Quarta, 23 Outubro 2019 | Login
SUPERLIGA FEMININA: Minas e Praia vencem e farão final mineira da temporada 2018/19

SUPERLIGA FEMININA: Minas e Praia vencem e farão final mineira da temporada 2018/19 Featured

As minas-tenistas passaram pelo Osasco Audax, enquanto as meninas de Uberlândia superaram o Sesi Bauru.

 

Os dois times do Estado de Minas Gerais, que respira vôlei, farão uma decisão inédita da Superliga na atual temporada. Minas e Praia Clube lideraram a competição desde o início e confirmaram o favoritismo nas quartas de final e nas semifinais.
Nesta segunda-feira, 08/04, jogando pelas semifinais, em Uberlândia, o Praia Clube atropelou o Sesi Bauru e venceu a série por 2 a 0. Também na noite de ontem, jogando em Osasco, o Minas derrotou o Osasco Audax, no segundo jogo das semifinais.

Praia 3 X 0 Sesi Bauru 

Praia vence o Sesi e vai à final
Jogando em sua Arena, na cidade de Uberlandia, o Praia Clube não tomou conhecimento do Sesi Bauru na segunda partida das semifinais da Superliga Feminina de Vôlei. Com apoio de sua torcida, o time de Paulo Côco foi muito superior ao time paulista e venceu por 3 sets a 0, com parciais de 25/18, 25/21 e 25/14. No jogo de ida, em Bauru, as mineiras já haviam vencido as paulistas também por 3 sets a 0.
Em casa, o Praia contou com uma inspirada de três jogadora: Carol, Falwcett e Fernanda Garay. Como já havia acontecido em Bauru, a ponteira Garay ajudou seu time a vencer marcando 16 pontos. A norte-americana Nicole Fawcett marcou 14 pontos. Mas, quem foi eleita pelo público como a melhor jogadora em quadra foi a central Carol, que ficou com o Troféu Viva Vôlei.

Osasco 1 x 3 Minas 

Minas vence Osasco e vai à final
Mesmo jogando no Ginásio José Liberatti, com uma vibrante torcida que empurrou o Osasco Audax durante toda a partida, o Minas não se intimidou e venceu o segundo jogo das semifinais por 3 a 1, classificando-se para a inédita final mineira contra o Praia Clube. As parciais foram de 25/15, 19/25, 27/25 e 25/19, em mais de duas horas de jogo
Assim como o Praia, o Minas também fechou a série das semifinais com duas vitórias, ambas por 3 a 1. O primeiro jogo foi em Belo Horizonte. A tradicional equipe do Minas corre atrás do tri campeonato, depois das conquistas em 1992 e 2002, enquanto o Praia brigará pelo segundo título consecutivo. Na edição passada, as meninas de Uberlândia conquistaram a taça ao vencerem o Sesc-Rio.
No Liberatti, o Minas demonstrou a força do seu conjunto entre defesa, ataque e bloqueio. Mais uma vez, o time de Belo Horizonte contou a excelente fase de suas principais jogadoras, ,como Natália (15 acertos) e a também ponteira Gabi, que fez 13 pontos. Gabi recebeu o Troféu VivaVôlei como a melhor em quadra, por meio de votação popular na internet. Outro destaque mineiro foi a oposta Bruna Honório, com 15 bolas certeiras.

Pelo lado osasquenses, a norte-americana Destinee Hooker, ex-Minas, foi a principal jogadora no ataque. Ela marcou nada menos que 22 pontos e terminou na liderança nesse quesito. Mari Paraíba, que já vestiu a camisa minas-tenista, fez também uma boa partida marcando 14 pontos.

Tabela da final
Assim como ocorreu nas quartas e semifinais, a final da Superliga será também decidida em melhor de três partidas. 
O primeiro confronto será no dia 21 de abril (Domingo de Páscoa), às 11h, no Mineirinho, em Belo Horizonte. 
A segunda partida da decisão está marcada para o dia 26 de abril, sexta-feira, às 21h30, no Ginásio Sabiazinho, em Uberlândia. 
E caso seja necessária uma terceira partida, ela será realizada no dia 3 de maio, às 21h30, novamente no Mineirinho. (Renato Ferreira)

000

About Author

Related items

  • POLÍTICA/ESPORTE: Copa Ribamar tem final emocionante em Osasco
    O grande evento de futebol amador da cidade, que leva o nome do Presidente da Câmara Municipal, reuniu 24 times osasquenses.
     
