Sexta, 17 Agosto 2018 | Login

 

Hoje. no Brasil, parece que o assunto em pauta é a tal senhora "Val", que seria uma "funcionária fantasma" do Bolsonaro, candidato à Presidência da República pelo PSL. A impressão é que os esquerdistas querem derrubar o capitão candidato por causa de sua funcionária fantasma.

No que eles estão certos, não mesmo? Até porque nenhum outro político brasileiro tem fantasma "trabalhando" em Prefeituras, Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas ou no Congresso Nacional. #sqnPor isso, o Bolsonaro, mesmo afirmando que já demitiu a sua "fantasma", não pode mesmo querer ser Presidente da República. Afinal, ele tinha uma "funcionária fantasma".

Mas, por outro lado, isso denota uma tremenda hipocrisia e indignação seletiva de gente que defende e trabalha para corruptos. Pois, até agora nesta campanha, ninguém perguntou sobre a Rose Noronha, conhecida como "Rose", ex-chefe do gabinete da Presidência da República no governo Lula (PT)

Indiciada por crimes de formação de quadrilha e corrupção ainda no ano de 2012, após ameaçar denunciar integrantes da cúpula do PT, como Gleisi Hoffmann, Gilberto Carvalho e Erenice Guerra,, Rosemary Cunha conseguiu "convencer", o ex-presidente Lula, que se encontra preso, a não deixá-la entregue aos leões.

Rose, inclusive, nunca foi presa e deve contar em sua defesa com grandes e caros advogados, especialistas em defender políticos corruptos, como o próprio Lula. (Renato Ferreira)

Published in Política

Ao contrário do que muitos esperavam, como troca de farpas e um massacre dos demais candidatos pra cima de Bolsonaro, o debate da Band foi morno. O encontro foi marcado por promessas inusitadas, como a de Ciro Gomes que prometeu limpar o nome de todos brasileiros que estão no SPC

 Por Renato Ferreira - 

O primeiro debate entre presidenciáveis 2018, realizado nesta quinta-feira, 09/08, pela TV Bandeirantes, foi morno e sem polarização entre os candidatos, que preferiram não partir para o confronto direto. Os oito participantes aproveitaram a maior parte do tempo para se apresentar ao eleitorado e falar de si próprio.  Não houve o esperado massacre dos demais candidatos contra Jair Bosonaro, que lidera as pesquisas sem o petista Lula. 

No primeiro bloco, quando o mediador, jornalista Ricardo Boechat, fez uma pergunta comum a todos sobre desemprego, feita por internautas, os candidatos acabaram ignorando a pergunta. O primeiro a responder foi Álvaro Dias, do Podemos, que gastou todo o tempo para se apresentar ao eleitorado. Durante o debate, Dias destacou também a sua proposta de "refundar a República". Apenas Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) falaram mais especificamente sobre o tema proposto. Bolsonaro fez menção ao tema desemprego.

O único momento mais quente foi protagonizado pelos candidatos Guilherme Boulos (PSOL) e Jair Bolsonaro, respectivamente, representates das extremas esquerda e direita. Pela contundência da pergunta, tudo indicava que seria aquele o clima do debate. Boulos quis saber sobre uma tal senhora Val que, segundo ele, seria uma "funcionária fantasma" do deputado Federal Bolsonaro. Ainda calmo, Bolsonaro explicou que a senhora Val é uma funcionária dele que presta serviços e Angra dos Reis e que o caso já foi esclarecido pela Câmara dos Deputados. Não satisfeito com a resposta, Boulos subiu o tom e disse: "Morando em Brasília, o senhor não tem vergonha de receber o auxílio moradia?". Foi o bastante para o Capitão reformado do Exército soltar os cachoros pra cima do Boulos, fundador e líder do MTST (Movimento does Trabalhadores Sem-Teto). "Não gastei toda a minha verba de Gabinete e esse auxílio está na Lei. Eu teria vergonha se eu fosse um desocupado que vive invadindo e incendiando propriedades de terceiros. E tem mais: Estou aqui para discutir políticas públicas e não para bater boca com um desqualificado como você". Daí para frente, o debate não tem mais polarização direta entre os candidatos. 

