Quinta, 18 Julho 2019 | Login
LIGA DAS NAÇÕES: Brasil perde da Turquia na semifinal

LIGA DAS NAÇÕES: Brasil perde da Turquia na semifinal Featured

Jogando na madrugada deste sábado, 30/06, pelas semifinais da Liga das Nações de Vôlei Feminino, a Seleção Brasileira perdeu para a Turquia por 3 set a 0 com parciais de 25/23, 25/23 e 25/22.
Com a derrota, a equipe de José Roberto Guimarães perdeu a oportunidade de disputar a final da primeira edição da Liga das Nações, que substitui o Gran Priix, onde o Brasil conquistou 12 títulos.
Até a metade do primeiro set, foi um jogo equilibrado. Mas, o Brasil, que fez excelentes partidas na fase de classificação, demonstrou cansaço diante da Turquia que venceu o set por 25 a 23.
Nos dois sets seguintes, as brasileiras tiveram altos e baixos na partida. E as turcas acabaram vencendo o segundo set por 25 a 23 e o terceiro por 25 a 22.
Agora, a Turquia vai decidir o título contra os Estados Unidos, que venceram a China por 3 a 1, no domingo, às 8h45, enquanto as brasileiras decidem o terceiro lugar contra as chinesas na madrugada de domingo.
000

About Author

Related items

  • INTERNACIONAL: Países do Mercosul têm convergência para aumentar competitividade
    Para o Itamaraty, acordo com União Europeia mostra novo momento.
     
    O Ministério das Relações Exteriores avalia que há uma convergência entre os quatro países-membros do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) para transformar o bloco em instrumento para aumentar a competitividade e a integração de suas economias com os mercados regional e global. “O acordo com a União Europeia é evidência deste novo momento vivido pelo Mercosul”, diz a nota do Itamaraty.
    O presidente Jair Bolsonaro recebeu a presidência pro tempore (rotativa) do Mercosul ao participar nesta quarta-feira, 17/07, da 54ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, em Santa Fé, na Argentina. Ao discursar na sessão plenária, Bolsonaro disse que vai trabalhar para acelerar a modernização do grupo.
    “Durante sua presidência, o Brasil buscará preservar e fortalecer as linhas de ação adotadas durante o mandato argentino, no sentido de intensificar a negociação de acordos comerciais externos, reduzir a Tarifa Externa Comum e dar seguimento aos esforços de racionalização do funcionamento do bloco, com diminuição de custos e burocracia”, informa a diplomacia brasileira. (Agência Brasil)
  • NO MARACANÃ (NÃO MARACANAZO): Brasil não precisa temer o Peru na final da Copa América

    Levando-se em conta o número de craques de cada seleção, o Brasil é o franco favorito diante do Peru. Não acredito em novo Maracanazo.

     

