Domingo, 18 Novembro 2018 | Login
A interlocutores próximos, o juiz da Lava Jato tem dito que se, de fato, for convidado para o Ministério da Justiça, vai inicialmente conversar com o presidente
O juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, sinalizou nesta terça-feira, 30/10, ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), sobre eventual convite para chefiar o Ministério da Justiça ou para integrar o Supremo Tribunal Federal (STF).
Em nota oficial, o magistrado de Curitiba declarou que "caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão".
"Sobre a menção pública pelo sr. presidente eleito ao meu nome para compor o Supremo Tribunal Federal quando houver vaga ou para ser indicado para Ministro da Justiça em sua gestão, apenas tenho a dizer publicamente que fico honrado com a lembrança. Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão", afirmou Moro.
A interlocutores próximos, Moro tem dito que se, de fato, for convidado para o Ministério da Justiça, vai inicialmente conversar com Bolsonaro para identificar "convergências importantes" e "divergências irrelevantes".
O juiz da Lava Jato acredita que no Ministério da Justiça poderia adotar "boas iniciativas". Depois, eventualmente, seguiria para o Supremo, quando surgisse uma vaga na Corte máxima.
Nesta segunda-feira, 29/10, em entrevistas concedidas ao SBT e ao Jornal Nacional, da TV Globo, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que pretende convidar Moro para a pasta da Justiça em seu futuro governo ou ainda para ocupar uma vaga no Supremo.
"Pretendo conversar com ele (Moro) para ver se há interesse da parte dele", disse Bolsonaro em entrevista ao SBT. "Se eu tivesse falado isso antes (na campanha) soaria como oportunismo."
Ao Jornal Nacional, o presidente eleito disse que Moro é um "grande símbolo" da luta contra a corrupção. "Poderia ser ministro da Justiça ou, abrindo uma vaga no STF, (escolher) a que achar que melhor poderia contribuir para o Brasil". Aliados de Bolsonaro já haviam dito que Moro era cotado para ocupar futura vaga no STF. Esta é a primeira vez que o nome do juiz federal é citado como possível ministro.
Aliados de Bolsonaro dizem que a indicação de Moro para o Ministério da Justiça seria um atalho necessário para ele chegar ao Supremo. Um juiz de primeiro grau nunca foi alçado diretamente a ministro da Corte.
Esses interlocutores citam como exemplo o ministro Alexandre de Moraes. Antes de assumir a Corte, o advogado foi ministro da Justiça no governo Temer e Secretário de Justiça de São Paulo. O ministro Dias Toffoli, atual presidente do Supremo, também passou por um cargo relevante antes de ser indicado para a Corte. Toffoli foi Advogado-Geral da União, assim como o ministro Gilmar Mendes. (Fonte: Portal UAI)
Confira a nota de Moro:
Nota oficial
"Sobre a menção pública pelo Sr. Presidente eleito ao meu nome para compor o Supremo Tribunal Federal quando houver vaga ou para ser indicado para Ministro da Justiça em sua gestão, apenas tenho a dizer publicamente que fico honrado com a lembrança. Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão. Curitiba, 30 de outubro de 2018.
Sergio Fernando Moro, Juiz Federal"
Presidente eleito afirmou que não vai haver diálogo com movimentos sociais que invadem e depredam a propriedade privada
 
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou em entrevista na noite desta segunda-feira, 29/10, que não pretende dialogar com os movimentos dos Sem Teto (MST) e dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), conhecidos por suas invasões em propriedades rurais e urbanas.
O capitão reformado do Exército ressaltou que espera que os atos de invasões e depredações passem a ser enquadrados como atos de terrorismo. “Movimento social que invade propriedade não temos que conversar com ele. Tem que ser enquadrado na lei”, afirmou Bolsonaro.
Segundo ele, nos governos anteriores houve apoio aos movimentos sociais que reivindicam terras por motivos ideológicos.
 
