Segunda, 24 Junho 2019 | Login
No tempo normal, Seleção busca empate, mas, perde das francesas na prorrogação por 2 a 1 .
 
Mais uma vez o sonho do inédito título da Copa do Mundo feminina acabou para a Seleção Brasileira em 2019. Na tarde deste domingo, 23/06, Marta, Cristiane, Formiga e companhia lutaram, superaram problemas físicos, mas não foram páreo para a França. As donas da casa venceram por 2 a 1 na prorrogação, após empate por 1 a 1 no tempo normal, na cidade de Le Havre.
Pelas quartas de final, a França enfrentará a vencedora do duelo entre Estados Unidos e Espanha, que medem forças nesta segunda-feira, às 13 horas (de Brasília). Noruega e Inglaterra são as outras seleções já classificadas para a próxima fase do torneio.
O Jogo
Empurrada maciçamente por sua torcida, a França não conseguiu pressionar como gostaria nos primeiros minutos. Bem postado defensivamente, o Brasil não deixava o time da casa chegar com perigo e tentava surpreender nas bolas longas, o que não deu certo.
O lance mais importante do primeiro tempo aconteceu aos 22 minutos, quando Diani cruzou pela direita, e Gauvin se antecipou a Bárbara para marcar. Após consultar o VAR, contudo, a árbitra Beaudoin anulou o gol por toque na mão da atacante francesa.
Aos 43 minutos, a Seleção chegou com perigo pela primeira vez no jogo. Após tabelar com Debinha pela esquerda, Cristiane invadiu a área e bateu rasteiro, exigindo boa defesa da goleira Bouhaddi.
A França voltou mais agressiva para a etapa final e não demorou a abrir o placar. Aos seis minutos, Diani girou sobre Tamires pela direita, invadiu a área e cruzou na medida para Gauvin se esticar e empurrar para o gol.
Mas o Brasil reagiu rápido. Pouco depois de Cristiane acertar o travessão em cabeçada, Debinha recebeu na esquerda e cruzou. A bola desviou em Cristiane e sobrou para Thaisa na área. A volante bateu cruzado de canhota e deixou tudo igual aos 17 minutos.
Apostando nos contra-ataques, a Seleção voltou a balançar as redes com Debinha, mas a assistente assinalou o impedimento e anulou o gol. Na base do abafa, as anfitriãs apelaram para a bola aérea nos minutos derradeiros, mas não conseguiram evitar a prorrogação.
O Brasil sofreu uma baixa logo no início do tempo extra, quando Cristiane precisou ser substituída por Geyse devido a dores na coxa esquerda. Apesar de ficar na defensiva, o time canarinho teve a melhor chance do primeiro tempo. Aos 15 minutos, Debinha recebeu livre na esquerda, invadiu a área e tocou na saída da goleira, mas Mbock tirou em cima da linha.
O Brasil acabou castigado pelo gol perdido. Logo no começo do segundo tempo da prorrogação, Majri levantou bola na área, e Henry apareceu livre para desviar e recolocar a França na frente. Visivelmente desgastada fisicamente em campo, a Seleção não conseguiu reagir e buscar a nova igualdade. (Estado Minas)
 