Apesar de se mostrar cordial a Geraldo Alckmin na maioria do tempo, Marina Silva tentou fustigar o tucano em alguns momentos, criticando-o pela aliança com o Centrão que abriga políticos.: "O Brasil necessita de reformas urgentes e o Presidente eleito precisará de apoio do Congresso para aprová-las. A Marina, por exemplo, saiu do Partido Verde alegando que não eram compatíveis. Agora, se aliou aos Verdes, ou seja, voltou a ser compatível". 

O ex-presidente Lula (PT), que se encontra preso desde abril e condenado a mais de 12 anos pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, foi mencionado apenas uma vez. Ao se apresentar, Boulos cumprimentou Lula que, para ele, "é um companheiro preso injustamente". E, se o ex-presidente Lula foi lembrado uma vez, o atual, Michel Temer MDB) não foi mencionado por nenhum candidato. Nem mesmo pelo candidato do seu partido, o banqueiro Henrique Meirelles, que tentou se apresentar como candidato dos trabalhadores. Meirelles acusou, inclusive, o PSDB que, segundo ele, já chamou o Bolsa Família de "Bolsa Esmola". Por sua vez, Alckmin elogiou o programa e disse que o Bolsa Família é fruto da unificação de outros programas sociais dos governos de Fernando Henrique Cardoso, "como o Bolsa Escola", disse Alckmin. 

Menos por propostas de governo, o Debate foi destaque nas redes sociais mais pelos momentos engraçados e promessas inusitadas, como a de Ciro Gomes, do PDT. Como um verdadeiro populista, o pedetista que nasceu em São Paulo e foi criado no Ceará, afirmou que se for eleito ele vai limpar o nome de todos os brasleiros que estão com o nome sujo no SPC. Até o Jair Bolsonaro riu da proposta de Ciro Gomes. O debate serviu também para o Brasil conhecer o candidato nanico, Cabo Daciolo, do Patriota, que teve momentos hilários, falando alto e acusando todos os demais de corruptos. 

No encontro da Band, houve também momentos de trocas de elogios entre os candidados, o que denota a possibilidade de alianças num eventual segundo turno. Um desses momentos foi demonstrado por Jair Bolsonaro e Álvaro Dias. Em vez de fazer uma pergunta ao candidato do Podemos, Bolsonaro elogiou uma proposta do adversário sobre combate à corrupção e apoio à Operação Lava Jato. Então, Álvaro Dias aproveitou para falar de sua proposta e, inclusive, reafimou que convidará o juiz Sérgio Moro para fazer parde de seu governo, caso seja eleito. 

O clima morno do debate da Band pode até ser compreensível por ser o primeiro das eleições 2018 e também por ter muitos estreantes. Dos oito participantes, apenas Geraldo Alckmin, Marina Silva e Ciro Gomes já haviam participado de encontros de presidenciáveis. Já Álvaro Dias, Jair Bolsonaro, Henrique Meirelles, Cabo Daciolo e Guilherme Boulos estrearam nesse tipo de debate. Mais oito debates já estão confirmados até as eleições. E com certeza, como já passaram pelo batismo de fogo, nos próximos encontros os presidenciáveis já deverão estar mais descontraídos e poderá haver mais polarização e confrontos diretos. (Renato Ferreira) 

Próximos debates
RedeTV! – Debate –(17.ago, 22h) – televisão;
TV Gazeta/Estadão (9.set, 19h30) – televisão;
Poder360/Revista Piauí (18.set, 10h) – streaming;
Veja (19.set, 9h) – streaming;
TV Aparecida (20.set, 10h) – televisão;
SBT/Uol/Folha (26.set, 18h20) – televisão;
Record (30.set, 22h) – televisão;
Globo (4.out, 21h30) – televisão.