mstfazenda
“Quando você vê o pessoal do MST invadindo propriedades, depredando, matando animais, tocando fogo em prédio, você fica indignado com isso. Temos que ter uma relação bastante dura, para que esses que vivem fora de lei sejam enquadrados. Muitas vezes os proprietários entram com ação judicial de reintegração de posse, ganha na Justiça, mas os governadores não cumprem a ordem por questões ideológicas. Toda ação do MST e do MTST devem ser tipificadas como terrorismo. A propriedade privada é sagrada”, enfatizou Bolsonaro. (Fonte: Portal UAI)
O primeiro país a receber o novo = presidente eleito do Brasil será o Chile
 
Confirmando que o seu governo terá novas diretrizes em termos de política externa, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) já definiu quais serão suas primeiras viagens internacionais. O capitão reformado deverá ter o Chile como seu primeiro destino, depois irá para os Estados Unidos e Israel.
Primeiro país a receber o futuro presidente, o Chile é considerado como uma referência de prosperidade e crescimento na América do Sul por Bolsonaro. Depois, o político deve visitar Donald Trump, com quem conversou por telefone neste domingo (28) após a confirmação de sua eleição. Em seguida, Bolsonaro deverá visitar Israel, onde esteve há dois anos, e com quem quer mater relações estreitas para a troca de informações sobre tecnologia.
As viagens, entretanto, só acontecerão após o futuro presidente se recuperar totalmente da facada que recebeu em setembro, durante evento de campanha na cidade de Juiz de Fora. Em dezembro, ele deverá passar por uma cirurgia para retirar a bolsa de colostomia que carrega desde o atentado.
Transição
Antes disso, o presidente eleito trabalhará com Michel Temer (MDB) na transição do governo. Bolsonaro e seus ministros de confiança, Paulo Guedes (Fazenda) e Onyx Lorenzoni (Casa Civil), vão se reunir nesta terça-feira (30) para definir quem fará parte da equipe que irá participar das primeiras reuniões com os representantes de Temer, em Brasília, a partir da próxima semana. (Fonte: Jovem Pan)
Foram simplesmente sensacionais as semifinais do Campeonato Paulista, entre o Vôlei Osasco-Audax e o Hinode Barueri. As comandadas do técnico Luizomar mostraram raça, técnica e contaram com o apoio da torcida no ginásio José Liberatti para vencer o jogo por 3 sets a 2 neste sábado (27). Na sequência, ganharam o Golden Set e garantiram lugar na decisão do Paulista 2018 e lutar pelo heptacampeonato
O Vôlei Osasco-Audax é finalista do Campeonato Paulista pelo sétimo ano consecutivo. A vaga veio com a vitória sobre o Hinode Barueri por 3 sets a 2, com parciais de 25/16, 18/25, 18/25, 25/19 e 15/9, em 2h05min, e no Golden Set, disputado na sequência, por 25/16. O segundo jogo da semifinal foi disputado na noite deste sábado (27), no ginásio José Liberatti. Como sempre, a torcida fez um show à parte, incentivando o time da casa da primeira até a última bola em uma conquista emocionante. Em quadra, as comandadas de Luizomar corresponderam com técnica e garra. E quando a partida terminou, no início da madrugada, junto com a festa pelo resultado, a torcida cantou os parabéns para Camila Brait, que faz aniversário neste domingo (28).
“Foi emocionante. Esse ginásio é único. Essa torcida é única. Eu não poderia querer melhor presente de aniversário do que conquistar essa vitória dupla e a vaga para mais uma final de Campeonato Paulista”, afirmou uma emocionada Camila Brait, que completa 30 anos neste domingo. Para Claudinha, valeu a atitude de toda a equipe. “Viemos de uma derrota muito ruim no primeiro jogo da semifinal (3 a 1 para Barueri), quando não conseguimos executar o que treinamos. Mas colocamos a cabeça no lugar e nesta noite acertamos técnica e taticamente. A vontade de ganhar foi fundamental. Temos que criar essa casca, gostar de ganhar, de encarar jogo difícil e conquistar títulos. Foi um jogão, o adversário nos colocou em dificuldades e conseguimos reverter”, explicou a levantadora.
