Segunda, 22 Outubro 2018 | Login

Durante entrevista coletiva, na cidade de Osasco, o Governador de São Paulo falou sobre vários temas, como eleições, pesquisas eleitorais, saúde, educação, alistamento civil e segurança pública, dentre outros

 

Nesta sexta-feira, 29/06, o governador de São Paulo e pré-candidato à reeleição, Márcio França (PSB), esteve na cidade de Osasco, onde participou do Ciclo de Entrevistas - Eleições 2018, promovido pelo jornal Diário da Região, AmeCom (Associção Metropolitana de Comunicação), e da ADJORI-SP (Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo). Estiveram presentes no evento diversas autoridades da região, como os prefeitos Rogério Lins, de Osasco, Marcos Neves, de Carapicuíba, Gregório Maglio, de Pirapora do Bom Jesus, e Josué Ramos, de Vargem Grande Paulista.

Márcio França 1

Durante a coletiva, que contou com a presença de vários jornalistas da imprensa regional e também de Roberto Cabrini, do SBT, Márcio França falou sobre diversos temas e do que pretende implantar no Estado de São Paulo, caso seja reeleito nas eleições de outubro deste ano, sobretudo,temas ligados às áreas da Educação e Segurança Pública.

Márcio França 3

Campanha na TV e rádio

"As pesquisas eleitorais mostram o momento atual e eu sou ainda desconhecido pela maioria do eleitorado. Mas, com o início da campanha na TV e no rádio, quando teremos tempo para falar sobre que temos feito no governo do Estado, tenho certeza que iremos subir nas pesquisas e disputar o segundo turno das eleições. O povo está descontente com políticos tradicionais e, apesar da nossa longa experiência desde quando fomos prefeito de São Vicente, na política estadual somos ainda desconhecido. Com as coligações que estão sendo feitas pelo PSB, teremos tempo suficiente para nos apresentamos e falarmos do que estamos fazendo e dos planos que tempos investir em todas as demadas do governo".

João Doria

"Até o final da campanha muitas coisas vão mudar nessa campanha. O Doria não cumpriu o seu mandato de prefeito e tem muita gente que não gostou disso. É como você comprar um pizza grande e receber uma pequena. Então, 47% do eleitorado paulistano não votaram nele e aqueles que votaram o fizeram para ele administrar a cidade de São Paulo. Então, é evidente que ele vai ser cobrado por isso quando a campanha começar pra valer".

Compromisso

"Veja, o candidato do PSDB não cumpriu aquilo que prometeu quando fez campanha para prefeito de São Paulo. Estou aqui com vocês e não sou obrigado a fazer nenhum compromisso, mas, se faço tenho que ser verdadeiro e cumprir o compromiso firmado com os eleitores".

Segurança Pública

"O Governo do Estado tem a obrigação de continuar investindo na segurança pública, dando melhores condições de trabalho e de salário aos nossos policiais civis e militares. Mas, tudo isso tem que ser feito estudo e inteligência no trabalho preventivo e de investiação. E segurança para o cidadão não significa apenas aumento no efetivo de policiais e construção de novos presídios. Temos que investir em nossos jovens e adolescentes para tirá-lo do caminho da criminalidade".

Alistamento Civil

"O Alistamento Civil, programa social que atende jovens em vulnerabilidade social e que implantamos como prefeito em São Vicente com grande êxito, é o principal caminho para livrar os jovens da criminalidade. Fizemos um estudo em São Vicente e vericamos que 56% dos presos foram para a cadeia com 18 anos. Então, temos que evitar que o gelo seja formado para não termos que ficar apenas enxugando gelo depois. Atualmente, estamos implantando o Alistamento Civil nos 15 municípios mais violentos do Estado e esperamos poder implantar em todo o Estado de São Paulo. No Alistamento Civil, os jovens ficam no programa um ano estucanos e trabalhando e saem em condições de trabalhar na sociedade". 

Educação

"Investimos e melhoramos muito o ensino no Estado de São Paulo, mas, sem dúvida, estamos ainda muito atrasados e pecamos na qualidade. Veja, se um piloto de avião da primeira metade do século passado entrar, hoje, numa aeronave moderna, ele não saberá operá-la. O mesmo ocorreu em todas as áreas com as novidades tecnológicas. Mas, em termos de edução, infelizmente, nada mudou. Um professor de 1920 pode entrar hoje numa sala de aula e ele não vai sentir nenhuma mudança. O nosso compromisso é investir no ensino e também no sentido de que os professorem tenham menor carga horária e melhor salário".

Comunicação

O governador foi interrogado também sobre o distanciamento entre o setor de comunicação do governo e a imprensa regional e do interior do Estado. "REalmente, o governo precisa melhorar a sua comunicação com a população e isso, sem dúvida tem que passar pela imprensa regional. Hoje, ficamos apenas com os grandes anúncios de campanhas e não comunicamos corretamente com o povo que ficar sem saber ou conhecer muitas coisas boas que são feitas pelo governo. (Renato Ferreira)

 

Published in Política

 

Guilherme Boulos diz que se vencer as eleições, vai aumentar impostos para os ricos e derrubar medidas de Temer, como a reforma trabalhista

 

Nesta terça-feira, 12/06, o pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, esteve em Osasco, na região Oeste da Grande São Paulo, onde participou do Ciclo de Entrevistas – Eleições 2018. O evento é uma realização do Jornal Diário da Região em conjunto com a AmeCom(Associação Metropolitana de Comunicação) e ADJORI-SP (Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo).