Published in Política
Domingo, 05 Agosto 2018 15:23

Vice de Bolsonaro será o general Mourão

 

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência da República, anunciou na manhã deste domingo, 05/07, o nome do general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) como seu vice na corrida presidencial. Na prática, essa aliança do PSL com o PRTB, dará a Bolsonaro mais 4 segundos na propaganda eleitoral. Ele já tinha 8 segundos.

Bolsonaro participou da convenção do PSL estadual no Clube Guapira, na Zona Norte de São Paulo. Em seu discurso, Jair Bolsonaro agradeceu a advogada Janaína Pachoal e o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança, que tiveram nomes cotados para ser o vice na chapa. Janaína alegou questões familiares e recusou neste sábado (4) o convite para ser vice de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial.

Em nota, o PRTB, comandado por Levy Fedélix,  disse que "o general Hamilton Mourão está confirmado como vice de Jair Bolsonaro na corrida à presidência da República". A aliança foi confirma na convenção do PRTB, realizada também em São Paulo. O deputado Federal Major Olímpio (PSL) será candidato ao Senado.

Antonio Hamilton Martins Mourão é gaúcho de Porto Alegre, tem 64 anos. ele entrou para o Exército em 1972 e ficou na ativa até fevereiro de 2018. Mourão ganhou notoriedade em 2005, quando estava no Comando Militar do Sul.

Em 2015, ele tinha feito críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff e dito, durante uma palestra no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR) em Porto Alegre, que é preciso um "despertar para a luta patriótica" como saída para crise política do país.

Após as críticas, Mourão foi exonerado do cargo e designado para assumir uma posição na Secretaria de Economia e Finanças do Exército. (Fonte: G1)

Published in Política

Por Renato Ferreira - 

 

O Roda Viva desta segunda-feira, 30, com Jair Bolsonaro, bateu todos os recordes de audiência do programa e mostrou que, diante do caos em que se encontra o Brasil, graças aos políticos corruptos que nos governaram nos últimos anos, ou décadas, Jair Bolsonaro não é líder das pesquisas por acaso. Ele aparece como a esperança de um povo desesperado, sem escola, sem moradia, sem hospitais dignos e ainda refém de uma violência que mata 60 mil pessoas por ano. Mais do que países em guerra civil.

Escolhidos a dedo, quatro jornalistas, claramente de esquerda e defensores de ditadores como Fidel Castro e Maduro, fizeram parte da roda, com o único objetivo: destruir Bolsonaro.

O próprio semblante dos jornalistas demonstrava que eles foram armados até os dentes para enfrentar o capitão. Em vez de perguntas sobre programa de governo, ideias, governabilidade e planos para tirar o país desse caos, os jornalistas, como se tivessem combinado, só fizeram perguntas sobre o passado, ditadura, frases ditas pelo entrevistado há vários anos e até sobre verbete dele na wikipedia. Para fechar com chave de lata, um dos jornalistas, tentando atingir Bolsonaro, afirmou que Jesus Cristo foi refugiado, demonstrando, no entanto, total desconhecimento sobre a Bíblia, sobre a história humana e divina de Cristo e sobre o apoio do candidato no meio evangélico.

Então, de francos atiradores, os quatro jornalistas, que estavam mais preocupados em acusar e discutir com o entrevistado,, acabaram se transformando em alvo dos "tiros" de Bolsonaro.

Bolsonaro X Jornalistas

Jornalista: Então, no confronto entre polícia e marginal, a ordem é atirar para matar?
Bolsonaro: Não, você deve deixar o bandido atirar primeiro e depois você o recebe com flores,. (Armados até os dentes, a gente sabe como os bandidos tratam as suas vítimas no Brasil)

Jornalista: É certo dar arma para uma pessoa despreparada se defender?
Bolsonaro: É só você não adquirir uma arma e continuar uma presa fácil. Defendo o porte de arma para quem deseja se defender do bandido, mas, ninguém será obrigado a comprar arma.

Jornalista: O senhor disse que Maria do Rosário não merece ser estuprada. O senhor acha isso correto?
Bolsonaro: Isso foi apenas uma reação quando essa deputada, que defende estupradores, me acusou de estuprador. Eu disse: não sou e se fosse não te estupraria.