Comissão
O técnico Luizomar também comentou a vitória. “Esta foi apenas a sétima partida dessa equipe. Temos muito lastro para crescer. Mas as meninas mostraram comprometimento. E não só agora, mas desde o início desse ciclo. Reconstruímos esse time e estar na final, com o apoio incondicional da prefeitura de Osasco, é especial”, disse o treinador, que completou: “Nosso grupo tem muitas jogadoras diferentes, que tinham vivido essa energia do Liberatti como adversárias e é bacana que elas sintam a força dessa torcida como sua. Foi fundamental o apoio da torcida, que não deixou o time abaixar a cabeça no quarto set. Com essa força, ele se reergueu e foi buscar o resultado nessa conquista maiúscula para a final”.
Vôlei Audax 3
A oposta Lorenne foi a maior pontuadora da partida, com 28 acertos (mais cinco pontos no Golden Set). Destaque também para a grande atuação de Walewska. A central colocou a bola na quadra adversária 21 vezes durante a partida e marcou mais seis pontos no Golden Set. Agora, o Vôlei Osasco-Audax espera para conhecer o adversário na final do Campeonato Paulista 2018, que sairá do confronto entre Vôlei Bauru e Pinheiros. Bauru venceu a primeira partida da semifinal por 3 sets a 2.
O jogo
Com dois bloqueios seguidos de Walewska, o Vôlei Osasco fez 5/3 e mostrou que estava a fim de jogo desde o início. Lorenne também engatou um ataque duplo e garantiu a vantagem de quatro pontos 11/7. Com o saque ‘machucando’ a recepção adversária, as donas da casa chegaram ao 21/14 com um ataque veloz de Nati Martins, que substituiu Natasha. Mas coube a peruana Angela Leyva dar números finais ao set inicial, fazendo 25/16 após ataque da entrada de rede.
Vôlei Audax 4
O segundo set começou complicado para as donas da casa e Luizomar pediu tempo quando sua equipe perdia por 1/5. Com dificuldades para voltar a encaixar seu jogo, o Vôlei Osasco correu atrás do placar na base da raça. Com o bloqueio de Nati Martins, no 13/17, a torcida fez sua parte e ‘botou foto no ginásio’. Mas a situação seguiu complicada. Quando o Hinode fez 20/14, o técnico osasquense parou a partida novamente. Mas, no final, o time de Barueri levou a parcial por 25/18 e empatou o jogo.
O Vôlei Osasco seguiu perseguindo Barueri no terceiro set. Quando o adversário fez 13/9, Luizomar pediu tempo para reorganizar sua equipe. Como a resposta não veio como esperado, o treinador precisou pedir tempo novamente quando o Hinode abriu seis pontos (16/10). Paula Pequeno e Natasha entraram em quadra, mas a equipe da casa seguiu com dificuldades. Com isso, as adversárias seguiram comandando o placar até fechar a parcial em 25/18.
Os problemas continuaram e Barueri fez 7/3 no início do quarto set. Mas as comandadas de Luizomar não se abateram. Empataram com Paula Pequeno e viraram no 9/8 com Lorenne. A garra das atletas em quadra acordou a torcida, que fez o papel de sétimo jogador. O duelo passou a ser equilibrado, com os dois times alternando a ponta do placar. Com bloqueio de Paula Pequeno e uma bola de china de Wal, Osasco abriu dois pontos (19/17). E coube a central e capitã, com uma série de três saques, garantir a vitória das donas da casa por 25/19 e o empate na partir em 2 a 2.
Nati Martins engatou uma série de quatro bons saques e o Vôlei Osasco abriu 4/0 no tie break. Fazendo grande partida, Walewska virou duas bolas e o time da casa fez 8/5 para fazer a troca de lado de quadra com vantagem de três pontos. Sem tirar o pé do acelerador, com Camila Brait garantindo a defesa e Claudinha colocando todo mundo para jogar, as comandadas de Luizomar fecharam o set em 15/9 e a partida por 3 sets a 2, resultado que levou a decisão da vaga na final para o Golden Set.
Vôlei Audax 2
