Sábado, 14 Dezembro 2019 | Login
Parabéns São Paulo pelos seus 465 anos!

Parabéns São Paulo pelos seus 465 anos! Featured

E para marcar esta data, a Prefeitura da Capital programou uma série de atividades gratuitamente para os paulistanos e turistas.

 

A maior cidade do Brasil, São Paulo, completa 465 anos nesta sexta-feira, 25 de janeiro. Nessa data foi fundado o colégio jesuíta que deu origem à metrópole.

São Paulo 465 3 museus

Atualmente, vivem nesta selva de pedra com milhares de arranhas-céus, 12,2 milhões de pessoas. E mais 21,6 milhões em toda a região metropolitana, uma das maiores do mundo.

É uma cidade que não dorme. São 24 horas de intenso vai e vai e vem de veículos, trens, metrô, ônibus, motos e bicicletas entre seus milhares de escritórios, comércios, indústrias, multinacionais, bares, boates, cafés, hotéis e restaurantes.

São Paulo 465 2 Paulista

Avenida Paulista, a principal e mais conhecida via pública de São Paulo

Há várias décadas, São Paulo é também o maior centro financeiro do país. Ela abriga brasileiros de todas as regiões, como também imigrantes de as partes do mundo. É também o principal centro em termos de tecnologia da medicina, com hospitais com atendimentos das mais diversas complexidade, com destaque para centros médicos, como o Hospital das Clínicas, Hospital do Coração, Sírio Libanês e Albert Einstein. Hoje, a cidade é administrada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), que sucedeu João Doria, eleito Governador do Estado. 

Decisão da Copinha

São Paulo x Vasco

Na área esportiva, uma das atrações do aniversário da Capital é a decisão da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Neste ano, a decisão será entre o São Paulo e o Vasco da Gama, às 15h30, no Pacaembu.

A programação completa da Prefeitura pode ser conferida aqui: https://bit.ly/2WbZ25Y (Fonte: EBC)

000

About Author

Related items

  • ADMINISTRAÇÃO: Governo de SP e União fecham acordo para transferir Ceagesp
    Doria também assinou decreto que permite construção de novos entrepostos em locais com acesso direto a rodovias na Grande SP.
     