    Opinião: Renato Ferreira

    Neste domingo 07 de Julho, às 17h, o histórico e lendário Maracanã será sede de mais uma decisão da Seleção Brasileira de Futebol. Fosse em outros tempos de Pelé, Tostão, Garrincha, Pepe, Zico, Júnior, Ronaldinho Gaúcho, Romário, Bebeto e Ronaldo Fenômeno, quando a Seleção reunia verdadeira constelação de craques e gênios, com certeza, a torcida estaria mais esperançosa e até vibrando nas ruas, mesmo num domingo congelado como este.
    Mas, mesmo assim, levando-se em conta o número de craques de cada seleção, não dá para acreditar em outro resultado, senão uma vitória convincente dos brasileiros e, consequentemente, mais um título da Copa América. Não acredito em outro Macanazo, quando em 1950, com o velho Maracanã superlotado, viu o Uruguai vencer o Brasil na final da Copa, calando o Estádio e fazendo milhões de brasileiros chorar de Norte a Sul, passando para a história o termo Macaranaço, ou Maracanazo em espanhol.
    Sem Neymar é melhor
    E há um fator que, em minha opinião, ajuda a aumentar a esperança de vitória neste domingo. Fato que pode provocar a discordância de alguns. É a ausência de Neymar. Mas, como assim, o Brasil ser mais favorito por jogar sem o seu melhor jogador na atualidade?
    Sim. Realmente, ninguém pode negar o grande futebol do craque revelado pelo Santos e que brilha na Europa. Porém, ao contrário do que Pelé, Tostão, Zico e outros gênios faziam, quando usavam jogadas individuais só quando era necessário para o coletivo, Neymar faz, exatamente, o contrário.
    Ele próprio se sente a "estrela" máxima da equipe de Tite e ainda se sente contrariado quando joga sem a faixa de capitão. Só que, apesar de todo esse nome, a "genialidade" de Neymar não se reflete dentro das quatro linhas, além da fama mundial de cai-cai. E pelas histórias que conhecemos de boleiros, quando a fama de craque não se reflete em campo e atrapalha o coletivo, acaba provocando bronca e até boicote dos demais atletas que jogam em função da equipe.
    Assim, os resultados da Seleção nesta Copa América que, aos trancos e barrancos, chegou à decisão, deixam claro que o time de Tite não depende exclusivamente de Neymar. Alisson, Daniel Alves, Casemiro, Philippe Coutinho, Cebolinha, Firmino, Gabriel Jesus e cia. já mostraram que podem vencer até com tranquilidade a seleção peruana, onde brilha somente a estrela do craque Paolo Guerreiro ao lado de outros dez esforçados jogadores.
    Histórico
    Como já diziam os antigos boleiros "filósofos" que "futebol é uma caixinha de surpresa" e "cada jogo é um jogo e vice-versa", não podemos acreditar no título de hoje, apenas contando com a grande vantagem que o Brasil leva sobre o Peru ao longo da história. Mas, os cinco títulos mundiais do Brasil, contra nenhum do Peru, e o placar entre as duas seleções ao longo da histórias, só fazem aumentar o nosso favoritismo de daqui a pouco no Maracanã.
    No último jogo da fase de classificação, dia 22/06, na Arena Corinthians, o Brasil goleou os peruanos por 5 a 0, numa partida, com certeza, mais convincente, até mesmo mais do que os 2 a 0 sobre a 'poderosa" Argentina, no Mineirão, pela semifinal, com Messi e tudo.
    Mas, como "cada jogo é um jogo, e vice-versa", é melhor ficar na torcida pelo Brasil e só festejar a vitória depois dos 90 minutos, possível prorrogação ou mesmo decisão por pênaltis. Afinal, cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.
    Mas, aqui no meu cantinho, acredito, sim, no título e não numa reedição do Maracanazo. Até para vingarmos 1978, quando os peruanos se venderam para a Argentina. Eles perderam por 8 a 0, em Buenos Aires, único resultado que classificaria os argentinos e tiraria o Brasil. A Argentina, claro, foi campeã. Com certeza, o Messi, que disse que esta Copa está armada para o Brasil ser campeão, não conhece esse lado obscuro dos seus companheiros de 1978. (Renato Ferreira)

  • COPA AMÉRICA: Depois de 12 anos, Brasil vai à final após vencer a Argentina por 2 a 0
    Show de Gabriel Jesus num Mineirão lotado marca vitória da Seleção e deixa Messi ainda mais longe de um título para os hermanos. Chile e Peru decidem a outra vaga nesta quarta-feira, em Porto Alegre.
     
     
    Com um Mineirão superlotado por mais de 55 mil pessoas, e com uma torcida vibrante durante toda a partida, a Seleção Brasileira venceu, nesta terça-feira, 02/06, a rival Argentina por 2 a 0 e retornou a uma decisão do torneio após 12 anos. A última vez que o Brasil decidiu e venceu a Copa América foi em 2007.
     
    Brasil e Argentina Mineirão
    Mais de 55 mil torcedores viram a vitória do Brasil sobre a Argentina por 2 a 0 no Mineirão
    O nome da partida no Mineirão foi Gabriel Jesus, que marcou o seu primeiro gol nesta Copa América. Outros dois destaques da equipe de Tite foram Daniel Alves e Roberto Firmino, que também marcou.
    O camisa 9 abriu o placar no primeiro tempo, aproveitando uma grande jogada de Daniel Alves e um cruzamento rasteiro perfeito de Firmino. Após receber o passe dentro da pequena área, Jesus chutou fazendo um belo gol. ,
    Com esse gol. o centroavante do Manchester City pos fim ao seu longo jejum de 676 minutos sem marcar em jogos oficiais pelo Brasil, que vinha desde a Copa do Mundo 2018.
    Após a abertura do placar, a Argentina teve boas chances de empatar: Agüero cabeceou no travessão, ainda no primeiro tempo, enquanto Messi carimbou a trave de Alisson, na segunda etapa.
    No entanto, Gabriel Jesus apareceu bem demais novamente aos 25 minutos, puxando um contra-ataque espetacular. O jogador revelado pelo Palmeiras deixou três marcadores na saudade e só rolou para Firmino completar com o gol vazio.
    E assim, a tradição foi mantida: quando o jogador do Liverpool marca, o Brasil sempre vence: são 12 triunfos seguidos com gol do camisa 20.
    E a partida terminou bem à brasileira no Mineirão: gritos de "olé, olé, olé" a cada toque na bola, até o apito final do árbitro para selar a classificação verde e amarela.
    Agora, Tite e seus comandados aguardam a definição do outro finalista, que sai do duelo entre Peru e Chile, nesta quarta-feira, na Arena do Grêmio.
     