O Golden set começou quente. Angela Leyva colocou o Vôlei Osasco na frente no 6/4. Com dois bloqueios de Walewska e um ataque de Paula Pequeno, as donas da casa fizeram 11/8. Focadas em quadra, chegaram ao 16/11 com Nati Martins pelo meio. Com um ace, Paula Pequeno fez 18/13. Na sequência, Mari Paraíba entrou para sacar e conseguiu mais um ponto direto:19/13. Mantendo a concentração até o final, o Vôlei Osasco segurou a boa vantagem para ganhar o Golden Set por 25/16 e carimbar a passagem para a final do estadual.
Equipes
O Vôlei Osasco-Audax jogou com Claudinha (3), Lorenne (28), Walewska (21), Nati Martins (9), Mari Paraíba (8), Angela Leyva (9) e a líbero Camila Brait. Entraram: Natasha, Paula Pequeno (5). Técnico: Luizomar de Moura.
O Hinode Barueri jogou com Dani Lins (4), Thaisa (12), Milka (11), Maira (11), Amanda (10), Skowronska (22) e a líbero Natinha. Entraram: Juma, Sara (1), Jacke, Vivian (1). Técnico: José Roberto Guimarães.
O Vôlei Osasco-Audax jogou o Golden Set com Claudinha, Lorenne (5), Walewska (6), Nati Martins (3), Mari Paraíba (1), Angela Leyva (3) e a líbero Camila Brait. Entraram: Natasha, Paula Pequeno (5). Técnico: Luizomar de Moura.
O Hinode Barueri jogou o Golden Set com Dani Lins, Thaisa (4), Milka (1), Maira (2), Amanda, Skowronska (2) e a líbero Natinha. Entraram: Vivian (1), Juma, Sara (1), Jacke. Técnico: José Roberto Guimarães.
Outubro Rosa
Nas semifinais do Campeonato Paulista, as jogadoras usaram o uniforme na cor rosa. O time firmou parceria com o Instituto Brasileiro de Controle do Câncer, por meio da campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda”, e inseriu o alvo azul na camiseta. Além disso, nas partidas no ginásio José Liberatti, os torcedores participaram de ações e ativações com a temática da campanha do Outubro Rosa.
As atividades do clube durante o Outubro Rosa também se espalham pelas redes sociais do Vôlei Osasco-Audax. Além da identidade visual em sintonia com o mês de prevenção ao câncer de mama, Fan page (https://www.facebook.com/osascovoleibolclube/), Instagram (www.instagram.com/osascovoleibolclube/) e Twitter (www.twitter.com/osascovc) trazem informações relevantes e vídeos das atletas abordando o tema.
Time para a temporada 2018/19
Atual hexacampeão Paulista e tricampeão da Copa Brasil – títulos conquistados na temporada passada – o Vôlei Osasco-Audax reformulou seu elenco. Reuniu três campeãs olímpicas – Paula Pequeno, Walewska e Carol Albuquerque -, além de contar com atletas que estavam defendendo a Seleção Brasileira – Claudinha e Lorenne - e jogadoras que já defenderam seu país em competições internacionais – Mari Paraíba, Camila Brait e a norte-americana Hooker. Também tem no grupo as centrais Natasha, Nati Martins e as ponteiras Angela Leyva e Domingas. A equipe osasquense investe ainda na nova geração do esporte. Renovou os contratos da líbero Kika e da levantadora Gabriela Zeni e trouxe a ponteira Vivi e a central Mayara.
Novos patrocinadores
Para a temporada 2018/19, o Osasco Voleibol Clube conta com novos patrocinadores: Audax, Grupo Marquise, Grupo Resek (Reserva Raposo), Autopass (Cartão BOM) e Icone.
Campeonato Paulista 2018 – Semifinal:
25/10 – Hinode Barueri 3 x 1 Vôlei Osasco-Audax – Ginásio José Correa
27/10 – Vôlei Osasco-Audax 3 x 2 Hinode Barueri – Ginásio José Liberatti
Golden Set – Vôlei Osasco-Audax 25/16 Hinode Barueri – Ginásio José Liberatti
Campeonato Paulista 2018 – Fase classificatória:
14/09 – Vôlei Osasco-Audax 3 x 0 Valinhos Vôlei – Ginásio José Liberatti
20/09 – São Cristóvão Saúde 0 x 3 Vôlei Osasco-Audax – Ginásio Lauro Gomes
28/09 -Pinheiros 3 x 1 Vôlei Osasco-Audax – Ginásio do Pinheiros
9/10 – Vôlei Osasco-Audax 2 x 3 Sesi Vôlei Bauru – Ginásio José Liberatti
12/10 – Vôlei Osasco-Audax 3 x 0 Hinode Barueri – Ginásio José Liberatti
Mais informações:
Instagram: www.instagram.com/osascovoleibolclube/
 
