Terça, 07 Abril 2020 | Login
PÂNICO E TERROR: Disputa entre traficantes deixa três mortos e seis feridos no Rio

PÂNICO E TERROR: Disputa entre traficantes deixa três mortos e seis feridos no Rio Featured

Além de mortos e feridos, a guerra entre traficantes incendiou ônibus levando pânico e terror aos moradores.
 
A disputa por território entre traficantes de duas facções rivais deixou um saldo de três mortos e seis feridos na Comunidade da Pedreira, zona norte do Rio, na quinta-feira, 03/10. Os números, divulgados pela Polícia Militar e Polícia Civil, podem ser ainda maiores, pois a região é extensa e de difícil acesso.
O confronto ocorreu quando um grupo de traficantes, que domina o vizinho Morro do Chapadão, decidiu invadir a Pedreira, no início da noite de quinta-feira; A lei do silêncio também impera nesses locais dominados por traficantes de drogas e os moradores não falam por medo de represália. Além de mortos e feridos, a guerra entre traficantes incendiou ônibus levando pânico e terror aos moradores. Mas, como não houve tiros da polícia, a grande mídia não deu destaque e nem houve críticas da oposição ao governo nas redes sociais. Parece até que não foi gente que morreu em mais essa tragédia provocada pelos traficantes de drogas.
Cenas de guerra
As trocas de tiros duraram quase toda a madrugada e só pararam quando a Polícia Militar decidiu intervir, já nesta sexta-feira (4) de manhã. Em meio aos confrontos, os criminosos atearam fogo a quatro ônibus, levando mais pânico aos moradores, que não puderam voltar para casa até cessarem os tiros. Uma estação de metrô foi fechada, por motivo de segurança, e a circulação de trens do ramal Belford Roxo, da Supervia, chegou a ser interrompida.
Durante esta sexta-feira, foram ouvidos tiros na região, mas em pequena quantidade. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, as escolas municipais não funcionaram, devido à sensação de insegurança no local. O policiamento mantém-se reforçado, com equipes do 41º BPM (Irajá) e do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) atuando para estabilizar a região. (Fonte: Agência Brasil)
000

About Author

Related items

  • PANDEMIA: Imprensa espalha pânico ou esperança de acordo com os seus destaques, títulos ou chamadas

     

    Usando dados verdadeiros na comparação entre Brasil e Itália, ontem, uma notícia do UOL trouxe pânico sobre a transmissão maior de coronavírus por aqui; hoje, o R7 levou esperança ao falar sobre a letalidade da doença menor no Brasil.

     

    Por Renato Ferreira - 

    Meu objetivo aqui não ensinar jornalismo para ninguém. Ao contrário, sempre tento aprender mais em tudo que leio. Mas, a técnica jornalística nos ensina como se deve fazer um bom texto para qualquer mídia, visando atingir o objetivo que é comunicar o fato e facilitar o entendimento do leitor, ouvinte ou telespectador. E isso já a partir do título de uma matéria impressa ou da chamada para uma matéria de rádio ou TV. Ou seja, o maior destaque do fato noticiado deve aparecer no título e no lide (primeiro parágrafo), vindo a seguir outros detalhes ou informações menos importantes da notícia, de acordo com o interesse e conhecimento do autor sobre o fato.

    E é na lide que deve constar as respostas para as famosas cinco perguntas que aprendemos na Faculdade e que o bom e isento jornalista deve ter em mente ao redigir a notícia: Quem, o quê, quando, onde e por quê? Dando as informações no início do texto, a notícia está completa em termos de informações básicas.

    Então, sendo uma notícia isenta de interesses políticos ou de manipulações de quaisquer especies, o bom jornalismo deve seguir essas técnicas seja qual for o fato. Mas, infelizmente, há também as manipulações na composição do texto, quando determinado profissional ou veículo inverte essa técnica, destacando no título e no início da matéria fatos menos relevantes, os quais, porém, podem provocar outros resultados no leitor, que, talvez, tenha lido, ouvido ou visto apenas o título ou chamada da matéria. Não que isso signifique manipulação dos dados, mas, certamente, com a inversão dos dados, o leitor, se não ler toda a matéria ficará apenas com as informações iniciais.

     

    Digo isso, para falar de como nesses tempos de pandemia do coronavírus, uma notícia, mesmo sendo verdadeira, pode causar mais pânico numa população já assustada com a doença. Enquanto outra, também usando dados verdadeiros, pode levar mais esperança na luta contra a doença.