Neste sábado, 22/06, finalmente, a seleção brasileira jogou bem, arrancou aplausos da torcida e goleou o Peru por 5 a 0, terminando a primeira fase da Copa América como líder do grupo A, com sete pontos. Como primeiro colocado do grupo, o Brasil volta a jogar no dia 27 de junho contra o terceiro colocado do grupo B ou C. O jogo será em Porto Alegre. Casemiro, que recebeu o segundo amarelo na partida de hoje, é ausência certa para o próximo jogo da seleção brasileira.
A seleção peruana começou melhor a partida, impedindo o Brasil de avançar do meio de campo. O primeiro lance de perigo foi do Peru, aos 3 minutos do primeiro tempo. Na cobrança de uma falta, Cueva levantou a bola na área, ninguém do Brasil tirou e ela passou perto do gol de Alisson. Aos 9 minutos, a torcida brasileira já vaiava a posse de bola peruana e permitia que a torcida peruana, menor no estádio, fizesse uma grande festa na arena. A torcida brasileira respondeu com gritos. Aos 10 minutos, Casemiro fez uma falta dura e tomou um cartão amarelo, que o tirou da próxima partida do Brasil.
Mas um minuto depois, o cenário de jogo mudou. Casemiro, que tinha acabado de tomar um amarelo, fez o primeiro gol do Brasil, após cobrança de escanteio de Coutinho para Thiago Silva, no primeiro pau. Em um bate rebate, a bola sobrou para Casemiro mandar para o fundo da rede. Primeiro gol dele com a camisa da seleção.
O segundo gol do Brasil aconteceu aos 18 minutos, em uma falha do goleiro Gallese. O goleiro peruano bobeou na saída de bola e chutou em cima de Firmino. A bola acaba batendo na trave, mas Firmino mesmo aproveitou, driblando o goleiro e mandando para o fundo do gol. Na comemoração brasileira, o capitão Daniel Alves foi até o goleiro Gallese, sozinho, para demonstrar apoio ao jogador.
Aos 31 minutos, com o Brasil já dominando completamente a partida, Everton ampliou com um golaço. Ele recebeu a bola com espaço, cortou para o meio e bateu forte da entrada da grande área.
Só após o terceiro gol é que a torcida brasileira se animou e começou a gritar “Eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor” e olé a cada vez que a seleção pegava na bola. O Peru só voltou a assustar no final do primeiro tempo, quase fazendo um gol aos 43 minutos, com Trauco, que recebeu a bola dentro da área e soltou a bomba, para defesa do goleiro brasileiro.
Segundo tempo
Brasil e Peru 2
No intervalo, o técnico peruano fez sua primeira substituição, tirando Youtún e colocando Édison Flores. Mas a primeira grande jogada foi do Brasil.
Inspirado, o jogador Everton arrancou gritos de "É, Cebolinha", após um outro lance brilhante aos 2 minutos do segundo tempo, quando driblou três defensores e quase conseguiu passar pelo goleiro Gallese. Coutinho ficou com a sobra, mas foi travado.
Aos 9 minutos, o Brasil ampliou a partida com Daniel Alves, com um belo gol após uma tabela com Arthur e Firmino.
Após o gol, o técnico peruano tirou Guerreiro, que foi vaiado pela torcida e colocou Gonzales. O Brasil também fez sua primeira substituição, saindo Filipe Luis e entrando Alex Sandro. Aos 22 minutos, o Peru faz sua última substituição, tirando Cueva e colocando Josepmir Ballón. Muito aplaudido e sob gritos, Casemiro também é substituído para a entrada de Allan. Tite ainda faria a sua terceira substituição tirando Coutinho e colocando Willian.
As trocas no Peru, no entanto, não fizeram efeito. Abatida em campo, a seleção peruana deixou o Brasil continuar dominando a partida e animar a torcida, com apenas um lance de perigo em direção ao gol brasileiro, aos 39 minutos do segundo tempo, quando Polo chutou tentando encobrir Alisson. A bola passou perto da trave.
Superior, o Brasil ainda fez o último da goleada, aos 45 minutos do segundo tempo, com Willian, após cobrança de escanteio curto. Willian dominou e bateu colocado, em outro belo gol na Arena Corinthians. Dois minutos depois, o Brasil ainda perdeu a chance de fazer o sexto gol, após o goleiro Gallese defender a cobrança de pênalti de Gabriel Jesus.
Torcida
Antes do início do jogo, os torcedores brasileiros, maioria no estádio, vaiaram a chegada da seleção do Peru que foi transmitido pelo telão da arena. No anúncio das escalações no telão, Cueva, que jogou no São Paulo, foi vaiado. Já Guerreiro, que jogou no Corinthians, foi aplaudido. Tite e Everton também foram bastante aplaudidos.
Assim como em todos os jogos da seleção brasileira, a torcida cantou parte do hino nacional à capela, após o hino ter parado de ser executado no audio-falante da arena. No início do jogo, a torcida peruana chegou a fazer mais festa que a brasileira. Mas após os gols, a seleção brasileira tomou conta da arena e gritou olé.
Mais uma vez, como se observou em todos os jogos da Copa América, o estádio não encheu. Menor do que o Morumbi, a Arena Corinthians recebeu hoje 42.317 torcedores, mas o que se observou é que haviam também lugares vazios. Segundo o Corinthians, a Arena tem capacidade para 48.234 pessoas. (Agência Brasil)
Ovacionado aos gritos de "mito", ele destacou a importância que o público evangélico teve nas eleições de 2018.
 
