Quarta, 14 Novembro 2018 | Login
Depois do atentado contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), no dia 6 de setembro, a cidade de Juiz de Fora volta a ser destaque no noticiário policial. Nesta sexta-feira, 19/10, policiais civis mineiros suspeitaram de policiais paulistas e houve troca de tiros. Um policial de Juiz de Fora morreu, dois paulistas ficaram feridos. Cerca de R$ 15 milhões foram encontrados com os policiais de São Paulo. Segundo informações, o dinheiro seria de um empresário ainda não identificado
 
O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais. Malas com dinheiro foram encontradas em carros com o grupo que veio de São Paulo e se envolveu em tiroteio com policiais civis de Juiz de Fora
Tiroteiro entre policiais em JF dinheiro
 
Segue em andamento na Polícia Civil a apuração sobre o tiroteio entre policiais civis de Minas Gerais e São Paulo. A Polícia Civil de Juiz de Fora informou que foram apreendidos cerca de R$ 15 milhões nos carros do grupo de São Paulo. Segundo as primeiras informações, a maioria das notas seria falsificada.
Um policial civil de 39 anos de Juiz de Fora morreu durante a ação. Um idoso de 66 anos e um homem de 42 ficaram feridos. Outros envolvidos, entre 30 e 50 anos, foram conduzidos à Delegacia de Plantão no Bairro Santa Terezinha.
Segundo o Registro de Eventos de Defesa Social (Reds), as malas estavam em dois carros localizados no subsolo do estacionamento, um deles com uma mala e um colete balístico; as outras seis contendo o dinheiro estavam em outro veículo.
A Polícia Civil ainda não divulgou os motivos que trouxeram os policiais até Juiz de Fora. Em depoimentos nas últimas horas, alguns deles afirmaram ter sido contratados para fazer a escolta de um empresário de São Paulo sem saber de fato o que ele veio fazer na cidade. A identidade do suposto empresário não foi divulgada, a Polícia investiga relatos de que ele teria deixado Juiz de Fora em um jatinho.
O G1 entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sedettur) da Prefeitura questionando se houve alguma decolagem particular no Aeroporto da Serrinha após o registro da ocorrência no estacionamento do hospital. "A AMD Services, empresa que administra do Aeroporto Francisco Álvares de Assis (Serrinha), colabora com as investigações e passou para a polícia todas as informações relativas a pousos e decolagens realizadas no aeroporto na última sexta-feira (19)", explicou em nota neste sábado.
Equipe da Corregedoria de São Paulo chegou à Delegacia de Polícia Civil de Juiz de Fora na manhã deste sábado para apurar o caso — Foto: Luiz Felipe Falcão/G1 Equipe da Corregedoria de São Paulo chegou à Delegacia de Polícia Civil de Juiz de Fora na manhã deste sábado para apurar o caso — Foto: Luiz Felipe Falcão/G1
Equipe da Corregedoria de São Paulo chegou à Delegacia de Polícia Civil de Juiz de Fora na manhã deste sábado para apurar o caso — Foto: Luiz Felipe Falcão/G1
O MGTV apurou junto à Polícia Civil de Juiz de Fora que foram conduzidos dois delegados e nove investigadores da Polícia de São Paulo. Todos foram ouvidos e autuados, mas não foi detalhado por qual crime. Eles devem ser encaminhados para a audiência de custódia na tarde deste sábado e depois serão transferidos para São Paulo.
Integrantes da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo chegaram à Delegacia na manhã deste sábado (20). "O delegado divisionário da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo está em Juiz de Fora em contato constante com a Polícia Judiciária mineira para auxiliar pessoalmente nas investigações, a fim de apurar todas as circunstâncias do caso. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) ressalta que não compactua com desvios de conduta de seus agentes e, caso haja alguma irregularidade, os envolvidos serão responsabilizados", explicou o setor em nota à imprensa.
Reforço