    Brasil e Argentina Messi
    Messi, mais uma vez, sai decepcionado do Mineirão
    Enquanto isso, o craque Lionel Messi lamenta mais um fracasso com sua seleção. Ele segue sem conquistar títulos e agora terá que se contentar com a disputa do 3º lugar.
    O JOGO
    Primeiro tempo
    Depois de um emocionante hino nacional brasileiro cantado à capela, que deixou muita gente arrepiada no Mineirão, o clássico começou em ritmo alucinante. Roberto Firmino teve a primeira chance com menos de dois minutos de bola rolando, mas a arbitragem deu impedimento.
    E como todo Brasil x Argentina, logo a tensão apareceu em campo. Com apenas cinco minutos, os hermanos começaram a fazer faltas em série no meio-campo. Aos 8, não teve jeito: depois de uma chegada fortíssima, Tagliafico foi o primeiro amarelado da partida.
    A torcida brasileira, porém, teve que segurar a respiração aos 11, quando Paredes soltou um foguete de fora da área e viu a bola passar zunindo perto do ângulo de Alisson.
    Resposta canarinho aos 16, quando Roberto Firmino roubou bola no meio-campo e enfiou para Gabriel Jesus. Ela acabou correndo muito e o camisa 9 não conseguiu dar sequência como queria na jogada, mas ficou perto de abrir o placar.
    Mas artilheiro que é artilheiro não desperdiça duas seguidas...
    Aos 18, Daniel Alves fez uma jogada maravilhosa, dando um chapéu em Acuña, deixando Paredes sentado e abrindo para Firmino. O camisa 20 cruzou rasteiro e Gabriel Jesus só completou para a rede.
    Golaço do Brasil! E a torcida respondeu cantando a tradicional "Mil gols, só Pelé", fazendo o Mineirão explodir em festa.
    O time de Tite parecia ter o jogo controlado, mas a Argentina tentava pregar uma surpresa por meio da bola parada. Aos 29 minutos, Messi cruzou na área e Agüero deu um leve toque de cabeça, mas a bola bateu no travessão e ninguém conseguiu aproveitar o rebote.
    O lance animou os estrangeiros, que chegaram com muito perigo novamente aos 35: Messi enfiou, Thiago Silva escorregou e Agüero apareceu em boa posição na área. Ele disparou forte, mas Marquinhos conseguiu travar.
    O Brasil só foi voltar a ameaçar aos 42 minutos, em um chute de Arthur de fora da área. No entanto, a bola acabou resvalando na zaga e ficou fácil para a defesa de Armani.
    Segundo tempo
    Na volta do intervalo, Tite optou por colocar Willian no lugar de Everton Cebolinha, que teve atuação fraca na primeira etapa.
    A primeira chance, porém, foi argentina. Logo aos 4, Agüero levantou da esquerda e Lautaro Martínez acertou um belo chute de primeira, da meia-lua, mas Alisson defendeu com firmeza, sem dar rebote.
    A equipe de Lionel Scaloni era melhor, e logo em seguida teve mais uma oportunidade em um chutaço de De Paul, da entrada da área, que passou por cima da meta brasileira.
    O Brasil só foi conseguir ameaçar pela primeira vez aos 10 minutos, em uma ótima jogada de Gabriel Jesus. Coutinho aproveitou, invadiu a área e tentou colocar no ângulo, mas acabou errando por pouco.
    A partida era eletrizante, e a Argentina teve sua melhor chance na partida logo no contra-ataque seguinte: Lautaro chutou, a bola desviou e sobrou para Messi, que entrou livre pela esquerda da área. O camisa 10 encheu o pé e viu a bola explodir na trave. No rebote, ele cruzou rasteiro, a bola atravessou toda a pequena área e ninguém completou para dentro, para alívio da torcida brasileira.
    Aos 20, Messi teve ocasião de ouro para marcar: uma falta bem na entrada da área. O craque do Barcelona bateu bem, mas Alisson simplesmente agarrou a bola e sequer deu rebote, tendo seu nome cantado pela torcida no Mineirão.
    E foi, justamente, quando a Argentina vivia seu melhor momento na partida, o Brasil matou o jogo: Gabriel Jesus deu uma linda arrancada, deixou três marcadores na saudade e só rolou para Roberto Firmino completar para o gol vazio.
    Mais uma vez, explosão de alegria no Mineirão abarrotado por mais de 55 mil torcedores.
    Depois disso, foi só tocar a bola ao som dos gritos de "olé, olé, olé" e esperar o apito final para a torcida brasileira festejar a ida à final da Copa América. Mais de 55 mil pessoas estiveram no Mineirão para uma arrecadação de mais de R$ 18 milhões, a segunda maior da competição, só perdendo para a estreia do Brasil, no Morumbi, quando a renda foi de R$ 22 milhões. (Com informações da ESPN)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.