    A final da segunda edição da Copa Ribamar, que aconteceu no último domingo, 22/09, foi mais uma grande festa esportiva na cidade. O evento reuniu os times “Das Antigas” e “Cingabol” no campo do Santa Cruz. Centenas de torcedores e curiosos ocuparam os espaços disponíveis para assistir ao jogo.
    Copa Ribamar capa participantes
    Nas lajes das casas próximas ao campo, no Jardim D’abril, crianças, adolescentes, adultos e idosos fizeram de tudo para assistirem, emocionados, à grande final. “Além de incentivar o esporte e o lazer, a Copa Ribamar foi uma grande festa da família osasquense”, comentou Claudinei Cândido, que colaborou com a organização do evento.
    Copa Ribamar Ribamar
    O idealizador do Campeonato, Presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva, acompanhou emocionado o jogo da decisão. “Foi muito além do que esperávamos. Mais de 260 atletas amadores participaram da Copa, que começou em abril e termina hoje com excelência. Tenho certeza de que não só os jogadores, mas todos os envolvidos levarão no coração para sempre esse grande momento”, comentou Ribamar.
    Com decisão nos pênaltis, o time “Das Antigas” venceu o jogo por 5X3. Como prêmio, foi entregue aos vencedores o valor de 8 mil reais. Já o Cingabol foi premiado com o valor de 4 mil reais, como vice-campeão. O time Área Verde ficou com o 3º lugar.
    Copa Ribamar Ribamar e Lins
    O prefeito Rogério Lins, prestigiou o jogo amistoso que antecedeu o jogo final. “Parabenizo o Ribamar pela idealização do evento e por incentivar o esporte e o lazer em Osasco. Um trabalho brilhante, que só foi possível graças à dedicação dele e de sua equipe”, comentou Lins.
    Copa Ribamar Bandeira do Brasil
    De acordo com Ribamar, a ideia é de que em 2020 a 3ª edição do campeonato reúna ainda mais times. “Pelo sucesso desta edição, não tenho dúvidas de que vamos trabalhar ainda mais para que essa Copa seja ainda maior. Estou extremamente feliz e satisfeito em ver a alegria estampada nos rostos de todos aqui hoje”, finalizou Ribamar.
  • NO MARACANÃ (NÃO MARACANAZO): Brasil não precisa temer o Peru na final da Copa América

    Levando-se em conta o número de craques de cada seleção, o Brasil é o franco favorito diante do Peru. Não acredito em novo Maracanazo.

     

    Opinião: Renato Ferreira

    Neste domingo 07 de Julho, às 17h, o histórico e lendário Maracanã será sede de mais uma decisão da Seleção Brasileira de Futebol. Fosse em outros tempos de Pelé, Tostão, Garrincha, Pepe, Zico, Júnior, Ronaldinho Gaúcho, Romário, Bebeto e Ronaldo Fenômeno, quando a Seleção reunia verdadeira constelação de craques e gênios, com certeza, a torcida estaria mais esperançosa e até vibrando nas ruas, mesmo num domingo congelado como este.
    Mas, mesmo assim, levando-se em conta o número de craques de cada seleção, não dá para acreditar em outro resultado, senão uma vitória convincente dos brasileiros e, consequentemente, mais um título da Copa América. Não acredito em outro Macanazo, quando em 1950, com o velho Maracanã superlotado, viu o Uruguai vencer o Brasil na final da Copa, calando o Estádio e fazendo milhões de brasileiros chorar de Norte a Sul, passando para a história o termo Macaranaço, ou Maracanazo em espanhol.
    Sem Neymar é melhor
    E há um fator que, em minha opinião, ajuda a aumentar a esperança de vitória neste domingo. Fato que pode provocar a discordância de alguns. É a ausência de Neymar. Mas, como assim, o Brasil ser mais favorito por jogar sem o seu melhor jogador na atualidade?
    Sim. Realmente, ninguém pode negar o grande futebol do craque revelado pelo Santos e que brilha na Europa. Porém, ao contrário do que Pelé, Tostão, Zico e outros gênios faziam, quando usavam jogadas individuais só quando era necessário para o coletivo, Neymar faz, exatamente, o contrário.
    Ele próprio se sente a "estrela" máxima da equipe de Tite e ainda se sente contrariado quando joga sem a faixa de capitão. Só que, apesar de todo esse nome, a "genialidade" de Neymar não se reflete dentro das quatro linhas, além da fama mundial de cai-cai. E pelas histórias que conhecemos de boleiros, quando a fama de craque não se reflete em campo e atrapalha o coletivo, acaba provocando bronca e até boicote dos demais atletas que jogam em função da equipe.
    Assim, os resultados da Seleção nesta Copa América que, aos trancos e barrancos, chegou à decisão, deixam claro que o time de Tite não depende exclusivamente de Neymar. Alisson, Daniel Alves, Casemiro, Philippe Coutinho, Cebolinha, Firmino, Gabriel Jesus e cia. já mostraram que podem vencer até com tranquilidade a seleção peruana, onde brilha somente a estrela do craque Paolo Guerreiro ao lado de outros dez esforçados jogadores.
    Histórico
    Como já diziam os antigos boleiros "filósofos" que "futebol é uma caixinha de surpresa" e "cada jogo é um jogo e vice-versa", não podemos acreditar no título de hoje, apenas contando com a grande vantagem que o Brasil leva sobre o Peru ao longo da história. Mas, os cinco títulos mundiais do Brasil, contra nenhum do Peru, e o placar entre as duas seleções ao longo da histórias, só fazem aumentar o nosso favoritismo de daqui a pouco no Maracanã.
    No último jogo da fase de classificação, dia 22/06, na Arena Corinthians, o Brasil goleou os peruanos por 5 a 0, numa partida, com certeza, mais convincente, até mesmo mais do que os 2 a 0 sobre a 'poderosa" Argentina, no Mineirão, pela semifinal, com Messi e tudo.
    Mas, como "cada jogo é um jogo, e vice-versa", é melhor ficar na torcida pelo Brasil e só festejar a vitória depois dos 90 minutos, possível prorrogação ou mesmo decisão por pênaltis. Afinal, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.
    Mas, aqui no meu cantinho, acredito, sim, no título e não numa reedição do Maracanazo. Até para vingarmos 1978, quando os peruanos se venderam para a Argentina. Eles perderam por 8 a 0, em Buenos Aires, único resultado que classificaria os argentinos e tiraria o Brasil. A Argentina, claro, foi campeã. Com certeza, o Messi, que disse que esta Copa está armada para o Brasil ser campeão, não conhece esse lado obscuro dos seus companheiros de 1978. (Renato Ferreira)

