Quinta, 14 Novembro 2019 | Login
FUTEBOL FEMININO: Estados Unidos são tetracampeões mundiais

FUTEBOL FEMININO: Estados Unidos são tetracampeões mundiais Featured

Equipe norte-americana confirma favoritismo contra a Holanda e vence por 2 a 0, na França.
O favoritismo era esperado e, com isso, o resultado não foi surpreendente. A seleção feminina dos Estados Unidos venceu neste domingo, 07/07, em Lyon (França), a seleção holandesa por 2 a 0 e conquistou o bicampeonato consecutivo, quarto título mundial em oito edições de Copa do Mundo.
As americanas se igualam as alemãs, que foram bicampeãs em 2003 e 2007. Para as holandesas, foi a melhor campanha numa Copa e o vice-campeonato das atuais campeãs europeias garante às Leoas Laranjas uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.
A Suécia, terceira colocada na Copa, e a Inglaterra, quarta colocada, são as outras representantes da Europa – na decisão de sábado, em Nice, as suecas venceram as inglesas por 2 a 1, gols de Asllani e Jakobsson; Kirby descontou para as inglesas.
A americana Megan Rapinoe foi o grande nome do jogo e da Copa. Ela foi eleita a melhor jogadora em campo, a melhor jogadora da Copa e ganhou o prêmio como artilheira do mundial. Ela passa a ser a jogadora mais velha a receber essa premiação, com 34 anos e dois dias de idade. A goleira holandesa Van Veenendaal foi eleita a melhor da Copa na posição.
A final, assistida por 57.900 pessoas, teve, ainda, outras marcas dignas de registro. Foi apenas a segunda vez na história das Copas Femininas em que duas mulheres estiveram à frente das equipes finalistas – a primeira foi em 2003, na final entre Alemanha e Suécia. Esse ano, a Holanda foi dirigida por Sarina Wiegman; os Estados Unidos, por Jill Ellis. A britânica entra para a história como a segunda técnica bicampeã do mundo – o italiano Vittorio Pozzo era o único detentor dessa marca, campeão com a Itália nas Copas de 1934 e 1938.
A seleção campeã recebeu um prêmio de 4 milhões de dólares – vale dizer que a França, campeã do mundo da Copa de 2018, faturou 38 milhões de dólares. A próxima Copa do Mundo de Futebol Feminino, a ser disputada entre julho e agosto de 2023, ainda não tem sede definida, e ela só será conhecida em março de 2020, em evento da FIFA em Miami (EUA). Nove países são candidatos a sediar o evento. Além do Brasil, África do Sul, Argentina, Austrália, Bolívia. Coreias (Norte e Sul), Colômbia, Japão e Nova Zelândia. (Agência Brasil - Foto: Bernadett Szabo/Reuters)
000