Policiais de Ubá e de Leopoldina vieram reforçar a equipe em Juiz de Fora no trabalho da apuração do caso. A Polícia Civil de Minas Gerais aguarda a finalização do procedimento investigatório para se posicionar sobre o caso.
Polícia Civil acha cerca de R$ 15 milhões em carros que estavam com policiais de SP em MG
O velório do policial civil Rodrigo Francisco, 37 anos, está em andamento na capela 6 do Cemitério Municipal. O enterro será no mesmo local na tarde deste sábado (20).
Segundo a assessoria do Hospital Monte Sinai, os dois internados foram operados no Hospital. Um dos pacientes passou por cirurgia na sexta, está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sedado. O quadro é grave, porém estável. O outro passou por cirurgia no pé, está sendo assistido na rotina normal de internação pós-cirúrgica em enfermaria. Não há previsão de alta. Por questão de sigilo, o hospital não divulgou o nome dos feridos.
Tiroteio
De acordo com o Registro de Eventos de Defesa Social (Reds), as equipes foram acionadas após informações de um tiroteio no estacionamento no subsolo do prédio anexo do Hospital Monte Sinai por volta de 16h. No local, a PM encontrou o investigador Rodrigo Francisco morto. Segundo informações de funcionários, outras duas pessoas ficaram feridas e foram socorridas no mesmo hospital. O registro da PM enumera ainda que outros dois carros foram danificados pelos disparos.
Durante o registro da ocorrência, houve uma confusão na viatura da Polícia Civil de Juiz de Fora porque alguns dos agentes de São Paulo não queriam entregar as armas.
Segundo a Polícia Civil, quatro deles fugiram após a ocorrência no hospital. Eles foram capturados no início da noite em um carro branco, descaracterizado.
Em entrevista na noite de sexta-feira (19), o chefe do 4º Departamento de Polícia Civil, Carlos Roberto da Silveira contou as informações iniciais apuradas sobre a ocorrência.
"O que a gente ficou sabendo é que eles (os policiais mineiros) estavam trabalhando e viram os elementos abordando uma pessoa, salvo engano, com armas. Ele se identificaram como policiais e foram para abordar. E tinha mais elementos do outro grupo na retaguarda, na cobertura, e começou a troca de tiros", disse o delegado.
Conforme Silveira, ainda não havia informações sobre quem atirou e o motivo do grupo estar em Juiz de Fora. Segundo ele, não houve comunicado da Polícia Civil de São Paulo sobre a presença de policiais paulistas em Minas Gerais.
A assessoria do Hospital Monte Sinai divulgou nota neste sábado sobre a ocorrência. Destacou que presta atendimento aos feridos e colabora com as investigações. "A instituição não pode falar sobre o episódio de violência, pois desconhece o que aconteceu de fato. Mas, até onde se pode julgar, o fato que aconteceu nas dependências do Complexo poderia ter acontecido em qualquer lugar. Prestamos socorro aos feridos e estamos colaborando com as necessidades de investigação da polícia para que tudo seja esclarecido o mais rápido possível", diz o texto.
Funcionários de um hotel próximo ao hospital onde a ocorrência foi registrada confirmaram ao MGTV que seis policias civis de São Paulo estavam hospedados no estabelecimento desde a última quarta-feira (17). A direção do hotel explicou que não irá se pronunciar sobre o caso. (Fonte: G1)
 
Atentado contra Bolsonaro
No dia 6 de setembro, Juiz de Fora foi destaque na imprensa nacional e internacional. Naquela data, o presidenciável Jair Bolsonaro, candidato do PSL, paraticipava de uma ação política com mais de 40 mil pessoas, no Centro da cidade, quando foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira, um ativista político, ex-filiado ao PSOL.
 
Socorrido imediatamente, Bolsonaro foi levado à Santa Casa de Juiz de Fora, onde passou por cirurgia e recebeu uma bolsa de colostomia. Posteriormente, ele foi levado para São Paulo, onde ficou internado na UTI do Hospital Albert Einstein por mais de 20 dias. O candidato do PSL já recebeu alta médica para voltar às atividades de campanha, mas, ainda está com a bolsa de colostomia.
 