Jair Bolsonaro foi o primeiro presidente da República a participar da Marcha para Jesus, principal encontro evangélico do país que reuniu milhares de fiéis na Zona Norte de São Paulo nesta quinta-feira (20), na sua 27ª edição. Ovacionado aos gritos de “mito”, ele destacou, em seu discurso, a importância que o público evangélico teve nas eleições de 2018 e já prometeu voltar ao evento no próximo ano.
De acordo com Bolsonaro, os evangélicos foram “decisivos para mudar o destino dessa pátria maravilhosa chamada Brasil”. Ele afirmou que, “quem achava que sucumbiríamos no início perdeu, porque temos a verdade e um povo maravilhoso ao nosso lado.”
Marcha para Jesus Bolsonaro
O presidente ainda repetiu que “apesar do estado ser laico, ele é cristão” e pontuou que “feliz é a nação cujo Deus é o senhor”. “Em nosso meio político a verdade sempre foi a primeira vítima. Até o último dia do meu mandato, ela será o norte do trabalho. Até mesmo uma família só pode ser sólida se entre o casal imperar a verdade acima de tudo.”
Bolsonaro agradeceu a Deus por estar vivo e às orações dos fiéis nos momentos difíceis “que encontrou pela frente”, referindo-se à facada que recebeu de Adélio Bispo durante um evento da campanha. Ele disse que “todos sabem que nosso país têm problemas de ética, moral e economia, mas entendemos que podemos reverter isso, ser o ponto de inflexão e fazer com que o Brasil seja um dia colocado no local de destaque que merece”.
Segundo o presidente, toda a população compartilha dessa responsabilidade de fazer o país crescer. “Primeiro vem Deus, depois a família tradicional e respeitada acima de tudo”, afirmou. Bolsonaro, por fim, elogiou a esposa, Michele, e pediu aos evangélicos que mandassem a ela “um grande abraço”.
“Nenhum homem pode ser vitorioso se não tiver ao seu lado uma mulher maravilhosa. Muito obrigado a todos. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, finalizou, segurando bandeiras do Brasil e de Israel.

EMBAIXADOR DE ISRAEL ESTAVA PRESENTE

O embaixador de Israel, Yossi Shelley, esteve ao lado do presidente. Bolsonaro reiterou que sempre cita o país quanto tem a oportunidade e que “costuma dizer que o único diferencial entre o Brasil e Israel é um povo e uma classe política que tem fé, acredite no próximo, e que queira botar os interesses do país acima dos individuais”.
Ele disse que sonha que as novas gerações, por intermédio da educação, “sejam melhores do que nós, porque assim teremos a certeza que estaremos evoluindo e próximos de países maravilhosos como Israel”. “Temos pela primeira vez na história um governo que está cumprindo o que prometeu na campanha”, completou.
Em rápido discurso, Shelley agradeceu ao povo brasileiro, às lideranças evangélicas e ao presidente que, segundo ele, “ajuda Israel mais que qualquer outro país do mundo”. (Jovem Pan)

Não perca nesta quinta-feira, às 19h, mais uma apresentação deste emocionante espetáculo no Teatro Municipal de Osasco.

 

"A peça é intrigante, a história da Martha Zelaya e seu filho Erick é pano de fundo para algo muito maior. Rever nossos conceitos, questionar crenças e valores que tínhamos como absolutos realmente mexem com quem sonha em fazer a diferença na sociedade de hoje". Assim, expressou, emocionada, a nossa colega jornalista, Simone de Carvalho, nesta quarta-feira ainda no hall do Teatro Glória Giglio, onde acabara de assistir à peça que conta a história real da imigrante boliviana, Matha Zelaya e de seu filho Erik.

Teatro Municipal de Osasco atores e convidados

E a análise da Simone, que trabalha no seu dia a dia com a temática da mulher vítima de agressão, é uma síntese perfeita do espetáculo, dirigido por João Junior e Juão Nyn, apresentado pelo grupo de atores e músicos do Coletivo Estopô Balaio.

Teatro Municipal de Osasco Gu e convidados

É um espetáculo que leva você a refletir não somente sobre a luta de uma imigrante boliviana, mas, também sobre todo o contexto histótico, político, econômico e social da América Latina.

Osasco foi a primeira cidade a receber o espetáculo, com duas apresentações - quarta, 18, e quinta-feira, 19/06. Até julho, eles vão se apresentar ainda em outras cidades paulistas, como Guarulhos, Campinas, Indaiatuba e também na Capital.