    UOL - Brasil tem mais morte que a Itália...

    Para noticiar uma comparação de dados, o UOL trouxe na segunda-feira, 30/03, uma matéria - https://bit.ly/2R2oji9 - com a seguinte manchete: "Brasil tem mais mortes por dia que a Itália desde o primeiro óbito". Em seguida, no lide e em três ou quatro parágrafos seguintes, o redator explica esses dados na comparação.

    E somente no penúltimo parágrafo, o autor do texto tenta diminuir um pouco o pânico que espalhou desde o título. E diz: "É importante destacar que a comparação de dados, embora traga alertas, não é necessariamente indicativo de que o Brasil terá a mesma trajetória epidêmica de outros países. Importantes variáveis é que vão influenciar isso, como estado de saúde dos doentes, número da população, resposta dos governos e capacidade do sistema de saúde no atendimento".

    Em minha opinião, um veículo que deseja diminuir o pânico sobre o coronavírus, inverteria a ordem das informações desde o título. E nós jornalistas sabemos muito bem como fazer isso para piorar ou amenizar as consequências de um fato. É por isso que, na maioria das vezes, os políticos adoram as pesquisas eleitorais, porque, de acordo com os destaques veiculados sobre a pesquisa, o eleitor poderá ser induzido a votar em determinado candidato.

    R7 - Taxa de letalidade do Covid-19 é três vezes menor no Brasil ...

    Por outro lado, nesta terça-feira, 31/03, uma matéria do Portal R 7 - https://bit.ly/340qw2R - traz mais esperança aos brasileiros, ao afirmar que a taxa de letalidade da convid-19 e três vezes menor do que a registrada na Itália de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). E a matéria do R7, explica, justamente, os dados que o UOL só destaca no final de sua matéria.

    Segundo o infectologista Jean Gorinchteyn, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e do Hospital Israelita Albert Einstein, ambos de São Paulo, entrevistado pelo R7, a taxa de letalidade menor no Brasil se explica, principalmente, pelo isolamento social.

    "A gente tem dois aspectos fundamentais que explicam isso. Primeiro, tivemos a possibilidade de preparar as UTIs para receber essas pessoas e conseguimos atender prontamente, neste momento. A assistência de saúde, até agora, tem sido qualificada. E a capacidade de atender a essas pessoas tem a ver diretamente com o isolamento social.

    O infectologista também destaca o tratamento da covid-19 com uma combinação dos medicamentos cloroquina com um antibiótico. A cloroquina é um medicamento defendido pelo Governo Federal desde o início da pandemia e que o Exército brasileiro já fabricou milhõesde doses enviadas aos hospitais, ficando o uso a critério dos médicos e especialistas. (O jornalista Renato Ferreira é editor do Portal Notícias & Opinião)

  • INFARTO: Aos 56 anos, ex-ministro Gustavo Bebianno morre no Rio
    Ex-secretário geral da Presidência sofreu um infarto fulminante na manhã deste sábado. Ele era pré-candidato a prefeito do Rio de Janeiro pelo PSDB.
     