Fonte: Assessoria de Imprensa:
ZDL Sports
(Imagens: João Pires/Fotojump)
Mesmo sem fazer nenhuma aliança partidária, Bolsonaro obteve cerca 56% dos votos válidos e foi eleito o 38º presidente da República neste domingo
 
Jair Messias Bolsonaro, do PSL, derrotou o petista Fernando Haddad. A vitória foi confirmada às 19h18, quando, com 94,44% das seções apuradas, Bolsonaro alcançou 55.205.640 votos (55,54% dos válidos) e não podia mais ser ultrapassado por Haddad, que naquele momento somava 44.193.523 (44,46%).
Aos 63 anos, capitão reformado do Exército e deputado federal desde 1991, Jair Bolsonaro materializou em votos o apoio que cultivou e ampliou a partir das redes sociais e em viagens pelo Brasil para obter o mandato de presidente de 2019 a 2022. Sua vitória representa também a vitória do antipetismo sobre o petismo.
 
Oração
Um dos primeiros atos de Bolsonaro após o resultado oficial, foi fazer uma oração de agradecimento a Deus ao lado do senador Magno Malta. O presidente eleito disse que iniciou campanha com oração e, agora, não poderia deixar de agradecer a Deus pela campanha e pela vitória. Defensor de bandeiras da comunidade cristã, por sr contra o aborto indistintamente e também contra a liberação das drogas, Bolsonaro obteve também uma votação histórica entre os evangélicos.
Na campanha, por meio das redes sociais e do aplicativo de mensagens WhatsApp, Bolsonaro apostou em um discurso conservador nos costumes, de aceno liberal na economia, de linha dura no combate à corrupção e à violência urbana e opositor do PT e da esquerda.
Com isso, se tornou um fenômeno eleitoral ao vencer a corrida presidencial filiado a uma legenda sem alianças formais com grandes partidos. Com pouco tempo na propaganda eleitoral de rádio e TV e distante das ruas na maior parte da campanha, em razão do atentado no qual sofreu uma facada que o perfurou no abdômen.
Após quatro vitórias consecutivas do PT em eleições presidenciais (2002, 2006, 2010 e 2014), o novo presidente eleito se apresenta como um político de direita.
Vitorioso na primeira vez em que se candidatou a presidente, Bolsonaro sucederá Michel Temer (MDB), vice de Dilma Rousseff (PT) que assumiu o governo em 2016 devido ao impeachment da petista.
 
Ligação de Trump
Agora, à noite, Jair Bolsonaro recebeu ligações de diversos líderes e presidentes que o parabenizaram pela vitória, dentre eles, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Ligaram també os presidente do México, a Argentina, de Portugal, da França e de outros países da Europa. Um dos primeiros a ligar para parabenizar Jair Bolsonaro foi o presidente Miche Temer, que colocou o governo à diposição do presidente eleito para processo de transição.
 
Haddad
Por outro lado, o petista Fernando Haddad não ligou para Jair Bosonaro. Ao discursar após o resultado oficial, Haddad afirmou que "que seus aliados não ficarão abandonados", dando a entender que fará oposição severa ao novo Presidente da República, "E vamos continuar lutado pela libertação do ex-presidente Lula", afirmou Haddad.
(Renato Ferreira com G1)


Mesmo abandonado por lideranças tucanas, Doria obteve 51,75% dos votos válidos contra 48,25% de Márcio França (PSB). A vitória de Doria é a sétima do PSDB, que está no comando do estado há 24 anos

 

Neste domingo, 28/10, o empresário e ex-prefeito da capital paulista João Doria (PSDB) foi eleito governador de São Paulo no segundo turno. O resultado só foi confirmado pela Justiça Eleitoral com 98,49% das urnas apuradas às 19h34. No total, o tucano obteve 10.990.160 votos, o que corresponde a 51,75% dos votos válidos. França obteve 48,25% de Márcio França (PSB), que obteve 10.248.653 votos. Uma diferença de 741.507 votos, ou 3,5%.