    Nesta sexta-feira, 2510, o Governador João Doria anunciou, no Palácio dos Bandeirantes, acordo com o Governo Federal que permite a transferência da unidade da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), na Vila Leopoldina, zona Oeste da capital, para um novo endereço e sua concessão à iniciativa privada.
    Doria também assinou decreto estadual autorizando que o novo endereço tenha acesso a rodovias classe zero, caracterizadas por alto padrão técnico, com pista dupla e acessos limitados para garantir mais fluidez de tráfego. O documento também lista os requisitos e contrapartidas para implantação e manutenção do novo entreposto na Grande São Paulo.
    “Não é função do Estado cuidar de ações e atividades, como o abastecimento e distribuição de alimentos, que podem ser melhor desenvolvidas pela iniciativa privada. Com o decreto que assinei hoje, será possível a implantação de mais de um entreposto como o que hoje temos na Vila Leopoldina. Nosso objetivo é estimular a competitividade e oferecer oportunidades aos trabalhadores do setor. A diferença é que esses novos entrepostos serão construídos em locais mais adequados e com acesso direto por rodovias. Dessa forma, também vamos conseguir reduzir a circulação de veículos pesados nas marginais [Tietê e Pinheiros], o que compromete o trânsito na região e nas vias de acesso”, disse Doria.
    Doria
    Desde 2017, o Governo do Estado recebe estudos com modelos e estrutura para implantação, operação e manutenção de um novo entreposto. No entanto, qualquer projeto era inviabilizado pela proibição de acesso por rodovias classe zero aos grandes terrenos que comportam um entreposto como a Ceagesp.
    “A estrutura atual está saturada, ineficiente e ultrapassada. Além disso, não é adequado que um entreposto dessa vultuosidade esteja localizado dentro do centro expandido da capital. O ideal é que ele seja transferido para um local com todas as condições de infraestrutura e logística para melhor atender aos usuários”, afirmou o Secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira.
    O novo entreposto deverá ser transferido para um local com área construída mínima de 300 mil metros quadrados e oferecer infraestrutura que atenda a atual demanda dos produtores rurais, atacadistas, varejistas, cooperativas, importadores e exportadores. A nova Ceagesp terá processos mais modernos de conservação, controle de qualidade e rastreabilidade dos alimentos. Ao Estado, caberá a fiscalização por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
    O encerramento das atividades na atual Ceagesp só acontecerá após a conclusão do novo entreposto. O objetivo é evitar que o encerramento das atividades no atual local cause prejuízos à população e permitir a migração de funcionários.
    A Ceagesp da Vila Leopoldina é a maior central de abastecimento da América Latina, com área total de mais de 630 mil metros quadrados. Emprega mais de 30 mil funcionários e comercializa três milhões de toneladas de alimentos ao ano, com movimentação financeira de cerca de R$ 7,5 bilhões no período.
    Centro de inovação
    A região ocupada pela Ceagesp dará lugar ao Citi – Centro Internacional de Tecnologia e Inovação, que deverá ser o mais avançado ambiente de criatividade e desenvolvimento de startups do Brasil. O foco é o desenvolvimento e aplicação de hardtech (serviços de alta intensidade tecnológica).
    “Tecnologia e inovação fazem parte do DNA de São Paulo. A região que escolhemos para abrigar o Citi já tem vocação para isso. Próximo de lá já temos o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) e a USP. O Citi será feito em conjunto com a prefeitura e o Governo Federal, porque ele vai abrigar projetos de interesse do país”, declarou o Governador. (Comunicação - Governo de SP)
  • MÚSICA DE LUTO: Cantor Roberto Leal morre aos 67 anos
    Brasil e Portugal perdem a alegria de Roberto Leal, que agora ficará só na saudade.
     
    O cantor português Roberto Leal morreu na madrugada deste domingo, 15/09,, em São Paulo, aos 67 anos. A informação foi confirmada pelo Hospital Samaritano, onde o cantor luso/brasileiro estava internado.
    De acordo com a assessoria do cantor, Roberto Leal faleceu às 3h37 vítima de um melanoma maligno (câncer de pele) que evoluiu, atingindo o fígado, causando síndrome de insuficiência hepato-renal. Leal estava internado no hospital desde terça-feira (10).
    O velório será aberto ao público e acontecerá na segunda-feira, 16, na Casa Portugal, das 7h às 14h. O enterro será às 15h, no Cemitério de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista, informou a assessoria do cantor.
    Biografia
    Roberto Leal nasceu em 1951 na aldeia de Vale da Porca, no norte de Portugal. Aos 11 anos veio para o Brasil acompanhado pelos nove irmãos e pelos pais. O cantor ficou famoso no Brasil pela música "Arrebita”, que estreou nos palcos em 1971, na Discoteca do Chacrinha, da TV Globo. Em sua carreira, vendeu mais de 25 milhões de discos.
    Sem dúvida, uma das marcas de Roberto Leal, era a sua alegria de estar no palco cantando e falando das coisas do Brasil e de Portugal e, claro, do seu amor pelos dois países. E essa alegria ficará marcada para sempre nos corações de todos que gostam e apreciam a boa música. (Renato Ferreira com informações da Agência Brasil).
  • CORRUPÇÃO: Lava-Jato em São Paulo denuncia Lula, seu irmão, Frei Chico e executivos da Odebrecht
    Empresa teria pago mesada a Frei Chico entre 2003 e 2015 para garantir boa relação com o governo federal
     
    Nesta segunda-feira, 09/09, a Lava Jato em São Paulo denunciou mais uma vez o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por corrução. Foram denunciados também o irmão de Lula, Frei Chico, e executivos da empreiteira Odebrecht. Segundo o advogado do petista, Cristiano Zanin Martins, "a denúncia de hoje contra Lula repete as mesmas e descabidas acusações já apresentadas em outras ações penais".
     