About Author

Related items

  • VÔLEI MASCULINO: Brasil bate Japão e é tricampeão da Copa do Mundo
     
    A Seleção Brasileira masculina de vôlei garantiu nesta segunda-feira, 14/10, com antecipação de uma rodada, o título da Copa do Mundo. O troféu foi assegurado com uma vitória num complicado duelo contra o anfitrião Japão, por 3 sets a 1, com parciais de 25/17, 24/26, 25/14 e 27/25, na cidade de Hiroshima.
    O terceiro título brasileiro na Copa do Mundo - os anteriores foram em 2003 e 2007 - foi conquistado nesta segunda, faltando ainda um jogo para a seleção na competição, graças à grande campanha brasileira na disputa de pontos corridos. Foram 10 vitórias em 10 jogos. A equipe nacional perdeu apenas cinco sets no torneio até agora.
    Nesta terça, 15, a Seleção Brasileira, atual campeã olímpica vai encerrar sua campanha na Copa do Mundo de Vôlei masculino contra a Itália. na tentativa de coroar a conquista com uma campanha invicta. A Copa do Mundo é considerada a terceira maior competição da modalidade, atrás apenas dos Jogos Olímpicos e do Mundial. Os brasileiros, agora, são tricampeões também nestes dois grandes eventos.
    A conquista desta segunda marca o maior título do técnico Renan Dal Zotto à frente da equipe desde que assumiu o comando, em janeiro de 2017, quando substituiu o multicampeão Bernardinho. Antes, sob a orientação de Renan, o Brasil faturou o Sul-Americano e a Copa dos Campeões, ambos em 2017. E foi vice-campeão da Liga Mundial (atual Liga das Nações) no mesmo ano e do Campeonato Mundial, em 2018.
    Em sua trajetória rumo ao título, a seleção obteve sua maior vitória no domingo, quando bateu a poderosa Polônia. A equipe europeia se sagrou bicampeã mundial em duas finais em que venceu o Brasil. Com o triunfo desta segunda, a seleção alcançou os 29 pontos na tabela, sem poder ser alcançado justamente pela Polônia, que tem 25 e um jogo a menos.
    O JOGO
    Na partida desta segunda-feira, Renan escalou a seleção com apenas uma mudança em relação ao jogo anterior, contra a Polônia. Colocou Lucão em quadra, no lugar de Maurício Souza. O restante da equipe foi mantida, com Alan, Leal, Lucarelli, Flávio, Bruninho e o líbero Thalles. No decorrer do jogo, o treinador colocou Maurício Borges, Cachopa e Felipe Roque.
    Com esta formação, o Brasil fez um bom início de jogo. Abriu 6/4 e não demorou para ampliar a vantagem para 20/15, antes de fechar a parcial com oito pontos de frente. Leal foi um dos destaques do set inicial, no ataque e também nos bloqueios, ao lado de Lucão.
    O segundo set começou com o Japão na frente. O Brasil virou o marcador em 11/8, mas passou a oscilar em praticamente todos os fundamentos e viu os anfitriões crescerem em quadra. Os japoneses viraram para 12/11 e acabaram fechando a parcial, empatando a partida. Depois do susto, a seleção passeou no terceiro set. Começou fazendo 4/0, depois 10/2. A retomada da liderança do jogo veio com vantagem de 11 pontos na parcial.
    Na sequência, mais tranquilo após a forte performance no terceiro set, o Brasil manteve o alto nível, mas encarou um Japão mais eficiente. Como consequência, as duas equipes transformaram o quarto set no mais equilibrado do jogo. Sem conseguirem abrir dois pontos de vantagem, os dois times fizeram 7/7, depois 10/10. O empate persistiu até 22/22. Na sequência, o Brasil desperdiçou dois match points antes de confirmar a vitória diante da empolgada torcida japonesa. (Estado de Minas)

  • POLÍTICA/ESPORTE: Copa Ribamar tem final emocionante em Osasco
    O grande evento de futebol amador da cidade, que leva o nome do Presidente da Câmara Municipal, reuniu 24 times osasquenses.
     