Teatro Municipal de Osasco Gu capa

O espetáculo é gratuito. (Renato Ferreira)

 
O último sábado, 15/06, foi um dia de festa para os moradores do tradicional Bairro de Presidente Altino em Ossasco. Com a presença de, aproximadamente 250 pessoas, entre adultos e crianças -, o prefeito Rogério Lins entregou as obras de revitalização da Praça Dicran Echrefian, no centro do Bairro. O espaço passou por ampla reforma e recebeu novo paisagismo, piso intertravado, iluminação de Led, playground, equipamentos para atividades físicas ao ar livre, espaço Pet, lixeiras e novos bancos.
Além do prefeito e da primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Aline Lins, compareceram ao ato a vice-prefeita Ana Maria Rossi, secretários municipais, adjuntos, o presidente da Câmara, Ribamar Silva, demais vereadores da base de sustentação do governo, o presidente da comunidade armênia que mora no bairro, Ronaldo Vasilian, e representantes da Associação de Moradores de Presidente Altino (Amaltino).
Praça de P Altino placa
Rogério Lins parabenizou os moradores pelo empenho junto à administração para a obtenção da reforma. “É com os esforços de todos que construiremos uma cidade cada vez melhor. É uma conquista dos moradores. Passei dias desses aqui e vi que as famílias e os jovens voltaram a frequentar o espaço. Tem de ser mantido esse sentimento de pertencimento, porque quando a família ocupa não há espaço para a prática de coisas ruins”.
Os moradores aprovaram as reformas. “A praça estava muito abandonado. Há uns 15 anos esperávamos por essa revitalização. Agora, com a troca da iluminação o local ficou bem mais agradável à noite. Traz uma sensação maior de segurança. As pessoas até voltaram a frequentar”, relatou Márcia Jampietro. “É bom ver que agora a prefeitura está olhando mais para o bairro. A criação do espaço Pet foi boa porque agora dá para trazermos nossos animais. Só que os moradores precisam ajudar a preservar e recolher a sujeira dos animais, para que tenhamos sempre um ambiente limpo”, completou Mara Gudjencian.
Antes da cerimônia, o prefeito acompanhou as finais da Copa Serel sub-7 (Vem que Tem x São Paulo) e sub-11 (São Paulo x Rubro Negro Osasco), no campo do Seno, no Novo Osasco. Também visitou o campo do Estrela Futebol Clube, no Jardim Belmonte. A direção do clube, fundado em 1962, reivindica a permissão do uso do espaço. (Texto: Marco Borba - Imagens: Leandro Palmeira - Secom)
Engenheiro e economista, ele é o atual secretário adjunto de Desestatização. Montezano já havia sido indicado para ocupar uma Diretoria do Banco, mas, não foi aceito pelo ex-presidente do BNDES, Joaquim Levy.
O governo já escolheu o novo presidente do BNDES (Bando Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Trata-se do jovem Gustavo Montezano, atual secretário adjunto de Desestatização e Desinvestimento, Gustavo Montezano. O nome foi anunciado há pouco pelo Ministério da Economia, em nota oficial.
Auxiliar direto do secretário especial de Desestatização, Salim Mattar, Montezano precisará ter a indicação aprovada pelo Conselho de Administração do BNDES.
Graduado em engenharia pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e Mestre em Finanças pelo Ibmec, Montezano tem 17 anos de carreira no mercado financeiro. Sócio do Banco Pactual, atuou como responsável pela área de crédito, resseguros e project finance (financiamento de projetos) e foi diretor-executivo da área de commodities do banco em Londres. Monezano tem 38 anos.
O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou que o presidente Jair Bolsonaro reuniu-se com o ministro da Economia, Paulo Guedes, por duas vezes hoje. Segundo o porta-voz, a substituição de um titular é considerada uma situação normal em função do interesse público e capacidade de colocar os projetos em andamento com vistas a tingir os resultados estabelecidos anteriormente.
“Uma das medidas que se deseja é a devolução dos recursos do banco para o Tesouro Nacional. Além disso, deve aumentar investimentos em infraestrutura e saneamento e ajudar a reestruturar, ‘abrir a caixa-preta do passado’, apontando para onde foram investidos em Cuba e na Venezuela, por exemplo”, disse Rêgo Barros.
Por meio da rede social Twitter, Bolsonaro também anunciou o novo presidente do BNDES, publicando uma foto de Montezano, com o currículo dele. (Fonte: Agência Brasil)
Alexandre de Moraes participou de evento em São Paulo e disse que informações foram obtidas de forma criminosa. Os ministros Gilmar Mendes e Luis Barroso também já criticaram os vazamentos de rackers.
 