Seu agressor foi preso em flagrande, ficou preso em Juiz de Fora. Hoje, ele encontra-se detido num presídio federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. (Renato Ferreira)
 
Grades foram instaladas no acesso ao condomínio do presidenciável do PSL que lidera as pesquisas eleitorais.Local tem tido movimentação intensa de curiosos, apoiadores, correligionários e jornalistas
 
Na manhã desta sexta-feira, 19/10, grades de contenção foram instaladas no acesso ao condomínio onde mora o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Alguns gradis invadem parte da calçada. Desde a semana passada o local tem tido movimentação intensa de curiosos, que chegam para tirar selfies, apoiadores, correligionários e repórteres.
Policiais federais que fazem a segurança de Bolsonaro também atuam junto à portaria do condomínio. Até então, eles ficavam apenas próximos à casa do candidato, que não pode ser vista da rua. Os agentes abordam quem ingressa no conjunto de casas e não for morador.
Segundo um dos policiais, o reforço na segurança seria "apenas um ajuste nesta reta final de eleições". A instalação das grades, por sua vez, teria partido por decisão do condomínio. Diferentemente dos últimos dias, não houve entrada e saída de políticos na manhã desta sexta. (Fonte: Terra)
No quesido rejeição, Bolsonaro tem 41%, contra 54% de Haddad
 
 
Conforme pesquisa Datafolha de intenção de voto para a presidência da República divulgada nesta quinta-feira, 18/10, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) segue liderando a disputa do segundo turno com 59% dos votos válidos. O concorrente, Fernando Haddad (PT), tem 41%.
Datafolha votos
Com relação aos votos totais, a pesquisa apresenta Bolsonaro com 50%, Haddad com 35%, brancos e nulos com 10%, e não sabem (ou não responderam) com 5%.
O Datafolha também pesquisou o índice de rejeição dos candidatos. Quando a pergunta foi “entre estes candidatos, gostaria que você me dissesse se votaria com certeza, talvez votasse ou não votaria de jeito nenhum em”, os resultados foram:
Datafolha rejeição
Jair Bolsonaro
Votaria com certeza – 48%
Talvez votasse – 10%
Não votaria de jeito nenhum – 41%
Não sabe – 1%
Fernando Haddad
Votaria com certeza – 33%
Talvez votasse – 12%
Não votaria de jeito nenhum – 54%
Não sabe – 1%
A pesquisa foi feita entre 17 e 18 de outubro com 9.137 eleitores em 341 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Ela foi registrada no TSE sob o número BR-07528/2018. (Fonte: Jovem Pan)
Os cães de Osasco sempre são solicitados para auxiliar a Polícia e o Corpo de Bombeiros em casos de desabamentos e desparecimento de pessoas em locais de difícil acesso
 
 
A Defesa Civil de Osasco, órgão vinculado à Secretaria de Segurança e Controle Urbano (SECONTRU), se deslocou até a cidade de Ribeirão Pires na quarta-feira, 17/10, para auxiliar na procura da dona de casa de 34 anos, que desapareceu há cerca de 15 dias no município. Osasco atendeu pedido feito pelo delegado que investiga o caso.
A equipe, formada por 4 agentes, 2 cães e um cinegrafista, é a mesma que auxiliou as equipes de buscas no caso da menina Vitória, que desapareceu em Araçariguama em junho e foi encontrada morta 8 dias depois.
Cães de Osasco 2
Em Ribeirão Pires, os cães vasculharam 4 locais indicados pela equipe da Polícia Civil, mapeados através de denúncias anônimas. De acordo com os denunciantes, os locais indicados são onde a vítima e o principal suspeito foram vistos.
Após um dia de busca, os cães de Osasco não encontraram a mulher e retornaram, permanecendo à disposição. As investigações continuam sob responsabilidade da Polícia Civil. (Texto: Felipe Barbosa - Foto: Carlos Campos/Secom)

 

"Cruzeiro, Cruzeiro querido; tão combatido, jamais vencido"

Jogando na Arena Itaquera, na noite desta quarta-feira, 17/10, o Cruzeiro conquistou o título da Copa do Brasil pela sexta vez em sua história ao derrotar o Corinthians, por 2 a 1.