    A final da segunda edição da Copa Ribamar, que aconteceu no último domingo, 22/09, foi mais uma grande festa esportiva na cidade. O evento reuniu os times “Das Antigas” e “Cingabol” no campo do Santa Cruz. Centenas de torcedores e curiosos ocuparam os espaços disponíveis para assistir ao jogo.
    Copa Ribamar capa participantes
    Nas lajes das casas próximas ao campo, no Jardim D’abril, crianças, adolescentes, adultos e idosos fizeram de tudo para assistirem, emocionados, à grande final. “Além de incentivar o esporte e o lazer, a Copa Ribamar foi uma grande festa da família osasquense”, comentou Claudinei Cândido, que colaborou com a organização do evento.
    Copa Ribamar Ribamar
    O idealizador do Campeonato, Presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva, acompanhou emocionado o jogo da decisão. “Foi muito além do que esperávamos. Mais de 260 atletas amadores participaram da Copa, que começou em abril e termina hoje com excelência. Tenho certeza de que não só os jogadores, mas todos os envolvidos levarão no coração para sempre esse grande momento”, comentou Ribamar.
    Com decisão nos pênaltis, o time “Das Antigas” venceu o jogo por 5X3. Como prêmio, foi entregue aos vencedores o valor de 8 mil reais. Já o Cingabol foi premiado com o valor de 4 mil reais, como vice-campeão. O time Área Verde ficou com o 3º lugar.
    Copa Ribamar Ribamar e Lins
    O prefeito Rogério Lins, prestigiou o jogo amistoso que antecedeu o jogo final. “Parabenizo o Ribamar pela idealização do evento e por incentivar o esporte e o lazer em Osasco. Um trabalho brilhante, que só foi possível graças à dedicação dele e de sua equipe”, comentou Lins.
    Copa Ribamar Bandeira do Brasil
    De acordo com Ribamar, a ideia é de que em 2020 a 3ª edição do campeonato reúna ainda mais times. “Pelo sucesso desta edição, não tenho dúvidas de que vamos trabalhar ainda mais para que essa Copa seja ainda maior. Estou extremamente feliz e satisfeito em ver a alegria estampada nos rostos de todos aqui hoje”, finalizou Ribamar.
  • COPA AMÉRICA: Brasil confirma favoritismo e é campeão da América em 2019
    Com gols de Cebolinha, Gabriel Jesus e Richarlison, a Seleção venceu o Peru, no Maracanã.
     
     
    Neste domingo, no Maracanã, deu a lógica do futebol na final entre Brasil e Peru, com a Seleção Canarinho sagrando-se campeã da Copa América, vencendo por 3 x 1. Como havíamos antecipado hoje, à tarde - https://bit.ly/2FYb9gE - pelo histórico entre os dois países e pelo número de craques de cada seleção, o Brasil era o franco favorito. Só não foi mais fácil devido a uma péssima arbitragem do chileno Roberto Vargas, que confirmou um pênalti duvidoso contra o Brasil.
     
    Brasil campeão da Copa América Cebolinha
    A partida foi emocionante do princípio ao fim. O Peru começou até melhor que os brasileiros nos primeiros minutos. Com muita garra, os peruanos conseguiam segurar a superioridade dos brasileiros. que acabou se transformando no primeiro gol aos 14 minutos, marcado por Cebolinha.
    Com muita expectativa dos mais 58 mil no Maracanã e outros milhões pelo país afora, a partida teve início após um minuto de silêncio em homenagem ao músico João Gilberto, falecido ontem. E, logo no início, aos 2 minutos de jogo, o juiz marcou uma falta para o Peru, batida por Cueva com perigo, no canto inferior direito de Alisson. Mas, a bola acabou indo para fora. Aos 5 minutos, um ataque do Peru foi parado com falta em cima de Guerrero.
    A partir dos 12 minutos, no entanto, o domínio passou a ser do time brasileiro. Até que aos 14 minutos, um passe de Gabriel Jesus encontrou Everton Cebolinha dentro da pequena área. O jogador do Grêmio chutou de primeira sem chances para Gallese. Foi terceiro gol de Cebolinha, artilheiro da Copa ao lado de Paolo Guerrero.
    O gol brasileiro desestabilizou o time peruano, que passou a errar passes e demonstrar nervosismo em campo. Aos 24 minutos, Coutinho recebeu de Firmino e chutou com perigo, com a bola passando próxima à trave. Aos 30, Gabriel Jesus fez falta de ataque e recebeu cartão amarelo. Aos 34, passe de Firmino cabeceou por cima do gol, mas o assistente já havia marcado impedimento.
    A partir dos 36, o time peruano conseguiu se reorganizar em campo e passou a atacar o gol de Alisson, mas sem maior perigo. Até que aos 41, a bola toca o braço esquerdo de Thiago Silva dentro da área e o juiz marca pênalti, após conferir o VAR (árbitro de vídeo). Guerrero bateu colocado no canto esquerdo de Alisson, que pulou para o lado errado.
    Porém, a alegria peruana só durou até os 47 minutos, com gol de Gabriel Jesus recebendo de Arthur e tocando rasteiro no canto direito de Gallese.
     