Fazia 16 anos que a eleição para o governo de São Paulo não ia para o segundo turno. A última vez foi em 2002, entre José Serra (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT). A diferença entre Doria e França ficou em 3,52%.

"Vamos governar para todos os brasileiros de São Paulo. A nossa gestão será da transparência, liberal, inovadora. Conosco será a nova política. Nós a partir de janeiro estamos aposentando a velha política de São Paulo", disse Doria, após o resultado oficial."São Paulo vai liderar a nova política, progressista, desenvolvimentista, para gerar empregos, atrair capital externo, gerar recursos no agro, turismo, indústria, tecnologia e ciência."

Doria falou também sobre o futuro do PSDB. "Respeito os líderes que ajudaram a fundar e construir o PSDB. Não vamos desrespeitar a história desses nomes. Temos que interpretar essa eleição com muita humildade. PSDB precisa sintonizar com o momento atual e o momento futuro do nosso país. Faremos isso sem ofender ninguém, sem atacar a história de ninguém."

"Não recebi ligação de Fernando Henrique Cardoso nem de Geraldo Alckmin. A partir de 1º de janeiro, no meu PSDB, do Bruno Covas, do Bruno Araújo, tem lado. Estará ao lado do povo, ao lado do povo.


Márcio França
Em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul, Márcio França (PSB) falou em respeito aos resultados e disse que ligou para João Doria, a quem desejou "toda sorte do mundo".

"A gente sai frustrado porque não era o que a gente queria, mas tenho a compreensão de que eleição é assim: acaba uma, começa outra. Foi assim a minha vida toda. Eu já disputei, com essa, 17 eleições, de algum jeito, ou apoiando alguém, ou fazendo campanha pra mim mesmo. E em todas elas, saibam, na maioria eu ganhei, mas saio do mesmo jeito, com mais vontade se fazer política, de poder ajudar as pessoas", declarou França.

 

Neste domingo, 28/10, mais de 140 milhões de eleitores voltarão às urnas para votar no segundo turno das eleições presidenciais entre o petista Fernando Haddad e o capitão da reserva Jair Bolsonaro, do PSL, Mas, esta esta eleição não é apenas uma disputa entre esses dois candidatos à Presidência da República e, sim, uma disputa entre o petismo, representado por Lula, e o antipetismo, representado por Bolsonaro.

Conforme as pesquisas que dão ampla vantagem ao antipetismo desde o início da campanha eleitoral, esse sentimento de repulsa ao petismo não começou ontem. Ele é fruto uma somatória de fatos desde os primeiros escândalos do governo Lula, que culminaram com o mensalão em 2005. Durante os 14 anos de governo petista, os escândalos foram se sucedendo em todas as empresas estatais, como o Banco do Brasil, CAIXA, Correios, BNDES e maior de todos que praticamente acabou com a Petrobras.

Manifestações

manifestações avenida paulista

O povo brasileiro se cansou de tanta corrupção e, vestido de verde e amarelo foi para as ruas. E o resultado foi esse. A presidente Dilma Rousseff foi afastada e o ex-presidente Lula foi para a prisão, depois de ter sido condenado a mais de 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro. E não foi somente o Lula, o maior líder petista a ir preso. Antes dele, foram ex-parlamentares, ex-ministros e ex-tesoureiros do PT condenados e presos.

Agora, portanto, os brasileiros, como as ruas mostram, têm a oportunidade de escolher entre o petismo, representado por Fernando Haddad, e o antipetismo, representado por Jair Bolsonaro. Segundo as pesquisas, Bolsonaro ganha nas regiões Norte, Centro Oeste, Sul e Sudeste e nos maiores colégios eleitorais do Brasil. Haddad vence na região Nordeste e entre os eleitores mais pobres. (Renato Ferreira)

 

FELIZ É A NAÇÃO, CUJO DEUS É O SEHONR!

Neste ano, o voto evangélico fará a diferença nas eleições presidenciais. Os evangélicos são cerca de um terço da população brasileira e representam, segundo o Ibope, 27% dos eleitores do país e a maioria, historicamente, opta pelo candidato que mais se aproxima das bandeiras defendidas pelo Evangelho.