Como já havia vencido o jogo de ida por 1 a 0, a equipe mineira conquistou o torneio pela segunda vez consecutiva. É o primeiro time a atingir esse feito.

Cruzeiro é hexa

Além do hexa, o Cruzeiro embolsou R$ 50 milhões de prêmio e também é o primeiro time a conquistar uma vaga na Copa Libertadores da América de 2019.

Os gols do Cruzeiro foram marcados por Robinho, no primeiro tempo, e Arrascaeta na etapa final. De pênalti, Jadson marcou o gol do Corínthians. O técnico Mano Menezes conquistou o seu terceiro título da Copa do Brasil.

Veja, aqui, o vídeo da festa cruzeirense, no final do jogo em São Paulo: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/1995614080528822?

 

Em nota oficial, o Diretório Municipal do Podemos de Osasco nega que a legenda tenha participado de uma reunião para formação de uma frente partidária realizada no Sindicato dos Metalúrgicos.

NOTA À IMPRENSA

- O Podemos vem a público informar que:

Ao contrário do que foi veiculado no jornal Diário da Região, no dia 16/10, o PODEMOS não participou da reunião denominada Frente Ampla de Defesa da Democracia, realizada na noite da referida data, no Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região. Se algum filiado participou, foi um ato individual e sem o consentimento do Diretório.

O Diretório Municipal de Osasco reitera que não possui laços com o Partido dos Trabalhadores, e que estará em lados opostos.

“Não existe possibilidade do PODEMOS fazer algum ato de apoio ao PT em Osasco, ou no Estado de SP”, garantiu o prefeito de Osasco, Rogério Lins, liderança regional e um dos vice presidentes estaduais do PODEMOS.

 

Incêndio amigo na campanha petista. Com certeza, o Haddad e nem o mais pessimista petista poderiam esperar isso a menos de duas semanas do segundo turno

 

Normalmente, chama-se de fogo amigo, quando vaza na imprensa alguma frase de um correligionário criticando um companheiro de partido. Mas, o que aconteceu em Fortaleza, na noite de segunda-feira, 15, foi um verdadeiro incêndio na campanha do petista Fernando Haddad. Parece que deu PT (Perda Total).

No lançamento da campanha de segundo turno no Ceará, um dos convidados a falar foi o senador eleito, Cid Gomes (PDT). Irmão de Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar no primeiro turno, Cid foi eleito com apoio dos petistas.

Ao iniciar sua fala, Cid sugeriu que o PT fizesse um mea culpa e pedisse desculpas pelos erros cometidos. Aí, os petistas começaram a vaiá-lo e o Cid subiu o tom.

"Tem de pedir desculpas, tem de ter humildade, e reconhecer que fizeram muita besteira", disse. Ao ser interrompido, afirmou: "É sim, é? Pois tu vai perder a eleição. Não admitir um mea culpa, não admitir os erros que cometeu, isso é para perder a eleição e é bem feito. É bem feito perder a eleição. O PT queria ser dono do Brasil e o Brasil não tem dono", afirmou.

Ao ser interrompido mais uma fez, com gritos a favor de Lula, Cid jogou gasolina e ateou fogo no evento de Haddad. "Lula o quê? Lula tá preso, ô babaca. O Lula tá preso. O Lula tá preso. E vai fazer o quê? Babaca, babaca. Isso é o PT. E o PT deste jeito merece perder. Babaca, vai perder a eleição", reagiu Cid.

Confira o vídeo: https://www.facebook.com/orenatoferreira/posts/1993104620779768?

