja decisão a encerrá-la ainda não haja transitado em julgado, bem assim a libertação daqueles que tenham sido presos". Para justificar a sua decisão, o ministro alegou urgência da medida.

O curioso é que Marco Aurélio viu urgência num caso que já havia sido decidido pelo plenário do Supremo sem ver nenhuma urgência. Inclusive, o presidente da Casa, ministro Dias Tofoli já havia decidido que o caso seria retomado pelo plenário para a votação de todos os ministros.

A liminar pode beneficiar diversos presos pelo país, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal do Paraná. Condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava Jato, no caso do triplex, Lula teve sua condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal, com sede em Porto Alegre.

Poucos minutos após a decisão de Marco Aurélio, a defesa de Lula entrou com pedido na Vara de Execuções Penais (VEP) responsável pela prisão do ex-presidente, solicitando sua imediata soltura.

Após a divulgação da liminar, a PGR informou já estudar um recurso contra a decisão. Nesse caso, o pedido deve ser encaminhado diretamente para a presidência do STF.

Julgamento

O julgamento sobre o tema foi marcado nesta semana pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, para 10 de abril de 2019. Marco Aurélio, entretanto, afirmou que liberou o processo para julgamento desde 19 de abril deste ano, e que a matéria não poderia aguardar até o ano que vem.

O ministro justificou sua decisão “tendo em vista a impossibilidade de imediato enfrentamento da matéria pelo Colegiado [plenário] em virtude do encerramento do segundo semestre judiciário de 2018 e, via de consequência, do início do período de recesso”. Ele acrescentou que “está-se diante de quadro a exigir pronta atuação”. Ele acrescentou estar pronto para julgar o assunto em plenário em 1º de fevereiro. (Fonte: Agência Brasil)

Opinião do jornalista Renato Ferreira

A decisão de Marco Aurélio, além de causar profunda confusão nos meios jurídicos e políticos do país, também já se tornou o principal destaque nas redes sociais, com a maioria absoluta criticando a decisão monocrática, que pode beneficiar o ex-presidente Lula.

No entanto, o Brasil inteiro espera que liminar seja derrubada o mais rapidamente possível. Hoje ainda, o presidente do STF assume o plantão do Supremo que entra em recesso.

Também nesta quarta-feira, a Força Tarefa do Ministério Público, que trabalha na Lava Jato convocou uma entrevista coletiva para falar sobre a decisão de Marco Aurélio e o que ela poderá representar para a Operação que mandou preder Lula e outros condenados no âmbito da Lava Jato. Os procuradores disseram esperar que o STF revoque a liminar antes que "ela provoque decisões catastróficas à Lava Jato" e em outras operações.

O que não está devidamente explicado é por que Marco Aurélio solta uma liminar num caso cuja discussão seria retomada pelo plenário do STF já em janeiro de 2019.

Temos a impressão que muitos dos atuais ministros fazem de tudo para saírem menores do que entraram no Supremo Tribunal Federal. (Renato Ferreira)

Terça, 18 Dezembro 2018 14:08

Quem mandou matar Bolsonaro?

 

Por Renato Ferreira -

Estou feliz ao ver essa recaída da esquerda fajuta do Brasil que, mesmo ignorando os demais parlamentares citados no relatório do COAF e que passou os últimos 16 anos sem se importar com movimentações financeiras irregulares de políticos, exige explicação e punição severa para o senador eleito pelo RJ, Flávio Bolsonaro. Isso é muito bom para limparmos o Brasil de quaisquer tipos de falcatruas.

Facada em Bolsonaro

Estamos a poucos dias da posse do Presidente Jair Bolsonaro e do Brasil entrar em nova fase administrativa com nova visão política. Mas, isso poderia não estar acontecendo, pois, em plena campanha eleitoral, alguém tentou tirar Bolsonaro da disputa com uma facada no abdômen.

O que chama atenção e causa dúvidas às pessoas de bom senso no Brasil é o silêncio ensurdecedor da grande imprensa e desses "esquerdistas" indignados com a corrupção (?), sobre o maior atentado político no Brasil, contra um candidato à Presidência da República e os fatos que envolvem essa tentativa de matar Jair Bolsonaro.

A quem interessava e a quem interessa a morte de Bolsonaro?

O autor da facada, em pleno Centro de Juiz de Fora, todos conhecem, uma vez que ele não conseguiu o seu objetivo. Trata-se do ativista político Adélio Bispo, ex-integrante do PSOL, partido do ex-presidenciável, Guilherme Boulos, e declarado defensor de Lula e do PT.

Seria muita ingenuidade de qualquer pessoa com saúde perfeita e em sã consciência acreditar que esse matador, preso com quatro celulares, computador e que alugou uma pousada dez dias antes do atentado em Juiz Fora, teria agido sozinho e por conta própria.

E o fato mais claro dessa empreitada de morte, mostrando que Adélio foi apenas o último elo dessa corrente assassina contra Bolsonaro, é que no dia seguinte ao atentado, apareceram em Juiz de Fora 4 advogados que partiram de Belo Horizonte em vôo fretado para a zona da Mata mineira.