    SEGUNDO TEMPO
    Logo a 1 minuto da segunda etapa, o Brasil começou atacando e conseguiu um escanteio, sem levar perigo ao gol peruano. Aos 3 minutos, Tapia parou ataque do Brasil fazendo carga contra Coutinho e levando cartão amarelo. Aos 7 minutos, Thiago Silva fez falta sobre Cueva e também levou cartão amarelo. Aos 9 minutos, tabela entre Gabriel Jesus e Firmino levou perigo ao gol peruano, mas não foi aproveitada.
    Aos 11, Everton Cebolinha fez vários dribles em cima da zaga peruana e cruzou na cabeça de Firmino, que não aproveitou e jogou para fora. A pressão brasileira continuou, mas não intimidou o Peru, que optou por não se fechar, mesmo sem levar perigo para Alisson.
    Aos 22 minutos, Zambrano fez falta violenta em Gabriel Jesus e levou cartão amarelo. Aos 24, Gabriel Jesus fez falta, levou o segundo cartão amarelo e acabou expulso, saindo inconformado de campo, empurrando e quase derrubando a cabine do VAR . A expulsão motivou os peruanos que partiram para cima. Tite tirou Firmino e colocou Richarlison. Em seguida, tirou Coutinho e colocou Éder Militão.
    Aos 32, o técnico Gareca tirou Yotún e colocou Ruidiaz. Aos 38, Advincula fez falta forte em cima de Everton Cebolinha, parando o ataque brasileiro. Aos 40, saiu Carrillo para a entrada de Polo. Em seguida, aos 41, Everton Cebolinha foi trombado por Zambrano na grande área e o juiz marcou pênalti, após consultar o VAR. A cobrança coube a Richarlison, que chutou à direita de Gallese, que ainda foi na bola, mas não alcançou, chegando aos 3 x 1, levantando a torcida aos gritos de “É campeão”.
     
    Brasil campeão da Copa América Daniel Alves ergue a taça
    Tite ainda fez mais uma substituição, colocando Allan no lugar de Everton Cebolinha. O Peru ainda tentou uma reação, mas não havia mais tempo, com a partida terminando aos 51 minutos.
     
    FESTA E BOLSONARO
    Brasil campeão da Copa América Bolsonaro
    A taça foi erguida pelo capitão Daniel Alves, que a recebeu das mãos de Alejandro Domingues, presidente da Conmebol, consagrando a festa brasileira no campo e nas arquibancadas. O presidente Jair Bolsonaro participou da comemoração. Antes, logo no início da partida, ele tomou lugar na tribuna de honra. Bolsonaro estava acompanhado dos ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da Economia, Paulo Guedes, da Cidadania, Osmar Terra, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno. O senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, também estavam presentes.
     
    ANTES DA PARTIDA
    Brasil campeão da Copa América Maracanã
    Para a festa de encerramento, o campo foi coberto com uma lona colorida e um palco com o formato da América do Sul foi montado no centro do estádio. A cantora Anitta se apresentou e cantou ao lado do porto-riquenho Pedro Capó. Ao final do show, ela homenageou o cantor e compositor João Gilberto, chamando-o de mestre. (Com informações da Agência Brasil)
     
    ESCALAÇÃO
    O Brasil jogou com: Alisson, Dani Alves, Marquinhos, Thiago Silva, Alex Sandro, Arthur, Casemiro, Philippe Coutinho (Éder Militão), Gabriel Jesus, Roberto Firmino (Richarlison) e Everton (Allan).
    O Peru jogou com: Pedro Gallese, Luis Advíncula, Carlos Zambrano, Luis Abram, Miguel Trauco, Renato Tapia (Gonzales), Yoshimar Yotún (Ruidiaz), André Carrillo (Polo), Christian Cueva, Edison Flores e Paolo Guerrero.
    Árbitro: Roberto Vargas (Chile). Assistentes: Christian Alonso (Chile) e Claudio Ortiz (Chile).
    Renda: R$ 38.769.850
    Pagantes: 58.504.

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.