TRAGICÔMICO é uma publicação de Notícias & Opinião todas às quartas-feiras.

 
Ele era jornalista, radialista e cronista policial e emocionava a todos com as suas reportagens no rádio e na televisão
 
 
O jornalismo brasileiro está de luto. Morreu na madrugada desta terça-feira, 16/10, o jornalista e radialista Gil Gomes. Ele estava internado no Hospital São Paulo. Famoso e insuperável na crônica policial, Gil Gomes tinha 78 anos e sofria havia mais de dez anos de Mal de Parkinson.
Na noite de segunda-feira, o jornalista passou mal em sua casa, no bairro Jardim da Saúde, Zona Sul da capital. Ele foi socorrido por equipe do Samu e levado para o pronto-socorro do Hospital São Paulo. A morte foi confirmada nesta madrugada.
Ele deixa quatro filhos e nove netos. "É uma pessoa única para a comunicação. Sempre muito indignado com as injustiças sociais. Era muito considerado desde os delegados até as classes mais humildes", disse Vilma Gil Gomes, filha do jornalista. Segundo ela, a saúde do pai piorou nos últimos dias em decorrência do Parkinson.
Jornalistas de todas as regiões do Brail lamentaram a morte de Gil. No Twitter, o presidente da República, Michel Temer (MDB), disse que "seu estilo único e carismático marcou para sempre o jornalismo brasileiro".
O velório teve início por volta das 14h na Capela Obelisco, na Vila Mariana. O enterro está previsto para quarta, 17), no Cemitério Memorial Vertical de Guarulhos, na Grande São Paulo. O horário ainda não foi informado.
Voz marcante
Cândido Gil Gomes Jr. nasceu em São Paulo, em 1940. Dono de uma voz potente, começou a carreira jornalística aos 18 anos, em uma rádio, como locutor esportivo. Na época, não pensava em cobrir crimes. "Polícia sempre me cheirara a coisa de mundo cão", disse em entrevista à "Folha de S.Paulo" em 2008.
A entrada no "mundo cão" ocorreu em 1968, na Rádio Marconi. Lá, deixou a crônica esportiva para cobrir reportagens de temas variados. Se destacou ao cobrir, ao vivo, um caso de agressão sexual ocorrido no prédio onde trabalhava.
A partir daí, aprimorou a narrativa que o marcou na crônica policial brasileira.
Nos anos 90 integrou a equipe do popular “Aqui Agora”, do SBT. Manteve no vídeo a entonação de suspense que criou no rádio, acrescentando ao estilo um gesto circular que fazia com a mão e camisas com estampas coloridas. Depois do “Aqui Agora”, trabalhou em outras emissoras.
Gil Gomes ficou afastado da TV por mais de 10 anos devido a problemas de saúde relacionados ao Mal de Parkinson, doença diagnosticada em 2005. Em 2016, aos 76 anos, foi convidado a participar com comentários em um programa de TV patrocinado por uma rede de farmácias. (Fonte G1)
 
Em Piracicaba
Eu o conheci pessoalmente, no final dos anos anos 1980, em Piracicaba, onde eu trabalhava como jornalista policial no Jornal de Piracicaba e na Rádio Difusora. Ele esteve na cidade de informações sobre um crime que foi destaque na imprensa nacional. Em 1988, um menino de 9 foi encontrado morto dentro de um freezer num Colégio Católico.
 