    O ex-ministro Gustavo Bebianno, de 56 anos, morreu após sofrer um infarto fulminante na madrugada deste sábado, 14/03, em seu sítio em Teresópolis. Coordenador da campanha de Jair Bolsonaro em 2018, ele era pré-candidato a prefeito pelo PSDB na cidade o Rio de Janeiro. Segundo informações do presidente estadual do PSDB no Rio, o empresário Paulo Marinho, Bebianno estava em casa com seu filho quando se sentiu mal, por volta das 4h, Ao ir ao banheiro tomar um remédio, ele desmaiou.
    Bebianno foi levado para um hospital da cidade, onde morreu por volta de 5h30. Ainda não há informações sobre o velório. O PSDB lamentou publicamente a morte ex-ministro, assim como o governador de São Paulo, João Doria.
    Um dos coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro à presidência, Bebianno durou pouco no governo. Pivô da primeira crise política da gestão Bolsonaro, ele foi demitido no dia 18 fevereiro do ano passado em meio acusações de irregularidades nas campanhas do PSL quando era presidente nacional do partido. (Fonte: R7)
  • BRIGAS NO NINHO: Tucanos de Osasco continuam se bicando
    Dr. Lindoso, presidente do Diretório Municipal, divulgou uma nota onde o Diretório Estadual afirma ser ele o único candidato do partido a prefeito. Já o vereador De Paula afirma que é pré-candidato e que haverá prévias.
    Os três vereadores tucanos de Osasco, conforme mostra a foto - De Paula, Dr. Lindoso e Didi - nunca falaram a mesma língua na Câmara Municipal, desde que foram eleitos em 2016. Agora, em novo ano eleitoral, as divergências continuam, principalmente, depois que o Diretório Estadual interveio no Municipal - https://bit.ly/32L2nwC - dissolveu a Executiva e indicou o vereador Dr. Lindoso como presidente local, fato que acabou provocando ainda um maior afastamento entre os três vereadores. Didi é mais próximo de De Paula.
    A intervenção estadual aconteceu em decorrência de um processo que apurava a traição de alguns membros do partido, que na eleição de 2016, descumpriram a orientação tucana e apoiaram a reeleição do então governador, Márcio França (PSB), que disputou contra o tucano João Doria, que acabou sendo eleito governador. Dentre o que apoiaram França, estava o secretário-geral da legenda, José Carlos Vido, secretário de Governo do prefeito Rogério Lins (PODE). Vido deixou o partido.
    O presidente deposto, o ex-prefeito de Osasco, Silas Bortolosso, acompanhado de outras lideranças históricas do partido, não aceitou e recorreu na Justiça de São Paulo. No entanto, eles perderam e Lindoso contiuou na presidência. Essas mesmas lideranças, como afirmou a este jornalista, o médico e ex-vereador André Sacco Junior, vão recorrer à Executiva Nacional, onde esperam que a intervenção seja revertida. ,
    Sem união
    Na noite desta segunda-feira, 02/03, houve uma reunião do Diretório Estadual, quando alguns esperavam que a situação de Osasco fosse apaziguada. Mas, parece que isso não aconteceu, tanto que De Paula e Lindoso soltaram duas notas com conteúdos completamente diferentes do que foi tratado na reunião.
    Na parte da manhã desta terça-feira, a assessoria do vereador De Paula divulgou um release que chegou a ser publicado por sites de portais e jornais, informando que que haverá prévias em Osasco e que De Paula é um dos pré-candidatos a prefeito. Já à tarde, no entanto, o vereador Dr. Lindoso soltou uma nota em papel timbrado do Diretório Estadual, desmentindo a informação do colega de bancada.
    De Paula (New Times Comunicação)
    Diretório estadual aprova prévias no PSDB
    A nota de De Paula inicia dizendo que o Diretório estadual aprovou a realização de prévias e que ele é um dos que vão disputar a eleição interna do partido. "O Diretório Estadual do PSDB de São Paulo aprovou a realização de prévias para escolha dos candidatos do partido nas eleições majoritárias para todos os municípios em que houver duas ou mais pré-candidaturas a prefeito, caso de Osasco. A decisão consta em resolução interna, aprovada em reunião realizada nesta segunda-feira (2). "Fico feliz de saber que Osasco realizará prévias para definir o candidato a prefeito pelo PSDB"
    Ainda segundo a nota, na mesma reunião, a direção estadual teria suspendido a dissolução do diretório municipal de Osasco. "Estão tentando usar o PSDB para objetivos pessoais, mas a justiça está sendo feita. O PSDB pertence a seus filiados e não a uma única pessoa", afirmou De Paula.
    Lindoso
    Lindoso e Doria
    Segundo nota do Diretório Estadual, Lindoso é o único candidato do partido a prefeito de Osasco, com apoio do Doria
    Nota sobre prévias em Osasco
    Na parte da tarde, a assessoria do Dr. Lindoso também divulgou uma nota oficial do Diretório.
    "Ao contrário do que informou o jornal Notícias de Osasco e Região, o Diretório Estadual do PSDB não tomou qualquer decisão a respeito de realização de prévias na cidade de Osasco.
    Nesta segunda-feira, 02/03, o Diretório aprovou a resolução que estabelece as regras para a realização de prévias nas cidades onde não houver definição de candidatura, que não é o caso de Osasco, onde o PSDB terá como seu representante no pleito municipal o vereador Dr. Lindoso.
    É preciso ressaltar ainda que é mentirosa a afirmação de que o processo de dissolução do Diretório foi suspenso. O processo não foi sequer avaliado no encontro da última segunda-feira, já foi aprovado pela executiva e será tema de nova reunião de Diretório a ser agendada para os próximos dias.
    Assim, o diretório municipal de Osasco segue com intervenção, tendo como presidente o Dr. Lindoso".
    Diretório Estadual do PSDB-SP (O Jornalista Renato Ferreira é editor do Portal Notícias & Opinião)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.