  • SUPERLIGA MASCULINA: Taubaté bate Sesi e fatura seu primeiro título na competição

     

    Depois da longa hegemonia imposta pelo Cruzeiro, ganhador das cinco edições anteriores, o Taubaté se tornou, no final da noite de sábado, 11/05, o mais novo campeão da Superliga Masculina de Vôlei. A conquista veio com uma vitória sobre o Sesi-SP por 3 sets a 1, com parciais de 25/20, 25/22, 21/25 e 25/20, na Arena Suzano. Uma imensa torcida do Sesi invadiu Suzano, mas, o título foi da minoria de Taubaté que fez a festa nas arquibancadas depois de longos 4 sets.

    Com este triunfo de sábado, o Taubaté fechou em 3 a 2 a série melhor de cinco partidas desta decisão da temporada 2018/2019 da Superliga e faturou pela primeira vez este torneio. O primeiro jogo da final ocorreu no dia 23 de abril, em São Paulo, onde o Sesi ganhou por 3 sets a 0 para abrir vantagem. No dia 27, porém, o Taubaté deu o troco ao devolver o 3 a 0, em casa, e deixar tudo igual na série.
    Em seguida, no dia 30, o Taubaté ganhou por 3 sets a 2, em Suzano, e ficou a um triunfo do título. O Sesi ainda se manteve vivo na luta pela taça ganhar o quarto duelo da final por 3 a 1, novamente em Suzano, onde a equipe dirigida por Renan acabou faturando a Superliga na noite deste sábado.

    Dirigido pelo técnico Renan Dal Zotto, comandante da Seleção Brasileira e que assumiu o cargo com a competição em andamento, o Taubaté finalmente pôde comemorar o troféu mais cobiçado do vôlei nacional depois de ter sido vice-campeão em 2017 e terminado na terceira posição do torneio em 2015 e 2016.

    O último time paulista a ter conquistado o principal torneio do Brasil na modalidade havia sido, por sua vez, o Sesi, na temporada 2010/2011. Depois disso, o Cruzeiro faturou a taça em 2012 e o RJX, do Rio, ergueu o troféu em 2013, antes de os cruzeirenses iniciarem uma série de cinco conquistas consecutivas até 2018. Neste período, o Sesi foi vice-campeão em 2014, 2015 e no ano passado.

    Autor do ponto que definiu o título no terceiro set em um forte ataque na diagonal, o ponteiro Lucarelli comemorou o feito do Taubaté após exibir uma atuação decisiva em Suzano. "Estou meio perdido até agora... Esse projeto merece, esse time merece, foi uma temporada complicada, demos a volta por cima. Nem nos melhores sonhos a gente imaginava que a gente poderia ser campeão", afirmou o jogador, em entrevista ao SporTV, ainda dentro da quadra. (Estado de Minas)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.