Durante a coletiva, Boulos não apresentou novidades em relação ao que vem pregando em termos de propostas, caso seja eleito presidente da República nas eleições de outubro. O pré-candidato do PSOL reiterou que se chegar ao Palácio do Planalto, uma de suas primeiras medidas será convocar um plebiscito para revogar as medidas tomadas pelo governo de Michel Temer, como a reforma trabalhista.

Guilherme Boulos disse também que é a favor do financiamento público de campanha e que vai propor uma reforma tributária para aumentar os impostos dos ricos e diminuir a carga tributária para os brasileiros mais pobres. "Mas, não basta apenas o financiamento público para acabar com os problemas da corrupção no Brasil. Temos que mudar o sistema político, separando o público do privado. Caso eu seja eleito, convocarei um plebiscito para revogar todas as medidas tomadas pelo governo golpista de Temer, principalmente, essa reforma trabalhista, um verdadeiro retrocesso para os trabalhadores brasileiros", disse o pré-candidato.

Mesmo sendo uma das principais lideranças da esquerda, Guilherme Boulos não se considera um candidato das esquerdas e nem mesmo um plano B do Partido dos Trabalhadores. "A nossa candidatura não depende de outras. Primeiro, acho legítima a candidatura do Lula. Ele foi preso sem provas e o Judiciário não pode impedir que ele seja candidato. Então, o PT tem as suas propostas e a nossa candidatura representa um novo projeto do PSOL e é isso que estamos levando a toda a população do país, participando de debates, entrevistas e palestras em Universidades".

Fundador e coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), Guilherme Boulos, negou que o MTST promova e cobre aluguel dos sem teto. Ele criticou ainda os rumos tomados pelo programa Minha Casa, Minha Vida. "As pessoas invadem os prédios, não porque elas querem e, sim, porque elas não têm outra opção oferecida pelo governo. Quanto ao Minha Casa, Minha Vida, ele teve o seu mérito em apresentar recursos para moradias populares, que o brasileiro não tinha desde os anos 1980 pelo BNH. Só que esses recursos foram repassados para as construturas sem um planejamento, por isso, elas construíram as casas em locais que não atendiam à demanda e nem as necessidades das pessoas. Isso tem que ser modificado e vamos mudar", afirmou Boulos. (Renato Ferreira)

Published in Política

Fundador e coordenador do MTST, Guilherme Boulos participará do Ciclo de Entrevistas – Eleições 2018, em Osasco

Na próxima quinta-feira, 10/05, o Ciclo de Entrevistas – Eleições 2018, em Osasco, recebe o pré-candidato à Presidência da República, Guilherme Boulos, pré-candidato do PSOL. O evento é uma realização do Jornal Diário da Região, com co-realização da AMECOM (Associação Metropolitana de Comunicação) e da ADJORI-SP (Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo). O Ciclo de Entrevistas reunirá até as eleições, os principais pré-candidatos nas eleições deste ano. Rogério Chequer (Novo) abriu a séries de entrevistas em abril.

Este ciclo se repete após o sucesso das coletivas realizadas com os candidatos ao governo do Estado de São Paulo e presidência da República no ano de 2014. Diversos candidatos, como Paulo Skaff (PMDB), Alexandre Padilha (PT), Geraldo Alkmin (PSDB), Gilberto Kassab (PSD) e Aécio Neves (PSDB), entre outros, participaram e tiveram a oportunidade de expor seus projetos, sendo livremente questionados pelos profissionais de imprensa de Osasco e região.

O primeiro convidado deste ano foi o pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo Novo, Rogério Chequer, que participou da coletiva no dia 09/04.

Todos os eventos do Ciclo de Entrevistas - Eleições 2018, serão realizados na sede do Jornal O Diário da Região. As coletivas terão duração de até 1 hora e respeitarão os padrões usuais de eventos similares.
Os interessados deverão efetuar o credenciamento através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo whatsapp (11) 94287-5797 (Rodolfo Andrade).

Quem é Boulos
Guilherme Castro Boulos é um ativista, político e escritor brasileiro. É membro da Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST).
Boulos é reconhecido como uma das principais lideranças da esquerda no Brasil e pré-candidato a presidente pelo PSOL nas eleições gerais no Brasil em 2018.


Serviço
Ciclo de Entrevistas – Eleições 2018  - com Guilherme Boulos (PSOL)
Quinta-feira, 10 de maio,  às 14h. 
Local: Jornal Diário da Região/Auditório da ConecTv
Edifício Agávni Sanazar 
Rua Esther Rombenso, 349, 3° andar, Centro, Osasco, SP.

 

Atualizado às 23h de quarta-feira

Boulos cancela entrevista em Osasco

 

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, que iria participar do Ciclo de Entrevistas - Eleições 2018 em Osasco, cancelou o compromisso hoje à tarde.

Conforme Notícias & Opinião publicou nesta quarta-feira, a entrevista, promovida pelo Jornal Diário da Região, AmeCom e ADJORI, seria realizada nesta quinta-feira, 10, às 14h, e já estava marcada há um mês.

Conforme correspondência enviada aos organizadores, a assessoria de Boulos informou que o pré-candidato cancelou a entrevista devido a um compromisso com outros presidenciáveis no Rio Grande do Sul.

Published in Política

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.