Jornalista: Falta inteligência para as forças de segurança resolverem os problemas da violência.
Bolsonaro: "Vou convidar você para ir com a polícia a esses locais, onde o policial é recebido à bala para você ensinar como enfrentá-lo sem atirar. (O jornalista arregalou os olhos e ficou quieto). (Renato Ferreira)

Published in Política

 

"Pecuarista, advogado, vendedor de picolé: a rede de empresários que se mobiliza pela candidatura de Bolsonaro"

Matéria de capa da revista Época on-line -

 

"Além da agenda econômica", empresários de todo Brasil e representantes dos mais diversos ramos de atividades, "veem Bolsonaro como um símbolo de combate à agenda social globalista — a que vem de fora e coloca na sala, segundo eles, desconfortáveis debates, como identidade de gênero, homofobia, xenofobia e afins". Trecho da longa matéria de capa da revista Época sobre a rede formada por empresários que apoiam Bolsonaro e que defendem com afinco a sua candidatura nas redes sociais.

Outro trecho da matéria: Dono de um cursinho comunitário chamado Saquarema — nome inspirado na alcunha dos membros do Partido Conservador durante o Segundo Reinado (1840- 1889) —, Rodrigo Morais já deu curso de formação de professores em Moçambique, por meio de uma ONG dinamarquesa, morou nos Estados Unidos e deu aulas na rede Objetivo. Simpatiza com a ideia de Bolsonaro de “armar as pessoas de bem”, cujas casas são invadidas por criminosos. “A segurança pública é um problema individual. Primeiro preciso defender minha vida.”

Trata-se de uma matéria que mostra a realidade atual do Brasil, da visão de grande parte do eleitorado e desta pré-campanha eleitoral no Brasil.

Quem achava no início que Bolsonaro era um cavalo paraguaio, hoje, deve pensar diferente, pois, trata-se de uma pré-candidatura com todas as credenciais e musculatura eleitoral para figurar no segundo turno representando o centro e a extrema direita.

Matéria completa aqui: https://glo.bo/2NPpwX1

Published in Política

 

Militância carrega o deputado federal, pré-candidato à Presidência da República

 

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) desembarcou há pouco no Aeroporto da Pampulha onde era aguardado por simpatizantes com faixas "melhor Jair se acostumando".

Ele foi carregado por alguns militantes que gritavam "um, dois, três, quatro, cinco mil, queremos Bolsonaro presidente do Barsil". À saída do aeroporto, um trio elétrico o aguardava.

Em discurso na porta do aeroporto, Jair Bolsonaro disse que quer mudar o Brasil e, em crítica às urnas eletrônicas, defendeu a volta do voto impresso."Se o voto for impresso, a gente ganha em primeiro turno", afirmou o pré-candidato. Bolsonaro disse ainda que podem acusá-lo de tudo, menos de ser corrupto. "Temos que colocar em Brasília, no ano que vem, um homem ou mulher que seja honesto, patriota e que crê em Deus", continuou.

Segundo Bolsonaro, não é que ele seja "muito bom", mas os adversários que são "muito ruins".

Bolsonaro neste momento está na Prefeitura de Belo Horizonte, onde conversará com o prefeito Alexandre Kalil (PHS). Ele se encontrará nesta tarde com empresários mineiros, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). (Matéria extraída do site do Jornal Estado de Minas) - Veja o vídeo aqui: https://bit.ly/2rzA6XS

 

Opinião de Renato Ferreira

Enquanto outros partidos e outros candidatos ainda patinam nas pesquisas eleitorais ou estão preocupados com Plano B de suas candidaturas, Jair Bolsonaro parece ignorar tudo isso e continua bem nas pesquisas e parece ainda melhor na aceitação popular nas ruas do país.

Por todo lugar que passa, o candidato, classificado por alguns como "cavalo paraguaio", é recebido com festa e carregado nos braços do povo.

Published in Política

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.