Nesta segunda-feira, 17/06, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, disse que ainda não é possível avaliar mensagens vazadas com diálogos supostamente mantidos entre membros da força-tarefa da operação Lava Jato. “Para isso, nós dependemos, primeiro, que todo o material seja divulgado. Segundo, que sejam atestadas a autenticidade e a veracidade desse material. Quando se coloca a conta-gotas não é possível ter uma visão de conjunto, nem da veracidade, nem da autenticidade”, disse após participar de um evento promovido pelo Grupo Bandeirantes.
Desde a semana passada, o site The Intercept tem divulgado trechos de mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Lava Jato. De acordo com o site, os diálogos apontam para uma “colaboração proibida” entre o então juiz federal responsável por julgar processos decorrentes da operação em Curitiba e os procuradores, a quem cabe acusar os suspeitos de integrar o esquema de corrupção.
Para Moraes, as informações foram obtidas de forma criminosa, apesar de destacar que o material tem interesse “jornalístico” e “público”. “As invasões que ocorreram nos telefones de agentes públicos são criminosas. Falo com absoluta tranquilidade que vazamentos, fake news, falsidade em notícias divulgadas é questão de polícia. Esses hackers que, eventualmente, invadiram devem ser alcançados, punidos e presos”, acrescentou o ministro ao falar sobre os vazamentos.
O ministro também defendeu a importância da Operação Lava Jato para o combate à corrupção: "É uma operação séria, conduzida dentro do devido processo legal. É uma realidade que realmente mudou o combate à corrupção no Brasil”. (Agência Brasil - Foto: Marcelo Camargo)
Presidente do banco pediu demissão neste domingo, após ser criticado no sábado pelo presidente Bolsonaro, que pedia mais transparência do BNDES.
 
O substituto de Joaquim Levy no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) será indicado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve ser da iniciativa privada,segundo informaram integrantes da equipe econômica.
Levy pediu demissão do cargo neste domingo, 16/06, um dia após o presidente Jair Bolsonaro ter dito que ele estava com a "cabeça a prêmio".
Bolsonaro disse na tarde deste sábado (15) que, se Levy não demitisse o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto, ele, Bolsonaro, demitiria Levy. Poucas horas depois, Marcos Pinto renunciouao cargo.
Segundo apurou a TV Globo, o próximo presidente do BNDES terá de focar os trabalhos nas seguintes áreas:
  • programas de saneamento;
  • infraestrutura;
  • privatizações;
  • reestruturação de estados e municípios.
Ainda de acordo com integrantes do governo, o substituto de Joaquim Levy também deverá ter como objetivos devolver à União parte dos recursos emprestados ao BNDES, além de buscar investimentos no exterior.
Embora a nomeação de Marcos Pinto tenha sido a "gota d´água' para Bolsonaro, integrantes da equipe econômica afirmam que o presidente estava insatisfeito com Joaquim Levy havia três meses.
Isso porque, na avaliação desses integrantes, Levy não havia cumprido a promessa de campanha de Bolsonaro de "abrir a caixa-preta" do BNDES em relação a empréstimos para Venezuela e Cuba nem havia buscado investimento no exterior.
Marcos Pinto, cuja demissão foi cobrada por Bolsonaro, foi chefe de gabinete de Demian Fiocca na presidência do BNDES (2006-2007). Fiocca era considerado, no governo federal, um homem de confiança de Guido Mantega, ministro da Fazenda nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.
"Ninguém fala em 'abrir a caixa-preta' e ainda nomeia um petista. Então, fica clara a compreensão da irritação do presidente", disse Guedes ao Blog do Camarotti.
Segundo o colunista João Borges, Guedes e Bolsonaro conversaram neste sábado logo após o presidente ter dito que Levy estava com a "cabeça prêmio". A declaração fez os integrantes da equipe econômica considerarem "insustentável" a situação do agora ex-presidente do BNDES. (G1)
Após primeiro tempo sem empolgar, Brasil vence os bolivianos com golaço de Everton Cebolinha.
Na estreia da Copa América 2019, nesta sexta-feira, 14/06, a Seleção Brasileira não fez um grande jogo, mas, o suficiente para vencer a Bolívia por 3 a 0, no Morumbi. O placar foi construído por Philippe Coutinho, com dois gols, um de pênalti dado pelo VAR, e outro de cabeça com tranquilidade dentro da área adversária. E o terceiro foi um golaço de Everton Cebolinha já no final da partida.
Copa América Brasil goleia Bolívia Everton Cebolinha
O meia Everton Cebolinha entrou no segundo tempo e fez um golaço no Morumbi
O resultado deixa a equipe, vaiada ao final do primeiro tempo e aplaudida no encerramento do jogo, na liderança do Grupo A, claro, ainda sem a outra partida da chave. O duelo entre Venezuela e Peru será realizado a partir das 16h (de Brasília) deste sábado, na Arena do Grêmio.
Os comandados de Tite agora terão a missão de encarar a equipe da Venezuela, na terça-feira, às 21h30 (de Brasília), em Salvador, na Arena Fonte Nova. Os brasileiros ainda treinam na Academia de Futebol, do Palmeiras, no sábado, antes da viagem para Salvador. Já os bolivianos, por outro lado, encaram o Peru pouco antes, às 18h30 (de Brasília) da terça-feira, no Maracanã. (Fonte: Estado de Minas)
 