Preste atenção! Você que é inteligente e que pensa com a própria cabeça, acredita que se o autor da facada fosse uma pessoa normal, trabalhador simples, que não tivesse nenhuma ligação com partidos políticos, sindicatos ou qualquer outra organização poderosa, conseguiria ter quatro advogados ao seu dispor um dia depois do crime e durante todo o processo?

Pois é, mesmo indagados por várias vezes, os advogados não revelaram quem os contratou e nem quanto recebiam para fazerem a defesa do criminoso.

Então, parabén imprensa investigativa e esquerda fajuta que pedem punição severa para Flávio Bolsonaro! Vocês estão corretíssimos, afinal, quem erra tem mesmo que pagar.

Mas, não lhes cheira mal a falta de transparência e o silêncio que envolve esse grave atentado contra o candidato que foi eleito Presidente da República? E ainda mais o silêncio dos advogados que negam informar quem lhes contratou para chegar tão rapidamente a Juiz de Fora?

O Brasil honesto espera mais esclarecimento sobre esse atentado. Pois, temos certeza que o Adélio não agiu sozinho.

Quem discordar, por favor, poste aqui a sua opinião com argumentos e fatos que nos convençam ao contrário. Contamos também com a opinião daqueles que concordam conosco. (Renato Ferreira)

Um dos caminhões estacionados nas proximidades começou a pegar fogo e desencadeou o incêndio
 
 
Nesta segunda-feira, 17/12, um incêndio de grandes proporções atingiu a refinaria de Manguinhos, localizada na Avenida Brasil, zona norte do Rio de Janeiro.
O fogo começou por volta de 14 horas, após um dos caminhões de transporte de combustível pegar fogo. Depois duas horas, o incêndio foi controlado.
Segundo a assessoria de imprensa da refinaria, não há relatos nem de vítimas nem de feridos.
A pista lateral da Avenida Brasil foi fechada ao trânsito e liberada após o incêndio ter sido controlado.
A Refinaria de Manguinhos, que recentemente adotou como nova marca o nome “Refit”, funciona há mais de 60 anos no refino de petróleo no Brasil.
Informações no site da companhia mostram que a unidade refina 15 mil barris de petróleo por dia.
Em comunicado à imprensa, a Refit afirma que, graças à rápida ação da brigada de combate a incêndio da refinaria, o fogo ficou limitado à área de descarga e recebimento de matéria-prima.
Áreas de maior risco, como armazenagem e de produção, foram protegidas. O fogo, que começou em um único caminhão, atingiu em minutos as demais carretas próximas ao local.
O procedimento em casos como este é esperar para que todo produto que existia nos caminhões fosse queimado.
“O incêndio foi controlado e a refinaria abrirá uma sindicância interna para apurar todas as causas que levaram a esse incidente. A Refit pede desculpas ao transtorno causado e segue firme em seu compromisso com a comunidade Fluminense”, disse a companhia.
No final do dia, outra nota foi enviada informando que a empresa “está instaurando uma sindicância para apurar as causas do incidente e que contratou o ex-ministro da Controladoria Geral da União, Sr. Valdir Simão para presidir e coordenar os trabalhos da sindicância”.
Nas redes sociais, internautas relataram que as chamas puderam ser vistas de diversos pontos da cidade como Ponte Rio-Niterói, Ilha do Fundão, Piedade, Freguesia e Vila Isabel. (EXAME)
Salários chegam a R$ 9.280,30; prova será realizada pela Fundação Vunesp no dia 14 de abril
 
A Prefeitura de Itapevi anunciou na manhã de quinta-feira (13) a abertura de um concurso público para 366 vagas em Itapevi. O evento foi realizado na sede da Prefeitura, na Vila Nova Itapevi.
O edital com os cargos disponíveis e as regras do concurso está no Diário Oficial 588, publicado na sexta-feira, 14/12, e já disponível no site da Prefeitura ( www.itapevi.sp.gov.br ).
A prova acontecerá no dia 14 de abril e será realizada pela Fundação Vunesp, instituição responsável pela execução e supervisão de inúmeros concursos e exames pelo país, como o vestibular da Unesp (Universidade Estadual Paulista).
As inscrições podem ser feitas das 10h do dia 8 de janeiro às 23h59 de 21 de fevereiro no site da Vunesp ( www.vunesp.com.br ).
As 366 vagas disponíveis são para as áreas de Saúde, Educação, Segurança, além de cargos técnicos e administrativos, que exigem de ensino fundamental completo a ensino superior. A remuneração varia de R$ 1.030,00 a R$ 9.280,30, com carga horária entre 15 e 40 horas semanais, de acordo com a função.
Entre os cargos disponíveis estão agentes de manutenção, de saúde e de inclusão escolar, monitores, professores e médicos, além de fisioterapeutas, nutricionistas e guardas municipais, dentre outros. (Departamento de Comunicação)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.