    Segundo a Polícia Federal, o ex-presidente Lula e seu irmão, Frei Chico, foram denunciados por corrupção passiva continuada. Já os donos da Odebrecht, Emilio e Marcelo Odebrecht, e o ex-diretor da empresa Alexandrino de Salles Ramos Alencar foram denunciados por corrupção ativa continuada. Segundo o Ministério Público Federal, "entre 2003 e 2015, Frei Chico, sindicalista com carreira no setor do petróleo, recebeu R$ 1.131.333,12, por meio de pagamento de 'mesada' que variou de R$ 3 mil a R$ 5 mil e que era parte de um 'pacote' de vantagens indevidas oferecidas a Lula, em troca de benefícios diversos obtidos pela Odebrecht junto ao governo federal".
     
    Ainda segundo o MPF em São Paulo, Frei Chico, que, assim como Lula, atuava como sindicalista na década de 90, assumiu o cargo de consultor da empresa com a intenção de facilitar a relação da Odebrecht com os sindicatos.  A indicação teria sido feita por Lula quando ele ainda não ocupava o posto de presidente. A partir de 2002, com a eleição do petista, Frei Chico teria sido desligado da empresa, mas passou a receber a mesada de forma oculta, via departamento de propina que a empresa criou. “Os pagamentos começaram em janeiro de 2003, no valor de R$ 3 mil; em junho de 2007, passaram a ser entregues R$ 15 mil a cada três meses (R$ 5 mil/mês), entregas que cessaram somente em meados de 2015, com a prisão de Alexandrino pela Lava-Jato”, informou o MPF.
     
    De acordo com a denúncia, os pagamentos a Frei Chico eram feitos em razão do cargo de Presidente da República, então ocupado por Lula e, assim como outras vantagens por ele recebidas, visavam à obtenção, pela empresa, de benefícios com o governo federal. Ainda de acordo com a denúncia, nos depoimentos, Frei Chico alegou que durante o período os valores que foram pagos eram referentes a serviços de consultoria, porém, segundo o MPF, ele não apresentou documentos que comprovassem os trabalhos. Se condenados, a pena para os crimes pode variar de 2 anos a 20 anos de prisão, considerando a modalidade continuada. No entendimento da força-tarefa, por ter ocorrido por tantos anos os crimes podem ser imputados com o agravante.
    Incentivador de Lula
    Na nota em que informou a denúncia, o MPF fez uma espécie de perfil de Frei Chico e como a relação dele com a empresa começou. “Sindicalista militante, Frei Chico - que teria sido quem levou Lula ao sindicalismo - iniciou uma relação com a Odebrecht ainda nos anos 90. No início daquela década, estava em curso o Programa Nacional de Desestatização, que sofreu forte resistência dos trabalhadores do setor. Ao todo, 27 químicas e petroquímicas estatais federais foram vendidas”, afirma a Procuradoria. A Procuradoria afirma que “como a Odebrecht participava do setor e vinha tendo problemas com sindicatos, o então presidente da companhia, Emilio Odebrecht, buscou uma aproximação com Lula, e este sugeriu, então, que contratasse Frei Chico como consultor para intermediar um diálogo entre a Odebrecht e os trabalhadores”.
    Defesa
    O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou nesta segunda-feira, 9, em nota, que "a denúncia oferecida hoje em São Paulo pelos procuradores da Lava Jato contra Lula repete as mesmas e descabidas acusações já apresentadas em outras ações penais". (Fonte: Estado de Minas)

Quem somos

Notícias & Opinião é um site de notícias gerais editado pela Empresa Jornalística Notícias de Paz Ltda - EPP, a partir da Capital e região Oeste da Grande São Paulo.

Como o próprio nome diz, aqui você vai encontrar notícias, entrevistas, artigos, crônicas e opinião sobre política, economia, educação, cultura e esporte, dentre outros temas do nosso dia-a-dia.