GRUPO A

CLASSIFICAÇÃO
1 Brasil 0
2 Peru 0
2 Venezuela 0
4 Bolívia 0
PJVEDGPGCSG%ÚLT. JOGOS
3 1 1 0 0 3 0 3 100  
1 1 0 1 0 0 0 0 33.3  
1 1 0 1 0 0 0 0 33.3  
0 1 0 0 1 0 3 -3 0  
  • SEX 14/06/2019 MORUMBI 21:30
    BRA
    30
    BOL
    VEJA COMO FOI
  • SÁB 15/06/2019 ARENA DO GRÊMIO 16:00
    VEN
    00
    PER
    ACOMPANHE EM TEMPO REAL

GRUPO B

CLASSIFICAÇÃO
1 Argentina 0
1 Catar 0
1 Colômbia 0
1 Paraguai 0
PJVEDGPGCSG%ÚLT. JOGOS
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
  • SÁB 15/06/2019 FONTE NOVA 19:00
    ARG
     
    COL
    ACOMPANHE EM TEMPO REAL

GRUPO C

CLASSIFICAÇÃO
1 Chile 0
1 Equador 0
1 Japão 0
1 Uruguai 0
PJVEDGPGCSG%ÚLT. JOGOS
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  
0 0 0 0 0 0 0 0 0  

Números de manifestantes mostram que, definitivamente, a esquerda agoniza no país.

 

Durante toda a semana, parlamentares da chamada esquerda brasileira, formada pelo PT, PSOL, PCdoB e Rede, usaram a tribuna do Congresso Nacional conclamando o povo para greve geral desta sexta-feira, 14.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e deputados estaduais, como o ex-prefeito de Osasco, Emídio de Souza, também usaram as redes sociais chamando para a greve geral.

Isto, sem falar na gritaria dos sindicatos, CUT e cabos eleitorais afirmando que o Brasil iria parar nesta sexta em protestos contra os cortes (contingenciamento) na educação e a reforma da Previdência.

Mas, as manifestações foram um fiasco desde a parte da manhã. Os organizadores tiveram que usar das velhas táticas de bloquear avenidas e rodovias com pneus queimados, além dos 'Black bloc' mascarados enfrentando a polícia.

Greve na Praça da Cadenlária

Por volta das 18h15, manifestantes fizeram ato na Praça da Cadenlário, Centro do Rio, em número reduzido se comparado às manifestações anteriores

Só depois das 18h que aumentou um pouco o número de manifestantes em locais, como a Av. Paulista, em São Paulo, e na Praça da Candelária, no Rio de Janeiro, mas, que nem longe lembram as grandes multidões que já pararam o país em outras manifestações.

Repórteres e apresentadores da Globo tentam turbinar as manifestações tirando leite de pedra. Assim, manifestações acabam por reforçar as reformas do Governo Bolsonaro. (Renato Ferreira)

Página 1 de 64

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.