Isso significa que qualquer que seja o nome preferido dos evangélicos no pleito deste ano será bastante beneficiado nas urnas. E desde o início desta campanha, as pesquisas mostram que Jair Bolsonaro é o candidato preferido, não somente dos evangélicos, mas, também da bancada católica.

Segundo levantamentos do Ideia Big Data e do Ibope, divulgados respectivamente em 27 de julho e 20 de agosto, o grande beneficiado pelo voto evangélico neste ano seria o candidato do PSL à Presidência da República, o deputado federal Jair Messias Bolsonaro.

Bolsonaro lidera entre as mulheres

O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, isolou-se na primeira colocação entre as mulheres e ampliou a vantagem que já tinha no eleitorado evangélico, segundo pesquisa Ibope, divulgada nesta terça-feira no dia 11 de outubro. Segundo a última pesquisa do Datafolha, nesta semana, mais de 60% dos evangélicos declararam voto em Jair Bosonaro.

CGADB apoia Bolsonaro

Bolsonaro e José W Junior

Na quinta-feira, 18/10, o presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), pastor José Wellington Costa Júnior encontrou-se com o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), no Rio de Janeiro.

Durante a reunião ele declarou oficialmente o apoio do seu grupo denominacional, que conta com 95.732 pastores. A Assembleia de Deus é a maior denominação do país, reunindo mais de 20 milhões de fiéis.

Na semana passada, Bolsonaro recebeu também em sua residência uma comitiva formada por diversos Pastores, representantes das mais diversas denominações evangélicas, entre as mais tradicionais, como também pentecostais e neo pentecostais. A mulher de Bolsonaro, Michelle, é membro da Igreja Batista, no Rio de Janeiro.

 

A campanha de Bolsonaro anuncia grande passeata para este sábado, 27, no Centro de Osasco, onde, deverá ocorrer também ato de campanha de João Doria

Neste sábado, 27, véspera do segundo turno da eleição presidencial, a região central de Osasco será palco de uma ação de campanha de Jair Bolsonaro, do PSL. O ato “Osasco e o Brasil contra o PT” está marcado para iniciar às 11h, no Largo de Osasco em direção ao Calçadão da Antonio Agú. O convite para a passeata é feito pelo presidente do PSL de Osasco, Dr. Alexandre Bussab (à esquerda)

Para o mesmo local, uma hora mais cedo, deverá ocorrer também uma caminhada da campanha de João Doria, candidato do PSDB, ao governo de São Paulo, segundo chamada do Diretório tucano nas redes sociais. Os vereadores De Paula, presidente do PSDB local, e Dr. Lindoso, presidene da Câmara Municipal de Osasco, convidam para a passeata de João Dória e de Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro gravou um vídeo chamando para a ação deste sábado e também agradecendo pelo apoio dos osasquenses e pela expressiva votação que obteve na cidade no primeiro turno.

Nas redes sociais, Bolsonaro pediu tranquilidade na votação de domingo, dia 28, afirmando que se for eleito, a sua prioridade será "gerar crescimento social com oportunidades e emprego".

“Nunca haverá estabilidade social na presença de violência, miséria e altas taxas de desemprego. Todo indivíduo deveria ter condições de fazer escolhas que permitam preservar sua vida, sua liberdade, buscar sua felicidade, além do conforto de sua família.”

Sobre Fernando Haddad que o acusou de fazer uma campanha baixa, Bolsonaro reagiu com críticas: "Logo ele, que é orientado por um presidiário, esconde as cores do partido, finge ser religioso, joga bíblia no lixo, esconde apoio à ditadura venezuelana e espalha um monte de porcaria mentirosa ao meu respeito.” (Fonte: Visão Oeste e Agência Brasil)

 

Na noite desta quinta-feira, 25/10, foi realizado um grande comício de apoio ao governador Márcio França (PSB), candidato à reeleição, que tem como adversário o tucano João Doria.

O ato foi realizado sob o Viaduto Metálico. Dentre outras lideranças, participaram do comício o prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), a deputada Federal reeleita, presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, o vereador e líder do prefeito, Ribamar Silva, o vereador Mário Luiz Guidi, presidente do PSB de Osasco, Fábio Grossi, presidente do Diretório do Podemos, e o ex-prefeito Francisco Rossi (PR).

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.