Como cobri o caso desde o início, forneci ao Gil Gomes muitas informações sobre as investigações realizadas pela policia local e também por peritos da Unicamp. Ele fez várias reportagens sobre caso. Sem dúvida, Gil Gomes foi um ícone do jornalismo brasileiro. (Renato Ferreira)
 
 
 
 
Nesta terça-feira, 16/10, um dia depois de o senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) se envolver em uma discussão com militantes do PT ao cobrar um 'mea culpa' do partido, o candidato da sigla ao Planalto, Fernando Haddad, disse acreditar que o político vai dar uma declaração explícita de apoio a ele até o dia 28.
"Vamos ter o Cid dando uma declaração explícita sobre a minha candidatura porque ele sabe o risco do (Jair) Bolsonaro ser presidente", disse Haddad à Rádio Jornal Meio Norte, do Piauí.
Ontem à noite, após elogiar Haddad, Cid Gomes afirmou em evento em Fortaleza que membros do PT "têm de pedir desculpas, têm de ter humildade, e reconhecer que fizeram muita besteira". Ele foi vaiado pela militância, que o interrompeu aos gritos de "olê, olê, olê, olá, Lula, Lula". "Lula tá preso, ô babaca. Babaca, babaca. Isso é o PT. E o PT deste jeito merece perder", disse o senador eleito, ex-governador do Ceará e ex-ministro da Educação.
Questionado sobre se espera o apoio também de Ciro Gomes, que conquistou 13,3 milhões de votos no primeiro turno, Haddad afirmou crer que "estes dois grandes brasileiros assumam a responsabilidade com o País".
Em um sinal de afago aos irmãos Gomes, Haddad citou várias vezes o Ceará como exemplo de política pública nas áreas de educação. "Tem cidades do Sul e do Sudeste copiando exemplos do Ceará", afirmou, em uma das passagens.
 
Logo após terminar o primeiro turno, o PDT adotou um "apoio crítico" ao candidato Fernando Haddad, afirmando que o partido indicaria votos ao petista, porém, sem a intenção de participar de um possível governo de Haddad. Um dia após a votação, Ciro Gomes viajou para Paris e só voltará na semada anterior à votação do segundo turno. Isso frustrou os planos petistas que esperavam ver Ciro Gomes fazendo campanha ao lado de Fernando Haddad. (Fonte: O Estado de Minas)
Segundo pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira 15/10, Jair Bolsonaro (PSL) tem 59% das intenções de voto, enquanto Fernando Haddad (PT) tem 41%. O cálculo leva em conta apenas os votos válidos, excluindo brancos e nulos.
Entre os votos totais, Bolsonaro aparece com 52%, contra 37% de Haddad. Brancos e nulos somam 9%, e 2% dos entrevistados não souberam responder ou não quiseram opinar.
O Ibope ainda mediu o potencial de voto e rejeição de cada candidato. Quem tem mais rejeição é Haddad: 47% dos entrevistados não votariam nele de jeito nenhum, enquanto 35% rejeitam Bolsonaro. Por outro lado, 41% dos entrevistados votariam com certeza no candidato do PSL, e 28% votariam com certeza no petista.
O novo levantamento mostra uma ligeira vantagem de Jair Bolsonaro em relação à pesquisa Datafolha divulgada na última quarta-feira (10). Na primeira pesquisa após a confirmação do segundo turno, Bolsonaro tinha 58% das intenções de voto, contra 42% de Fernando Haddad.
A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre os dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa está registrada sob o protocolo BR-01112/2018. (Fonte: Jovem Pan/Agência Brasil)
BTG/Pactual
Também nesta segunda-feira, foi divulgada a pesquisa do Instituto FSB Pesquisa/BTG Pactual. Segundo essa pesquisa, Jair Bolsonaro (PSL) tem 51% nas intenções de voto estimulada, contra 35%, para Fernando Haddad (PT). Brancos e nulos somam 5%; 6% disseram que não votam em nenhum dos dois candidatos que disputam a presidência neste 2º turno das eleições; e 3% não souberam ou não responderam.
A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 14 e foram feitas com 2 mil eleitores, com idade a partir de 16 anos, e entrevistados por telefone nas 27 unidades da federação. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%.
Na intenção de votos espontânea, 49% dos entrevistados disseram votar em Bolsonaro, 30% em Haddad. Brancos e Nulos somaram 4% dos entrevistados; 6% afirmaram não votam em nenhum dos dois candidatos; e 10% não souberam ou não responderam. (Fonte: O Estado de Minas)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.